História Fugindo de suas presas. - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias UP10TION
Tags Ação, Misterios, Sobrenatural, Todos Os Integrantes Do Grupo Up10tion
Visualizações 29
Palavras 935
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi a quanto tempo pessoal, temos várias revelações hoje, espero que o corações de vocês estejam preparados

Capítulo 25 - Capítulo 23 - Admita


Fanfic / Fanfiction Fugindo de suas presas. - Capítulo 25 - Capítulo 23 - Admita

CAPÍTULO 23 - Admita

 

Um vento gélido passou por nos fazendo nossos cabelos bailarem no ar com sincronia, alguns fios de cabelo batiam no meu rosto o que me fez elevar minhas mãos para tira-los da minha face. O frio corrompeu meu corpo, pois ele estava exposto e para piorar ainda mais... Eu estava começando a sentir muito sono! Como era possível? Faz pouco tempo que eu acordei e pela luminosidade eu chuto que sejam quatro horas da tarde ou mais, em outras palavras, eu dormi desde ontem e acordei agora. Alguma coisa está errada! Eu nunca dormi tanto assim na minha vida, mesmo que eu tenha passado por altas fadigas.

Meus ouvidos se alertaram quando escutei o ruivo falar “Hora das revelações”, finalmente eu iria descobrir como eu acabei parando aqui. Até porque a última pessoa que eu havia visto ontem foi Xiao e não ele.

- Andei descobrindo que Xiao estava se divertindo, mas nunca imaginei que seria você. – Divagou.

Oi? Espera aí, como ele soube? O próprio Xiao o contou? Pelo que eu vi até hoje sobre aquele menino é que ele é cauteloso e não me parece que ele iria cuspir com tanta facilidade o seu segredo em que ele jogava seus mistérios para cima de mim para eu descobrir.

Wooshin colocou suas mãos nos bolsos do seu casaco preto e olhou fundo nos meus olhos com tanta vontade que eu acabei sendo perfurada por eles. Tão intimidadores, como um olhar de um animal feroz que se esconde nas moitas para iludir suas presas e depois ataca-las em uma emboscada estratégia que só o leva a vitória.

- Você sabe o que eu sou Aika? – Perguntou com uma fisionomia séria.

Sim eu sei! Você é Wooshin, um ruivo que apareceu um dia na minha sala e no dia seguinte sem ao menos me conhecer me salvou e depois fez-me pagar por minha salvação, em outras palavras, ele me fez “sua”, até hoje ele continua a repetir isso e para complementar... Beijou-me e me fez sonhar com ele.

- Deixe-me mudar a pergunta, Você sabe o que eu e Xiao somos?

Como assim? É claro que eu ficava me perguntando se Xiao era um hantã e tudo, mas nunca me passou na cabeça que Wooshin podia ser outra coisa também. Fiquei incomodada e confusa, não conseguia entender até onde aquela conversa iria nos levar. O que ele e Xiao eram? Eu não fazia a mínima ideia.

- Tanto ele como eu e os outros... Somos vampiros.

Um sorriso torto se prontificou no meu rosto. Eu estava tentando processar o que ele havia dito, Wooshin, Xiao e os outros meninos eram vampiros? Como isso é possível? Desde o primeiro dia em que eu havia conhecido eles, eu os analisei e tinha concluído que eles não seriam nenhuma ameaça, mas eu me enganei? Como eles podem ser? Além disso, se o ruivo fosse vampiro ele não teria enlouquecido naquele dia em que ele me salvou? Afinal eu estava sangrando! Os hantãs também não teriam percebido suas presenças? Ele está mentido, só pode.

- Calma pequena Aika, eu vou esclarecer as coisas para você entender... Eu sou um ancestral, ou seja, tenho experiência suficiente para disfarçar minha identidade. – Explicou.

Ele... Um ancestral?

- Xiao também é um, contudo existem uns de nos que são puros. – Divagou.

Era muita informação para processar, mas fazia sentido ouvir que ele tinha experiência, isso explicava do porque dele não se descontrolar com o meu sangue no dia que ele me resgatou, ele havia aprendido a controlar sua sede.

O ruivo continuou a falara enumerando as classes, Ele, Xiao, Kuhn, Jinhoo e Sunyoul eram ancestrais e Wei, Bitto, Gyujin, Kogeyol e Hwanhee eram Puros. A sua explicação estava muito além da minha compreensão! Estava difícil de acreditar em tudo, até havia arregalado meus olhos quando ouvir o nome do meu amigo sendo referido como um puro, tentando negar tudo eu acabei falando “ Prove que você é um vampiro”, ao ouvir o meu desafio ele segurou meu ombros com força e depois  deixou sua mão esquerda deslizar até chegar ao meu pulso, onde o ruivo o puxou e ergueu até ficar perto de sua boca. Eu estava petrificada de mais para reagir, por isso eu só observava suas ações. Ele abriu a boca demonstrando suas presas de caçador e depois as colocou sobre a pele do meu pulso, mas ele não as cravava, ele não fechava seus olhos, por outro lado... Wooshin continuava a me olhar intensamente. Depois de seguir o seu olhar e de conseguir encontrar certa coragem eu  puxei o meu braço e ele lambeu seus lábios “ Quer mais provas?” indagou convencido, e ainda tentando não aceitar a realidade eu neguei com a cabeça, informando-o que não precisava de mais nenhuma prova.

- Wooshin você não é nenhum pouco divertido! Conte o resto para ela. – Falou a voz masculino que era bem familiar para os meus ouvidos.

Eu e o ruivo nos viramos em direção da figura masculina que havia surgido de trás da árvore com passos lentos e um semblante de raiva. Xiao caminhou até ficar a alguns metros de nos e ficou parado lá esperando que Wooshin seguisse seu pedido.

- Não tenho mais nada a falar. – Sibilou Wooshin.

- Eu devia te ensinar como se deve jogar? – Perguntou Xiao.

O ruivo se irritou e saiu do jardim com o ódio o consumindo como uma brasa em chamas, fazendo-me ficar a sós com o Xiao que acabou deixando uma gargalhada sair de seus lábios comprometedores.

- Ok, eu vou contar o resto para você. – Sussurrou.


Notas Finais


IAI? Estão de bocas abertas?
Comentem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...