História Galway Boy - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, V
Visualizações 0
Palavras 2.245
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Festa, Lemon, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie, é a minha primeira fic, e espero que vocês gostem.

Muito obrigada por ler 💙

Boa leitura(?)

Capítulo 1 - Sobre um garoto e uma noite perfeita


Fanfic / Fanfiction Galway Boy - Capítulo 1 - Sobre um garoto e uma noite perfeita


Se existe uma coisa que, Jeon mais gostava em sua carreira, essa coisa eram seus fãs.

Ele era completamente apaixonado por eles, e sabia que era recíproco. 

E o mais divertido entre os milhares de fãs que o garoto tinha, era como eles eram totalmente diferentes uns dos outros. Não se lembrava de alguma vez dizer "já senti essa sensação antes". Em todos os shows que fazia, era uma emoção nova, uma vibração diferente. 

No Brasil, as fãs cantavam todas às músicas, pareciam fluentes. Já nos Estados Unidos, eles o surpreenderam quando dançavam quase todas às músicas. E agora aqui, na Irlanda, parecia que cada música tocava cada fã de uma maneira diferente. Uns choravam, outros sorriam, já alguns apenas fechavam seus olhos, e navegavam nas letras das canções. 

Quando o último acorde foi tocado, e o último "obrigado" foi dito, Jungkook desceu do palco com uma bandeira do país amarrada no pescoço. Estava exausto, mais não recusaria uma saída pra um bar de maneira alguma, não quando você está em um dos países que tem às melhores cervejas, bom, isso era o que as pessoas e os críticos diziam. 

Andou pelo corredor enquanto entregava seu microfone para à produção, e tirava seus protetores de ouvido. Entrou em um carro preto que já o esperava, se sentando no banco traseiro junto com seu empresário. 

- Eu quero beber Hoseok. Me leve para beber - disse enquanto descansava às costas no estofado macio e fechava os olhos relaxando. 

- Como quiser, mas não exagere, você tem mais um show amanhã. 

- Só faça o que eu pedi. Por favor. 

Enquanto o carro se andava pelas ruas de Galway, Jeon podia ver os reflexo que às luzes da cidade faziam em seus olhos ainda fechados. 

Não demorou muito para o carro parar novamente, agora enfrente ao um bar, bem no estilo europeu. 

Ao entrar no local, o cheiro de cerveja e cigarro chegou em seu nariz, o fazendo dar uma leve torcida no mesmo. A música do lugar não estava muito alta, mais o suficiente para todos ali escutarem bem. Vozes de vários tons e estilos eram escutadas no lugar, e o mais importante, ninguém ali parecia dar certa importância para a sua presença ali. E era isso que ele queria.

A vida de celebridade era boa, tinha várias pessoas ao seu redor, mulheres e homens aos seus pés, e muita grana. Mas havia também a parte ruim daquilo tudo, eram raros os seus momentos de paz, em que podia de fato descansar, sem ter nenhum paparazzi no seu pé, ou pessoas só querendo seus quinze minutos de fama.

Se encostou no balcão, sentando em um banco de madeira. Seus olhos rodaram o espaço, logo parando em uma cena que o fez se perder por um tempo. 

Era um garoto, loiro, baixo e um sorriso no rosto, enquanto dançava de maneira livre, um pouco desengonçada, mas ele  não parecia se importar, estava visivelmente se divertindo. 

- Fecha a boca moleque! A baba vai escorrer. - Hope fala ao seu lado, o fazendo tirar os olhos do menino. 

- Que foi em? Não posso mais olhar? - pergunta.

- É claro que pode - o moreno fala, apenas desviando oz olhos rapidamente, assim que o barman trás dois copos de cerveja, provavelmente ele havia pedido quando Jeon não estava olhando - Mais quase babar no balcão não dá. 

- Eu não estava "quase babando" - fez aspas com às mãos - Eu só achei ele bonito, muito bonito. Mas foi só isso.

- Tá. Vai chegar nele?

- Ele parece submerso demais no próprio mundo, pra notar minha presença aqui - se vira pra trás de novo - Deixa ele lá. Pelo menos por enquanto. 

Hoseok sorri, colocando às pernas pra frente e se sentando corretamente. Ele admirava a paciência que o mais novo tinha. Jungkook sabia esperar, não era afobado, ia com calma, falava coisas simples e fáceis, e no final da noite tinha quem queria. Se fosse com ele, já estaria lá com o garoto. 

Eles conversaram por mais ou menos uma hora, falando coisas sobre aleatórias, e Jeon pareceu esquecer do garoto. Bom...só pareceu mesmo. 

Em um certo momento, o menino chamou o barman novamente, e oediu para os mesmo um pedaço de papel ou até mesmo um guardanapo. 

Escreveu no mesmo os dizeres "Querido eu só quero dançar :)".

Pediu para o barman para entregar para o garoto que dançava, e também pediu mais um copo de cerveja. Observou o seu bilhete chegar até o menino, que leu e procurou com os olhos, a pessoa que havia enviado, logo seus olhos caíram nos de Jeon. Ele apenas sorriu e desceu da mesa que estava encima. Saiu do meio de seu grupo de amigos, indo para um corredor que ficava do lado direito do bar.

Jeon não sabia qual era a intenção do garoto, mas não iria ficar na curiosidade. Simplesmente não conseguia, era mais forte que si.

Andou pelo corredor, abriu portas, olhou para todos os lados, e não achava o menino. Estava quase desistindo, quando chega na pista de dança do bar, o encontrando lá, como se o esperasse. Ele sabia que ele viria.

Se aproximou e sorriu, sendo automaticamente retribuido. O loiro estendeu sua mão na direção de Jeon, que levantou uma de suas sobrancelhas, em dúvida. O menino aumentou seu sorriso, e Jeon cedeu ao charme do menino.

- Qual é o seu nome? - perguntou sorrindo, enquanto dançava junto com o loiro, que ainda sorria.

- Jimin. Park Jimin. - sorriu - E o seu?

- Hum...você não sabe o meu nome? - viu o outro negar - Nunca me viu em algum programa de TV ou revista, sei lá?

- Se vi, eu realmente não me lembro. Me desculpe. - sorriu envergonhado - Você é alguém famoso?

- Você está brin- para a si mesmo - Não, eu não sou ninguém especial. 

- Ufa, pensei que estava passando vergonha. Então, qual o seu nome?

- Jeon Jungkook. Muito prazer. 

- Todo meu. 

Eles dançaram por mais algumq tempo, antes de Jimin pegar à mão de Jeon, e o levar de volta ao bar, só que do outro lado.

- Vamos, quero ver se você é bom? - diz pegando um dos dardos e oferecendo para Jungkook - Ou vai me dizer que não consegue brincar no tiro-ao-alvo?

- É claro que eu sei. - pega o dardo - Se quer saber, eu consigo acertar sem olhar. 

- Duvido. Me prove. 

Nos encaramos, um de frente pro outro, e eu miro e jogo o dardo. Jimin olha para o lado sorrindo, mas o seu sorriso logo desmancha. Eu sigo o seu olhar, e meu corpo gela ao ver o que o assustava. 

Um cara alto vinha em minha direção com uma cara nada boa.

Eu havia o acertado com o dardo.

Quando o homem estava para me dar um soco, Park puxa o objeto que estava em suas costa, e o cara se vira para si, e Jimin força um sorriso. 

Sem saber o que  fazer, puxo o menor com a mão, e começo a correr em direção a saída dos fundos, ouvindo o homem me xingar. Jimin apenas ria, parecia estar se divertindo com a situação, ao contrário de Jeon que parecia apavorado com tudo que acontecia. 

Poxa, seu rosto tinha que estar empecavél pra amanhã. 

- Por que está rindo? - o moreno pergunta. 

- Estou rindo de você. - ofega - Correu do cara sem pensar duas vezes.

- Ah seu...

- Ah olha! Vamos ver - sai andando rápido até um homem que cantava e tocava  violão na esquina de uma rua.

Nos aproximamos quietos, sem querer interromper o que o homem cantava. Eu não entendia nada, mais parecia bonito. 

- Você por um acaso, entende alguma coisa do que ele está falando? - Jeon pergunta, olhando o loiro que sorria.

- E você? Entende? 

- Nenhuma palavra. - gargalhamos

- Então somos dois.

Ele anda para o lado devagar, enquanto tombava a cabeça pro lado levemente, parecia estar observando algo. 

Park era extremamente estranho. Mas, alguma coisa nele, chamava à atenção de Jeon, e não me pergunte, porque até ele mesmo não fazia  a menor ideia do que era.

O vejo andar até duas bicicletas que estavam escoradas em uma parede de pedras.

- O que você está fazendo? - pergunta se aproximando - Você nem sabe de quem é isso.

- Idai? Vem, vamos pra algum outro lugar. 

- Eu não vou roubar nada de ninguém. Desce daí logo. 

- Olha, a gente não vai "roubar", só vamos pegar emprestado sem que o dono saiba. - sorri e levanta os polegares, tentado convencer o cantor. 

- Você sabe o que está falando? Quantos anos você tem em? - cruza os braços no peito 

- Eu tenho vinte, por quê? 

- Tinha que ser um adolescente mesmo. - solta uma risada irônica - Pra querer fazer uma merda dessas.

-E você? Tem quantos?

- Vinte e dois.

- Nossa! O sábio. - ri - Anda logo 

- Eu não vou subir nessa merda

- Então fica e se resolve com o cara do bar que tá vindo aí  - pedala a bicicleta, e Jungkook olha para trás, vendo o homem se aproximar de si, com uma cara nada boa.

Se vira pra frente novamente, e pega a bicicleta que sobrou, pedalando rápido, tentando alcançar Jimin, que já estava bem a a frete. 

- Sabia que viria - solta uma risada

- Cala a boca e anda logo. 

Nenhum deles fazia ideia pra onde estavam indo. Apenas pedalavam sem rumo. Sentido o vento no rosto, e rindo das bobagens que Jimin fazia. 

- Por que parou? - Jeon pergunta, vendo mais novo descer e encostar a bicicleta em uma parede. 

- Vem comigo. - puxa a mão do cantor, o levando até uma porta e entrando. 

Era um estúdio. Um estúdio de tatuagens. Jeon observa Park ir até a atendente e falar algo, e logo ele se vira pra si, o chamando com a mão. 

Na cabeça de Jeon, se passavam várias perguntas, mas as mais repitidas eram:

O que Jimin queriaem em um estúdio de tatuagem? 

E, por que tinha um estúdio aberto a essa hora da madrugada? 

- Senta Jeon - o loiro fala, apontando para uma cadeira azul - Vem fazer mais uma tattoo.

- Como você sabe que eu tenho tatuagens? - pergunta. Todas elas eram escondidas. 

- Você esqueceu que tinha uma no dedo por um acaso? - ri 

E o cantor realmente havia se esquecido. Cara, eram tantas, que não fazia ideia que o sua cabeça de E.T no dedo indicador, seria vista e notada por Jimin.

Se sentou na cadeira, depois de tirar o casaco, e puxar um pouco a manga da blusa pra cima.

- Jimin, escreve algo aí. - diz simples 

- Eu? Sério? - ver o outro assentir - O que eu quiser? 

- Só não sendo uma rola, qualquer coisa - Jeon diz rindo, e levando com sigo Jimin e o tatuador.

O profissional pega uma caneta e entrega pra Jimin. O menino escreve uma frase no braço de Jungkook, o mesmo não faz a mínima ideia do que seja, já que a cabeleira loiro de Jimin tampou sua visão. 

Pediu um copo de cerveja pra relaxar mais um pouco. Logo o barulho da agulha foi ouvido, e aquela dorzinha já conhecida por Jeon se fez presente. Jimin ficou o tempo todo ao seu lado, atento a tudo. A suas expressões, falas e movimentos do corpo. 

Assim que tudo acabou, o mais baixo se aproximou de si, e tocou seu braço ainda vermelho. Parecia concentrado na tatuagem, admirando o que havia escrito. 

"All the love" (Todo amor)

Saíram do estúdio, e de novo pegaram as bicicletas, e pedalando por mais alguns minutos, antes de pararem em uma ponte.

- Por que escreveu aquilo? - Jungkook pergunta, observando o garoto olhar as luzes da cidade.

-Porque é o que o mundo precisa. Amor, muito amor - sorri e olha o mais alto

- É o que você acha?

- É o que eu tenho certeza. E você também tem, sabe disso - sorri 

Ficaram conversando por mais algum tempo, falando da  vida e do mundo. E Jeon aproveitou para se encantar um pouco mais por Jimin. O jeito que ele fala, suas opiniões, jeito de ver o mundo, seu sorriso, sua boca, seus olhos. 

Estava encanto pelo garoto definitivamente. 

Depois da ponte, eles foram até um outro bar, esse um pouco mais típico, bem do país mesmo. Tinham pessoas tocando violino e piano, um grupo dançando. Eram de certa forma aconchegante. 

Pediram mais cerveja, dançaram juntos, e se beijaram. 

Se beijaram muito.

O primeiro foi rápido. Nenhum dos dois raciocínou direito, apenas foram, se tocaram, às línguas dançavam, às bocas se morderam, o pulmão pediu por ar.

Foi incrível. 

Até que em certo momento Jeon decide pegar mais uma cerveja, e se dirige para o balcão, deixando Jimin sentado no sofá que existia ali.

Pediu dois copos, e depois que os pega, se vira para levá-los até Jimin.

Bom, se não acontece um imprevisto. 

Jungkook acaba esbarrando em um homem, e derrubando a bebida nas costas e roupas do mesmo. Porém, assim que iria se desculpar, sua voz some ao ver quem era o "homem".

Era o mesmo do primeiro bar. Era a porra do homem do bar!

A partir daquele momento, tudo pareceu ficar em câmera lenta. Só viu o cara olhar para o amigo ao seu lado, antes de levantar o braço e desferir um soco em seu rosto, 

À última coisa que se lembra, é de um homem dando alguns tapinhas em seu rosto, 


Notas Finais


Bom, pra quem não percebeu, o capítulo foi espirado em "Galway Girl" do Edinho, amor da minha vida 💜

Espero que vocês gostem, e caso gostarem muito, quem sabe não tem a parte dois da história?

Até mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...