História Fruit of Sin - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Bts, Jikook, Markson, Mpreg, Namjin, Vmin, Yoonseok
Visualizações 141
Palavras 2.778
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente.
Nesse momento eu não consigo pensar em nada. Mas eu sinto que vocês devem estar irritados comigo, ou até quem sabe esquecido. Não é como se importasse (não mais).
Há um tempo eu tenho enfrentado um problema sério: a minha incapacidade. Eu sinto que deveria parar de escrever, e isso tem me sufocado todos os dias. Tenho enredos que dariam ótimas fanfics, mas quando eu pego pra escrever, apenas dois ou três capítulos me agradam. É como se eu tivesse desaprendido a escrever (talvez eu nunca tenha levado jeito pra coisa mesmo). O problema é mais psicológico mesmo. Eu vejo estórias bem escritas e paro para observar as minhas e, cara, como isso é chato e preocupante de certa forma, eu vou me sentindo cada vez mais uma pessoa incapaz de fazer algo.
Eu pensei seriamente em apagar essa fanfic e outra que com certeza não irei escrever e aposentar-me de vez desse mundo, mas no entanto eu tento todos os dias escrever algo, mesmo que eu passe horas na frente do computador e saía míseras cem palavras. Isso dói. E se você escreve, sabe o que eu estou passando, esse sentimento de impotência acaba com a gente.
Eu criei vergonha na cara e escrevi esse capítulo, mas eu sinto que poderia ter sido melhor. Enfim, desculpe-me pelo transtorno. Ficarei feliz caso alguém apareça, mesmo eu não merecendo.
Tenham uma boa leitura.

『Não betado』

Capítulo 12 - X: Ser amigo


Fanfic / Fanfiction Fruit of Sin - Capítulo 12 - X: Ser amigo

X: Ser amigo

 

    Havia se passado uma semana desde a minha reconciliação com Namjoon. Nosso relacionamento melhorou consideravelmente, no entanto, eu ainda me sinto frustrado. Eu diria ser culpa de Jimin e Yoongi, mas sinceramente, não creio que seja apenas isso. Talvez a ficha tenha finalmente caído e eu percebi que os meus pais me odeiam e muito provavelmente estão felizes sem mim.

    Encontro-me esparramado no sofá, empanturrando-me de açúcar, gordura, entre outras coisas. Sei que estou errado em fazer isso, pois o meu obstetra havia passado horas a fio conversando comigo a respeito de meus hábitos alimentares, mas sinceramente, é tudo tão tentadoramente gostoso que eu não consigo simplesmente dizer não e parar de comer.

    Sun Hee está no trabalho e Jimin no colégio, tenho a casa toda para mim, mas não sei como posso me aproveitar disso. Talvez colocar uma música para tocar, ou quem sabe andar apenas de cueca pela casa. Eu realmente não sei; está frio, andar com apenas uma peça de roupa no corpo não me parece adequado.

    Passar o dia engordando e vendo doramas é mesmo a minha única opção?

― Tenho paz, mas a preguiça é tanta... ― resmunguei, encolhendo-me por conta do frio.

    Não deu outra, foi só levantar do sofá que a campainha tocou, mandando embora de vez todas as chances que eu tinha de fazer algo sem a intromissão de alguém. Enrolei-me no edredom, caminhando com os ombros caídos até a porta.

― Mark? ― questionei, vendo-o sorrir com os olhos. ― Entre.

    Não demorou muito para que ele entrasse e se apoderasse do meu sofá. Droga, ele pegou justo a parte quente.

― Desculpe-me aparecer assim sem avisar ― dizia, olhando para a bagunça de comida no chão, sofá, enfim, por todos os lados. ― Não estou atrapalhando algo, estou?

― Não mesmo ― fui sincero, sentando-me ao seu lado. ― Estava apenas engordando um pouquinho.

    Ele riu, levando um alcaçuz à boca. Minha comida não.

― Eu estava passando e decidi ver como você está.

― Ah, eu estou bem ― sorri, mesmo achando tudo muito estranho. ― Já você não me parece muito bem.

― Mesmo? Porque não estaria?

― Eu não sei, você está diferente ― disse, lembrando-me de que conversamos apenas uma vez e que eu não sou ninguém para dizer algo do tipo. ― Hyung, é algo relacionado ao Jackson?

― Ah, você é esperto.

    Não diria esperto, mas sim observador.

― Eu fui até o café, mas ninguém reparou ― Mark fez uma careta, sorrindo logo depois. ― Pensei que encontraria Jackson por lá, já que hoje é seu dia de folga, mas aparentemente ele nem deu as caras por lá.

― Por falar no café ― disse. ― Como andam as coisas por lá?

― Indo ― Mark hesitou, comprimindo os lábios. ― Eu pedi demissão.

― Como? ― espantei-me. ― Aconteceu alguma coisa entre você e o Jackson?

― Não, nada disso ― abanou as mãos, negando com a cabeça. ― Eu apenas recebi uma proposta de emprego melhor. De início eu fiquei meio tentado a recusar, pois não queria deixar os Kim’s na mão, mas depois de muito conversar com um amigo meu sobre, acabei aceitando. A parte mais difícil foi tentar convencer Youngjae de que não era por causa do dinheiro, mas sim por causa da minha carga horária. Ele ficou arrasado, disse que aumentaria o meu salário, mas como eu já disse, não preciso de dinheiro.

― O que está fazendo agora então?

― Consegui um emprego de estagiário de enfermagem no Hospital Público de Seul ― respondeu eufórico. ― É meio período e agora eu vou ter quem me ajude. Meu amigo há um tempo vinha me pedindo para aceitar a proposta, dizendo que as coisas seriam mais fáceis para mim, mas como eu sou cabeça dura e fodidamente apaixonado pelo Jackson, me recusava a sequer cogitar a ideia.

― Como se chama o seu amigo?

― Park Jinyoung.

― Ah, eu não acredito...

― O que foi?

― Ele é meu obstetra.

― Mesmo? ― Mark pareceu-me surpreendentemente feliz. ― Agora eu vou poder te ver mais vezes.

― Ah, não seja por isso ― pisquei o olho esquerdo. ― A gente pode marcar de sair. Eu nunca tenho nada para fazer mesmo.

― Mas se tivesse, certamente de que não sairia comigo.

― Nossa hyung, falando assim até me faz parecer alguém ruim.

― Estou brincando ― riu.

― Poderíamos marcar de sair todo mundo ― sugeri. ― Fazer um encontro de casais basicamente.

― Tudo bem, é só...

    Mark interrompeu-se, olhando na direção da porta. Os meninos haviam chegado.

― Não hyung ― Jimin fazia uma careta, sorrindo para Yoongi que apenas deu de ombros. ― Se ele me ligar, eu prometo que te conto tudo.

― Não é como se eu quisesse saber também ― curto e grosso. Algo aconteceu... de novo.

― Nossa, não desconta a sua falta de sexo em mim ― Jimin reclamou, jogando a mochila no chão. Até então nenhum dos dois havia notado Mark e eu. ― Posso te apresentar um amigo meu.

― Eu não quero parecer grosso ― Yoongi suspirou, jogando-se no sofá. ― Mas eu pouco me importo com os seus amigos galinhas, eu só quero o meu Hoseok de volta. O que aquele desgraçado tem que passa por mim e sequer olha nos meus olhos? Nem parece que estava correndo atrás de mim esses dias atrás. Acho o que o único idiota dessa relação sou eu. Não deveria ter ido pra cama com ele sem ter resolvido as coisas antes. Droga!

― O QUE? ― perguntei, olhando-o estático. ― Você transou com o Hoseok?

― Ah cara ― Yoongi choramingou. ― Até você? Eu sou humano sabia, e tenho as minhas necessidades. Aquele homem é uma tentação, tê-lo para mim é a melhor coisa do mundo, você acha que eu iria recusar? Olha bem pra minha cara. Você é meu amigo, mas às vezes eu acho que você não me conhece de verdade.

― Quando aconteceu? ― Mark perguntou, levando mais um alcaçuz a boca.

― No mesmo dia em que a gente teve aquela “reunião” em família ― disse. ― A gente foi embora mais cedo na intenção de conversar, tentar concertar as coisas, mas a gente fez tudo o contrário.

― Amigo, você tem que ser mais forte ― Jimin disse, batendo de leve nas costas de Yoongi, reconfortando-o. ― Nenhum homem presta, são todos iguais.

― Falou a dona de casa ― provoquei. ― Acho que você se esquece de que tem um pinto no meio das pernas Jimin.

― Eu não ― defendeu-se. ― Nós apenas fazemos parte de outro circulo. Existem dois tipos de homens: os galinhas e os iludidos.

― Nós fazemos parte do segundo, certo? ― Yoongi perguntou, achando graça das palavras do amigo. ― Ah, você é muito equivocado, Deus me livre. Hoseok não é um galinha.

― Namjoon também não ― disse.

― Jackson muito menos ― Mark disse como quem não queria nada.

― Yugyeom é um galinha ― Jimin disse, pedindo aos Deus mentalmente para que nada daquilo chegasse aos ouvidos do amigo.

― Você é um galinha ― Yoongi retrucou. ― Não sabe qual dos irmãos pegar.

― Errado Yoongi ― disse. ― Ele pega os dois.

    Não demorou muito para ter um Jimin emburrado, enquanto Yoongi e eu riamos feito duas hienas. Havia me esquecido do quão bom é estar perto deles. São as pessoas mais importantes para mim. Como pude me distanciar disso?

    Depois de jogar conversa fora, Mark foi embora, alegando que voltaria qualquer dia desses ou me ligaria para que a gente marcasse de sair. Jimin pareceu-me ainda mais irritado, dizendo que estávamos excluindo-o. Parece que temos um problema por aqui; carência o nome.

•••

    Foi só a noite cair e não deu outra: Namjoon havia chegado estressado do trabalho, pedindo para que eu deixasse os Park’s pelo menos por hoje e fosse passar algum tempo com ele. Infelizmente eu não pude recusar, visto que Jimin está chateado comigo.

― Oi meu amor ― Namjoon sorriu, dando-me um selinho. ― Como foi o seu dia?

― Bom ― respondi, lembrando-me do quão divertido foi passar algumas horas na companhia dos meninos. ― Mark apareceu para me fazer companhia e ficou para o almoço, sem contar que é muito divertido irritar o Jimin quando se tem alguém novo no grupo. Yoongi não perdia uma oportunidade.

― E o nosso bebê, como está? ― perguntou.

― Já disse que estou bem ― brinquei, ouvindo-o rir descrente. ― Ah, ele ou ela está bem. Anda comendo muita coisa boa.

― O que você quer dizer com isso? ― estreitou os olhos, olhando-me desconfiado. ― Acho que você deveria parar de comer essas coisas.

― Nossa Nammie, relaxa ― resmunguei, cruzando os braços. ― De vez em quando não faz mal.

― Tudo bem, não vou discutir com você ― disse, voltando a sua atenção para o transito turbulento. ― Aliás, você já faltou muito às aulas, seria bom que você fosse amanhã.

― Estou cansado demais para isso ― menti. ― Não quero ter que ver a cara daquele povo, certeza de que vão ficar olhando feio para mim.

― Como assim? ― Namjoon perguntou. ― Porque ficariam olhando feio para você? Alguma coisa aconteceu e eu não fiquei sabendo?

― Não ― respondi. ― Eu só sinto que eles sabem mais sobre mim do que eu mesmo. É evidente a inveja que eles sentem. Sou o “queridinho”, como eles costumam dizer, tiro as melhores notas e você é cadinho por mim. E, meu Deus, você é um problema e tanto.

― Eu um problema? ― sorriu, olhando-me de soslaio.

― Sim, você é um dos professores mais queridos, e acredite, não é por causa da forma como você leciona ou algo do tipo, mas sim por você ser fodidamente gostoso. A coordenadora costuma ser um bom exemplo do que se é comer com os olhos, já que ela falta pular nos seus braços toda vez que te vê. Talvez você não tenha percebido por ser um idiota ou por estar preocupado somente comigo, mas... isso me deixa incomodado. Essa atenção toda que você recebe me faz ter medo de te perder pra alguma biscate de saia curta ou short no útero. Eu queria que o meu namorado você apenas um professor legal, não uma pessoa que chamasse a atenção de Deus e o mundo.

― É... talvez eu seja de fato um idiota. ― disse. ― Mas não se preocupe, estou preocupado demais amando você, e só você.

    Sorri. É... esse homem com certeza será a minha perdição e também a minha destruição.

•••

― E vocês se resolveram? ― Yoongi conversava com Jimin, hora ou outra olhando de soslaio para a mesa onde Hoseok se encontrava com Namjoon. ― Olha, meus parabéns, você está se tornando alguém de atitude. Será que a nossa criança está crescendo? O que você me diz Jin?

― Ele estava te evitando fazia semanas, ainda não consigo engolir o fato dele ter aceitado falar com você  ― disse, vendo Jimin erguer os olhos de seu sanduíche. ― É sério, você tem certeza de que o Taehyung não está brincando com a sua cara? Duvido muito que ele seja tão tapado ao ponto de não perceber que você pega o irmão dele também.

― Minnie, você bem que poderia me dar umas aulinhas ― Yoongi riu nasalmente. ― Você aí com dois e eu sem nenhum. A vida é injusta às vezes.

    Olhei descrente para Yoongi, vendo-o dar de ombros, voltando a olhar para Hoseok. Eu ainda preciso trocar uma ideia com o meu professor de educação física; perguntar o que aconteceu entre os dois. De início era Yoongi que o evitava, mas agora parece ser o contrário.

― Eu sei muito bem que você está doido para saber o que aconteceu ― Yoongi disse, ainda olhando para Hoseok. ― Sabe... talvez eu lhe conte, ou talvez eu prefira que vocês dois marquem de sair e conversem como os melhores amigos que com certeza não são. Você consegue ser uma pedra no sapato quando quer Jin.

― Olha quem fala ― retruquei, indignado com a veracidade de suas palavras. ― Fica aí, falando pra Deus e o mundo o quanto está infeliz com o “término” do seu relacionamento com o Hoseok, como se a gente quisesse ouvir.

― Você é meu amigo, ou seja, exerça bem o seu papel como tal.

― Ah, sei... ― ri debochado. ― Lamento dizer, mas a sua concepção do que é ser amigo está equivoca.

― Cara, foi exatamente isso que eu fiz quando o seu relacionamento com o Namjoon ruiu. Em momento nenhum eu lhe disse que estava farto dos seus lamentos, muito pelo contrário, eu te dei colo e comida. Tenha mais consideração.

― Ah, senhor dono da razão ― levantei, sentindo vontade de voar em seu pescoço branco desprovido de marcas, já que sua transa foi a duas semanas atrás. ― Desculpe-me por não ser um amigo suficientemente bom para você.

― Estão olhando pra cá ― Jimin murmurou, abaixando a cabeça.

― Se você não estivesse grávido eu acabava com a sua raça! ― Yoongi gritou, arregalando os olhos ao perceber o que acabara de dizer em voz alta. ― Droga...

    Não vi da hora que desferi um murro em seu rosto, vendo-o cambalear pra trás e cair no chão. Eu ainda sou um homem, por tanto tenho a força de um.

― O que vocês estão olhando? ― Namjoon perguntou, puxando-me pela cintura. ― Voltem para seus círculos e esqueçam o problema dos outros.

― Hey professor ― um garoto riu. ― Que nervosismo é esse? Nós apenas estamos curiosos. Como assim grávido?

― Na boa cara ― Yoongi levantou-se, a boca suja de sangue. ― Cuida da sua vida. Não tem ninguém grávido aqui não, é só uma brincadeira nossa. Entope a boca de comida e fica quieto.

― Eu sei ― riu. ― Só estou brincando. Apenas achei engraçado você dizer no meio de uma discussão. Mas não se preocupe, sou bem centrado e sei muito bem que homens não engravidam, onde já se viu; grávido? Conta outra.

― Exatamente isso ― Yoongi riu. ― Gostei de você, mas agora come a porcaria da sua comida e para de chamar a atenção.

    Olhei para Yoongi que sorriu, levando a mão até o machucado.

― Da próxima vez bate mais fraco, por favor ― e saiu.

•••

― Você está bem? ― Namjoon perguntou, beijando-me a testa. ― Não sei o que te levou a brigar com o Yoongi, mas saiba que vai passar.

― Eu sou um idiota ― disse, abraçando-o. ― Eu discuti com ele por algo tão besta. Talvez sejam os hormônios da gravidez, ou talvez eu seja um filho da puta mesmo.

― Por falar em gravidez ― Namjoon sentou-se, me puxando para que sentasse em seu colo. ― Jackson me disse que o seu obstetra é o Jinyoung. Meus parabéns, você não poderia ter escolhido alguém melhor.

― Ele é assustador ― disse, ouvindo Namjoon rir. ― Ele não sorriu em momento nenhum. Sério demais. Chato demais.

― É o jeito dele meu anjo ― Namjoon afagava meus cabelos. ― Com tempo você não só se acostuma, mas como aprende a gostar também. Mark não faria amizade com uma pessoa tão divergente a ele.

― Ele gosta do Jackson ― zombei. ― Quem em sã consciência gostaria do seu irmão?

― Você talvez?

― Ah, eu também não sou muito normal, então não faz diferença.

― É claro que faz ― disse, tirando a franja que caía sobre a minha testa. ― Mas eu sou feliz por ter sido eu, não ele.

― Eu nunca vi seu irmão dessa maneira, sem bem que deveria. Você é me assusta de noite sabia? Fica falando coisa com coisa ― expus, segurando uma risada. Ele franziu o cenho, mostrando a língua.

― Você é quem fica resmungando coisa com coisa ― defendeu-se, torcendo o nariz. ― Semana passada, não me lembro ao certo o dia, acordei com você discutindo enquanto dormia. Eu fiquei tentado em te acordar, mas acabei desistindo da ideia e assistindo mais um pouco.

― Você não presta ― falei. ― Mas tudo bem, estou acostumado com todos tirando uma com a minha cara.

― Não diz isso ― ele pareceu-me chateado. ― Eu te amo.

― Eu também me amo.

― Quem não presta é você.

― Eu sei disso meu bem, não precisa dizer.


Notas Finais


Não sei quando trago o próximo. Para ser bem sincera, nem sei se trago... De qualquer forma, obrigada e desculpa.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...