História Fuck You (H.S) - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Isabelle Drummond, Maite Perroni, One Direction
Personagens Harry Styles, Isabelle Drummond, Maite Perroni, Zayn Malik
Tags Harry Styles
Exibições 121
Palavras 1.745
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpe os erros gramaticais

Capítulo 17 - Revelações


Acordo assustada

PARA!!

Harry está gritando, e se batendo muito.

-Harry - tento o acordar mas não adianta.

- HARRY - grito e ao mesmo tempo o chocalho. O mesmo acorda, e senta-se depressa, olhando para todos os lados assustado. - Calma Harry, eu estou aqui - coloca a minha mão na sua e ele me abraça, eu retribuo

- Obrigado - ele diz

O suor escorre pela sua testa, e ele está totalmente trêmulo.

Começo a passar minhas mãos em sua blusa molhada, e ele relaxa, voltando a olhar pra mim.

- Eu não deveria ter pedido para você ficar - ele diz Sério.

- Porque? - pergunto.

- Olha isso - ele gesticula com a mão - Você aqui me abraçando enquanto o idiota está tendo um pesadelo - ele revira os olhos, e se joga na cama se deitando outra vez.

- Harry você não é idiota NESSE ponto - dou ênfase no 'nesse' - Todos tem pesadelos.

- Isabelle obrigado por você estar aqui, mas eu quero ficar sozinho - ele diz olhando para o teto. Me sinto mal, não quero deixa-lo sozinho, e também não quero que ele me toque da sua casa.

- Isso não vai ajudar você em nada Harry.

- Mas eu quero ficar sozinho - ele insiste - Vai embora Isabelle. - O encaro para ver se ele desiste dessa ideia, mas ele não mexe um músculo - Você já sabe o caminho da porta.

Levanto da cama e saiu de sua casa, chamo um táxi e não demora muito para eu chegar até em casa.

Olho a hora e ainda são quatro e meia da manhã, estou exausta mas ao mesmo tempo preocupada com o que o Harry pode fazer nesse tempo que ele se encontra sozinho.

Paro se pensar, passo uma água no corpo e volto a dormir.

Acordo com o barulho do meu Celular tocando e vejo que a Maite; com a confusão do Harry algumas horas atrás tinha me esquecido que a Maite iria me encontrar.

- Oi - digo com a voz sonolenta.

- Precisamos conversar - ela já vai direto ao assunto.

- Ok, aonde a gente se encontra - pergunto.

- Na praça perto da sua casa, se arruma logo - ela me apressa - em menos de vinte minutos estou aí - falando isso ela desliga e corro para o chuveiro, tomo um banho rápido já escovando os dentes, coloco uma blusa branca e um shorts preto jeans com uma sapatilha preta e vou direto para a praça, chegando lá, vejo que Maite também já chegou, ela se encontra sentada olhando para o horizonte, vou me aproximando dela, até que ela note a minha presença e se levanta para me cumprimentar.

- Oi - ela diz dando beijinhos em meu rosto e eu faço o mesmo. - Senta, porque a história é grande - fiquei olhando pra ela sem entender oque ela queria exatamente conversar.

- É... O que quer mesmo conversar? - pergunto não sabendo o real motivo da conversa, ela me olha como se eu fosse louca e fala.

- Harry - não penso muito e já me sento ao seu lado - Isabelle você vai ter que me prometer, que tudo oque eu disser aqui, vai morrer aqui - ela fala me olhando sério e eu só aceno confirmando.- Vamos lá - ela suspira, ela parece estar pensando por onde começo a contar - Atualmente você já deve ter percebido que o Harry tem um jeito meio como posso de dizer 'estranho' - ela faz as aspas com os dedos - ele não acredita no amor, e nem as pessoas que estão ao seu redor, mas tudo isso tem um motivo, um passado - ela me encara e eu estou totalmente prestando atenção na história - A mãe do Harry veio ao óbito quando ele tinha treze anos de idade - ela fala meio triste e eu arregalo meus olhos - Ficando sozinho com o assassino de sua mãe, que também pode ser chamado de Sr. Michel Styles.

- O que? - dou grito.

- Isso mesmo, o pai do Harry matou sua mãe que também era sua atual esposa.

- C..como? - fico em choque e levando depressa andando de um lado para o outro - O pai do Harry matou a esposa dele, não posso acreditar - ela puxa meu braço e fala para eu ficar sentada.

- Calma que ainda tem mais - ela diz - A única pessoa que o Harry amava de verdade era a sua mãe que se chamava Cristina, e ele viu ela morrendo diante de seus olhos - começo a sentir as lágrimas escorrendo - Na hora ele ficou desesperado, mas não tinha nada o que fazer, ele só tinha 13 anos e viu seu próprio pai assassinando sua mãe que tanto amava, ele ficou em choque sem reação, e o pai dele com a faca ensanguentada em suas mãos; quando o Harry percebeu o que literalmente estava acontecendo, ele foi até a sua mãe e colocou sua cabeça em seu colo - ela olha para mim, pra ver se eu estou prestando atenção - Seu pai como estava bêbado e drogado, não fez absolutamente nada e fugiu com medo da polícia o pegar deixando ele sozinho com a mãe, gritando e implorando ajuda - percebo que lágrimas se forma em seus olhos -  um dos vizinhos escutou gritos e foi ver o que estava acontecendo, e viu a cena; o vizinho se chama Alfonso que é meu pai, eu fui junto ver o que estava acontecendo por isso sei dessa história. Meu pai chamou a polícia, e uma ambulância urgente, mas quando a ambulância chegou a dona Cristina já tinha morrido e ela falou uma única frase para ele "eu te amo". Depois disso o Harry, ficou um mês indo nas delegacias para responder perguntas e dizer o que tinha acontecido naquela noite. Mas nunca conseguiram achar o pai dele. - ela respira e volta a falar logo depois - depois de seis meses do ocorrido o Michel apareceu na casa onde o Harry estava supostamente morando uma família de aluguel, dizendo que ele queria o filho dele, fez o maior escândalo até que consegui a guarda do Harry novamente.

- Não acredito nisso, como ele pode ter feito isso? - pergunto entre lágrimas.

- Calma, deixa eu terminar falta pouco. - Quando o Michel voltou a rotina normal, na sua antiga casa e com o seu filho querido como ele sempre dizia, ele fez o Harry de gato e sapato, fazia ele limpar, passar e cozinhar, ele era um 'escravo', para o pai dele. O Michel vivia batendo nele e falando que era um bosta, que não deveria ter nascido; Isa ele só tinha 13 anos. Os anos foram passando e o Harry foi crescendo com rancor, raiva, ódio, mexendo com gente da pesada, coisas pesadas. Ele entrou no universo das drogas, e do alcoólismos, igual ao pai. Quando ele fez de 16, uns cinco caras entrou na sua casa e do pai falando que o Michel tinha um dívida com eles e que teria que pagar o Sr. Styles por sua vez não tinha onde cair morto e falou que não iria pagar; você já deve saber o que acontece depois os cara não aceita e mata ele com dois tiros um pegando sua barriga e outro na região do peito acertando em cheio o seu coração, e tudo isso na frente de quem? Harry de novo, os caras não contentaram e espancaram o Harry que tentou se defender e acabou desmaiando um cara, dando tempo de correr e ir para a minha casa, onde ele ficou até os 18, depois ele arranjou o lugar onde mora hoje. Depois dos acontecimentos com sua mãe ele nunca mais foi o mesmo, ele sempre tem pesadelos, é um homem frio que não pensa nos sentimento dos outros, ele não tem mais o brilho no olhar quando ele tinha 13 anos antes da morte de sua mãe, depois disso ele nunca mais foi feliz. Isa ele merece ser feliz mesmo se for uma vez na vida, ele merece saber o que é felicidade outra vez - quando ela acabou de contar a história, nos duas estávamos com os olhos inchados.

- Ainda não estou acreditando - falo com as mãos na cabeça - ela era uma criança, e teve que passar por tudo aquilo sozinho.

- Se eu fosse ele também seria desorientado - Maite diz e eu confirmo.

- Quem não seria. - ficamos em silêncio por alguns instantes, eu precisa colocar os meus pensamentos em ordem, mas tinha uma coisa que a Maite não falou - Quando o pai do Harry morre ele ficou triste? - pergunto curiosa.

- Triste? - ela da uma risada sem humor - Ele falou que foi o único dia em anos que se sentiu feliz, e olha quando ele disse isso ele não estava nos seus melhores dias, ele estava parecendo um psicopata no dia - ela me encara - Nem ao enterro do Michael ele foi.

- Acho que ninguém iria se tivesse passado por tudo que o Harry passou - falo.

- Mas literalmente o pai dele era tão odiado por todos que NINGUÉM foi, o velório ficou totalmente vazio.

- Acho é pouco. - falo com raiva.

Conversamos mais sobre o Harry, e comecei a perguntar como o Zayn estava, já fazia semanas que não o via, ela disse que estava tudo bem que ele iria me visitar qualquer dia, também perguntei como estava o namoro dos dois é ela falou que estava ótimo que o Zayn era um amor de pessoa, fico feliz pelo os dois, nunca vi o Z tão envolvido com alguém como ele está com a Maite.
Fomos ao uma sorveteria perto de casa, a conversa evolui tanto que nem vi a hora passar, quando eu percebi já era quase meio dia e meus pais já deveriam ter acordar merda.

- Maite tenho que ir, não avisei meus pais que estaria aqui, eles vão me matar se ver que eu não estava em casa.

- Tudo bem, corre por que aí sim vai sair uma morte - ela da risada e eu também, dou beijinhos nela e volto correndo para casa, chegando vejo que meu pai está na frente da porta de braços cruzados PORRA, o dia não tinha como começar melhor.


Notas Finais


Ooooooi!!! Demorou mais saiu!! Gente que história foi essa? Tadinho do Harry passou por tantas coisas. E agora será que a Isabelle vai ajudar ele voltar a ser feliz? Tomare né!! Até o próximo capítulo. Beijos amo vocês ;)


Cronograma: Capítulo novo toda quinta feira.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...