História Game Over. I Lose. - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Aborto, Bts, Drama, Gravidez Na Adolescência, Min Yoongi, Namjoon, Sexo, Suga, Yoongi
Exibições 585
Palavras 2.496
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiiii pessoinhas!
Pensem numa garota tonta? Sim, sou eu!
Esqueci o capítulo prontinho no meu computador do trabalho. Era pra eu ter postado terça-feira, maaas esqueci.
Enfim. Foi bom pq ontem adiantei o próximo capítulo. Espero que não me matem.
* Alguém tenha compaixão de mim e se ofereça pra fazer uma capa decente pra essa história, pfv *-*

Capítulo 21 - Cap XVIII


Fanfic / Fanfiction Game Over. I Lose. - Capítulo 21 - Cap XVIII

Eu tinha chegado do colégio a algumas horas e vi um bilhete no meu quarto de Yang, pedindo para eu fazer algo para Yoongi comer, antes dele sair para o segundo jogo das nacionais. O jogo seria na cidade vizinha e todo o time teria que ir no ônibus do colégio com algumas horas de antecedência do jogo. Como tinham perdido logo na estreia do time, Yoongi passou o dia atrás da casa, treinando algumas cestas. Do meu quarto eu podia ouvir os barulhos que a bola fazia quando encontrava o chão ou a parede. Eu sabia que aquilo era especial para ele e fiz dois sanduíches de atum com um copo de suco de laranja para Yoongi. Sabia que nessa hora ele estava em seu quarto, então subi as escadas carregando seu lanche. Bati na porta levemente e entrei. Ouvi o barulho vindo de seu chuveiro e o chamei, para que ele soubesse que eu estava ali.

- Yoongi-ah? Trouxe algo para você comer. – Coloquei o prato com os sanduíches e o copo de suco na estante que tinha ali e andei por seu quarto.

Tinha um tempo que não entrava ali. As poucas vezes que vim era quando seus pais não estavam em casa e nós dois estávamos cansados de transar no carro. Ele dizia que eu era a única que ele trazia para sua casa, e eu boba, sempre acreditei. Ele dizia que eu era diferente das outras, que eu merecia um garoto bom, que ia me amar e respeitar. No fundo, sempre pensei que fosse ele o garoto que me amaria e respeitaria. No fundo, era ele que eu queria que fizesse isso. Por tempos sonhei em um dia ser chamada de sua "namorada". Sonhei em conhecer seus pais, participar de almoços em família, sair aos finais de semana para namorar, levá-lo para conhecer meus pais, assistirmos filmes coladinhos no sofá.

Sonhei até mesmo no que meu pai diria com ciúmes de sua filhinha "quais são suas intenções com a minha filha?". Minha mãe amaria Yoongi. Faria um bolo diferente toda vez que ele fosse me ver. Ela o adotaria como filho, o mimaria mais até do que a mim mesma. Depois ligaria para minhas tias em Busan e contaria a novidade, que sua primogênita estava com seu primeiro namorado. Minha avó ia ficar doida com a ideia. Sorri sozinha me lembrando dela. Sentia saudades.

- O que foi? Tá rindo sozinha aí? – Yoongi saiu do banheiro com uma toalha amarrada na cintura. Seu peito nu estava molhado, assim como seus cabelos descoloridos. Incrivelmente lindo.

- Não é nada. Eu trouxe um lanche pra você. – Apontei para a estante. – Acho que sua mãe não vai voltar até a hora de você sair.

- Obrigado. – Andou até a estante e tomou um gole de seu suco. Vi algumas roupas e seu uniforme do time de basquete sobre a cama e andei até lá, para colocá-lo em sua mochila. –Tudo bem, não precisa fazer isso.

- Eu te ajudo. Coma seu lanche e se troque. Eu termino isso pra você. – Disse e me virei de costas para ele. Pude ouvir sua movimentação enquanto se trocava, mas me mantive firme para não olhar para trás. Senti o cheiro de seu perfume preencher o ambiente e acabei me virando para ele, vendo-o já vestido.

- Gosta? – Perguntou se referindo ao perfume e eu assenti com a cabeça. Ele veio até mim e borrifou um pouco em meu pulso, sobre as cicatrizes. Aproximou de seu rosto e inalou o cheiro, olhando pra mim. Eu permaneci imóvel e quando abri a boca para falar, não consegui dizer nada. – Promete pra mim que vai pensar no que eu te falei.

- Sobre o que Yoongi? – Minha voz saiu baixa. Ele ainda segurava meu pulso, mas pude sentir seu carinho ali.

- Sobre eu... Gostar de você. – Suspirou.

- Eu já disse a você que gostar não é o suficiente pra mim, oppa.

- Eu... Eu... Aish Hyun-ah. É complicado pra mim. – Admitiu.

- Imagine pra mim, oppa. Se não consegue admitir seus sentimentos, imagine lidar com um relacionamento sério.

- Eu posso provar pra você que eu posso. Por favor, eu só preciso de uma chance. Uma tentativa. – Pediu olhando em meus olhos. Eu suspirei e abaixei a cabeça, então o senti erguendo meu rosto delicadamente. – Eu vou pro jogo, enquanto isso quero que pense, okay? – Perguntou e eu apenas assenti. – Tudo bem. – Sorriu de lado e pensei que ele fosse se afastar, mas senti seus lábios em minha bochecha. Fechei os olhos, sentindo uma vibração pelo seu toque. Suas mãos seguraram meu rosto e ele me fez encarar sua face. Ele se aproximou devagar e selou nossos lábios, desta vez, me beijando de verdade.

Seus lábios se movimentaram lentamente, de forma carinhosa e delicada. Sentia sua respiração tranquila e seus toques seguros e suaves em meu rosto. Ele parecia ter tanta certeza do que queria. Abri minha boca para receber sua língua e quase me desmanchei ao sentir o gosto do seu beijo. Sua língua acariciou a minha e o beijo era proveitoso para nós dois. Esperamos até que o ar acabasse e nossas testas se colassem enquanto buscávamos por ar. Ele beijou minha bochecha novamente e me olhou.

- Vou deixar você acabar de se aprontar. – Eu falei e o vi assentir com relutância.

Saí do quarto de Yoongi e fui para a sala. Liguei a TV e esperei ali até que ele estivesse pronto. Não demorou para que ele descesse com sua mochila. O levei até a porta e esperamos o ônibus do colégio.

- O jogo começa às 7 p.m. Em duas horas chegamos lá. Devo chegar em casa antes da meia noite. Não sei se estarei disposto para ir ao colégio amanhã. Pode pedir uma carona para Namjoon. – Senti o desprezo quando disse o nome do amigo, mas ele tentou disfarçar.

- Tudo bem, não se preocupe. Faça um bom jogo. – Disse o abraçando quando o ônibus chegou. Yoongi assentiu e se dirigiu ao ônibus. Pude ver Hoseok e Taehyung na janela, acenando pra mim, e retribui. Voltei para casa e fui para meu quarto.

Passei a noite trocando mensagens com as meninas e quando Yang chegou, a ajudei com o jantar. Chung-Ho disse que queria que Yoongi se saísse bem, pois sua campanha no campeonato valeria uma vaga na faculdade. Era tarde quando deitei e Yoongi ainda não havia chegado. Mandei uma mensagem para Namjoon, pedindo uma carona para o outro dia e ele concordou. Coloquei o telefone de lado e tentei dormir, mas não conseguia pegar no sono. Foi então que recebi uma mensagem de Yoongi, uma foto sua de cabelo rosa no aplicativo.

Min-Suga: Ganhamos! Fui o cestinha do jogo e essa foi a forma de me agradecerem. Meu cabelo ficou ruim? *foto do capítulo*

Hyun-unnie: Aigoo... Continua bonito :3 Estou feliz por você. Cuidado na volta.

No dia seguinte, quando já estava pronta, fui em direção ao carro de Namjoon. Ele me cumprimentou com um beijo no rosto e seguimos para o colégio. Não havíamos tocado no assunto sobre os sentimentos de Namjoon por mim, apenas decidimos não falar sobre isso.

Cheguei ao colégio e encontrei Lee na nossa sala. As aulas estavam puxadas para mim e sempre procurava ajuda de Lee depois. A realidade era que eu não estava ligando muito para o colégio. Sabia que mesmo se eu me esforçava, ainda ficaria atrasada. Poderia até terminar o segundo ano, mas graças ao bebê em minha barriga, o ano que vem não seria de muita utilidade. Teria que ver Yoongi entrar na faculdade, enquanto eu ficava sozinha com o bebê e seus pais. Não sabia se aguentaria.

- Não acredito que já terminou o teste! Unnie, você sabe que isso vale um terço da nota final. – Lee cochichou quando me viu assinar o teste e entregar pra professora. – Aish, você é impossível.

- Não ligo! – Dei de ombros. Pedi licença para ir ao banheiro e a professora não reclamou. Todos sabiam da minha condição, inclusive os professores. Saí da sala e andei pelos corredores vazios, por causa do horário de aula. Bebi um pouco de água e andei devagar, sem rumo pelo corredor.

- Psiu? – Virei quando ouvi um assobio atrás de mim. Namjoon estava no corredor, encostado em um armário.

- Você me assuntou. – Coloquei minha mão sobre o peito. Num segundo estava sozinha, no outro tinha alguém me vigiando.

- Eu que o diga, você tá parecendo uma garota fantasma andando pelo corredor desse jeito. – Riu vindo até mim.

- Estou cansada da aula. – Suspirei.

- Quer fugir? – Perguntou com um sorriso levado no rosto.

- Não quero te levar pro mal caminho. – Disse o fazendo rir. – Já está acabando a aula, logo vamos embora. – Dei de ombros.

- Vem comigo. – Me puxou pela mão, levando-me para fora do colégio. Contornamos o prédio e fomos até o estacionamento. Andamos até uma macieira grande e antiga que tinha ali e nos sentamos.

-  Vão pensar que eu morri no banheiro. – Ri sentindo o vento balançar meus cabelos.

- Vão relevar você, está grávida. – Riu e eu fiquei quieta. – O que foi? – Percebeu quando me calei.

- Só em pensar que no próximo ano estarei cuidando de uma criança me faz querer sumir. – Suspirei.

- Você não estará sozinha.

- Eu sei, mas quando as visitas forem embora, Yoongi estiver na faculdade, aí serei apenas eu.

- Posso perguntar uma coisa? – Perguntou depois de um tempo quieto e eu o olhei, assentindo logo depois. – Quando você estava no hospital, Yoongi hyung disse que você estava tentando acabar com ele. Ele estava abalado e não falava coisa com coisa. Eu não entendi, mas depois, esqueci de perguntar. Ele não me disse porque você foi parar lá, mas depois de te conhecer um pouco mais, acabei deduzindo.

- O que deduziu então? – Nosso tom de voz era calmo e Namjoon parecia ter medo de falar o que pensava.

- Você tentou abortar? – Perguntou me encarando. Me senti horrível. Acabei por assentir levemente.

- Por inúmeras vezes eu tentei matar essa criança. Tentei descontar nela todas as frustrações e a vergonha que eu passei. Quis tirá-la da minha vida para que no mínimo eu fingisse que nada tivesse acontecido. – Disse, mas não Namjoon não me encarava mais. – Se quiser pensar que eu sou um monstro, tudo bem. Eu acho que fui pior do que isso. – Senti minha garganta concentrar um nó de choro. – Não vou dizer pra você que me conformei com a ideia, mas eu não tenho outra escolha. Eu me conformei com isso. – Confessei.

- Não ama seu próprio filho? – Perguntou, mas ainda não me olhava.

- Eu não sei. Sinto algo estranho toda vez que olho pra minha barriga, toda vez que sinto algo se agitar dentro de mim. E quando vou ao médico, meu coração sempre acelera porque no fundo, eu quero que a doutora diga que ele está bem.

- Não acha que é amor? – Olhou para mim e limpou minha bochecha. Só então percebi que chorava.

- Talvez. – Respondi. – Talvez com o tempo as coisas melhorem para nós. – Coloquei minha mão sobre a barriga. Logo senti a mão de Namjoon cobrindo a minha.

- Dê a ele o que seus pais não lhe deram. Seja melhor que eles. – Disse olhando em meus olhos. Eu abaixei a cabeça, mas ele tocou meu queixo, me levando a olhá-lo. – Você só está com medo de tudo, Hyun. Precisa de proteção. Eu quero te proteger. – Acariciou meu rosto com o polegar e se aproximou de forma lenta. Fechei meus olhos quando Namjoon beijou meus lábios.

Eu senti uma lágrima cair de meus olhos e molhar nossos rostos enquanto Namjoon se movimentava lentamente. Eu deixei que ele me beijasse e acabei me deixando levar. Namjoon era envolvendo e calmo, me transmitia segurança e pude comprovar tudo que ele tinha dito com esse beijo. Sua mão acariciou meu rosto e senti sua língua pedindo passagem de maneira educada. Entreabri os lábios e o recebi, sentindo o gosto de seu beijo. Eu segurei suas mãos que estavam em meu rosto e acabamos por romper o beijo. Eu soltei minha respiração com dificuldade e senti sua testa encostar-se a minha.

- Até quando vai fugir de mim? – Perguntou baixo.

- Não quero te magoar. Eu sou uma bagunça, Namjoon.

- Então me deixe organizar você. – Pediu me fazendo olhá-lo.

- Por que quer fazer isso?

- Porque eu estou apaixonado por você, Ji Hyun.

 

[…]

 

- Ah, oi. Como foi o jogo? – Assustei-me quando entrei em casa e vi Yoongi no sofá, assistindo TV.

- Foi ótimo. – Disse se sentando e vi seus cabelos cor de rosa. Deixei minha mochila de lado e andei até ele, sentando do seu lado.

- Gostei da foto que mandou. – Sorri de lado.

- Gostou mesmo? – Arqueou a sobrancelha e eu assenti. – Eu fui te buscar no colégio hoje. – Disse e eu franzi a testa.

- Foi? Eu não vi você. – Fiquei confusa.

- Mas eu te vi. Estava no estacionamento. Com Namjoon. – Disse e eu tentei conter minha expressão de surpresa. Torci mentalmente para que ele não tivesse visto nada demais. – Pelo visto não deu pra pensar no que eu tinha te falado.

- Yoongi, eu... – Tentei dizer, mas ele me interrompeu.

- Por que você simplesmente não decide o que quer? – Perguntou em um tom não rude, mas sim magoado.

- Por que eu não sei. – Suspirei.

- Mas parece muito bem que você quer o Namjoon. – Acusou e eu me levantei, começando a andar pela sala.

- Não vê que eu não estou em condições de decidir nada?

- Então por que não se afasta dele?

- Por que ele é meu amigo!

- Ele é mais do que isso, você sabe! Pelo menos é o que aparenta ser já que ficam aos beijos por aí.

- Não vou me afastar da pessoa que mais me ajudou nos meus momentos difíceis. – Nessa hora o vi ficar com raiva.

- E eu nunca fiz nada por você, Hyun? É isso mesmo que está dizendo?

- Estou dizendo que não vou me afastar de Namjoon só porque está com ciúmes. – Respondi. – Não é assim que vai conquistar minha confiança. Não é assim que vai me convencer que merece alguma chance.

- E como vou conseguir isso se está o tempo todo colada com ele?

- Moramos debaixo do mesmo teto a algum tempo e até agora você não me mostrou nada. Em poucas horas com Namjoon pude perceber quem ele é de verdade, agora você... – Suspirei. – É a pessoa mais bipolar que eu conheço.

- Dê um tempo pra mim. Apenas nós dois. Prometo se mostrar alguém digno de sua confiança. – Se levantou, pegando minha mão.

- Desculpa, mas não vou facilitar pra você. Vai ter que me provar sozinho. – Soltei nossas mãos e peguei minha mochila, indo para meu cantinho e o deixando sozinho na sala.


Notas Finais


É isso, beijinhos. Amo vocês!!
P.s. MAAAAIS DE 200 FAVORITOOOS? MORRIIII


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...