História Game over, Try Again! - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Andrei Soares "Spok" Alves, Aruan Felix, Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Christian Figueiredo, Depois das Onze, Eduardo Benvenuti (BRKsEDU), Felipe "Febatista" Batista, Felipe Castanhari, Felipe Neto, Felipe Z. "Felps", Gabriel "MrPoladoful", Guilherme Damiani, Gustavo Stockler (Nomegusta), João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Júlio Cocielo, Kéfera Buchmann, Leon Martins, Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Lucas Henrique e Rosane Martins (Casal de Nerd), Lukas Marques & Daniel Mologni (Você Sabia?), Malena "Malena0202" Nunes, Marco Tulio "AuthenticGames", Mariana "Satty" Ferreira (Pense Geek), Nilce Moretto, Patricia "Pathy" dos Reis, Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft, Thiago Elias "Calango"
Personagens Alan Ferreira, Andrei Soares "Spok" Alves, Aruan Felix, Cauê Bueno, Christian Figueiredo, Daniel Mologni, Eduardo Benvenuti, Felipe "Febatista" Batista, Felipe Castanhari, Felipe Neto, Felps, Gabie Fernandes, Gabriel Tenório Dantas, Guilherme Damiani, Gustavo Stockler, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Júlio Cocielo, Kéfera Buchmann, Leon Martins, Lucas "LubaTV", Lucas Henrique, Lucas Olioti, Lukas Marques, Malena0202, Marco Tulio "AuthenticGames", Mariana "Satty" Ferreira, Mike, Nilce Moretto, Pac, Patricia "Pathy" dos Reis, Pedro Afonso Rezende Posso, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Rosane Martins, Thalita Meneghim, Thiago Elias "Calango"
Tags Alan, Baixathentic, Calango, Casal De Nerd, Cellps, Christian Figueiredo, Damiane, Depois Das Onze, Drama, Felipe Castanhari, Felipe Neto, Guaxinim, Gusta, Julio Cocielo, Jvtista, Kéfera, L3ddy, Leon, Malepok, Mitw, Nilce, Pathy Dos Reis, Pipocando, Rezende Evil, Satty, Shipps, Voce Sabia, Yaoi, Youtube, Yuri
Exibições 30
Palavras 1.581
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoas! Antes que me perguntem, sim... Eu vou postar capítulo aqui aleatoriamente! Por que eu tô de férias então eu tenho muito mais tempo livre!
Só isso mesmo para dizer... Ah! E boa leitura!!!

Capítulo 11 - O que-e?


P.o.v Sam(Continuação)

Aí meu deus....era o Léo!

Peguei no pulso dele, sem nenhum sinal de vida, coloquei dois dedos no pescoço dele, nenhum sinal de vida, coloquei a mão no peito dele, sem sorte....

-Eu não-o acredito! Mas como?-Gabriela

-Eu não sei! Não faço ideia de quem poderia ter feito isso!!-Sam

-A gente tem que avisar para alguém... E se tiver um assassino aqui e se ele já não matou mãos gente-e?-Gabriela

Concordei com a cabeça, eu não parava de olhar pro Léo, que cena mais bizzara, eu não me sentia bem em ver as tripas do estômago dele saindo...acho que ninguém se sentiria bem!

A Gabriela estava tentado manter a calma para poder ligar para a delegacia e depois ela iria falar com o pai da Nathália.

Eu estava meio que me sentido mal, o Léo morreu com a gente ainda brigados! Será que ele se matou por causa disso? Será que ele iria se matar só por causa de uma briga?

-Gabi....Eu acho que eu que o matei-Sam

Ela virou o rosto para mim, segurou meus ombros e começou a me sacudir

-COMO ASSIM FOI VOCÊ?-Gabriela

-E-e que a gente teve uma briga e eu não falo com ele desde quarta, eu acho, então... Ah! Eu realmente não sei...-Sam

-Claro que ele não deve ter se matado por causa disso!!-Gabi

-Eh..eu não me mataria por causa disso -???

Eu e a Gabi viramos o rosto, o Léo estava ali parado, depois olhamos para o chão, o corpo do "Léo" continuava lá.

-QUE PORRA É ESSA?-Sam

Ele colocou os braços em volta do meu pescoço e falou:

-É só uma pegadinha que eu descidi fazer com as pessoas que acham esse "meu corpo", vocês são as trigésima e a quatrigésima á caírem nessa pegadinha...-Léo

A Gabi franziu as sombrancelhas e saiu, ela parecia furiosa, já eu queria matar o Léo.

-IDIOTA! EU E A GABI ACHAMOS QUE ERA VERDADE!-Sam

-Eu vi... Achou que eu tinha me matado por você, ah! Tão fofa, mas tão iludida...-Léo

Empurrei ele para longe, eu precisava me acalmar! Por isso descidi ir para fora do prédio, respirar um pouco, só que o Léo me seguiu.

-Hey! Sam, não precisa ficar assim! Foi apenas uma brincadeira...-Léo

-Não foi "apenas uma brincadeira" eu fiquei realmente nervosa!-Sam

Ele consegio me alcançar, colocou a mão na minha cabeça e a outra no meu ombro.

-Sam, olha, me desculpe..-Léo

-Ok, tudo bem, apenas me deixe só..-Sam

Tirei as mãos dele do meu corpo e continuei andando, até que escutei.

-Hm, tudo bem, você prefere ficar com aquele tal de André do que comigo..-Léo

Olhei para trás, o Léo estava com uma cara totalmente estranha, não dava para ver muito bem, pois o casaco que ele estava usando cobria um pouco do rosto...

-Como você sabe sobre o André? Você estava me perseguindo...!?-Sam

-Ham, sim... Mas não vem falar nada.. você stalkeia todo mundo...-Léo

-Hm, sim.. mas eu não fico com raiva quando te vejo falando com outra garota, o André só um amigo, aliás eu acabei de conhece-lo! E se quer saber, eu acho ele bem mais verdadeiro do que você!-Sam

Eu me arrependo de ter falado essa última frase, por que o Léo veio para cima de mim, me encostou na parede e me pegou pelos dois pulsos.

-Entendi qual é o seu joguinho Sam... Como eu pude gostar de você? Sua manipuladora, fria e sem coração... Por isso que você quando bate em alguém, não demostra nenhuma reação, apenas vira o rosto e vai embora! Você é concerteza uma masoquista!-Léo

-Você acha que eu não sinto? Eu fico super mal! Eu não demostro por algo que eu tenho dentro de mim chamado "orgulho", essa droga me faz sofrer internamente, mas por fora o mínimo de emoção que eu demonstro é ....-Sam

Ele me interrompeu.

-Cala boca! Eu não quero escutar o que você tem á dizer, mas vai lá fica com um cara que você acabou de conhecer! Mas eu vou logo avisando, se eu não posso te ter.. ninguém mais pode..-Léo

Eu comecei a me contorcer, eu queria tirar as mãos dele do meu pulso, mas ele as segurava muito forte, desde de quando ele ficou bem mais forte?

-Você não vai conseguir se soltar, eu sou mais forte que você.. eu só nunca usei minha força contra você...-Léo

-Me solta!!!-Sam

Olhei nos olhos dele, estavam ser cor, pareciam melancólicos, mas ao mesmo tempo demonstravam raiva.

-Léo-o?-Sam

Ele não falou nada, apenas sorriu, não um sorriso normal, um sorriso psicopata, um sorriso que ia de uma ponta á outra da boca, ele começou á apertar mais meus pulsos, estava doendo, mas eu não queria gritar, ele começou a apertar mais forte, eu ainda lutava paea não demonstrar expressão, até que eu não aguentei...

-POR FAVOR! PARA TA DOENDO!-Sam

Parecia que ele não me escutava e se escutava, me ignorava, ele pegou algo de dentro do bolso, eu não vi o que era... só depois que ele passou o negócio na minha cara, era uma faca...

-O-o Léo, o que você vai fazer-r? fala comigo..... Onde você arrumou isso? Léo!-Sam

-Eu já falei... Eu não vou te deixar ficar com mais ninguém que não seja eu! E obviamente, você não quer ficar comigo... então acho que nós encontrarmos de novo no inferno... Samantha... -Léo

As palavras que ele disse foram secas, não demonstravam uma única emoção, não sabia que ele era um psicopata... Só sei que depois disso, não tive a mínima reação, eu só  via ele passar a faca entre meus dedos...isso estava me agoniando, por que eu sentia que a qualquer momento ele iria enfiar aquela faca com toda força em qualquer lugar do meu corpo e a última coisa que eu veria era a cara dele de satisfação.

Ele pegou no meu rosto e começou a aperta-lo, para eu olhar para ele e falou:.

-Tem últimas palavras Samantha?-Léo

-Por favor, Léo, não faça isso! Eu faço o que você quiser! Só não me mate...-Sam

Algumas lágrimas caíram do meu rosto, eu estava realmente nervosa.

-Hm, parece que a senhorita Samantha tem sentimentos... Mas tem uma coisa que você pode fazer para se manter viva...-Léo

-O que-e?-Sam

-Seja minha escrava-Léo

Ele sorriu de novo daquele jeito estranho, caralho... Eu prefiro morrer.

-Apenas diga pros meus pais que eu os amava muito...-Sam.

-Oww! Que doce, quase tive pena de você, boa noite Samantha, foi bom ter te conhecido, você nem sabe o quanto eu bati algumas para você...-Léo

-QUE-E?-Sam

Depois disso eu vi a faca vindo na minha direção, eu fechei os olhos, iria doer, pela primeira vez estava num estado de "morte ou morte"...e agora? Eu deveria aceitar, não tenho mais o que fazer, ele estava me prendendo, eu só pensava nós meus pais, eu iria morrer brigada com eles, iria morrer mentido para eles... Quando eles descobrissem, não teria nem pena de mim, acho que apenas um desgosto extremo.

Passaram cinco minutos, eu estava de olhos fechados, nada acontecia, abri um dos meus olhos, ele me encarava como se ele fosse ter um ataque de riso, como se tudo que estivesse acontecendo fosse uma grande piada...

Ele soltou os meus pulsos e falou:

-Agora você acredita em brincadeiras? Deveria ter visto sua cara...-Léo

Senti um ódio subindo pela minha garganta, eu fiquei sem reação, eu queria chorar depois dessa, mas eu apenas sai correndo, ele não foi atrás de mim ficou parado no mesmo canto com um sorriso inocente...

Eu abri meu celular e pedi um táxi, eu não sei o que eu estava sentido, eu estava com raiva de toda a situação, mas ao mesmo tempo estava feliz por não ter morrido.

O táxi chegou, eu dei o endereço da minha casa.

~Alguns minutos depois~

Eu estava subindo o elevador do prédio, eram uma da manhã, o elevador parou no meu andar e se abriu, andei pelo corredor até chegar na porta do apartamento, lá peguei a chave debaixo do carpete e abri a porta.

Me deparei com meu pai sentado no sofá, parecia bravo, eu não estava mais nem aí para nenhum castigo! Eu só queria ver meus pais de novo, ele olhou para mim e começou a gritar:

-SAMANTHA! VOCÊ NÓS DESOBEDECEU! COMO PODE? EU FIQUEI SUPER PREOCUPADO QUANDO EU ABRI A PORTA DO SEU QUARTO E NÃO TE VÍ...-Mike

Eu caí nos braços do meu pai, comecei a chorar e a soluçar.

-Me desculpe-e, me desculpe-e, pode me por de castigo pro resto da minha vida-a!-Sam

Meu pai estava bravo, ele me abraçou, ele percebeu que algo havia acontecido comigo, até por que as marcas no meu pulso não deixavam eu mentir de qualquer jeito e nem era preciso.

-Sam? Você está machucada? O que é isso no seu pulso?-Mike

-Pai! Foi o Léo...-Sam

-Que-e? O que ele fez?-Mike

Eu contei toda a história para ele, meu pai ficou com mais raiva ainda, eu já estava pensando que ele ia explodir... Meu pai é bem calmo, mas quando ele fica com raiva...

-EU REALMENTE NÃO ACREDITO QUE ELE FEZ ISSO COM VOCÊ!....-Mike

Os gritos do meu pai acordaram "minha mãe" que veio sonolento em nossa direção.

-Hm? O que está acontecendo aqui?-Pac

Eu o puxei para o abraço, o meu pai começou a contar toda a história, enquanto "minha mãe" passava a mão na minha cabeça de leve para me acalmar.

Ele assim como meu pai, fechou a cara, mas mesmo assim ainda demostrava bastante pena por mim.

-Ei filha, você está bem? Ainda dói?-Pac

-Sim, dói-i muito!-Sam

"Minha mãe" foi pegar gelo na cozinha, quando voltou, me perguntou:

-Onde dói?-Pac

Apontei para o meu coração e falei:

-Aqui...-Sam

Me deram mais um abraço, eu não aguentava mais tantas emoções que eu caí de sono nos braços dos dois.

Na minha memória a cara do Léo continuava passando, era como uma tortura, mas mesmo assim eu consegui dormir, talvez por causa que eu me sobrecarreguei com emoções, talvez por puro cansaço mesmo, mas de uma coisa eu tenho certeza...

Eu odeio o Léo.


Notas Finais


Tchau pessoas! Espero que tenham gostado!
(só eu meio que fiquei "mexida" depois desse capítulo que eu mesma escrevi? Aí ;-;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...