História Gangnam Services - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Baekyeol, Byun Baekhyun, Chanyeol, Kris, Kyungsoo, Luhan, Suho
Exibições 99
Palavras 3.089
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Lemon, Poesias, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Uma semana depois...
Como prometido!😍❤




Vejo vocês nas notas finais.
Boa leitura!🌚

Capítulo 8 - Reencontro


Fanfic / Fanfiction Gangnam Services - Capítulo 8 - Reencontro

"As escolhas são uns dos bens mais preciosos que o homem possui. Afinal, com o livre arbítrio, ele toma decisões que sempre influenciaram em seu destino. Atitudes essas que também são tomadas no amor.
O amor pode acontecer por acaso, mas também pode se escolher amar alguém. E quando se escolhe, passasse a procurar qualidades para admirar, e não defeitos para julgar." - L.Y








Receio. No dia seguinte, Baekhyun havia acordado ainda receoso do que poderia ocorrer ao encontrar novamente com Chrisyeol. Ele pensava em muitas coisas que poderiam acontecer, mas nada era o suficiente para lhe tranquilizar. Ele tinha muitas dúvidas, entretanto tinha a certeza de uma coisa. Ele não iria desistir daquele reencontro.

Era sábado, e Byun tinha um evento de trabalho para ir. Na verdade, era um almoço de negócios proporcionado pela a mais nova empresa do mercado, a Company Tec Innovation, a  mesma era a promessa de sucesso do ano. Com a especialidade na área de softwares, o trabalho só estava crescendo e sendo muito bem sucedido, surpreendendo a todos.

O milionário não estava com vontade de ir, mas como havia dado sua palavra de seu comparecimento, não iria fazer a desfeita.
Por isso, próximo às 10hs da manhã começou a se arrumar.

Com sua simplicidade em questão, escolheu apenas uma camisa social azul bebê e em conjunto com a mesma, calça  e sapatos pretos também sociais. Ajeitou o cabelo de uma maneira preguiçosa, porém bonita. Com as madeixas para trás, por isso precisou de um pouco de gel e spray para conseguir que o seus fios, que beiravam os olhos, ficassem todos arrumadinhos da forma que gostaria, e assim o fez.
Passou um pouco de maquiagem só pra esconder a leve olheira que adquirira decorrente de uma noite de sono mal dormida. E também porque no dia em questão, hoje, Byun não estava tão seguro de si.
Entretanto, o que deixava o empresário realmente lindo era a sua simplicidade, pois a sua beleza era simplesmente natural.

(...)

As 11:30h, como sempre pontual, Baekhyun adentrava aquele salão onde já podia reconhecer alguns rostos e outros nem tanto, havia ali tanto orientais quanto ocidentais. E esse tipo de convívio, Byun já havia se acostumando, já que o seu trabalho lhe demandava muitos estrangeiros.

- Olá Byun, não esperava você comparecer neste evento.. - disse Suho se aproximando surpreso ao ver o amigo ali, logo o cumprimentando.

- Olá, pois é, foi uma decisão meio que de última hora. - confessou.

- Venha pegue uma bebida, daqui a pouco o almoço será servido.

E assim Baek fez, acompanhado o amigo. E começaram a conversar sobre assuntos que tratavam dos seus trabalhos, sobre ações, dólar e tals.

- Onde está Jongdae que ainda não o vi? - Baekhyun perguntou curioso.

- Bem, ele está logo ali em frente, olhe. - Suho falou apontando para o outro amigo. Byun seguiu com olhar para onde o outro havia apontado.

- Ah, verdade! E eu já tinha olhando para lá e não o tinha visto. - os dois riram do comentário de Baek. - Quem é aquele que está conversando com ele? - Byun pergunta curioso olhando para um homem, que até então ele ainda não o tinha visto.

- Omo! Você não sabe quem ele é? -  Suho questionou incrédulo. E viu seu amigo negar de forma simplista com a cabeça. - Quer dizer que você vêm há um evento sem saber quem é o anfitrião? - ironizou rindo logo em seguida vendo Byun ficar mais confuso. - Ele é o CEO da empresa Company Tec Innovation.

- Nossa, sério?... Ele aparenta ser novo. - Baek concluiu pensativo.

- Na verdade ele é, mas para ele chegar onde chegou, sua inteligência é facilmente perceptível. Eu já conversei com ele, e o mesmo fala com uma maturidade sem igual que acaba por parecer mais um hyung.

Baekhyun ouviu tudo aquilo impressionado e analisando a figura do mesmo a sua frente.

- E como é o nome.. - fora interrompido.

- Oi Byun, que bom te ver por aqui! - O baixinho estava tão distraído que nem viu a conversa do outro com Jongdae cessar e o amigo se aproximar.

- Ah, oi.. ~ riu sem graça. ~ Pois é, eu resolvi aparecer.

- A gente estava falando sobre o CEO da empr.. - Suho não conseguiu concluir sua fala, pois o mesmo foi interrompido pelo anúncio de que o almoço já seria servido e que todos que estavam ali podiam se acomodar nas mesas redondas que haviam espalhadas pelo salão. E em cada cadeira tinha a devida identificação daqueles que estavam presentes. E por sorte os amigos ficaram na mesma mesa com mais algumas pessoas.

No tempo seguinte eles degustaram da alimentação e conversaram coisas interessantes entre si, socializando de uma maneira muito amigável e descontraída.

~~

Baekhyun ainda ficava muito surpreendido com a maneira que o prostituto, com apenas um encontro, conseguiu mudar muitas coisas em sua vida.

Vejamos. Byun não tinha amigos, por ser uma pessoa extremamente reservada, e hoje ele têm. Byun se sentia inseguro em relação a sua sexualidade, hoje ele assume que o que lhe agrada são homens, assim como ele. E também, Byun nunca tinha tido uma experiência tão prazerosa em sua vida, e aquele puto o havia proporcionado isso.
Realmente, o mundo até então estável de Baekhyun, estava definitivamente de cabeça para baixo agora.

- Ah, Jongdae.. - Baek chamou o amigo que estava ao seu lado em um sussurro, que logo lhe deu atenção. - Eu acho que não tô me sentindo muito bem.. - ele falava sincero.

- O que você tem? - Jongdae perguntou preocupado.

- Eu estou me sentindo enjoado.. acho que é gases, a comida está se embrulhando em meu estômago. - confessou com certa aflição, e sentindo suas bochechas esquentarem por vergonha da situação.

E realmente estava, Byun se deu o luxo de acordar tarde e acabou por não tomar o valioso café da manhã. Chegou na festa e encheu-se de bebida gelada e logo almoçando, só poderia resultar em enjoo e dores abdominais, por gases.

- Ah entendo, você precisa tomar algum medicamento.

- Eu vou indo então, passo na farmácia e vou pra casa descansar.

- Certo, faça isso. Você vai melhorar!

- Bem aconteceu um imprevisto e eu vou ter que me ausentar. - Revelou Byun se levando.

- Poxa, por quê? Você não vai nem ver o pronunciamento do CEO? - perguntou Suho.

- Ah, pois é, é que realmente não vai dar. - disse constrangido. - O Jongdae pode explicar o motivo pra você depois.

- Ah sim, tudo bem. Se cuide!

Com a deixe, Byun se retirou na festa, nem podendo presenciar o pronunciamento daquele que de certa forma chamou sua atenção, e assim saber quem ele era. Mas agora o milionário não estava com cabeça para pensar nisto, já que os sintomas estavam piorando e ele sentia que poderia vomitar a qualquer momento.
Por isso, parou na primeira farmácia que encontrou pelo caminho, comprou o remédio e se medicou ali mesmo. Após isto, se encaminhou para seu apartamento, adentrando no mesmo e indo em direção ao seu quarto, se jogando em sua cama. Aquilo de certa forma serviu como um alívio instantâneo para si.

A comida do almoço estava muito gostosa, o que deixava Baekhyun amargamente arrependido de não ter tomado o bendito café da manhã, e por consequência disto, ter desperdiçado aquela comida maravilhosa e ter saído daquele lugar às pressas.

(...)

Já tardavam as quatro horas da tarde daquele dia e Baekhyun despertou assustado. Afinal, nem ele sabia em qual momento exato dormiu. Mas, o mesmo acordou muito melhor e mais disposto.

- Ain droga, o encontro! - Choramingou sentado em sua cama de maneira preguiçosa lembrando. - Que merda Baekhyun! Você bem que poderia nem 'tá passando por tudo isso! - ele realmente se sentia irritado com isso tudo. - Confusões idiotas!

Levantou emburrado batendo os pés até o banheiro de seu quarto. Lá tomou um banho bem demorado, com a água levando consigo para o ralo todo resquício de desistência que pudesse existir no milionário. Mas ele havia tomado uma decisão, e não voltaria atrás.

Ao sair do banho, com seu celular em mãos procurou na agenda um contato - que o mesmo ainda não sabia por que exatamente havia salvo, apenas salvou - e apertou em efetuar a ligação. E como da primeira vez ligando para aquele número, Byun estava com o coração nas mãos e ao mesmo tempo querendo morrer de tanto que estava nervoso.

~Tuuum

- Gangnam Services, da sua Satisfação ao seu Prazer, Boa tarde!

Definitivamente, Baekhyun poderia escutar aquele lema um milhão de vezes, mas ele iria se constranger em cada uma delas. "Meu senhor, não pensei que me atenderam tão rápido assim!" Baek pensou

- Bo-oa tarde... - Falou timidamente.

- Como podemos lhe ajudar senhor?

- Bem, e-eu gostaria de contratar um rapaz. - Foi direto. Não tinha porquê fazer rodeios.

- Okay. Você tem algum de sua preferência?

- Eh, bem, na verdade eu tenho..

- E como é nome do rapaz que você deseja contratar?

- Chrisye- Byun até iria continuar o nome, mas se lembrou que 'Chrisyeol' era a forma que o prostituto pediu pra ser chamado e não era seu nome profissional. - Não, quero dizer Chris. Apenas Chris.

- Ah sim, Chris. Eh! Ele realmente está em seu melhor momento! - a pessoa do outro lado da linha comentou.

"Como assim 'em seu melhor momento'? Então é por isso que ele não me procurou? Por acaso ele é algum produto para estar em alta no mercado?" Byun pensou consigo um pouco triste (talvez) e indignado. Mas de certa maneira, o prostituto era como se fosse um produto mesmo, ele era pago para prestar seus serviços. Era como se as pessoas o comprassem para ele dar o que tinha de melhor.

- Você tem alguma hora ou data específica? - Baek foi retirado de seus devaneios.

- E-eu q-quero que seja ainda hoje...

- Hum, entendo. Mas sinto lhe informar que o único horário que o nosso rapaz está disponível hoje é às 20h, com 30 min de serviços apenas. Tudo bem pra você?

O que? Quer dizer que o prostituto estava mesmo sendo tão cobiçado assim? Foi instantâneo Baekhyun pensar nisto. "Okay. Se eu não fizer isso hoje, eu não farei outro dia. Trinta minutos é o suficiente para eu tirar essa história a limpo!" Concluiu.

- Tudo bem, eu aceito.

- Certo então! Local de encontro?

- Aos redores do distrito de Gangnam.

- Tudo bem. Como você já deve saber, o contrato é efetuado diretamente com os nossos rapazes.

- Sim, okay.

- Apenas isso senhor?

- Si-im, é isso.. - respondeu com pouco de insegurança.

- Então, a Gangnam Services agradece pela sua preferência, e não  se esqueça: é Da sua Satisfação ao seu Prazer! Boa tarde!

- Boa tarde.

Era isso. Não tinha mais volta. Agora estava confirmado. Byun Baekhyun iria reencontrar o prostituto. Aquele o qual mexeu com a sua cabeça de uma tal forma que o mesmo não podia dizer que o que aconteceu entre os dois foi uma transa casual.
Em sua mente tinha muitos pontos de interrogação. E ele precisava esclarecê-los.
Tinha Byun se iludido na esperança que o puto fosse atrás de si? Ou por quê diabos ele não havia recebido aquele maldito dinheiro??
Com toda certeza, se aquele infeliz, Chrisyeol, tivesse ido embora com o dinheiro em mãos, e sem deixar nenhum bilhetinho com a frase sugestiva 'Nos vemos em breve', Baek entenderia que aquilo não passou de uma simples transa. Mas isso não aconteceu. E agora o milionário iria esclarecer tudo o que estava obscuro em sua vida. Amém!

(...)

De modo inseguro Baekhyun se arrumou. Não sabia exatamente o que vestir. Afinal, ele não sabia o que iria acontecer e nem o que iria falar ainda para o contratado. O que não ajudou muito na escolha de sua vestimenta. Então Byun, com sua simplicidade sem igual, optou por apenas se agasalhar adequadamente, já que naquele início de noite, Seul estava muito fria. Preto foi a cor por acaso escolhida de toda sua roupa. Tênis, calça, camisa, jaqueta, cachecol e touca. Nada incomum.

Mas em tudo aquilo havia uma coisa que estava incomodando Baekhyun extremamente. Como ele iria encarar Chrisyeol sabendo que o mesmo horas antes havia se deitado com outra pessoa e que meia hora depois se deitaria com mais outra?!

- Aish!! Por quê eu fico pensando nessas coisas idiotas! - Baek exclamou batendo na própria testa e se olhando no espelho. - É meio óbvio. Ele é um prostituto Baekhyun! Um prostituto! Garoto de programa, gigolô, puto! - falava encarando seu reflexo, na esperança que entendesse aquilo. - É seu trabalho. Apenas seu trabalho! - respirou fundo fechando os olhos, para poder dar continuidade sem sua fala. - Okay, tudo bem. Isso não vai ser tão difícil... Eu vou ao seu encontro, o cumprimento formalmente, digo que só quero lhe fazer uma pergunta. 'Por quê não recebeste o porcar-’ Não, não, sem se exaltar Baekhyun. Novamente. 'Chris, por quê você recusou o
dinheiro?' Isso! - comemorou. - Depois de receber sua resposta irei o pagar e ir embora. Pronto, simples assim. Está ensaiado. - concluiu o milionário. - E dessa vez, nenhum dumbo de dois metros de altura vai mudar meus planos!

Agora Baekhyun estava mais certo que nunca. Por isso, pegou seu celular, a sua carteira e a chave do carro e se encaminhou de encontro ao mesmo. Eram 19:20, até o local marcado gastava-se 25 minutos de seu apartamento, e assim Byun teria de sobra 15 minutos para procurar o prostituto se fosse preciso. Como sempre, pontual

(...)

O milionário quando chegou na rua em questão, estava sentindo um misto de coisas que não sabia definir cada uma delas individualmente. E por quê? Porque Baekhyun estava sentindo tudo o que poderia sentirem sua vida toda.
Ele estava nervoso? Sim, muito!

Ele estava sentindo o ambiente do seu carro mais quente do que deveria. Estava com "dor de barriga". Sentia que podia vomitar a qualquer momento e também sentia todos os pelos do seus corpo se arrepiarem. Pqp, aquilo era bom ou ruim? Baek só queria que tudo acabasse logo.

Com a velocidade reduzida de seu veículo, o empresário já por alguns minutos procurava o prostituto ao longo de toda aquela rua. Já chegando no local em que Baek o encontrou da outra vez, esclamou quando não avistou o prostituto ali:

- Mas que porra! Onde esse filho de rapariga se meteu?! - Com a pressão que estava sentindo, foi impossível não se estressar, mas isso não evitou que o mesmo continuasse o percurso ainda bufando.

Porém, todo aquele misto de sensações foram embora quando mais a frente o milionário avistou aquele o qual procurava. Chrisyeol.

- Meu seor! É ele! - falou tomando um leve susto que o fez parar o carro instantaneamente. - Calma Baekhyun, calma. - falava procurando agora normalizar a respiração e as batidas de seu coração, com a cabeça baixa.

Voltou a analisar aquele que agora estava despertando em si outros tipo de sensações.
Cara! Como ele conseguia? Como ele tinha esse poder sobre Baekhyun? Mesmo sem fazer nada, aparentemente, conseguia dominar os sentimentos do empresário.
Não, 'pera. O que? Sentimentos ? Como assim?
Mas o que exatamente Byun estava sentindo? Aquelas famosas borboletas no estômago que os filmes românticos costumavam mostrar e que Baek evitava assistir por achar que nunca passaria por aquilo. Uma vergonha repentina. Suas mãos formigavam e o mesmo começava a suar de uma maneira descomunal.

Baekhyun então se lembrou do que TaySung tinha lhe falado. "Mas seu coração vai certificar em você se está apaixonado sim ou não pelo mesmo quando, vocês se encontrarem novamente".
O que o seu coração estava tentando lhe dizer? Ele não conseguia decifrar? Ou será que não que não queria entendê-lo?
Em meio a tudo aquilo Baekhyun conseguiu sorrir. É. Ele realmente estava apaixonado pelo prostituto? Sim estava.

Os dias após aquele encontro que mudou a vida do milionário, foram tão confusos e tristes. Baek queria encontrá-lo novamente. Ele só não admitia para si mesmo. Mas agora ali, vendo o mais alto de longe, sentindo o que nunca sentiu antes, o que era estranho e bom ao mesmo tempo, Byun tinha a certeza que estava apaixonado por aquele dumbo orelhudo. Aconteceu apenas.

Ao contrário do interior do carro que estava quentinho pelo aquecedor do mesmo, lá fora fazia frio. E por conta disso Chris estava literalmente todo empacotado. Com roupas de frio, e em seu rosto tinha uma máscara preta que os asiáticos costumam usar por conta da poluição  (?). E o mesmo usava um boné. Ele estava estiloso. Baekhyun abriu mais o sorriso em seu rosto. O prostituto estava lindo.

- Ai caramba, ele deve estar morrendo de frio! - falou depois que viu o mais alto abraçar a si próprio na tentativa de se esquentar de alguma maneira.

Voltou a dirigir o carro, se aproximando timidamente do outro. O que fez que rapidamente o prostituto notasse o seu carro. Como algum tipo de sinal Baek sem pensar direito jogou luz alto para Chris, e isso foi a deixa para que ao mesmo tempo que o carro fosse de encontro ao prostituto, ele também viesse de encontro ao carro. Isso só fez com que o coração de Baekhyun acelerasse mais ainda, porém o mesmo prosseguiu firme e parou o carro ao lado do contratado destravando as portas.

Sem delongas o prostituto entrou no carro já se acomodando. Afinal, no ambiente exterior estava frio e a primeira coisa que passava em sua mente era se esquentar o mais rápido possível.

Baekhyun não pode evitar olhar tudo aquilo como uma garotinha com uma expressão boba e apaixonada no rosto. Admirando aquele que estava ao seu lado. Aquele pelo qual esperou rever em um mês inteiro,  que pareceu para si como uma eternidade. Que mudou sua vida para sempre. E que agora admitia está apaixonado pelo mesmo.  Chrisyeol. Ele estavam ao seu lado. Muito próximo.

- Ah me perdoe pelos meus modos, boa noite! - Enfim o prostituto falou sem graça olhando para o contratante.

Paralisou. O milionário não teve outra reação a não ser esta. Ele estava assustado e ao mesmo tempo surpreso. Como isso poderia ter acontecido? Não poderia ser. Baekhyun não conseguia acreditar.



- E-essa, essa voz nã-. V-você n-não é o Chris!






~


Notas Finais


Entãoooo...
Não me matem (?).
Kkkkk

Posso dizer que trollei até a @JBaby, falei que ela iria beter a fanfic, mas aqui estou eu....fazendo ela ler essa capítulo junto com vocês.
Sofrendo junto com vocês..😈❤
DongSaeng Ale💖😂

Kkkkkk

Pois é neh, oq foi esse capítulo?
To processando ainda!

Vocês tem duas pessoinhas pra descobrir quem são nesse capítulo.
Me digam la nós comentários quem vocês acham que são.
1) O CEO da empresa nova.
2) E esse prostituto ai... 🌚(adoro) kkk

Sem dicas.

E me comentem oq estão achando. Seu dramas e suas afeições!❤
Amo os comentários de vocês! SÉRIO!😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...