História Game of Seduction - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lei & Ordem: Unidade de Vítimas Especiais
Personagens Det. Olivia Benson, Rafael Barba
Tags Barson, Olivia Benson, Rollivia
Exibições 66
Palavras 2.069
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Então, aqui está mais um capítulo.
Dedicado a Dona Flawyess..


Ao delírio!

Capítulo 2 - "Você ganha à mim..."


Fanfic / Fanfiction Game of Seduction - Capítulo 2 - "Você ganha à mim..."

Depois de horas rolando e rolando na cama, Rafael não conseguia dormir.
Ele precisava sentir o quão macia era pele dela, o quão doce era o gosto dos lábios dela outra vez. Ele precisava sentir o corpo dela embaixo do seu gemendo por ele, o incentivando a ir ao extremo.
" Não dá pra esperar!"
Ele se vestiu num piscar de olhos e olhou no relógio que marcava 3:25 da manhã, pegou seu celular e discou o número dela.
Depois do terceiro toque ela atendeu.
"- Rafael?"
Oh Deus, a voz dela saiu como um gemido.
"- Liv!"
Ela despertou com a voz rouca em seu ouvido, isso a fez ficar excitada  em poucos segundos e ela teve que fechar as pernas com força.
"- O quê você quer a essa hora?"
Ele se locomoveu até a porta do apartamento esperando seu táxi.
"- Você! Não esta óbvio?"
Ah! Esse homem ía acabar com seu juízo.
Ela deu uma risada com a pergunta dele e ele escutou.
"- Tenho uma proposta, vai até meu escritório agora que eu tenho uma coisa pra você!"
"- E se eu não quiser ir ?"
"- Vai perder seu presente."
"- Oque eu ganho com isso exatamente?"
"- Você ganha a mim!"
Ela deu um pulo dá cama, suas suspeitas se confirmaram naquele exato momento.
"Ambos precisavam um do outro".
Ela deu uma olhada no espelho a camisola que trajava era azul clara, ela suspirou e lembrou que ainda estava ao celular com ele.
"- Então Liv?"
"- Não é perigoso, sair uma hora dessa?"
Ela ouviu uma risada pela celular.
"- Você é a Tenente mais temida de Nova York, está com medo de sair sozinha?"
Dessa vez foi a vez dela de rir.
"- Não por mim, por você. Eu tenho uma arma você não."
"- Nunca subestime um homem Olivia Benson..."
"- Te encontro lá."
Ela desligou o celular sem dá chance de resposta a ele.
Mandou uma mensagem a Lucy dizendo que precisaria resolver algo urgente e foi ao closet escolher uma roupa. Acabou optando por uma calça social preta e uma camisa regata preta também com um casaco azul escuro e um salto alto azul. Ela tinha uma "surpresa" pra ele.
Se despediu de Lucy e foi ao encontro do seu promotor.
Barba já a aguardava em seu escritório, não demorou muito pra ele ouvir o som do salto dela. Ele se sentou em sua cadeira e observou Olivia entrar e trancar a porta, depois caminha na sua direção e sentar na sua mesa de frente pra ele.
"- Oque você deseja, pra me ligar de madrugada e me obrigar a vir aqui?"
Ele nesse momento se levanta e coloca as mãos uma de cada lado do corpo dela e aproxima seu rosto do dela.
"- Sua curiosidade ainda vai acabar contigo..."
Em movimento rápido Olivia o beija.
Suas línguas dançando e enrolando entre si, Rafael a puxa pra mais perto e coloca suas mãos por dentro da camisa de Olivia que retribui desabotoando a dele.
Ele desce os beijos para o pescoço da Tenente enquanto a mesma aproveita as sensações de olhos fechados.
Olivia aproveita para tirar o sinto de Rafael e é impedida pelo mesmo.
"- Não, meu presente é o prazer, lhe dar prazer."
Ele lhe dá um sorriso malicioso, e tira botão por botão da calça dela que treme a cada toque. Quando ele se livra da calça.
"- Essa mesa vai aguentar nós dois aqui?"
Ela perguntou se fazendo de inocente.
Ele empurrou as coisas da mesa pro chão subiu em cima de Olivia. Que se encontrava deitada do jeito que ele imaginou.
"Pele na pele, sentindo o quão doce é os lábios dela, o quão poderoso ele se sente fazendo ela gemer e clamar por ele".
Os olhos dele desceram para dar uma bela olhada, encontrando seus seios fartos subindo e descendo, com a respiração difícil. Os olhos castanhos.  Tremeluziram de tesão e ela mordeu os lábios, sentindo o coração acelerar ainda mais.
Ela acariciou o rosto dele. Sentindo peso do corpo dele sobre o seu, o membro pulsante quase perfurando a sua calcinha, e como aquilo estava deixando-a mais molhada ainda.
Ele foi aproximando seus rostos, sem perder o contato visual. O olhar dela dividido entre seus olhos e sua boca. Ele entregou-lhe um sorriso malicioso e mordeu seus lábios, brincando com eles, trazendo entre os dentes. Começou a descer beijos pelo pescoço, trabalhando com a língua pelo queixo, clavícula. Levantou ligeiramente o queixo dela para obter mais do pescoço, descendo para os seios. Beijando o vale entre os seios, mordiscando devagar a parte que o sutiã não tampava.
Ela segurou-se nos ombros fortes dele, curtindo as sensações dos lábios macios e a língua provocando sua pele que estava tão sensível. Quando os beijos chegaram nos seios, sentiu toda a região arrepiar e ele viu os mamilos endurecendo mais a cada toque. Ela arqueou um pouco as costas e ele alcançou o fecho do sutiã, desfazendo-se da peça. Ele arfou com a visão dos seios dela. Tão firmes e lindos.
Rafael caiu de boca em seus seios com muita vontade, lambendo, sugando, agitando seus mamilos com a língua. Ela sentiu o choque perpassar a espinha e gemeu com força, segurando a cabeça dele contra o seu seio para obter mais e mais contato. Ele tomou o outro seio com a mão, sentindo o corpo dela tremer em baixo do seu, ouvindo os sons que ela estava emitindo, as palavras desconexas, extraídas pelo tesão que ele estava lhe proporcionando. Ele fez o mesmo com o outro seio, com a mesma intensidade. Logo começou a descer beijos sôfrego e quentes pela barriga.
Ela sentiu um frio na barriga, ansiosa pelo que viria a seguir, seu sexo pulsou violentamente.
Os lábios dele chegaram ao cós da calcinha e ele chupou com vontade aquela região. Ela mordia os lábios com força, sentindo o corpo se agitar na expectativa. Ele praticamente puxou a peça intima fora e quase a rasgou, desesperado para te-la, prova-la o mais rápido possível.
Ela abriu ainda mais as pernas pra ele, tão exposta, tão vulnerável. Os músculos dele se contraíram com a visão, o membro dele tremeu dolorosamente.
Rafael pegou as pernas dela, e as colocou cada uma em um dos seus ombros. Foi dando beijos fortes nas partes internas das coxas, sentindo o cheiro da excitação dela ficando mais forte a cada beijo. Sem conseguir mais esperar mais um segundo, afundou a língua no seu centro.
"- Rafael!" Ela gemeu mais alto do que deveria, jogando a cabeça para trás.
Ele segurou os quadris dela, e afundou ainda mais a língua. Massageando seu clitóris com a língua, fazendo uma pressão deliciosa.
"-Não para!" Ela gemeu, com o folego que conseguiu reunir, tentando controlar o volume da voz. Revirando os olhos.
Ele continuou fazendo pressão, lambendo com vontade, explorando cada canto entre as suas dobras, sacudindo a língua lá dentro.
Ela colocou a mão na boca e mordeu com força, abafando um gemido muito alto.
Ele sentiu as pernas dela tremerem, sabia que ela estava perto. Puxou ainda mais o seu quadril, afundando mais o rosto lá, dando-lhe mais profundidade. Chupou o clitóris dela com força.
"-Oh, meu Deus!" Ela gemeu arqueando as costas, segurando na cabeceira. Sentiu um prazer tão intenso que sua visão estava começando a ficar turva. Seus nervos estavam sacudindo dentro de si. As ondas de prazer começaram a vir tão fortes, dando choques no seu corpo.
"-Ah..Rafa..ell "Ela tentou segurar o grunhido gutural preso na garganta, era muito mais do que conseguia suportar. Seus dedos estavam brancos pela força com que ela estava segurando a mesa. Sentiu seus músculos fecharem com força, chegando a um ápice avassalador. Seu corpo indo de encontro a boca dele em espasmos, enquanto cavalgava no seu orgasmo.
Suas pernas ainda tremiam quando seu corpo relaxou.
Rafael avançou no meio das pernas dela, e ela se abriu mais para ele. Querendo mais dele, mais de todo o prazer que ele queria lhe dar. Ele arrastou o corpo em cima do corpo trêmulo dela, até seus rostos se encontrarem.
Começou a esfregar a cabeça do pênis no clitóris dela de forma dura, mal podendo aguentar o prazer, gemendo dentro da boca dela.
"-Por favor..."Ela suplicou com a respiração faltando, implorando por mais dele.
Ele estava descontrolado, o tesão estava exalando através do suor por todos os poros. Ela segurou o membro dele com vontade.
"- Olivia!!" Ela provocou um gemido mais alto.
Seus olhos congelaram fixados um no outro.
Ele começou a penetrar a cabeça, gemendo, olhando as reações dela. Ela fechou os olhos com força, sentindo ele expandir suas paredes para todos os lados.
"- Rafael..."Sentiu que poderia gozar ali mesmo, só com a cabeça dentro dela.
"-Olha pra mim." Ele mandou.
Ela tentou forçar os olhos a permanecerem abertos, enquanto ele deslizava dentro dela, forçando as suas paredes a expandir-se mais ainda, arrastando nela em todos os lados imagináveis. Ela sentiu um pouco de dor no começo, ele era tão grande, mas o prazer superou isso de diversas maneiras.
"-Oh meu Deus!" Ela gemeu e engasgou com a sensação incrível de ser preenchida daquela forma. Os olhos piscavam constantemente, tentando mante-los abertos pra ele, a boca aberta, incapaz de espessar qualquer coisa no momento.
"- Então, sou ruim de cama?" Ele sussurrou arrastado, com o rosto quase se contorcendo de prazer. Os braços dele tremiam, enquanto tentava se controlar.
Ela balançou a cabeça negativamente, enlaçando as pernas em volta da cintura dele, puxando-o para si.

"-Tão apertada." Ele gemeu quando deu a primeira estocada dentro dela, tão rápido, tão forte. Era impossível se controlar, já estava entrando e saindo sem parar, ela estava tão deliciosamente apertada em volta dele.
"-Oh... Assim, assim." Ela estava delirando. O movimento de vai e vem tão gostoso, tão rápido, arrastando dentro dela, em todos os lados.
"-Tão bom... Ah... Liv... Tão gostoso." Ele começou a gemer, e desceu a boca até o ouvido dela e começou a murmurar palavras sujas.
Os olhos dela giravam, e ela começou a acaricia-lo onde suas mãos conseguiam chegar. Nos ombros largos, as costas, em cada gomo dos seus músculos rijos.
"-Aí... assim, assim." Ela quase gritou, quando ele aumentou o ritmo dando estocadas mais fortes."-Mais rápido."  Ela implorou, delirando.
A mente dele estava nublada, ele não podia aguentar tanto prazer. Começou a gemer palavras desconexas, palavras sujas. "-... preciso ir... mais fundo, Liv!"
Em resposta, ela começou a remexer os quadris contra ele, incontrolavelmente.
Ele estocou profundamente, com força, batendo lá no fundo dela. Ela sentiu toda a sua carne vibrar, seus nervos se contraírem, ele sabia muito bem oque estava fazendo. Ela sufocou e cravou as unhas com força nas costas dele.
Rafael continuou estocando com força, em um ritmo frenético, descontrolado, sem conseguia pensar, estava tão perto.
Olivia  sentiu como se ele fosse parti-la em duas. As ondas estavam vindo de novo, mais fortes ainda. Começou a sentir os choques quentes mexendo com todo o seu corpo, as ondas tão poderosas sacudiram a sua cabeça.
"- Eu vou..." Ela conseguiu gemer, quando arrastou as unhas com mais força. Um prazer tão intenso, as ondas de choque tão potentes sacudiram todo o seu corpo, emanando por todos os lados. Ela curvou as costas o quanto pode e depois mordeu o ombro dele para abafar o grito, seus dentes arrancando picos de sangue das costas dele. Sua mente entrando em colapso.
Ele sentiu as paredes dela o apertarem com força, e ele quase gritou. Continuou tentando empurrar dentro do aperto dela, tentando prolongar o seu orgasmo, até que ele não pode mais suportar , chegando ao ápice. Gozou. Ainda deu duas ou três estocadas mais lentas, enquanto sentia o corpo dela e o próprio corpo relaxar.
Rafael desabou em cima dela, afundando-lhe o rosto no pescoço, tentando recuperar o fôlego. As pernas de Olivia escorregaram das costas dele para a mesa trêmulas. Estava sem fôlego.
Eles se apertaram na mesa, e ele deitou ao de frente pra ela segurando na cintura dela.
"- Você gostou?"
Ele perguntou, apertando ela.
"- Você até que é bom de cama!"
Ela riu lembrando da pergunta que ele lhe fez minutos atrás.
"- Então você gostou do presente?! Ah bom.."
Eles sorriram e ela lhe deu um beijo molhado e lento, saboroso ela diria.
"- É eu gostei! Por que eu ganhei você!"


Notas Finais


Olha, eu sinceramente espero que vocês tenham gostado.
Comentem aqui ou no Twitter: @paholamalta.

Beijinhos da Tia Pao..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...