História Fuck Boy - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Jikook, Namjin, Taeyoonseok, Vhope, Yoonseok
Exibições 178
Palavras 741
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Sobrenatural, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Marcado


Fanfic / Fanfiction Fuck Boy - Capítulo 1 - Marcado

— Park Jimin, você aceita Jeon Jungkook como seu alfa, para amá-lo e respeitá-lo na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, até os últimos dias de sua vida ?

—Não. — Digo tranquilo.

— Não? Como não ? — Pergunta o padre. Um respeitado alfa do nosso clã.

— Úe, o que você entende com um não? — Pergunto de volta.

De repente, escuto o rosnado de um alfa. O rosnado de Jeon.

Passou pela minha linda cabeça a maravilhosa ideia de deixa-lo no altar. Essa é uma das ideias mais clichês de quem esta sendo forçado a se casar, mas eu realmente desejo que essa ideia se torne realidade. Seria meu sonho sair correndo dessa igreja, que mais parece uma amostra grátis do inferno, mas sou impedido por Jeon enfiando suas garras no meu pulso. Suas garras fazendo com que minhas cicatrizes se abrissem e gotas de sangue caíssem sobre o chão do altar.

"Às vezes, eu simplesmente quero me afogar e me esquecer dessa maldita vida".

— Fica. — Ele ordena. E eu posso ver seus olhos se transformando de um castanho escuro e doce à um vermelho forte e selvagem. — Park você não era assim. —Ele completa.

— Você não me conhece mais, Jeon. Você destruiu a minha parte boa, você me transformou em um monstro. — Digo, fazendo com que sua transformação cessasse. Seus olhos logo voltaram a cor natural e suas unhas diminuíram . O que adianta isso se ele continua um monstro?

— Eu sei que eu te destruí e te machuquei. Mas você vai ficar aqui e assumir a sua responsabilidade de se casar comigo. — Jeon diz, ainda autoritário.

— Jura que você quer discutir sobre reponsabilidade comigo? — O questiono. E logo percebo que suas unhas, mesmo não tão afiadas como antes, ainda me machucavam. — Solta o meu pulso, AGORA.

Ele ignora o meu pedido, mantendo suas unhas ali como se não pudesse me ouvir.

— Jeon, me larga, por favor. Isso me desperta as piores lembranças do nosso maldito passado juntos. — Digo, na tentativa dele me escutar dessa vez.

—Jimin, seus olhos. — Diz surpreso. — Se controla. — Diz largando meu pulso .

—Vamos dar continuidade a cerimonia? — Diz o velho padre docemente, como se não tivesse presenciado a cena que acabou de se passar em sua frente.

—Claro. — Digo, dando um pequeno sorriso ao velho padre .

— Park Jimin, você aceita Jeon Jungkook como seu alfa? — Questiona novamente o padre .

— Aceito. — Digo, e vejo padre soltar um suspiro aliviado.

— Jeon Jungkook, você aceita Park Jimin como seu ômega?

—Aceito. — Diz Jeon, me olhando de relance.

— Escolheram que tipo de marcação para o casamento? — Pergunta o padre.

— Ah sim, as alianças e a mordida. — Responde Jungkook.

— Então, podem trazer as alianças. — Diz o padre.

— Espera... Estava por aqui— Diz Jeon, procurando desesperadamente em seu terno.

— Você perdeu as alianças, Jeon Jungkook? — Pergunto irritado.

— Está no bolso da frente, Kook. Diz Taehyung, que estava ao lado do altar.

— Valeu Tae. — Agradece Jungkook, retirando a caixa com as alianças de onde Taehyung havia dito.

— Que isso, Kook. — Diz Taehyung sorrindo,

Jungkook coloca no meu dedo uma aliança de brilhante e eu repito o mesmo com ele.

— Agora a mordida. — Diz o padre.

Olho diretamente para Jin e o vejo virado para Namjon que esta do outro lado do altar, ele diz que ama Namjom. Ele sempre diz as coisas certas. Quando ele me olhou o vejo dando um pequeno sorriso para mim.

— Jimin, estenda o pulso para Jungkook. — Diz o padre.

Jungkook me da um sorriso irônico, empurra a manga do meu terno e me marca com a mordida.

— Jungkook, estenda a mão para Jimin. — Diz o padre novamente. E eu mordo o mais fundo que eu posso.

— Porra, Jimin. — Reclama Jungkook

— Olha a boca. — Repreende Jin, batendo na cabeça de Jungkook.

— Ai hyung. — Diz Jungkook

— Agora eu declaro vocês marcados um do outro. Podem se beijar. —Diz o padre, ignorando Jeon e Jin.

Jungkook veio até mim em passos lentos. Ele sempre dizia que meus lábios tinham gosto de chocolate. Ele tinha gosto de canela. Como sempre foi.

"Brincamos de marionete num mundo que os fantoches somos nós ''.


Notas Finais


Dêem amor a Fuck Boy


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...