História Fuck Boy - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Skam (Vergonha)
Tags Chris, Eva, Skam
Visualizações 115
Palavras 1.079
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Como prometido, está aí o próximo capítulo 😍

Capítulo 11 - Sensação de Liberdade


Sair com o PChris era... Diferente! Ao mesmo tempo em que eu me sentia mais livre, um medo enorme tomava conta do meu ser. Talvez pelo fato dele representar tudo o que eu esperava ter superado.. Bebidas, festas, drogas.. Ou talvez, pelo fato dele ser um Fuck Boy mulherengo. O fato era que sair com ele, era divertido e me fazia bem e mal ao mesmo tempo. 

Estávamos em um lago, com uma vista sensacional e rodeado por árvores. Chris havia parado o carro a alguns metros de distancia e estamos curtindo a vista. 

- Como você descobriu esse lugar? - Perguntei enquanto tomava um gole de cerveja. 
           - Minha mãe costumava me trazer aqui antes. 
           - Ah... Você mora com ela? 
           - Não. 

Pela forma como ele respondeu, ele não queria falar a respeito e eu não iria insistir. Continuamos bebendo em silêncio, e Chris acendeu um cigarro de maconha. Enquanto tragava a fumaça eu reparei no seu rosto, ele agora estava diferente mais sério e uma veia em sua testa estava saltada. 

- As coisas com sua amiga Noora e William estão ficando sérias não é? - Ele me encarou. Concordei com um aceno de cabeça. 
          - Pensei o mesmo hoje, quando ela foi buscar as roupas dela pra lavar. 
            - Acha que eles vão namorar? 
            - Não sei, talvez.. Porque? 
        - Sei lá, nunca pensei que fosse viver pra ver William amarrado. - Chris riu. 
           - Ele está amarrado? 
           - Parece estar. 
           - Hã... Noora também está, então tudo certo. 

Chris concordou e se virou pra mim. 

- Seu ex parece gostar ainda de você. Pra ter ficado irado daquele jeito, na sexta feira. 
     - Hã.. Eu não sei qual é o problema dele sinceramente. 
           - Posse... 
           - Hã? 
          - Sensação de posse. Tipo, o cara termina mais não quer que ninguém chegue perto entendeu, porque tem a sensação que você ainda é dele, mesmo não sendo mais. 
         - Hã... Talvez seja isso.. Como você sabe dessas coisas? Tem a sensação de posse por alguém? - Sorri. 
     - Talvez. - Ele riu. - Mais nesse momento não consigo pensar em outra pessoa. 
        - Hum..

Chris se aproximou sorrindo, acho que a maconha já estava fazendo efeito pois ele parecia mais relaxado. Estávamos sentados e minha cerveja estava no meu colo, Chris pegou a mesma e tomou um gole antes de me beijar. Eu não sei qual era meu problema em relação a ele, mais as coisas simplesmente pareciam mais fáceis. 

Chris me beijava de vagar e meu corpo respondia cada toque com intensidade, rastros de um calor sobrenatural ficavam aonde suas mãos passavam, bem, atração nós tínhamos. 

Suas mãos agora estavam na minha cintura, e a apertavam com força algo no meu íntimo entrou em combustão e eu respirei fundo. Chris me colocou sentada em seu colo e começou a dar beijinhos no meu pescoco, enquanto alisava minha cintura e barriga por debaixo da blusa. 

Naquela noite fazia muito frio, mais meu corpo estava em chamas. 

- Se não quiser, preciso que você me peça para parar agora. - Ele me disse ofegante, enquanto mordia meu labio inferior. Respirei fundo antes de responder. 
            - Eu não quero parar.. 

Chris me encarou sorrindo malicioso, e voltou a me beijar com toda intensidade do mundo. Dessa vez suas mãos estavam mais rápidas. 

                    XXX 

Chris me deixou na porta de casa as três da manhã. A janela do quarto da minha mãe estava acesa, e o restante da casa estava toda apagada. Subi as escadas em silêncio, não queria que minha mãe me visse. 

- Eva?!  

Merda. 

- Céus você quase me fez chamar a polícia, aonde você estava? Quem era aquele que veio te deixar em casa e porque seu celular esta desligado? - Revirei os olhos. 
      - São três da manhã. Podemos falar disso amanhã? 
        - Não, não podemos. Vamos falar sobre isso agora! Que cheiro de cigarro é esse? 
           - Mãe! Senhor você é tão... Estou cansada, eu só quero dormir! 
         - Eu sou sua mãe Eva! Você me deve satisfação! O que está acontecendo com você? 
         - Nada mãe! Eu estava na casa de uns amigos e o meu celular descarregou. Posso ir dormir agora? 
        - Não estou satisfeita, amanhã vamos conversar sobre isso. E vá tomar um banho, você está com cheiro de cigarro e bebida! 

Revirei os olhos e entrei no meu quarto,  minha mãe conseguia ser cansativa às vezes. Depois de um banho demorado, deitei na cama e apaguei. Estava cansada demais, para pensar inclusive na noite que eu tinha acabado de ter. 

E que noite! 

Acordei com uma mensagem da Noora no meu celular. Minha cabeça estava doendo, e meu corpo dolorido. 

"Hey bela adormecida acorde! Quero saber de tudo! Aonde você e o Chris estavam até as três da manhã e o que fizeram hein hein?" 

Ri da sua mensagem. 

"Como você sabe até o horário que chegamos?"

"Ele veio deixar o carro no William, e acabou dormindo aqui. Não enrole e me diga logo!"

"Hã.. Bem, eu não sei aonde fomos. Era um lago com umas árvores, um lugar bem legal e vazio.. e nós ficamos lá hã.. Você sabe!"

"O QUE????? Te encontro as duas no restaurante de sempre. Não quero saber por mensagem!" 

Olhei no relógio e eram meio dia e meia, portanto eu tinha tempo suficiente para me arrumar. Quando desci para tomar café minha mãe estava na sala de jantar, mexendo no notebook e fazendo algumas anotações. 

- Bom dia.. - Eu disse sonolenta. 
            - Bom dia, e sente-se. 
            - Mãe... Qual é! 
            - Agora Eva! 

Respirei fundo, tinha meia hora para um pequeno debate antes de me encontrar com Noora. 

- Aonde você estava ontem?
            - Eu já falei! 
       - Você me disse na casa de uns amigos, que amigos são esses? 
         - Na casa do namorado da Noora. Com ela, ele e alguns amigos! 
           - Você estava bebendo?
           - Hã... Cerveja...
           - Fumando? 
           - Não! Era o cara do lado! 
           - Quem era aquele que veio te deixar em casa? 
           - Um amigo. 
           - Amigo? 
           - Sim! - Revirei os olhos.

Minha mãe me encarou por alguns segundos antes de voltar sua atenção para o notebook. Tomei uma vitamina rápido e avisei que iria sair.

- Vou almoçar com a Noora. Mais tarde estou em casa. 
           - Deixe esse celular ligado. O dia todo. - Ela me encarou seria. Concordei com a cabeça e sai de casa.

Finalmente pude respirar em paz. 

                    XXX 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...