História Fuck - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 7
Palavras 592
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Poesias
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Meu amor, foda-se


Meu amor, estou pouco me importando se sua fonte de amor próprio secou.

Foda-se se você não está feliz, eu estou, então não tente estragar isso, pois meu amor, sua ignorância não me atinge.

Não ache que suas opiniões influenciam na minha vida, elas vão para o lixo junto com a porra da sua existência. Todas direto para o meu lixo, como se fossem as bolas de basquete que Michael Jordan jogou direto para a cesta.

Meu amor, se eu quiser sair com uma cabeça de coelho e sutiã na rua, eu saio, e suas palavras maldosas não vão fazer a menor diferença.

Sua boca é mais suja que um banheiro químico público, seus olhos vêm mais sujeira que desentupidores de fossa.

Eu posso ver as gotas de imagens pingando pela TV, posso dizer palavras desconexas e ser uma "porra loka", você não tem o fucking direito de se meter.

Com qual intenção você sai contando para seus amiguinhos- venenosos como você- sobre minha vida?

Como se eles fizessem diferença na minha vida, tsc.

Como é fútil, como se engana, como sente prazer em destruir vidas. Uma pena que a minha, nem o dedo você lasca.

Se minhas companhias saem trepando por ai, ou se são do mesmo sexo e se pegam, foda-se meu amor.

Não me importa os seus xingamentos, tira esse dedo da minha cara que essa merda tá fedendo, seu lixo humano.

Não venha falar algo sobre mim, espalhando livros dos quais você não sabe nem uma página. Você não sabe da minha vida, e por favor, continue sem saber.

Ora, meu amor, mordeu a língua e se envenenou?

Ontem eu bebi, enchi a cara, e você sentou sua bunda fedorenta no sofá observando minhas redes sociais, pensando em formas de me atingir. Precisou de muito café?

Tá querendo beijar minha boca? Me perdoe, mas a fruta podre que você é eu não ouso experimentar. 

Espero que minha presença te incomode, te faça cossar o braço, te faça ter vontade de correr, gritar, espernear. Porque minha vida, meu amor, você não vai desgraçar.

Com meus defeitos, eu sou melhor que você.

Eu sou feliz até mesmo em um sofá com rum e coca-cola, se um som tocar eu ligo para metade do bairro e faço uma festa.

Não aponte defeitos em mim, enquanto o espelho passa longe de você, é humilhante, e não é para mim.

Não percebe? Suas discriminações não fizeram eu parar de ser feliz.

Enquanto aquele líquido quente e brilhante chamado lágrima não transbordar dos meus olhos - que diferentes dos seus, vêm cor e sabor no mundo - e escorregar pelas minhas bochechas - que sempre estão erguidas, estando ao lado do meu sorriso como guardas - você não vai sossegar o rabo, não é?

Enquanto você não ver ódio nos meus olhos, você não vai aquietar a porra da periquita, não é?

Uma pena, meu amor, eu não derramo lágrimas por quem não me importa, não se sinta digna disso.

Eu não sinto ódio de você, ou do que você faz.

Continue, pode continuar. Sinto que assim, eu sou importante para você.

Mas sabe?

Obrigada. Obrigada por me fazer rir até molhar as calças. Obrigada por me mostrar que eu sou feliz, e minha felicidade é tão grande que incomoda.

Os meus dedos não vão parar de balançar pelas cordas do meu violão, não por você, eu gosto dessa melodia calma e doce que meus ouvidos absorvem como se dependessem disso para viver, é a droga deles.

Seu preto e branco, em meu colorido, não entra!

Porque meu amor.... Foda-se.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...