História Game - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Game, Lésbico, Norminah, Trolly
Exibições 525
Palavras 1.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, FemmeSlash, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Vamos parar um pouco com o drama e começar a jogar?
Estão prontos?

Capítulo 12 - Capítulo 11: Que comece o jogo.


Camila Pov.

Meus pés e pernas já estavam começando a doer mas eu não parava. Não vi nada em minha frente, apenas corria sem parar.

Eu sou uma garota.
Eu sou uma garota.
Eu sou uma garota.

Essa porra não saía da minha cabeça. Eu não sabia o que fazer. De todas as coisas essa era a última que eu esperava ser a verdade sobre Lorenzo.

Lauren Pov.

Olhava a mais de uma hora para a tela do computador.

Off.

Essas três letras haviam desmoronado meu mundo. Como ela simplesmente me deixou ali? Ela nem me xingou nem nada, apenas saiu do chat.
Levantei e saí do apartamento, se eu ao menos soubesse quem ela era. Quando cheguei a pequena praça sentei no banco e fiquei olhando a movimentação.

O que havia de errado comigo?
Na verdade eu era muito parecida com meu pai. Eu era um furacão de mentiras e dor.

Mentirosa.

Meu subconsciente gritava e eu tentava ignorar. Karla me odiava. Sim, e isso era bom para ela.
Coloquei minha cabeça entre as mãos e senti alguém sentar ao meu lado. Quando virei não conseguia acreditar. Só o que me faltava.

— Lauren? — Perguntou Camila Cabello assustada ao me ver.

— Camila!

— Eu te procurei por dias. — Falou Camila.

— Tirei umas férias, já estou com o diploma nas mãos mesmo. — Falei tentando não soar rude.

— Temos que conversar. — Falou.

Eu olhei para ela pronta para responder grosseiramente quando reparei em seus olhos, ela esteve chorando?

— Não sei se é o momento. — Falei olhando fixamente para a frente.

— Sei que você teve nos odiar, mas eu juro que não sabíamos de nada. — Falou tentando se explicar.

— Eu não odeio vocês, eu odeio ele.

Falando em voz auta eu percebi que isso era verdade, eu não estava nem aí para a famíla de Camila, eu odiava apenas meu pai.

— Mas ele é seu pai. — Falou Camila perplexa.

— Só por que ele é meu pai eu não posso odiá-lo?

— Só não acho certo. — Falou dando de ombros.

— Camila não querendo ser grosseira, mas eu acho que você está longe de saber o certo ou errado. — Falei lembrando da Camila líder de torcida.

— Eu estou tentando mudar. Já até pedi desculpas para Louise essa semana.

Porra, Louise. Eu só lembrava dela quando alguém falava seu nome. Tenho que ligar para ela e me explicar, saí do quarto dela naquela manhã e desde lá não a vejo.

— Que bom, para você e seu interior. — Falei irônica.

Será que Camila não percebia que eu não estava para papo.

— Você não é a única que tem problemas. — Falou Camila irritada.

Me irritei e olhou para ela.

— Então me fale os seus problemas! — Falei rude.

— Minha mãe viveu anos com um cretino que era casado, tive que aguentar ela triste por dias. Eu sou uma idiota que se apaixonou por alguém virtualmente e hoje a noite descobri que o garoto era uma garota...

Camila continuou falando mas eu parei de ouvir na parte em que ela falou de garoto que na verdade era garota. Não podia ser, não mesmo.

— Você nem está me ouvindo sua odiota. — Falou Camila levantando e me despertando.

Mas eu simplesmente não conseguia falar nada. Camila me olhou irritada e saiu de perto de mim e eu fiquei lá por vários minutos.

Karla é Camila.

Isso não saía da minha mente. Corri de volta para casa e quando entrei em meu quarto peguei minha mala e abri. Coloquei meu caderninho sobre o colo e abri.

26°: "Descobrir quem é Karla".

Marquei um "OK" e coloquei ao lado "(Camila)".

Então todo esse tempo eu estive apaixonada por Camila? Será que eu ainda gostava dela agora que eu sabia quem ela era? É claro que eu gostava, eu amava aquela garota.

Peguei a caneta e fui até a próxima página.

27°: Conquistar Camila ( Como Lauren e não Lorenzo).

Fechei o caderninho e coloquei dentro da caveta do criado mudo.

Eu só me metia em roubadas.

Camila Pov.

Parei em frente a escola e me olhei no espelho, não estava tão mal. Claro, eu estava com um quilo de maquiagem na cara. Saí do carro e travei. Pelo menos aquele bastardo tinha me deixado um carro e o esto do ano escolar pago. Quer dizer, só faltava dois meses para eu me formar.

Entrei na escola e fui direto para a sala. Sorri ao ver Mani e corri para abraçá-la.

— Como você está? — Perguntei sentando logo atrás dela.

— Não sei. Todos estão me olhando. — Falou olhando ao redor.

— Eles são uns idiotas. — Falei beijando seu rosto.

— Você não parece bem. — Falou Mani me olhando.

— Depois da aula na minha casa. Tenho algo para te contar. — Falei triste.

Eu achava que iria passar a noite chorando mas não. Eu estava com tanta raiva que me recusei ao derramar qualqer lágrima para aquele babaca. Aquele não, aquela.

A porta da sala abriu e eu vi Lauren entrar e ir até sua cadeira. Ela era outra idiota. Lauren deixou seu material lá e caminhou até mim. Isso, até mim.

— Olá. — Falou para mim e para Mani.

— Oi. — Falou Mani sorrindo.

Apenas revirei os olhos e olhei para frente.

— Camila quero apenas me desculpar pela noite de ontem. Só quero que entenda que minha vida está uma caos. Eu saí de casa e estou completamente perdida. Só estou irritada com a vida. Não deveria ter te tratado mal. — Ao falar isso ela virou de costas e sentou em sua cadeira.

— O que houve? — Perguntou Mani.

— Na minha casa eu te conto. — Falei.

Os alunos começaram a chegar e logo a aula começou.

Era recreio e eu estava sentada em uma mesa ao lado de Mani. Na mesa ao lado estavam Ally, Lauren e Louise. Louise abraçava Lauren toda hora e eu achei isso estranho.

— Não sabia que elas estavam tão amigas. — Comentei com Mani.

— Louise quando cola em alguém e igual chiclete. — Falou Mani comendo uma uva.

Olhei mais uma vez e fiz uma careta.

— Qual a nossa próxima aula? — Perguntei.

— Magia contra as artes das trevas. — Brincou Mani.

— Isso seria um sonho. — Falei rindo.

— Na verdade é cálculos.

Bati minha testa na mesa e choraminguei.

— Tenho que pegar meu livro. — Falei levantando.

— Te espero no corredor. Tenho que tomar uns remédios.

Mani se escondia no banheiro para tomar os anti-depressivos.

— Tudo bem. — Falei.

O corredor estava uma zona, sempre era assim depois do intervalo. Abri meu armário e peguei o livro. Algo vez barulho e vi um papel cair no chão, me abaixei e peguei.
A letra era digitalizada e eu comecei a ler.

Querida Karla, não deveria ter me ignorando na noite passada. Quase cortei meus pulsos sabia?
Vamos jogar? Prometo não contar nada para sua mãe, vai ser o nosso segredinho.
Lembre-se:
Você pode ser a líder de torcida, mas esse jogo é meu.

Olhei para o papel várias vezes e depois olhei ao redor.

16/05/2016.

KarlaC.: Para seu chato. É claro que eu vou ganhar.
LorenzoM.: Karla amor, você pode ser a líder de torcida, mas esse jogo é meu.

Olhei mais uma vez ao redor e me senti agoniada no meio de tantas pessoas. O que significava isso? Pensei olhando para o papel.
Jogo? Que porra de jogo?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...