História Fuck You (H.S) - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Isabelle Drummond, Maite Perroni, One Direction
Personagens Harry Styles, Isabelle Drummond, Maite Perroni, Zayn Malik
Tags Harry Styles
Exibições 109
Palavras 1.261
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpe os erros gramaticais

Capítulo 19 - Somos....


- Você não tem mais país ISABELLE? - meu pai fala nervoso.

- Pai é que... - ele não me deixa terminar.

- Você sai e não da mais satisfação, não fala onde vai, chega tarde em casa e pensa que a gente não percebe VOCÊ PENSA QUE SOMOS OTÁRIOS? - ele grita e dou um passo para trás, nunca vi meu pai assim.

- EU NÃO SOU MAIS CRIANÇA! - grito no mesmo tão que o dele.

- Mas mora em minha casa ainda, e enquando você morar aqui, você vai ter hora pra chegar, e hora pra sair, não vai ir em lugares como baladas e também não vai sair com meninos parecendo uma vagabunda - ele fala apontando o dedo na minha cara, meu sangue ferve e bato em sua mão.

- EU NÃO SOU UMA VAGABUNDA, E SE EU FOSSE O PROBLEMA ERA MEU - estávamos gritando um com o outro, enquando minha mãe aparece gritando mais ainda e toda atenção vai para ela.

- O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI? - ela grita.

- A sua filha não tem mais respeito com os pais. - ele fala apontando para mim.

- Ele que não está tendo respeito comigo me chamando de vagabunda - falo apontando o dedo na cara dele.

- Tira esse dedo da minha cara Isabelle - ele pede com raiva.

- Por que vai me bater? BATE ENTÃO! -   o provoco.

- CALA A BOCA VOCÊS DOIS - minha mãe grita. - Aonde você estava Isabelle - minha mãe pergunta nervosa, mas está com a voz ainda Calma; não vou deixar barato, vou jogar a bomba em cima deles, mesmo se eles me tocarem de casa.

- Quer saber aonde está pai? - falo o encarando - estava na casa de um menino, ele fuma droga e bebe muito - penso um pouco e continuo - Quer saber mais ele me fez a mulher por que é isso que eu sou uma MULHER, mais feliz do mundo com o melhor sexo que tive em toda a minha vida. - quanto termino meu pai parece que iria jogar na rua a pontapés, quando eu vi a sua mão vindo em minha direção cubro o meu rosto, mas a minha mãe foi mais rápido e o atrapalhou.

- Isabelle vai para o seu quarto agora - minha mãe ordena e eu faço, batendo a porta com tudo. Lá de cima consigo ouvir os dois brigando e vidro se quebrando, me baixo na minha porta fazendo de tudo para não escutar nenhum barulho, lágrimas escorrem sem parar, e soluços atravessam a minha garganta.

Algumas horas se passaram, os barulhos virou um silêncio absoluto, não ouço vozes, nem um eletrodomésticos ligado como a televisão, escuto alguém batendo na minha porta e me encolho mais.

- Isabelle sou eu, abre precisamos conversar - a voz da minha mãe está Calma, mas não quero nenhuma briga. - Por favor - eu sei que se eu não abrir ela não vai me deixar em paz, limpo as lágrimas e abro a porta.

- Se for para brigar pode sair - falo de costas para ela.

- Não vou brigar, só quero que você me fala a verdade, você estava na casa de um menino? - ela pergunta se aproximando.

- Estava, ele precisa de mim mãe, ele tem um monte de problemas - percebo que começo a chorar de novo, e ela me abraça - esses dias eu fui em uma festa escondida de novo - ela passa as mãos pelos meus cabelos e só fala eu sei, eu a encara e ela sorri - e lá a gente se aproximou, e aconteceu - comecei a soluçar outra vez.

- Filha isso uma hora iria acontecer, não vou julgar você, mas você sabe como o seu pai, você é filha única e ele quer te prender em um potinho que ninguém toque em você. - nunca vi a minha mãe daquele jeito, me dando conselhos, no mínimo ela iria falar que eu estava errada e que era muito nova. - E eu já sabia que isso teria acontecido. - ela me encara.

- Sabia? - pergunto.

- Sou mãe Isa, sei muita coisa. Mas hoje quando você saiu que eu escutei muito bem, apareceu um menino loiro de olhos verdes te procurando, eu já tinha visto ele algumas vezes andando com a namorada do Zayn a Maite acho que esse é o nome, e acho que no mercado também - começo a lembrar que a primeira vez que vi o Harry ele estava no mercado. - Eu juntei as coisas, ele perguntou onde você estaria e eu falei que não sabia pois tinha saído cedo de casa, ele estava com cara que tinha bebido já um goro - dei risada - E quando você falou que o menino bebia, eu só liguei as coisas. - o Harry tinha vindo me procurar e eu não estava, o que será que ele queria.

- Mãe, você sabe o que ele queria? - pergunto ela só nega.

- Agora me explica essa história de vocês dois desde o começo, e as mentiras também.

Começo a contar a história para minha mãe desde o começo, e ela não desvio o olhar uma vez se quer, também falei sobre o que a Maite tinha me dito hoje mais cedo, mas não expliquei detalhes, falei que ele era um idiota mas que se ele precisasse eu estaria ali para ajuda-lo mesmo se eu precisasse passar por cima do meu pai.

- Você sabe o que é isso?- ela pergunto e eu nego - Amor - ela disse sorrindo.

- Não, lógico que não, eu gostando do Harry? Não - a última frase eu acho que perguntei mais pra mim do que para a minha mãe.

- Você está gostando dele Isa, quando você fala o nome dele os seus olhos brilham - ela se levanta da cama e vai saindo do meu quarto - ele parece gostar de você.

- NÃO MÃE! - taco um travesseiro nela, que sai do quarto rindo.

Oque aconteceu aqui? Minha mãe me dando conselhos, sorrindo, ela me entendeu, menos a parte que eu goste do Harry, ela não me deu uma bronca, acho que ela viu o passarinho azul, ou a briga com meu fez bem pra ela.

Meu telefone toca e é um número que eu não conheço.

"Alô".

"Oi Isabelle?" A voz masculina do outro lado pergunta.

"Sou eu" falo desconfiada quem pode ser.

"Sou eu o Mark" começo a reconhecer a voz, que desta vez não está lenda por causa da bebida.

"Mark, como você está" pergunto.

" Estou bem e você?"

" Estou também, mas curiosa de como conseguiu meu número" dou um risinho no final.

"Consegui com a Maite".

" De onde conhece a Maite?" Que pergunta idiota Isabelle ele estava na festa dela como eles não iria se conhecer.

" Eu e ela temos uma 'ligação' com uma pessoa" ligação, com qual pessoa?.

"Com quem?" Pergunto curiosa.

"Quer mesmo falar sobre isso? " Ele parece desconfortável.

"Quero" não vou ficar com essa curiosidade.

"É... não sei como te dizer isso" ele da uma risada sem graça.

"Fala Mark" insisto.

"Meio...Que eu e o Harry...." Ele suspira do outro lado, e já imagino que seja outra bomba "Somos...."

- Isa vem me ajudar com a janta - minha mãe grita da cozinha.

"Mark me liga mais tarde preciso ajudar a minha mãe com a janta, beijos" ele acente e desliga.

Ele é o que do Harry.


Notas Finais


Oooooi gente! Curtam o capítulo de hoje, como eu disse a história já está no fim, contei os capítulos que faltam e só tem mais três junto com o epílogo. Então o cronograma vai ser assim.

Cronograma.

Amanhã vai ter um.
E quinta vai ter dois!! Em horários diferentes. O primeiro vai ser às 14:00 e o epílogo 15:00. Fiquem ligados ;) AMO VOCÊS!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...