História G3NeSIS - Interativa - Capítulo 8


Escrita por: ~

Visualizações 61
Palavras 2.306
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Ecchi, FemmeSlash, Festa, Hentai, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLHA SÓ QUEM VOLTOU AJXNSIXNWIDN
~ desvia das pedras
Oi gente desculpa sumir ;-;
~ corre dos tiros
Gente sério
~ se esconde das flechadas
Serião galera desculpa aí
Voltando
ACHARAM QUE EU NÃO IA DAR CLOSE NA FANFIC HOJE?
Cês tão esperando há quanto tempo? Duas semanas, quase isso eu acho
Gente, real, eu não postei antes pq tava com mó preguiça de escrever kkkkkkkkkkkk sério eu sou mt irresponsável me perdoa aí rapidão

Queria agradecer ao meu amor @debs25 por ter me lembrado de escrever a fanfic kikiki se vcs tem esse capítulo hoje agradeçam a ela

Eu achei o capítulo bem fraquinho porém tá gostinho de ler, eu achei, não enrolei mt como costumo fazer mas tá fofo. Escrever fanfic as 2 da manhã não é bem o meu forte tá bom?

Me perdoem os erros ortográficos, podem apontar se acharem, por favor, eu não reviso os capítulos ;-;

Sem mais delongas, bom capítulo!!

Capítulo 8 - Chapter III


Lia P.O.V on…

O ruído áspero do meu tênis em atrito contra o piso da sala de ensaio ecoou por todo o ambiente, minha respiração pesada saia como um gemido de dor e eu podia sentir meu sangue pulsando nos meus ouvidos. Por incrível que pareça não estou fugindo da polícia, é apenas o nosso primeiro dia de ensaio.

Yachi nos disse que iríamos treinar loucamente já que os prazos estavam apertados e nossa estréia já estava marcada para o próximo mês. Ironicamente, Shin falou que deveríamos descansar o máximo que pudéssemos já que as gravações das músicas já começam na próxima semana e não deveríamos estar tão desgastadas.

Conhecemos nossa coreógrafa ainda hoje, ao que parece ela é amiga do Shin. Nosso manager pode parecer antissocial e obscuro, mas possui uma extensa lista de contatos, considero isso um bom atributo. Lee Soo-Hyun, esse era o nome da nossa coreógrafa. Ela é uma mulher de meia idade, alta, com os olhos mais escuros que já vi na vida, um macio cabelo castanho e as coxas mais torneadas que eu poderia descrever. No geral, achei ela bem bonita. Além de ser extremamente carismática.

Segundo Yachi, a Lee unnie criou toda a coreografia da música sozinha. Devo parabenizá-la por conseguir fazer meus músculos inferiores gritarem e meu sangue correr ao contrário. A coreografia é mais difícil do parecia quando ela dançou a primeira vez, quando eu achei que iria pegar os passos no terceiro ensaio, mas eu estava redondamente enganada.

Eu nem sabia que era possível mexer o quadril daquele jeito!

Já era a sétima vez que reiniciávamos a coreografia, e eu não estava mais aguentando sustentar meu peso sobre minhas pernas. Eu sinto que também não tinha mais água no corpo para ser eliminada no suor. Acho que vou morrer, sinceramente.

— Meu deus! Quem errou dessa vez? — Audrye protestou no fundo da formação, ela ainda não parou de reclamar desde a terceira vez que reiniciamos o passo.

— Desculpe — San-Hee comentou sem graça, já era a segunda vez que ela errara a coreografia.

— Tudo bem, vamos de novo! — Lee unnie nos encorajou uma vez mais. — De volta a formação inicial.

Angel suspirou pesadamente, mesmo lutando para não parecer tão acabada, ter fios de cabelo presos à sua testa depois de dançar sete vezes a mesma coreografia deixa qualquer um arrasado.

— Eu estou prestes a cometer um homicídio — Audrye disse caminhando até o centro da sala pra retomar sua posição.

— Creio que isso não vá ajudar — comentou Ubon com seu tom de voz fofo. A princesa do grupo nem parecia estar cansada.

— Concentre-se em não errar, você foi a primeira que saiu da formação — avisou Pearl à Audrye, que revirou os olhos em discordância.

— Não se preocupe, só dê o seu melhor — Mai confortou San-Hee baixinho e eu apenas assenti com as palavras da minha amiga.

— Do começo! — alertou nossa coreógrafa. — Três, dois, um.

Lee unnie apertou um pequeno botão no controle remoto e logo a pequena caixa de som que estava ao fundo da sala começou a reproduzir a melodia calma da música de San-Hee. Nomeada por ela de "Fire Heart".

A formação começa com um pequeno semicírculo em volta de Pearl, e ela é quem guia a primeira parte inteira. Apesar da música transmitir uma mensagem mais romântica, os passos da música eram bem sensuais, transmitindo um "Eros" através daquela paixão imaculada da letra.

Pearl era muito boa na dança, diga-se de passagem, ela pegou os passos mais rápido do que eu julguei possível, juntamente com Angel, que contagiava todas nós com seus movimentos sutis e sensuais.

San-Hee e Joo estavam se esforçando mais do que todas nós, não as julgo por não pegar os passos tão rápido, já que começamos hoje, mas todas nós temos ciência da leve deficiência da duas na questão dança.

Quase perdi meu tempo quando a minha parte começou. Eu estava meio absorta nos meus pensamentos e também observando as outras dançarem, elas eram tão boas, fico feliz em fazer parte de uma banda tão talentosa.

Nem percebi quando a música já estava no refrão e todas estavam concentradas em não perder seu tempo na dança, exceto eu, meu corpo simplesmente respondia à melodia da música.

[…]

— Finalmente! — suspirei pesadamente atirando-me no chão junto à Mai e San-Hee no fundo da sala. — Eu não sinto minhas pernas — dramatizei num tom infantil.

— Nem eu — San-Hee acompanhou minha derrota, enquanto Mai apenas ria de nosso drama.

— Acho que poderia dançar aquilo mais 30 vezes se precisasse — disse Mai passando a mão pelos cabelos úmidos e amarrando-os num coque simples na parte superior da cabeça.

San-Hee ainda estava se martirizando por errar a coreografia, mas eu e Mai a tranquilizamos o máximo que pudemos. Ela tem esse problema com erros, já que está sempre se esforçando para ser uma versão melhor de si mesma.

Conversamos por um tempo um pouco mais afastadas das demais, eu estava deitada sobre as coxas de Mai, que estava recostada na parede e sustentando San-Hee que repousava a cabeça sobre seu ombro.

Estávamos rindo de uma das observações irrelevantes que San-Hee havia feito, quando fomos interrompidas por uma voz familiar.

— Água? — ofereceu Pearl com três pequenas garrafas em mãos. — Não queremos ninguém desidratado, não é?

— Unnie! — Mai quase gritou de felicidade pegando sua própria garrafa e bebendo água como se houvesse corrido uma maratona no deserto. — Muito obrigada! — agradeceu ela dando outro longo gole em sua bebida.

— Obrigada unnie — eu e San-Hee agradecemos em uníssono, ambas estávamos sedentas.

— Não há de quê — Pearl sorriu simplista. Ela normalmente não é a mais falante do grupo, perde longe para mim, para a Mai e San-Hee, mas definitivamente ela é a nossa omma, sempre cuidando para que todas estejamos bem.

Pensei que ela iria embora quando virou as costas, mas me surpreendi quando ela sentou-se perto dos pés de Mai, bebeu um pouco de sua água e comentou:

— Estou feliz com o desempenho de todas, para o primeiro dia não fomos tão mal.

— Exceto pela parte em que errei a coreografia quase toda na primeira vez — San-Hee fez questão de lembrar, Pearl provavelmente não dava a mínima para o ultra perfeccionismo de San-Hee, mas como boa omma que é, apenas disse algumas palavras de conforto:

— Eu não me lembro ao certo que já me dissera isso, mas creio que seja senso comum — começou ela e todas nós a olhamos meio confusas. — “Não se pode desejar a perfeição em tudo”, acho que é algo do tipo. Mas o que quero dizer é: não fique se martirizando por algo que não pôde fazer por completo, sempre há uma "outra vez" para recomeçar novamente. Ninguém daqui odiará você por errar dois ou três passos, fique tranquila.

Era bom ver que fizemos um bom trabalho elegendo Pearl como líder, ela era sensata na medida certa, líder na medida certa e também amiga na média certa. Acho que todas nós podemos ver isso.

— Viu só? — Mai cutucou a cabeça de San-Hee com a ponta do cotovelo — É só levantar a bunda desse chão e ir treinar.

Não pude deixar de rir com o comentário impertinente de Mai, o jeito simples e descontraído com que ela levava as coisas era um atrativo indescritível nela.

— Então vamos ensaiar! — San-Hee saltou do chão e pôs-se em pé num segundo, seus olhos ardiam com uma estranha chama, talvez ela houvesse achado seu foco novamente.

— Meu deus! — comentei num tom cadavérico e então rolei no chão, ainda estava muito cansada para fazer qualquer coisa.

— Vamos recomeçar meninas, retomem suas posições no centro! — anunciou nossa coreógrafa.

Ouvi uns murmúrios de lamento, outros de indignação, mas ninguém deixou de ir para o centro da sala, pois era para um bem maior, era em prol de um sonho conjunto.

Quando menos esperei a música já estava tocando e San-Hee transpirava adrenalina, embora a música nem fosse agitada à tal ponto. Uma parte minha em algum lugar do meu cérebro riu da situação.

A música terminou embalada pelos apalusos de Shin e Yachi, eles haviam chegado na sala já na segunda metade da música, perderam todo o espetáculo de introdução, uma pena. Todas nos dispersamos novamente ao cessar da música, era bom ver que estávamos progredindo bem apesar de ser nosso primeiro dia.

— Vocês pegam os passos bastante rápido pelo que pude ver, não teremos problema com prazos pelo menos — comentou Shin olhando cada uma de nós individualmente.

— Para comemorar o início oficial dos ensaios, hoje vamos jantar fora! — Yachi animou-se, provavelmente ela só estava nos arrastando para lhe fazer companhia. — Tudo por minha conta.

E essa foi a melhor parte. Todas nós comemoramos. Sair com Yachi após o ensaio com todas as despesas pagas é um sonho.

— Vamos comer pizza! — sugeriu San-Hee.

— Quê? Não! Vamos comer hambúrguer, gente, McLanche, alô? — Audrye falou como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.

— Eu prefiro comida chinesa — disse Joo, finalmente nos dando a honra de ouvir sua linda voz, já que ela está sempre observando tudo de longe.

— Ai, que comida chinesa o quê? Vai ser pizza, sim! — defendeu Mai.

— Nem, eu gosto de… — Ubon estava prestes a se pronunciar quando Audrye a interrompeu bruscamente.

— Lá vem a vegana que come abacaxi assado.

E todas nós rimos, até o Shin riu. Ubon corou violentamente e se encolheu como se quisesse sumir com a vergonha, ela era extremamente fofa agindo desse jeito. Na verdade ela era sempre fofa, exceto quando parecia uma socialite, mas ainda assim era fofa.

Decidimos por fim sair para comer pizza, foi engraçado pois isso foi quase a saída de emergência da briga que aquilo havia se tornado. San-Hee venceu no fim das contas.

— Pronto! — comemorou Ubom após terminar a pequena trança que fizera em uma das mechas de meu cabelo.

— Obrigada — sorri em agradecimento.

Eu realmente precisava de alguma coisa para tirar aquele ar de "Uau!, Lia, mas você 'tá acaba mesmo, hein?", e uma trança me caía bem de qualquer forma.

Já eram quase 19h00min quando saímos da empresa, até San-Hee, que normalmente é a que mais demora no banho, nos fez o favor de ser rápida. Estamos todas limpas e cheirosas e renovadas e… apresentáveis. Pelo menos eu estava a mais casual possível com meu casaco azul, jeans escuro e uma pequena bota quase na mesma tonalidade.

Nenhuma de nós estava muuuuito extravagante, considerando que não planejávamos sair após os ensaios, mas queria chamar atenção para Pearl e Angel, sempre soube que seus stages names se encaixavam perfeitamente em suas pessoas. Incrível como gente bonita fica bonita com pouca coisa.

Shin nos levou até um rodízio de pizza próximo e insistiu para dividir os custos da entrada com Yachi, embora ela tenha teimado com ele para pagar tudo, acabou cedendo no final.

Queria dizer que nunca me senti tão pecadora quanto hoje, se havia uma coisa boa nessa vida era comida, caso eu não entre no céu por algum pecado vai ser pela gula. Eu estava quase criando um estômago extra para guardar mais comida, e quando finalmente saímos de lá eu estava me sentindo um pequeno filhote de elefante. Vou me sentir culpada depois? Queria dizer que sim, mas aí estaria mentindo.

Não tive muita oportunidade de reparar nas outras mas acho que nenhuma de nós comeu menos de três fatias, quanto a mim: eu nem me dei o trabalho de contar.

Acho que o jantar fez bem para todas nós, já que até Angel estava falante na volta para casa. Parecíamos um bando de bêbadas sorrindo do vento e dos postes na rua. Mas a sensação não era ruim, no fim de tudo.

Shin nos deixou em casa como havia prometido, mas dessa vez Yachi não ficou conosco. Ele prometeu levá-la para casa em segurança, e nenhuma de nós argumentou contra, o único fato triste é que amanhã não teremos o ultra café da manhã da Srta. Yachi.

Eu não sabia que estava tão cansada até quase cair de cara no chão do banheiro enquanto escovava os dentes, foi uma cena cômica, mas devo agradecer à seja lá quem foi que me segurou, estava com tanto sono que nem vi quem era.

Subi para o segundo andar e fui direto para o meu quarto, ouvi um breve "boa noite" de Audrye na cozinha antes de entrar no quarto e resmunguei algo de volta.

Assim que entrei no quarto notei que havia algo errado: todas as camas estavam ocupadas. Todas elas. Inclusive a minha.

Hã?

Prensei os olhos na tentativa de enxergar através da pouca iluminação do ambiente e quase surtei quando vi San-Hee e Mai atiradas na minha cama dormindo como se estivessem em coma. Quase chamei um palavrão. Vesti meu pijama unicórnios que sinceramente é a coisa mais fofa que você vai ver hoje e me lancei ao perigo, vulgo: atrapalhar o sono de Kwon Amaterasu, sinceramente, estava com medo que a deusa do sol me transformasse em pó quando acordasse mas eu só queria uma cama para dormir mesmo.

— Angel — chamei-a baixinho. — Angel.

— Eu ouvi da primeira vez — respondeu ela abrindo os olhos. — O que foi?

Apesar da voz rouca ela não parecia zangada, ainda bem.

— Eu, hã, será que posso… dormir com você? — perguntei meio sem jeito me enrolando toda nas palavras.

— Tem formiga na sua cama? — ela perguntou tão inocentemente que eu me sentiria mal se me ofendesse.

— Não, houve apenas uma pequena invasão — repliquei dando espaço para ela ver as duas ladras de leito deitadas sobre a minha cama.

Angel sorriu carinhosamente e afastou-se um pouco para que eu me deitasse consigo.

— Não se mexa muito — pediu ela passando a mão pelos meus cabelos meio embaraçados.

— Não vou.

A última coisa que me lembro é de ver San-Hee se mexendo na minha antiga cama e logo após isso tudo à minha volta girando e escurecendo. Até que fui tomada pelo sono.

(LEIAM AS NOTAS FINAIS)


Notas Finais


*Pra quem não sabe, na mitologia japonesa, Amaterasu é a deusa do sol se não me engano, por isso a analogia

AMORES NÃO DEIXEM DE VER ESSE JORNAL, É MT IMPORTANTE(okay talvez só importante), PFV NÃO DEIXEM DE ENTRAR NELE E CUMPRIR OS PEDIDOS OBG

Link do jornal ---> https://spiritfanfics.com/perfil/iloveladygaga/jornal/genesis--warnings-7285471

Tem uns pedidos de desculpas lá mas isso vc só leva em conta se quiser sjndisnsos mas não me odeie pfv

Não deixem de comentar pfvvvvv
Eu preciso saber oq estão achando da fanfic
Kisses e até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...