História Fruit of Sin - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags 2jae, Bts, Jackson, Jikook, Mpreg, Namjin, Vmin, Yoonseok
Exibições 362
Palavras 2.289
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, oi, mona! Tudo bem com vocês? Comigo não, estou preocupada com algumas coisas a respeito dos meninos (mesmo com algumas pessoas alegando serem apenas rumores. Vai saber).

Eu particularmente gostei desse capítulo, até porque entrou mais gente na bagaça, e eu sei que a maioria gosta dessa pessoinha!

Bom, sem mais delongas, fiquem com o capítulo! Boa leitura!

『Não betado』

Capítulo 3 - III: Caos


III: Caos

 

     Eram duas da manhã quando eu e Jimin decidimos ir dormir. Por mim eu teria passado a noite acordado assistindo a algum filme qualquer, porém Sun decidiu que pegaria no nosso pé até que estivéssemos no nosso sétimo sono. No final das contas tanto eu quanto o anão ruivo optamos por obedecer, afinal, ela tinha razão em dizer que eu precisaria estar descansado, alegando que o meu sábado seria turbulento, pois ela me levaria para fazer os exames.

     Agora eu me encontro ocupando o banco do carona, ouvindo mesmo que a contragosto duas pessoas gritarem o refrão de uma música que me é desconhecida. Sinceramente, passei tanto tempo longe de Jimin e Sun que me esqueci que os mesmos conseguem ser irritantes e inconvenientes quando querem. Será que é difícil de ver que o meu humor está um cu e tudo o que eu mais quero é silêncio? Ah, provavelmente eu terei que desenhar caso queira um pouco de paz, porém eu não me sinto disposto para tal.

     Depois de longos vinte minutos sendo torturado, obtive o meu tão merecido silêncio.

― É agora ― Jimin sorria de orelha a orelha. ― Estou tão nervoso.

― Também ― ri sem humor.

― Hyung... ― Jimin virou o troco, encarando-me. ― Nós ainda não conversamos sobre como você se sente a respeito dessa criança, conversamos?

― Não muito ― disse também me virando para olhá-lo. ― Mas não se preocupe, eu não pretendo abortá-la e nem nada do tipo. Além de ser sangue do meu sangue, é fruto do amor que eu sinto pelo Namjoon.

― Sabe... ― Jimin cruzou os braços, deitando com a cabeça em meu ombro. ― Eu sinto que as coisas irão se resolver entre vocês.

― Ele não me ama, voltaria apenas por causa do nosso filho ― disse, sentindo Jimin acariciar meu ventre.

― Lógico que não! ― Jimin levantou-se de súbito, assustando-me. ― Já parou para pensar em como ele deve estar se sentindo?

― Jimin, eu não sei se é certo dizer isso, mas... ― hesitei. ― Você ainda é muito novo para compreender certas coisas.

― Falou o adulto.

― No final do ano eu completarei dezoito ― disse, estapeando-lhe a testa. ― E vê se fala direito comigo, ainda sou seu hyung.

― Desculpa.

     Sun apareceu minutos depois com dois cappuccinos, alegando que cafeína me manteria acordado. Eu não estava com sono, porém não dispensaria, afinal, era o meu preferido.

― Ansioso? ― Sun perguntou e eu assenti, vendo-a sorrir. ― Se o teste der positivo, não se desespere, eu estarei aqui para te ajudar.

     Apertei o copo em mãos, sentindo meus olhos marejarem. Ah, os malditos hormônios.

― Jin querido, não chore ― Sun colocou ambas as mãos em cada lado de minha cabeça, obrigando-me a olhar-lha nos olhos.

― D-desculpa... ― disse, vendo-a franzir o cenho. ― E-estou dando t-trabalho p-para vocês.

― É claro que não meu anjo ― suspirei, ouvindo-a rir baixinho. ― Eu faço o que faço por amor, então, por favor, pense duas vezes antes de dizer algo do tipo.

― Também te amo omma ― grunhi de dor ao sentir minhas bochechas serem apertadas com força. ― Ai Sun, isso dói.

― Aish, seu estraga prazer.

     Ri de sua expressão irritada, surpreendendo-me ao ver que Jimin fazia o mesmo ao meu lado.

― O que foi...

― Kim Seokjin! ― um homem loiro trajando o típico jaleco branco ajoelhou-se na minha frente, depositando ambas as mãos em minhas coxas. ― E aí pequeno, como vão às coisas?

― Quem é... ― arregalei os meus olhos ao ver de quem se tratava. ― JACKSON!

     Não hesitei em puxá-lo para um abraço, apertando-o em meus braços. Ah, como eu amo esse ser.

― É bom te ver também ― Jackson afagava minha cabeça. ― Mas agora me solta, as pessoas estão olhando.

― Desculpa ― pedi, soltando-o, porém agarrei suas mãos, entrelaçando nossos dedos. ― Faz tempo não?

― Meses e meses ― Jackson riu. ― E você não respondeu a minha pergunta.

― Ah, sim ― disse sem jeito. ― Eu estou...

― Ele está tudo, menos bem ― Jimin me interrompeu.

― Mas pelo que consta na ficha ― Jackson abaixou a cabeça, voltando a sua atenção para a prancheta em seu colo. ― Os sintomas dele...

― Não me refiro a isso sua anta! ― Jimin exaltou-se. ― Namjoon não falou com você?

― O que aconteceu? ― Jackson voltou a sua atenção para mim. ― Vocês brigaram?

― Eles ter...

― A gente deu um tempo ― respondi, olhando de soslaio para Jimin.

     Jackson voltou sua atenção para Sun, piscando para a mesma, esta que por sua vez maneou a cabeça em desaprovação.

― Noona, o que está acontecendo? ― Jackson perguntou, levantando-se para sentar ao lado da mesma. ― Não dá pra conversar com o seu filho e o Jinnie não parece disposto a me contar.

     Olhei para Sun com ternura, pedindo mentalmente para que ela não contasse nada, porém a mesma limitou-se em sorrir amarelo, arqueando ambas as sobrancelhas.

― Ah, ele te explica depois ― Sun deu de ombros. ― Não tenho o direito de me intrometer nisso.

― Tudo bem... ― Jackson suspirou, dando-se por vencido. ― Me acompanhe pequeno.

― Sou maior que você ― disse seco.

― Sou mais velho que você ― ele sorriu sacana. ― Agora venha, temos um exame para fazer.

― Espera... ― disse, levantando-me. ― Como assim temos?

― Jin, você costumava ser mais esperto.

― Faça-me o favor.

― Olhe bem ― ele abriu ambos os braços, dando um giro de 360°. ― Estou bonito trajando esse jaleco, não?

― Não ― disse, vendo-o murchar. ― Desde quando trabalha aqui?

― Dois meses ― ele respondeu, voltando sua atenção para a prancheta. ― Vamos então?

― Você como médico é a coisa mais inusitada que eu vi em toda a minha vida.

― Engraçadinho ― ele me mostrou a língua, logo fechando a cara. ― E é doutor Jackson para você, estamos entendidos?

     Sorri desdenhoso, não hesitando em acompanhá-lo pelo corredor a fora.

•••

     Por incrível que pareça, Jackson estava fazendo jus ao seu crachá cujo “Dr. Jackson” estava gravado, porém seu feito não fora nada grandioso, dado ao fato de que não fizera nada além de sugar uma quantidade relevante de sangue para dentro de uma seringa.

― Prontinho ― disse após limpar o resquício de sangue que ficara em meu braço. ― Agora é só esperar pelo resultado dos exames.

― Certo ― disse, me levantado daquela cadeira desconfortável. ― Sai em meia hora? ― perguntei, referindo-me aos exames.

― Sim ― Jackson respondeu sem me olhar. ― Aliás, fica.

― Oi? ― parei a poucos passos da porta, virando-me para olhar-lho.

― Eu quero conversar com o meu cunhado, não posso?

― Pode, mas...

― Ah Jin, eu não mordo!

― Tudo bem.

     Voltei a me sentar, porém agora em algo muito mais confortável.

     Jackson permaneceu em pé, arrumando alguns papeis. Pela primeira vez ele me pareceu uma pessoa responsável; um verdadeiro profissional, porém o termo “responsável”, juntamente de “profissional”, foram descartados assim que o vi depositar ambos os pés sobre a mesa.

― Belo profissional você.

― Não sou? ― ele sorriu, ajeitando o crachá. ― Mas, sem brincadeiras agora.

― Claro... ― murmurei desgostoso. ― Pode começar o interrogatório Dr. Jackson.

      Jackson suspirou, tirando os pés da mesa. Ele ainda sorria, porém seus olhos transbordavam seriedade.

― E antes que você me pergunte, não, eu não estou tendo contato com o Namjoon.

― Eu realmente não quero te envolver nisso.

― Somos amigos não somos?

― Sim, mas... ― hesitei. Eu sei muito bem qual é a política usada pelo Jackson quando o assunto são os problemas de Namjoon, e a última coisa que eu quero é uma desavença entre eles. ― Primeiro eu quero que você me prometa que isso ficará entre nós, que não sairá contando para os seus pais e muito menos para o Namjoon.

― Tudo bem... eu prometo.

― Bom, eu fui expulso de casa ― comecei pela bomba, ou melhor, por uma delas. ― E sim, o pivô foi o meu relacionamento com o Namjoon. Aí você me pergunta: como eles descobriram? Da pior maneira possível.

― Eles te pegaram juntos?

― Algo bem pior que isso ― mordi o lábio inferior, procurando coragem para proferir as palavras entaladas em minha garganta. ― Minha mãe me pegou fazendo os testes de gravidez.

― Ah sim... ― Jackson sorriu, porém logo arregalou os olhos, inclinando a cabeça para frente. ― G-g-gravidez?

― ‘Eita, calma! ― disse, vendo-o franzir o cenho. ― Eu posso explicar...

― Vá em frente.

― Há três semanas eu venho sentindo os mesmo sintomas que uma mulher... bom... ― olhei sugestivo para Jackson, vendo este assentir. ― Eu contei pro Yoongi e ele me sugeriu os testes de farmácia. É óbvio que eu não levei a sério, porém acabei por comprar. E infelizmente o inevitável aconteceu.

― Espera! ― Jackson pigarreou. ― Você não está querendo me dizer que os testes deram positivo, está?

― Ótimo, assim poupamos tempo.

― Jin, c-como?

― Não sei ― abaixei a cabeça, vendo fios castanhos entrarem em meu campo de visão. ― Acredite, eu fiquei atordoado quando descobri o que aqueles dois ricos significavam.

― Foram quantos testes?

― Sete.

― E todos deram o mesmo resultado?

― Sim.

― Nossa! ― Jackson assoviou, rindo sem graça. ― Não esperava por isso.

― Muito menos eu.

― Eu não sei o que dizer.

― Não diga.

― Ah Jin! ― Jackson se levantou, vindo em minha direção. ― Se o hormônio beta-HCG estiver presente no exame...

― Que hormônio é esse?

― É um hormônio exclusivo da gravidez e sobe muito rapidamente no início, já que é nessa fase que ele é primordial. Através dele que se pode detectar a gravidez e também o tempo aproximado da gestação.

― Onde você está lendo isso?

― Faça-me o favor! ― Jackson crispou os lábios. ― Eu sou formado Jin.

― Brincadeiras a parte... ― suspirei. ― Você acha que esse tal de beta alguma coisa vai estar no exame?

― Se os testes de farmácia deram positivo ― Jackson sorriu de orelha a orelha. ― É provável que sim.

― Qual é a desse sorriso?

― Estou feliz?

― Pelo?

― Eu serei titio.

•••

― Hyung, vem comigo, ok?

     Mal saí do consultório e me deparei com um Park Jimin eufórico. O mesmo andava de um lado pro outro com um copo de milk-shake em mãos.

― Jimin o que está acontecendo?

― Hyung... ― Jimin sussurrou. ― É melhor você se esconder.

― Esconder? Por quê?

― Ér... ― Jimin praticamente engasgou ao olhar para uma figura alta no final do corredor. ― Vamos?

     Ignorei completamente a existência de Jimin, voltando a minha atenção para o homem parado a poucos passos de distancia. Permaneci encarando-o por um tempo, até me dar conta de quem se tratava.

― N-namjoon?

― Seokjin ― ele sorriu sem jeito, tirando o capuz que ocultava parcialmente o seu rosto. ― Bom dia!

― Bom dia! ― sorri involuntariamente ao vê-lo ruborizar.

     Jimin olhava-nos receoso, apertando a barra de seu moletom com demasiada força. Não o culpo, afinal, estou sentindo desespero igual. Não esperava encontrar Namjoon tão cedo, ainda mais se tratando de um momento tão importuno.

                                   

― Como você está? ― pisquei algumas vezes, acordando de meus devaneios.

― Eu estou bem ― respondi, vendo-o sorrir mais abertamente, deixando a mostra suas adoráveis covinhas. ― E você?

― Levando.

     Inspirei o ar de forma desesperada, sentindo um formigamento incomodo em meu peito. Não sei ao certo o porquê, mas eu preferiria mil vezes ouvi-lo gritar comigo. Essa gentileza toda está me sufocando.

― Namjoon, por favor, para ― pedi, o ouvido suspirar. ― Essa gentileza toda é desnecessária entre a gente.

― Desculpa ― sua voz soara baixa, triste até. ― Eu só... Eu estou me sentindo um lixo Jin, um lixo!

― É bom que sinta ― a voz grossa e serena de Jackson fez-se presente, assustando os demais. ― O estado dele é deprimente e é tudo culpa sua.

― Eu sei, mas...

― Eu não terminei! ― Jackson interrompera-o. ― Você não é mais uma criança, sabia muito bem quais seriam as conseqüências, porém mesmo assim o fez.

― Você queria o que? ― Namjoon esbravejou. ― Que eu aceitasse numa boa o fato de ter engravidado um homem?

― É o mínimo! ― Jackson não gritava, porém seu tom de voz era intimidador o bastante. ― Ele não fez essa criança com o dedo!

― Eu não pedi para que ele engravidasse! ― Namjoon estava descontrolado.

― Muito engraçado você ― Jackson riu desdenhoso. ― Ele nem ao menos sabia que podia.

― Gente, por favor, parem com isso ― pedi, aproximando-me hesitante dos dois homens que faltavam se agredir. ― As pessoas estão olhando, tenham o mínimo de decência.

― Eu tenho vergonha de você! ― Jackson ignorara completamente a minha existência. ― Haja como um homem, não como um moleque!

― Fale por você! ― Namjoon fechou as mãos em punho, avançando em direção ao irmão. ― Veremos quem é o moleque agora.

― Parem já com isso! ― Jimin exclamou, entrando no meio dos dois. ― Olhem o estado do Jin.

     Corri até o banco mais próximo, sentando-me. Estava soando frio e minha visão já se encontrava embaçada por conta das lágrimas.

― Jin ― o chamado de Namjoon foi à última coisa que ouvi antes de tudo tornar-se o mais absoluto silêncio.


Notas Finais


Espero que tenham gostado até o próximo! o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...