História Gangsta - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Hot, Incesto, Lemon, Luta, Originais, Romance, Shotacon, Violencia, Yaoi
Visualizações 56
Palavras 1.806
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Survival, Terror e Horror, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpaaaaaa! Eu sei que tô atolada em histórias, mas, eu consegui encaixar essa, que deve sair um novo capítulo uma vez a cada duas semanas. Mas, bem...
Boa leitura, meus muchachos!

Capítulo 1 - Prólogo


"Eu preciso de uma gangster, para me amar melhor do que os outros amam... Que esteja comigo, que me perdoe... É isso que os gangsters fazem... Estou ferrado, e machucado... Eu vivia, por puro abuso. Eu tenho segredos que ninguém vai saber, nunca vão saber... Eu sou bom, na sedução, eu não preciso pensar de novo, quero que me leve a lugares que ninguém vai saber, ninguém vai saber... Você me deixa excitado... Você me leva às alturas e depois me deixa achatado... Por favor não me deixe, não me deixe... Eu preciso de um gangster..." ~'Gangsta', Kehlani Parrish (Suicide Squad)

⇨Shion POV

Era uma noite normal... Bom, para mim, uma noite normal é uma noite em que estou em casa, ouvindo as milhares de reclamações do meu pai. Ele simplesmente me odeia, como todos ao meu redor... Eles não me perdoam.

Ah, esqueci de me apresentar, sou Shion Beene, tenho dezesseis anos.

.

.

.

Estou em meu quarto, deitado na cama, esperando meu sono chegar. Enquanto isso, lhes contarei mais sobre mim. Eu ainda estou no último ano do colégio, mas, já tento entrar em uma faculdade. Vocês devem estar pensando que sou novo demais para isso, certo? Bem, eu não posso mentir, sou realmente inteligente, por isso, pulei algumas séries. Eu pensava que daria orgulho ao meu pai... Porém, ele me culpa por sermos assim... Pobres.

Antes de eu nascer, meus pais fizeram uma aposta de cavalo, onde só pessoas ricas e poderosas faziam. Porém, a aposta só seria ganha por eles se eu fosse uma menina, e como muitos de vocês já sabem, quando se perde uma aposta de cavalo, você perde muito dinheiro. Mais muito mesmo. E foi o que aconteceu. Quando viram que eu era menino, meus pais tiveram que dar milhões para o ganhador da aposta, consequentemente, essa pessoa levou todo o dinheiro de minha família.

Hoje, eu e meu pai vivemos nesse minúsculo apartamento, na parte pobre da cidade. Bem, sobre minha cidade, ela é grande e rica, porém, cheia de perigos. A maioria das pessoas ricas da cidade, são chefes de máfias, ou corruptos... E eu obviamente moro na parte pobre da cidade... Era normal enquanto caminha à noite ser atingido por uma bala perdida, ou ser assaltado, ou simplesmente ser parado por uma prostituta oferecendo seus serviços sujos. Olha só quem fala...

Amanhã, tenho uma prova de seleção para a bolsa integral de uma das mais renomadas faculdades do estado. Ela era de grande excelência, faculdade particular só para filhos de pessoas importantes, ou muito ricas. Mas, estou determinado em conseguir a bolsa de estudos, como sempre, estudei bastante nessa prova, eu não vou para perder.

Sinto uma pontada de sono, e minhas pálpebras começam a pesar... Logo, eu adormeço.

.

.

.

⏩⏩Quebra de tempo~

▷Dia seguinte (25/03), 05:42 a.m.

Acordo cedo, sendo acompanhado pelo lindo nascer do Sol. Levanto-me, indo em direção ao único banheiro do pequenino apartamento que divido com meu pai. Faço minha higiene matinal, tomo um banho de ducha, e saio de toalha para meu quarto.

Ao entrar no meu quarto, faço o que faço todos os dias: dou um leve selar no meu colar de pedra-da-lua... Uma lembrança única, de minha amada mãe. Eu nunca o tiro. Meus olhos logo se inundaram com lágrimas salgadas e cristalinas.

Logo meus pensamentos se focaram em uma pessoa: Logan Beene, meu irmão mais velho. Eu nunca o conheci, muito menos o vi. Tudo o que sei sobre ele, é que ele é sete anos mais velho, e que foi expulso de casa quando tinha dez anos. Bem, eu não me lembro dele, pois eu era muito pequeno, e papai não especificou o motivo dele ter sido expulso. Mas, isso não me importa.

.

.

.

⏩⏩Quebra de tempo~

▷No caminho para a escola, 6:31 a.m.

Eu estava caminhando para a escola, vestido com o uniforme comum de lá. E hoje eu me produzi mais um pouquinho, afinal, farei uma prova importante, e não seduzir homens.

Isso mesmo, eu sou gay... Algum problema?! Bem, você pode não ter, mas esse é o motivo pelo qual os outros garotos da minha escola ficam me zoando e caçando de mim.

Embora que, fora da escola, eu atraia muitos olhares maliciosos e maldosos de homens mais velhos, a maioria em torno de vinte anos. Eu sei que essa frase pode parecer meio oferecida, mas, eu sei o que tenho para oferecer e o que não tenho. Eu sou meio gordo, embora, quando eu receba alguma cantada boba de alguém, essa pessoa me chame de "gostoso" ou "delícia", eu sei que não é pra tanto. Eu sou só uma distração, eu sou bom na sedução.

Bem, eu não diria exatamente sedução, mas, é verdade. Eu sei o que significam esses olhares maldosos... E eu gosto disso?

É uma sedução involuntária. Tento a cada dia ficar mais longe disso. Não quero parecer uma cadela no cio. Não estou desesperado.

Cheguei na escola e passei pelo corredor, ouvindo algumas pessoas conversarem entre si, formulando boatos e mais boatos sobre mim. O que eu fiz?! Eu mereço isso? Eu preciso do perdão dessas pessoas? Ou melhor, eu preciso pedir perdão por algo que não fiz?! Fala sério.

Entrei em minha sala, me sentando em minha carteira no fundo da sala. Alguns olhares caíram sobre mim, e logo a pessoa que eu mais odeio na escola veio me atormentar: James Nikwoo. Ele é dois anos mais velho, e implica comigo pelo fato de eu ser gay... Isso é errado?

– Beene! Quanto tempo! Como foi seu final de semana, bichinha? – Ele disse me provocando. Por que ele sempre faz isso? Eu já vi ele se agarrando com alguns homens, por que eu não posso ter sexualidade aos olhos dele? Sempre que algum cara chega perto de mim, tentando me cortejar, e eu acho que posso ter uma chance de encontrar alguém que realmente queira tentar algo comigo, ele chega e estraga tudo. Ele espanta qualquer cara que venha falar comigo, como se fosse eles fossem galinhas. Parece que ele não quer me ver feliz. Ninguém pode chegar perto de mim por causa dele... ARGH! Que raiva! Estou preso em um paradoxo!

Mas, o que eu posso fazer, certo? Todos me odeiam. Ninguém me perdoa por tentar ser feliz...

– Ótimo, James. E o seu? – Perguntei ironicamente, mas com um certo medo na voz.

⇨James POV

Shion me perguntando como foi meu final de semana? Estou progredindo?! Espero que sim... Eu me sinto em um paradoxo...

– Melhor que o seu. – Bem melhor que o seu... Consegui tirar uma foto sua que ficou linda no meu quarto...

Loucura? Não, é só necessidade.

Vocês devem estar pensando que sou meio idiota por tratar a pessoa que eu gosto tão mal assim... Bem, meus 'amigos' são todos héteros, e para eu não ficar de fora do "grupo dos populares da escola", finjo que não sou gay...

E pode ser meio contraditório, mas, sempre tento fazer ciúmes no Shion... Vai que ele sente o mesmo por mim? Quase impossível, mas ele é tão fofo, que vou pensar nisso mais tarde. Sempre que vejo algum folgado chegando perto da minha propriedade (isso mesmo, considero Shion como meu, quer tentar chegar perto dele?), eu corro para afasta-lo o mais rápido possível... É nessas horas que sempre planejei me declarar para o pequeno Shion, mas, eu não consigo! Ele me deixa tão nervoso, quente... Excitado... Eu o terei para mim.

.

.

.

⇨Shion POV

A aula passou normalmente, e vez ou outra eu sentia olhos sobre minha pessoa. Tem alguém me olhando durante as aulas...

O sinal da última aula bateu, guardei minhas coisas, e fui em direção ao portão da escola, saindo da mesma e indo para casa. Logo quando entro, vejo uma mulher —que por sinal era uma prostituta—, saindo da sala, pisando forte... Parecia furiosa. Ela passou por mim esbarrando em meu ombro como se eu fosse lixo... Quem ela pensa que é? Eu hein...

Adentrei mais o cômodo, ouvindo a voz enfurecida de meu pai falando, ou melhor, gritando com alguém... O que eu fiz pra você, 'carinha aí de cima?

– Cheguei... – Falei desanimado entrando mais no cômodo, até eu conseguir ver um homem, pouco mais alto que meu pai. Ele tinha cabelos negros, quase azulados, e seus olhos eram escuros, em uma cor enigmática. Ele trajava uma roupa que lhe dava poder, elas eram de marca, parecia ter muito dinheiro... Ou seja, realmente uma perdição, pra qualquer vadia interesseira.

Ninguém me deu atenção de imediato, mas quando fingi uma tosse, meu pai me olhou, tentando se recuperar da recente gritaria, enquanto o "Senhor Sabichão" me olhou de relance. Agora, pude notar com mais clareza a cor dos olhos dele. Antes, eu só os tinha visto de canto de olho, sem me importar com detalhes, agora, noto que são de um preto meio azulado intenso... Igual ao de seus cabelos. Espera, tem algo nele... Nah! Não pode ser isso... Ou pode?

– Vejo que chegou, tampinha... – Como é que é?! Tá, agora o Senhor Sabichão me atiçou! Isso é bullying! Eu não sou baixo! Eu... Eu sou um pouco baixo-estruturado! Argh...

Ele pareceu perceber meu desconforto.

– Pai, o senhor pode me explicar o que está acontecendo, e por quê uma mulher saiu daqui igual uma lebre no cio?! – Perguntei com meu incrível sarcasmo, enquanto o Senhor Sabichão ria de meu humor. Meu pai suspirou, como se eu fosse a maior decepção de todas... E nos olhos do meu progenitor, eu sou...

Logo, ele se pôs a falar, enquanto o mais alto dali ria baixinho, mas eu ouvi... Idiota...

– Olha aqui, eu não te devo explicações, – Falou grosseiro, como sempre... – mas como NADA vai mudar, – Deu ênfase na palavra "nada", acho que direcionou aquela frase mais para o Sabichão do que pra mim. – Shion, lhe apresento... – Espera... Agora eu sei de onde o reconheci... Ele tem os traços da... Minha...– Seu irmão mais velho, Logan. – Minha mãe! Ele tem os traços da minha mãe!

Espera... O que o meu pai disse...?! M-MEU IRMÃO!?

♬Vai dar merda, vai dar merda...♬

O que ele quer aqui? Ele passa quase a minha vida toda sem dar sinais de vida, e do nada aparece na minha casa, e pelo visto com uma prostituta na frente do meu pai?! Eu não estou entendendo nada... O que ele quer!?

Ele deu uma risadinha maléfica, e logo estremeci... Meu pai voltou a ficar com raiva, mas logo se controlou...

– M-meu irmão?! – Falei gaguejando, mas com um pouco de raiva... Quem ele pensa que é?! Eu vou tornar a vida dele um inferno, isso se eu não acabar com ele ainda hoje!

Voei pra cima dele, para tentar arrancar aquilo que ele chama de rosto, do pescoço dele, mas meu pai me impediu.

– Calma, criança! – Falou meu pai. – Seu irmão têm que estar vivo porque ele é "O Lord do Crime"! – O quê?!

– Como assim, "Lord do Crime"?! – Perguntei aumentando o tom de voz, e vendo a carranca de meu pai piorar...

Vai sobrar pra mim!

Continua...


Notas Finais


Gostaram!? Espero que sim... Então, Shion vai descobrir o que seu irmão quer, ou nem vai deixa-lo falar? Até o próximo!
*leia esta frase da direita para a esquerda, e depois da esquerda pra direita...*
•?Anotaram a data da maratona?•
*Ao contrário se lê igual!* #descobri o mundo#kkkkkkk
Bjs, FUUUUUIIII!
*some na imensidão*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...