História Fruit of our love - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 80
Palavras 976
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei um pouquinho?
Talvez. Hihi

Espero que gostem do capítulo.
Boa leitura.

Capítulo 6 - If I had spoken...


Fanfic / Fanfiction Fruit of our love - Capítulo 6 - If I had spoken...

***


Olho para o celular mais uma vez vendo o "Oi, É a Sophie." ainda ali. Perdi as contas de quantas vezes olhei para o botãozinho de enviar e pensei em clicar.

Já eram onze da noite, Kyun e Chun já haviam dormindo me deixando em completo silêncio na casa.

Ok, vamos Sophi, é só uma mensagem.

Apenas aperte o botão de enviar.

Levo meu polegar até o botão e o aperto, vejo as duas setinhas da mensagem aparecerem indicando que havia sido enviada e recebida. Não demora muito até que elas fiquem azuis.

Vizualizada.

Digitando.

Procuro sair da conversa o mais rápido possível para que eu não vizualize a mensagem rápido demais, porém o celular acaba travando e eu entro em um desespero terrível quando a mensagem aparece na tela - Ainda travada -

Ele vai achar que eu estava ansiosa pela resposta .

Se bem, que não será uma mentira.

Reinício o celular para que ele destrave e abro a conversa novamente. 


Namjoonie:

A margarida apareceu.

Pensei que nunca fosse mandar uma mensagem.


Isso significa que ele estava esperando que eu mandasse?

Clico no teclado e digito:


Alguém estava ansioso por uma mensagem minha

Hmmmmmmmmmm


Enviada.

Recebida.

Vizualizada.

Digitando.

O fato dele responder rápido me fez dar um sorriso, afinal, isso era bom, certo?!


Namjoonie:

Na verdade...

Eu estava ansioso para reencontrar você de novo.

Realmente ansioso.



Opa!

Opa!

Opa!

Ansioso?

Para me ver?


Mesmo depois de tanto tempo? 


Namjoonie:

Pessoas como você não são esquecidas facilmente. 

Senti bastante sua falta.


Ok.

Que sorriso é esse que está aparecendo aqui em meu rosto?

Por que meu coração parece acelerado?

E que sensação é essa de ter borboletas dentro de mim?


Oh, eu também senti.

Foi bem difícil nos primeiros meses.


Namjoonie:

Acredite, foi difícil para mim também.

Bem difícil. 

Mas acho que foi uma coisa que precisava ser feita naquele momento.


Eu entedia, aquele era o sonho dele, ele precisa se concentrar naquilo, chegar no seu objetivo. 

Mas como seria, se naquela noite, eu tivesse falado que estava grávida?!

Ele teria ficado?


Sim, entendo, Joonie.


Namjoonie:

Acha podemos nos ver amanhã? Uma coisa mais reservada, só para conversarmos.


Uh, eu não sei, tem as crianças e o trabalho...


E prémio de melhor desculpa vai para... Sophie hyun!


Namjoonie:

Conheço um lugar ótimo para nós quatro irmos, tenho certeza que eles vão gostar e você também. 



Eu não admitia, mas eu sempre quis, por pelo menos um dia, ter um passeio assim, aqueles bem família sabe?

Kyun e Chun tomando sorvete, Namjoon e eu rindo enquanto trocávamos carinhos e passávamos os olhos pelas crianças. 

Eu sempre quis que os gêmeos tivessem alguém paterno por perto, alguém que eles chamassem de "Appa", que tivessem como um exemplo de homem.

Sim, eu tive outros relacionamentos depois de Namjoon. Mas nenhum deles durou, nenhum deles foi bom o suficiente para os meus garotos, com exceção de um. DoYoung.

DoYoung e eu tivemos um relacionamento de um ano e meio, na época os gêmeos iriam completar dois anos.

Nos conhecemos de forma bem inesperada e engraçada, eu estava voltando do trabalho e ele correndo com o cachorro que, assim que me viu, avançou em mim e como DoYoung não estava o segurando pela coleira eu precisei correr muito para que não fosse morta pelo cachorro, mas no fim, quando DoYoung conseguiu o segurar, descobri que ele só estava interessado no biscoito que eu tinha em mãos. DoYoung me ofereceu um café como forma de desculpa, trocamos nossos números e saímos mais algumas vezes. Até decidirmos começar algo.

Ele se dava super bem com os meninos e isso era ótimo. 

Chegamos a ficar noivos, mas pouco depois, ele precisou se mudar para terminar sua faculdade e conseguir um bom emprego. Mantemos contato por um tempo, mas acabamos o perdendo. Hoje ele é advogado e se não me engano, mora na Argentina.

Eu tive mais dois relacionamentos depois dele, um com um estrangeiro, David. E outro com um coreano mesmo, Taeyang, mas nenhum deles acabou muito bem.



Joonie...

Tem certeza de que é uma boa ideia?

Namjoonie:

Por favor.


Certo.

Que horas?

Namjoonie:

Me passe seu endereço, te pego aí ao 12:00.


Ok.

Rua Kong Jo, prédio luvres, 107.

Namjoonie:

Nós vemos amanhã, então. 

Boa noite, Sôh.


Boa noite, Joonie.


Minutos depois de ter desligado o telefone e ficar encarando a escuridão do quarto foi que minha ficha caiu.

Onde é que eu estava com a cabeça? 

Eu tinha mesmo concordado em encontrar meu ex-namorado, pai dos meus filhos?

E ainda levaria os gêmeos? 

Céus

E se Namjoon descobrisse?

Eu passei boa parte da noite pensando nisso, me remexi diversas vezes na cama até que meus olhos pesassem e eu caísse no sono.

Na manhã seguinte, acordei mais cedo que o normal para um sábado.  Fiz um café, liguei a televisão e tentei manter a atenção ali, mas minha mente cismava em trabalhar no quanto eu era burra por ter concordado em sair com Namjoon.

Tá!

Eu queria. Queria muito.

Mas eu não sabia qual seria a reação dele se, por acaso, descobrisse que é pai.

Eu tinha medo da reação dele.

Realmente tinha. 

E eu errei em aceitar sair com ele e levar as crianças e nada tiraria isso da minha cabeça.

Eu poderia invetar que um dos meninos estava com dor de barriga, certo?

Ok, eu tinha o plano todo arquitetado para cancelar nossa saída mas quando chegou as dez, e ele me mandou uma mensagem, eu confirmei que iríamos ir por puro impulso. 

E agora, eu novamente,  me xingava mentalmente por isso.

Podia ouvir Kyung e Chung gritando da sala junto com o desenho que passava na televisão enquanto eu escolhia a roupa deles.

Depois de um banho e todos nós estarmos arrumado, eu me sentei no sofá e esperei. 

Ao meio dia, em ponto, meu interfone tocou. 

- ...Um garoto, chamado Kim Namjoon, disse que veio buscar a senhorita. - Foi tudo o que o porteiro disse.

Eu só conseguia pensar na enrascada em que eu havia me metido.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...