História Futur Amour - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mestre Fu, Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Nooroo, Personagens Originais, Plagg, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain, Wayzz
Visualizações 252
Palavras 2.569
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não me xinguem, não me matem. Desculpe pela demora, fiquei sem tempo esses últimos dias :c DESCULPAAAAAAAAAAAAAA ;-;
Não foi por querer ._.
Aqui está o capítulo 6 da nossa querida fic, e mais uma vez, obrigado pelo apoio mores <3
Amo vocês :3
KISSES E MAIS KISSES AND ENJOY THE FANFIC! <3

Capítulo 6 - Acidente.


Marinette point's view...

Eu paralisei. Olhei surpresa para seus olhos. Eu olhei de canto e percebi Nathaniel com uma arma na mão. Ele mirou em Adrien e quando foi puxar o gatilho.

-ADRIEN CUIDADO! Gritei o empurrando.

Adrien point's view...

Eu cai no chão e ouvi um tiro, todos do bar olharam horrorizados. Olhei para frente e vi Marinette desmaiada no chão com o quadril sangrando. Tirei meu casaco e pressionei no local do tiro. Vi Nathaniel ajoelhado com a arma jogada no chão com um olhar de desespero.

-VIU O QUE FEZ? Ele gritou.
Peguei Marinette no colo e quando passei por ele falei baixo.

-E assim que você retribui seu amor. Meus parabéns cabeça de fósforo, nem sabe deixar uma pessoa feliz, inclusive ela. Incrível.
Corri até o carro e acelerei mais do que podia, furava os sinais sem me importar.
Quando cheguei ao hospital atenderam ela rapidamente, sentei com a cabeça abaixada, só faltava repórteres e mais uma pilha de garotas fanáticas em minha direção, seria um pesadelo.

Enquanto isso...

Nova mensagem:>

Hey Baby, vem aqui em casa hoje, tenho uma nova fantasia, vamos brincar de super-heróis.

~Mel.

Marinette point's view...

Abri os olhos devagar por conta da luz que vinha em meu rosto, olhei ao redor e percebi que estava em um hospital. Não me lembro muito bem do que tinha acontecido. Senti uma forte dor no quadril, grunhi um pouco alto.
Acho que me deram um remédio bem forte, minhas pálpebras começaram a ficar pesadas. Fechei os olhos, ouvi passos e vozes vindo em minha direção. Alguém se ajoelhou do meu lado, eu queria abrir meus olhos e ver quem é, mas eu não conseguia.

-Obrigado, não, muito muito obrigado Marinette. Mas... Mesmo assim, desculpe, eu só atrapalhei mais, tanto que ele queria me matar. Por minha culpa você está nessa maca com dor. D-desculpe, eu sinto muito, sou um idiota.
Eu reconheci aquela voz... Adrien?... Senti algumas lágrimas caírem em minha mão. Eu fiz força e abri um pouco os olhos, coloquei minha mão sobre a dele e discordei com a cabeça devagar.

-M-Mari? Ele disse baixo.

-Não se preoc..pe. Obri..ado por me aj..ar. Disse fraca por causa do remédio. Sei lá o que tinham me dado, estava cansada.

-O que está dizendo? Ele perguntou.

-A verda..e. Respondi.

-Senhor, sua visita se esgotou, por favor se retire, precisamos fazer uma cirurgia para tirar a bala.

-Adeus Marinette. Ele disse se afastando.
Chorei por dentro. Fechei os olhos.

Nathaniel point's view...

Eu sai do bar, fui em uma loja de conveniência, normalmente eu comprava preservativos, mas eu estava precisando de um cigarro e alguns salgadinhos. CABEÇA DE FÓSFORO? QUEM AQUELE FILHA DA PUTA ACHA QUE É? Eu batia os pés.

-Ahm ahm. Disse a moça do caixa.

-Ah, desculpe, um maço de cigarro por favor. Disse tentando segurar a raiva.

-Aqui está. Ela disse.
Paguei e fui para um muro isolado do lado do shopping fumar. Admito eu me sentia um cara muito bonito naquela posição, encostado no muro. O mundo parece estar contra mim. Louise me largou pra virar stripper, eu mereço isso? Talvez, mas acho que não. Agora... Eu dar um tiro na garota que amo? Isso é muita babaquisse.
Peguei a arma e a dei uma olhada enquanto fumava. Acho que não devia ter comprado uma arma tão cara e bonita pra tentar matar aquele loiro desgraçado. Ele não merecia.

-O que cê ta fazendo? Perguntou uma garota.
Levei um susto.

-Nada que te interesse. Respondi.

-Pra que ser tão agressivo gato, só queria um isqueiro. Ela disse se encostando no muro.
Revirei os olhos e peguei o isqueiro.

-Toma. Disse.

-Valeu. Ela respondeu.
Peguei meu celular e comecei a mexer nas mensagens, eu ainda não sabia o porquê que eu ainda esperava uma mensagem da Marinette pedindo pra voltar. Eu até podia ter uma mensagem assim dela... Nos meus sonhos. Suspirei.
A garota me olhou confusa.

-O que foi? Perguntei grosso.

-Parece estressado. Ela disse.

-Idai? Disse grosso novamente.
Ela deu risada.

-Cê não é aquele cara que era casado com aquela designer bonita?
Não respondi.

-Nathaniel é seu nome. Ela completou.

-Que bom que me conhece, agora pode me deixar em paz? Quase gritei.

-Ow, calma. Eu tiro esse estress, vem comigo...

-Sou profissional. Ela completou sussurrando em meu ouvido.
Sorri de canto.

Chloé point's view...

Alguém tocou a campainha, fui correndo atender. Enquanto abria fui me escondendo atrás da porta.

-Chloé. Ele disse sorrindo e andando devagar.

-Oi meu anjo. Eu respondi.
Ele me olhou surpreso.

-Que beldade é essa em minha frente? Ele perguntou com um sorriso de canto.

-Sabia que iria gostar da minha fantasia. Respondi.
Ele se aproximou de mim e me deu um beijo agressivo. Era tão bom! Ugh! Era de gritar. Ele me pegou no colo e me levou até o quarto ainda me beijando, me jogou na cama, ficou em cima de mim e abriu mais o zíper da roupa.

-Então você era aquela princesa vestida de Chat Noir? Ele perguntou.

-Quem mais seria? Respondi com um olhar sensual.
Ele sorriu de canto mais uma vez e começou a tirar a camisa. Estava com saudades daquele corpo musculoso. Suspirei.
Ele ficou de pé em cima da cama, abri sua calça e comecei a chupar seu membro. Ele estava excitado, seu membro estralava de tão ereto. E isso me deixava com orgasmos. Depois ele abriu o zíper até o limite. Tirou a parte de cima e quando completou deu pra ver minha parte intima. Olhei tímida tentando seduzir. Ele agarrou meu seio esquerdo enquanto chupava o direito. Eu gemia loucamente.
Depois chegou a parte esperada, me colocou de quatro e me penetrou. Ele foi devagar no início.

-M-mais rápido. Disse gemendo.

-De novo. Ele disse.

-Mais rápido! Gritei.
Ele foi mais rápido e forte. Estava tão gostoso, eu queria muito mais. Mas minha alegria durou pouco, ouvi a porta abrir no andar de baixo.

-Pare! Disse.
Ele me olhou confuso.

-Adrien chegou, se esconde! Eu gritei.
Ele pegou suas roupas e foi correndo se esconder na varanda. Me cobri até a cabeça, fingindo estar dormindo.
Adrien foi em direção da suíte, abri os olhos e ele estava com o cabelo bagunçado, nunca tinha visto ele tão... Sexy assim... Entrou na suíte e ligou o chuveiro. Fiquei surpresa, ele nem deu bola pra mim. Sai das cobertas e fui na varanda. Rick estava se vestindo, quando ele terminou o levei correndo para a porta. Nos demos um selinho e ele foi embora.
Voltei ao normal e o gato apareceu.

-Se você contar o que aconteceu para o Adrien, eu quebro esse anel, entendeu? Perguntei.
O gato engoliu em seco e concordou com a cabeça.
Me cobri e fiquei com os olhos abertos esperando Adrien sair. Ele saiu com a toalha enrolada em sua cintura. Aproveitei a situação e levantei, envolvi meus braços em seu pescoço.

-Oi amor. Sussurrei em seu ouvido.

-Chloé, por favor, estou sem cabeça pra isso hoje. Ele suspirou.

-Nunca está com cabeça. Eu resmunguei.

-Não é você que trabalha o dia todo. Ele respondeu.

-Hoje é sexta baby, nem sai hoje, fiquei te esperando. Disse.

-Muito obrigado por seu ''esforço'', mas eu realmente preciso descansar, amanhã vamos a um lugar divertido ok? Eu prometo. Ele disse afastando meus braços e indo em direção do armário.
Concordei com a cabeça, depois o olhei de braços cruzados e fui deitar. Depois de alguns minutos ele se deitou também. Adormecemos.

Marinette point's view...

Acordei com dor, olhei ao redor e ainda estava no hospital, olhei para o lado e me deparei com Nathaniel me observando. Arregalei os olhos.

-Você acordou, que bom. Ele disse aliviado.

-O que está fazendo aqui? Perguntei.

-Te fazendo uma visita.

-Na cara de pau? Atira em mim e vem me visitar depois sem menor cerimônia?

-Desculpe, não foi por querer, nem era pra ir em você.

-Pare de ser assim comigo, por favor, sinto falta do seu cheiro, do seu carinho, de você Mari... Ele disse.

-Devia ter pensado nisso quando me traiu. Respondi.

-Eu agi sem pensar, por favor amor me perdoa.

-Eu ainda não te esqueci, mas o que você fez não tem perdão, e nem vem com ''amor''. Me perdeu Nathaniel, pode fazer o que sempre quis.

-Mas o que eu sempre quis está aqui falando comigo.

-Não... O que você sempre quis foi mulheres em sua volta. Mulheres, o que estou falando? Prostitutas. Respondi irritada.

-Se eu quisesse isso não teria lutado por você. Ele disse.

-Lutou pra depois fazer isso? Perguntei.

-Que desculpa esfarrapada. Completei.

-Não seja assim, vamos voltar, construir uma família, foi o que prometemos naquela sorveteria quando namoravamos.
Desceu uma lágrima do meu olho.

-Não. Essa promessa não vale mais nada a mim. Eu não quero ser grossa, só quero que saia da minha vida e me deixe viver em paz.
Ele suspirou de raiva.

-Vai me denunciar? Ele perguntou.

-Não, mas se você tentar atirar em Adrien mais uma vez, vou te denunciar sim. Respondi.

-Que bom, muito obrigado. Ele agradeceu.
Foi em direção a porta e falou alguns segundos com a enfermeira e desceu as escadas.
Fiquei olhando para cima lembrando de alguns momentos com Nathaniel, outros com Adrien e outros com o Chat Noir. Eu estava confusa.

-Sorte que eu estava do outro lado. Tikki disse.
Acordei do meu mundo.

-Sorte mesmo. Respondi.
A enfermeira entrou no quarto.

-A senhorita está bem? Ela perguntou.

-Sim, estou com um pouco de fome. Pode trazer algo por favor? Perguntei.

-Clar...
Antes de ela terminar, alguém a interrompeu.

-Não se preocupe, eu já trouxe algumas coisas. Adrien disse.
A enfermeira olhou surpresa para ele.

-Da um autográfo? Ela disse animada.
Adrien fez esforço pra não ficar irritado.

-Aqui está.

-Obrigadooo! Ela disse dando pulinhos e saindo pela porta.
Eu dei um sorriso.

-Estou vendo que já está bem. Ele disse sorrindo.

-Bem melhor. Respondi.
Ele colocou algumas lindas rosas azuis ao lado de minha maca.

-Q-q lindas. Disse.

-Que bom que gostou, trouxe elas especialmente lembrando de você. Ele respondeu.
Corei.

-Eu também trouxe um lanchinho, sempre soube que a comida no hospital é horrível. Ele disse fazendo uma careta.
Ele tirou um sanduíche de atum de dentro de uma sacola simples. Eu olhei com água na boca, parecia muito bom.

-Você que fez? Perguntei mordendo um pedaço.

-Bom... Ahm... Eu tentei. Ele respondeu envergonhado.
Olhei surpresa ao sanduíche.

-Está ruim não é. Ele lamentou.

-Ruim? Dei risada.

-Está muito bom! Trouxe mais? Perguntei.

-Só trouxe um. Ele respondeu.

-Oh. Desculpe, estou sendo um pouco abusada.

-De forma alguma, que bom que gostou! Ele disse sorrindo.
Ficamos conversando por alguns minutos. Adrien olhou no relógio e fez uma cara chateada.

-Desculpe Marinette, mas eu prometi que iria em um lugar divertido com a Chloé hoje.

-Que pena, espero que se divirta. Muito obrigado pela visita e pelas coisas que você fez por mim. Eu disse.
Ele corou.

-Até mais Mari. Ele disse saindo.
Suspirei.

Adrien point's view...

Eu tinha saudades de ir a um parque de diversões, aqueles que tem montanha russa e big towers... Mas a Chloé detesta esses brinquedos, ela prefere ir em xícaras que rodam ou aqueles carrinhos bate-bate. Cheguei em casa e Chloé estava passando maquiagem. Ela percebeu minha presença pelo espelho e já começou a reclamar.

-Você ainda não se arrumou? Estamos atrasados, acorda. Ela reclamou.

-Eu vou assim. Eu respondi.

-Assim? Ela perguntou passando um batom vermelho.

-Chloé vamos a um parque de diversões, não a um circo.

-O que você quis dizer com isso?

-Que não precisa se arrumar toda pra ir em um parque de diversões. Vamos para se divertir, não pra dançar como fazemos em baladas. Entendeu? Perguntei sorrindo amarelo.

-Já elvs querido, já acabei a maquiagem e não vou tira-la.
Suspirei.

-Vai indo, já vou para o carro.

-Não demora.
Fui na cozinha pegar um camembert, eu conheço Plagg e ele vai me encher o saco com fome no meio do dia.

-Plagg, camembert servido. Disse.
Ele saiu devagar da minha blusa, ele parecia assustado.

-Plagg? O que foi? Por que está assim? O que aconteceu? Responde! Disse desesperado.
Ele me olhou.

-Nada. Ele respondeu.
E em um milésimo de segundo estava de volta ao normal. Nunca entendo esse gato.

-Camembert! Parque de diversões, existe dia melhor? Nós vamos naqueles brinquedos radicais? Ele perguntou animado.

-Vamos sim amigo, come rápi...

-ADRIEN! VEM LOGO! Chloé gritou da garagem.

-do... Completei com um olhar entediado.
Desci as escadas correndo, entrei na garagem e Chloé me olhou furiosa.

-O que foi? Estou aqui. Não está vendo? Perguntei.
Ela bufou.
Abri o carro e entramos. Ajustei o GPS até lá, ia demorar em cerca de 30 minutos até chegarmos.
Chloé ficou tagalerando o caminho inteiro, eu queria mandar ela calar a boca mas preferi não arranjar mais confusão.
Chegando lá, já olhei interessado nas montanhas russas. Chloé percebeu o interesse.

-Nem pensar, não entro nesses brinquedos nem morta! Além de estragar meu cabelo é alto. Ela resmungou.

-''Você'' não vai, eu vou de um jeito ou de outro. Disse sorrindo.
Ela revirou os olhos.
Andamos um pouco pelo parque e Chloé disse que precisava ir ao banheiro, vi alguém familiar perto de uma atração. Fui em direção da pessoa e quando vi era Nino.

-Nino! Disse empolgado.
Ele me olhou surpreso.

-E ai cara! Ele disse dando um soquinho em meu ombro.

-Está sozinho? Ele perguntou.

-A Chloé está no banheiro.

-Alya foi lá dentro. Ele disse apontando para uma caverna obscura.

-Ficou com medo de entrar? Perguntei rindo.

-Nem, não estou interessado. Ele respondeu disfarçando.

-Sei...

-Ei, bora naquela montanha russa, Alya vai demorar pra sair.
Fiz um olhar convencido. Ele devolveu.
Fomos correndo para lá, a fila era enorme. Quando estavamos entrando veio um multirão de garotas. Olhei assustado.

-Vai rápido Nino! ENTRA! Gritei.
Empurrei ele pra dentro do carrinho e entrei. As meninas pararam no portão.
Suspirei de alívio.
Nino deu risada.

-Que vida sombria. Nino disse enquanto ria.
-Haha, muito engraçado. Respondi.

Alya point's view...

Eu sai da caverna e não vi Nino ali na frente, olhei longe e vi ele se divertindo com o Adrien. Olhei entediada. Olhei para o lado e vi Chloé indo na fila do bate-bate. Dei risada. Ela ainda ia naqueles brinquedos? Fui em alguns brinquedos e decidi ir no banheiro.
Chegando lá, encontrei Chloé retocando o batom e arrumando o cabelo. Pra não ser mal educada decidi cumprimentar.

-Olá Chloé. Disse.

-Oi, ehn... Alya né? Ela perguntou.

-Sim. Respondi.

-Tudo bem? Perguntei.

-Sim e você.
Ela parecia bem educada.

-Bem...

-Como está a Marinette? Perguntou ela.
Fiquei surpresa, desde quando ela se importava com a Mari?

-Ela está internada, levou um tiro no quadril. Respondi.
Ela sorriu de canto.

-Bem feito. Ela disse baixo.

-O que disse? Perguntei.
Ela me olhou.

-Bem feito? Perguntei novamente.

-Repita. Completei.

-B-E-M F-E-I-T-O. Bem feito. Ela respondeu.

-Satisfeita? Ela perguntou.

-BEM FEITO? SE PONHA NO LUGAR DELA. Gritei.

-Não quero virar puta. Se não eu me colocava no lugar dela.
Perdi completamente a paciência. Retiro o que disse sobre ela.

-Puta é você com essa cara de palhaça. Disse irritada.

-E você com essa cara cheia de espinha? Ela perguntou.

-Prefiro ser verdadeira do que ser falsa com essa maquiagem, aqui não é circo flor. Respondi.
Ela me olhou furiosa, olhou para seu salto e depois para mim.


Notas Finais


Sorry a demora, espero que tenham gostado do capítulo <3 Beijosssss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...