História Garden of Love - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Fluffy, Namjin, Taekook, Vkook, Yaoi, Yoonmin
Visualizações 19
Palavras 3.050
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey, olha só quem esta viva!
Não vou roubar muito do vosso tempo, nos vemos nas notas finais!

Capítulo 4 - Dália


[Jimin POV]

 - Ah Jiminnie! Confessa logo! - Ele implorou pela sétima vez.

 Para os desentendidos, o Tae foi passar a tarde comigo. Coisa que só por si explica muito bem a treta que isso dá. Ele estava implorando para que eu disse que achava o Yoongi bonito. NEM NOS MEUS PIORES PESADELOS eu iria confessar uma coisa dessas para ele.

 Taehyung é um bom amigo, não se enganem, mas tem vezes que me pergunto como ele pode ser tão filho da puta.

  "Ah mas, Jimin, ele só perguntou se tu achavas o Yoongi bonito!"

 É, o Yoongi é quase que um deus grego, com um sorriso gengival apaixonante e com um cheiro a lírios e orquídeas ainda melhor. Mas eu não daria a satisfação do Taehyung ouvir isso.
 
 Do jeito que ele é, bem capaz de lhe contar isso se eu não fizer o que ele quer.

 Pronto, eu também faço isso... Mas isso não vê ao caso. Estamos a falar sobre o quão... o Tae e eu somos uns cuzões. É.  Custa admitir isso em voz alta. Somos dois retardados que quando se juntam é uma desgraça de todo o tamanho...

 Tá, ele ganhou dessa vez.

  - Okay! O Yoongi é bonito. O homem mais lindo que já conheci. Contente?!  - Falei tão rápido que até eu mesmo tive dúvidas no que acabei de falar. Mas ele não teve qualquer dúvida.  Ele estava aos saltinhos no meu quarto.

 É tarde de mais para eu retirar o que eu falei?

  - Eu só não me sinto ofendido por eu não ser o homem mais bonito para ti, porque estamos a falar do Suga. - Ele ri e me abraça forte.
 
 - Agora, admite que achas o Jungkook bonito.  - Dou um sorriso tentando ter minha pequena vingança e o constrangir.

 - Ele é MUITO bonito. Um deus grego.  - Ele fala sem dificuldades e ao contrário de à umas horas atrás nem um pouco corado. Que desilusão.

 - Eu quero ver isso com os meus próprios olhos.

 -Irás ver, porém...- Opa. Porém?  Ele engoliu um dicionário ou o assunto era sério. - se tu te apaixonares por ele, considera-te morto.

 OPA. CIÚMES.  Ah meu caro, mas ele não é o teu namorado, não tens direito de sentir isso... Muahauha. Afinal tenho sempre alguma coisa para contra atacar se ele falar para o Yoongi o que acho dele.

 - CIUMENTO! - Falei mesmo.  E talvez, só talvez, ele tenha tido o direito a uma tortura cócegas também.  - Quando vai se declarar para ele? - Digo parando aos poucos as cócegas.

 -Declarar para ele? Jimin o que você anda comendo? - Ele ri, mas noto que é forçado e com um fundo de tristeza.

 Tadinho. É a primeira vez que vejo meu bebê inocente inseguro. Esta na hora do Jimin Omma entrar em ação.

 - Fala com o Jin Hyung sobre isso. - Olha só que conselheiro topster. - Ele vai te apoiar e falar o mesmo que eu: Se declara logo pro menino.

 - Jimin, sério estás a dar-me medo. Eu não gosto de Jungkook.

 - Ah, ainda bem. A primeira coisa que vou fazer é flertar com ele, pelo jeito que tu falas dele ele parece um docinho. Os lábios dele devem ser tão macios. - Falei da boca para fora. Obviamente, nunca faria isso, mas tenho que fazer o Tae entender o que sente por o mais novo, para depois o Jin não ter tanto trabalho. É, ainda estou convencido que o Jin dará uma ajuda maior que eu.

 - Nem te atrevas a tocar no meu Jungkook! - Se liguem logo no "meu". Teu nada migo. Eu tive que rir bem na cara dele, a cara dele mudou, como se a ficha tivesse caido. EUREKA. (sempre quis gritar isso, não me julguem) - Eu gosto do Jungkook.

 ALELUIA, GLÓRIA, AMÉM IRMÃOS
 (Olhem que eu não sou a pessoa mais religiosa,  mas é de agradecer aos céus.)

 - Eu falei. - sorri convencido. - Tu és ótimo com palavras, TaeTae. Chega nele e fala logo o quanto o amas.

 - Tenho uma coisa em mente...- Caralho, moleque rápido. Se fosse eu, ainda estaria a processar que gosto de um garoto, ainda mais um que eu não vejo faz anos.

 - Desembucha. - Ele que não venha com mimi, eu não sou obrigado a ficar curioso.

 - Vou declarar-me no dia 1 de setembro, aniversário dele e o dia que nos conhecemos. Canterei uma música para ele. - Diz ele todo confiante.

 CARALHO. O moleque pensou nisso tão rápido assim? Certeza que ele nunca se apercebeu que ama ele?

 Um dia vou entender ele. (Not today.)

 - Isso é incrível, Taehyung! Isso sim, é que é pensar. Tu vais conseguir, fighting!


 - O teu orgulho é importante para mim.

 Meu deus. Que tão doce...

 CADÊ A INSULINA? (som de vômito)

- Ah Taehyung, deixa de ser tão gay! - rio-me e fico olhando com um sorriso contido.

- Não me olhes desse jeito! - ele ri-se junto comigo e me bate no ombro.

 Ouvimos meu celular a vibrar. Mensagem do Yoongi.

"Min Suga: Então, o chá resultou?"

 Sorri involuntariamente e respondi que sim. Ele era muito fofo. Quem o vê nem parece que manda mensagem primeiro. Tadinho, deve estar muito aborrecido no florista  (risos).

 - Hum... - quando dei por mim, o Taehyung estava a me olhar de um jeito malicioso. - Quem é a sortuda?

- Ninguém...Nem mulher é. - reviro olhos tentando não me importar.

- AH É O YOONGI. SABIA.  - ele pega no meu celular e começa a escrever.

- NEM TE ATREVAS A MAN-

 Antes de terminar de falar, gritar, ele envia. AH QUE GRANDE FILHO DA...

~O programa foi interrompido por motivos de falha técnica~

- O QUE TE FIZESTE, KIM TAEHYUNG?

 Isso mesmo, eu falei o nome todo. Tiro logo o celular da mão dele e leio a mensagem que ele mandou.

Park Jiminnie

Sim, Hyung, muito obrigado pelo Conselho :3 O Taehyung está aqui comigo e ele vai dormir cá. Ele me deu a ideia de vires ter conosco...

18:40

  Ele já tinha respondido...

Min Suga

Ah...Eu não sei, Jimin. Tens certeza?

18:42


- O que eu faço? O que escrevo? Taehyung, eu vou te bater!

- Calma,  calma.  - ele pega novamente e enviar mensagem, desta vez comigo a ler, porque eu não sou trouxa duas vezes... num espaço de 5 minutos.

Park Jiminnie

Tenho certeza! Deves estar stressado por culpa do trabalho. Falando nisso, estava pensando em ir trabalhar contigo...O dinheiro da lanchonete está a ser insuficiente para as despesas da universidade.

18:45


 - Está bom desse jeito? - ele pergunta e eu assinto com a cabeça.

 Foi nesse momento que me apercebi o quão garota colegia eu estou a parecendo. Estou do lado do Taehyung, que está a servir de ajuda para não passar vergonha  (nunca pensei em falar isso) enquanto converso com o crush. Opa? Crush?  Eu não o conheço à mais de uns dias! Socorro.

Min Suga 

Seria muito legal se visses trabalhar comigo, preciso de uma companhia mais inteligente que o Tae, já não falo com outro ser humano faz um tempo xD. Okay, eu vou.

18:47


O Taehyung e eu nos entreolhamos e eu começamos aos saltos. Ele vinha! Para variar meu quarto estava bem arrumadinho. Desta vez eu peguei no celular e digitei.

Park Jiminnie

 Pegue seu pijama, escova de dentes. Eu tenho dois sacos de cama a mais e um colchão. Ficas com o colchão e um saco de cama, o Tae dorme no chão mesmo  xD

18:50

 Claro que com isso o Taehyung não concordou tanto bateu no meu ombro choramingando. 

- O Crush tem mais direitos que eu porquê?!

- Primeiramente, ele não é meu crush. Segundamente, ele não é da casa, é a primeira vez que ele vem aqui, tem que ter uma boa impressão.

- "Primeiramente, ele não é meu crush" nenhanh - Ele faz uma voz fina tentando imitar a minha e eu bato no ombro dele rindo.
   
                            *~*~*

 A campainha tocou e o cu trancou. É ele,é ele, é ele!  Respire Park Jimin! 'Tá parecendo um pré-adolescente outra vez!

 - 'Tá a espera de quê? Que o Hoseok vire hetero? Abre a porta! - Ele me empurra até a porta e sorri de orelha a orelha atrás de mim.  Respiro fundo e abro a porta sorrindo.

 - E aí, Park. - Ele sorri de lado e olha para trás de mim. - TaeTae. 

 Ele ainda tinha o cabelo negro como o carvão, sorriso encantador e roupas largas, carregando a mochila cinza. Maravilhoso.

 - Quando vai perder esse hábito de me chamar Park? - rio abrindo mais a porta deixando espaço para ele entrar. - Me chame de Jimin, Jiminnie ou até mesmo ChimChim.

 - Alguém te chama de Park sem ser eu?
- ele pergunta entrando.

 - Não.  -Eu rio fechando a porta, ignorando a existência do Taehyung.

 - Então eu vou continuar a chamar desse  jeito. Se alguém te chamar, além de mim, desse jeito leva na tromba. - ele riu. - Ouviu, Taehyung?

 - Ahm? Eu? - Ele parece acordar dos seus pensamentos e nos olha. - Ah sim, Suga Hyung. Entendi. - ele fala pela primeira vez desde que o Yoongi colocou o pé dentro da minha casa.


- No que 'tás pensando? 'Tás  mais no mundo da lua do que o habitual.  Normalmente,  estarias me fazendo implorar para que saias de cima de mim! - Ele dá um abraço no Taehyung.


- Ele 'tá assim, porque o Jungkook vem para ficar em Seul no dia 1 de setembro. - sorrio sapeca e deixo um certo Taehyung corado e um Yoongi quase engasgado de rir.

- Aaaaah! Finalmente! Diz-me que ele vem por tua culpa! Que se vão declarar e ter três filhos e um cachorro! - ele fala recuperando o fôlego depois de rir tanto.

- Vai tomar no seu orifício anal, Hyung ! - Ele resmunga saindo do abraço dele. - Mas sim, eu vou me declarar para ele. O Jimin que têm a culpa disso!

- Obrigado, Park.  Finalmente minha cria vai desencalhar. - Ele volta a rir fazendo eu rir e deixando um Taehyung a pensar em quem iria matar primeiro. - Onde deixo as minhas coisas? - Ele pergunta depois do nosso ataque de riso.

- Podes colocar no meu quarto. Dá-mas - eu estico a mão abrindo um sorriso, mas ele nega com a cabeça.

- Eu levo. Mas se queres tanto ir ao teu quarto, vem comigo.  - ele ri-se e subimos as escadas, o Tae optou por ficar na sala, não sei se era para nós deixar a sós ou apenas por que não tinha paciência de subir as escadas.

 Eu abro a porta do meu quarto, revelando paredes pintadas de azul claro com alguns pôsteres de dançarinos asiáticos e até mesmo americanos e do EXO; fotos minhas com o Taehyung, com o Jihyun, com o Hobi e com os meus pais ou ate mesmo sozinho; esboços de alguns desenhos do Jungkook que o Taehyung pedia para ele fazer, para que imprimisse e me dê como presente ou simplesmente porque quer me dar alguma coisa; uma mesa com o meu portátil e alguns "bonecos" de coleção e a minha cama com dois sacos de casa em cima e um colchão no chão que tinha limpo recentemente. Não era nada de especial, mas eu adoro o meu quarto do jeito que está.

- Bem-vindo ao meu pequeno paraíso, Min Yoongi.  - entro no meu quarto. - Mete-te à vontade.

- Isso é...legal. É como se eu entrasse no meu próprio quarto. - Ele ri-se olhando em volta. - Só que o meu tem muito mais Kumamons.

- Kumamons?  - Não consigo conter o riso quado ele a acaba de falar. - Aquele ursinho fofinho? Preto com as bochechas vermelhas?

- Esse mesmo.

Ele não pareceu se importar, devia estar habituado ouvir aquela reação ou então, realmente não quisesse  saber da opinião alheia. É uma coisa que aprendi a admirar ele nesse pouco tempo. Ele não parecia se preocupar com a opinião das outras pessoas. Quero aprender a ser assim também. Talvez não me reprendesse sempre que subia na balança.

- A tua mãe está em casa? - ele responde fazendo acordar dos meus próprios pensamentos e quebrar o silêncio que se instalou-se no quarto enquanto o fazia.

- Hum...Não. Saiu antes de chegares.  Porque perguntas? Tens medo de a conhecer? - Rio-me livremente, a esperança de ver ele embaraçado.

- Não. Queria desejar-lhe os parabéns e entregar esta camélia. Acabou de chegar ao florista e pensei em oferecer.  - ele me entregou a flor dando mais um sorriso. Daqueles gengivais, daqueles que me prendiam até voltar a realidade.

- Ah. Obrigado,  ela vai amar. - sorrio gentil.

- Eu sei. - ele ri. - E sobre essa pergunta de ter medo da tua mãe, eu acabaria por a conhecer de qualquer jeito. - ele pisca e sai do meu quarto me deixando a pensar.

Oi?! O que ele acabou de falar? EXIJO RESPOSTAS. O que ele queria dizer com isso?

Vou atrás dele indo para a sala, Taehyung estava em vídeo chamada com o Jungkook. Mal nos viu, despediu-se rapidamente do mais novo  e falar algo estranho, algo que à uns dias atrás suspeitei ser um código entre eles.

- Ah seu chato.  Eu queria ver o "Jungkookie"  - digo o nome do garoto de um jeito zuado.

Com isso, ele me lançou um travesseiro com tanta força que, se não fosse pelo os reflexos rápidos do Yoongi, quase cai. Foi uma cena tipo de dorama, ele me puxou pelo o braço pra cima dele, fazendo-me chocar com o peitoral dele.  Ficamos um momento nos olhando, o meu coração quase saiu pela boca de tão rápido que batia. Descia o olhar até os lábio rosados entreabertos do mais velho, fazendo-me morder os meus involutariamente. Ficamos nessa posição o que parecia horas. 








Até o Taehyung estragar tudo.
 A hiena começou a rir tanto que caiu do sofá, até mesmo rebolando no chão com as mãos na barriga. Desgraçado.
Quando ia abrir a boca, o Yoongi sê mais rápido e vai  até ele se agachando batendo no maior.  O Tae, que d'antes rir, agora, choramingava implorando para o mais velho parar de bater nele. 
E eu que sou uma boa pessoa, que conheço o Taehyung à anos, que o ama incondicionalmente...

Só fiquei a rir da cara dele mesmo. 

Claro que, depois de uns bons 2 minutos rindo daqueles dois, me agachei ao lado do Yoongi, colocando a mão no ombro dele, ainda a rir,  falando para ele parar.  E, supreendemente, parou.  Nós levantámos e bom, ajudei o Tae se levantar-se.

 Né, eu sou mesmo uma boa pessoa.

Decidimos ver filmes e comer besteiras até a hora de dormir, que era às onze, já que sete horas tínhamos que estar acordados.

É. 

                            ~*~*~

São 3 da manhã.  Digam lá, acham que eu acordei para ir ao banheiro ou assim ? Aham... Claro.  Nem o Yoongi, nem o Tae nem eu estamos sentados no meu quarto a falar e gargalhar um dos outros.  Acham mesmo que iria estar acordado a essa hora?

Puff. Claro que não.


- Ah Tae! Vai se ferrar! 

Aham.  Dormindo. 

- Agora a sério, daqui a 4 horas temos que estar acordamos. E se a mãe do Jimin ou até mesmo o irmão entrar aqui, vai ser muito bonito.  - disse o Yoongi, que estava sentando no colchão junto com o Tae, que se recusava sair dali, afirmando que era injusto o facto do mais velho poder ficar a dormir nele,  sendo que ele era meu melhor amigo e o só conhecia o Yoongi há pouco tempo e esses draminhas.

- Só durmo quando saíres do meu colchão. - disse o Taehyubg fazendo que o  garoto de cabelos negros e eu bufasse-mos ao mesmo tempo. 

- O meu colchão.

- O colchão do Park. 

- Que se dane de quem é,  eu vou dormir nele e pronto.  - ele dá de ombros.

- Ah,  eu que não vou dormir no chão,  Taehyung! 

- Então dorme com o Jimin!  - eu tentei argumentar,  mas algo me dizia que devia apenas esperar que o Yoongi desse a volta,  pois qualquer coisa que dissesse seria virado contra mim,  eu tinha a certeza isso.  Para não falar que ele poderia retrucar facilmente com um "Ah não quer dormir com o menino que acha um gostoso?".

- Ah...Eu... - o mais velho tentou arranjar argumentos e o meu coração bateu a mil.  O pior é que na minha cabeça eu sabia que depois de essa pressão acabar ambos -Yoongi e eu.- iríamos ter um monte de argumentos para não o fazer.

- 'Tá vendo?  Vá lá dormir com esse lindo.  - o acastanhado fala empurrando o Yoon para longe dele.

- Caralho,  Taehyung.  Me deixe!  'Tá eu durmo do lado do Jimin,  sua anta!  Que chato da porra.

 Oi?  AAAAAH MEU SANTO G-DRAGON.  TOFICANDOSEMUR. 

- Nossa que língua suja a tua,  Hyung! - ele ri,  se divetindo com a situação. - A cada 10 palavras,  o Hyung fala 12 palavrões.

O mais velho apenas mostra o dedo do meio e se levantou indo se deitar comigo.

-Vamos logo dormir... - ele disse olhando para o Taehyung  e já estava acochegado e com os olhos fechados.  - Ah e antes de me esqueça.  - ele se levanta e vai até sua mochila,  tirando um flor que não consegui identificar,  ele volta a se sentar do meu lado. - Está para você.  - Ele sorri me entregando.

- É linda...  - sorri.  - Como se chama?

-  É uma Dália rosada.  - Ele sorri. - Simboliza a delicadeza... E bom.  Lembrei de ti.

- Oh Hyung... Não era preciso trazer-me uma flor.  - eu sorrio.  Sem conter meus impulsos,  dou um beijo na bochecha e me levanto rapidamente para colocar numa jarra com água. Quando volto,  ele já estava deitado e sorri com aquela visão.  Deitei-me do lado dele o olhando de costas.  O cheiro dele é tão viciante...

Apenas deixei meus olhos cairem.  Logo teria que acordar para ir para o inferno.

                                *~*~*

O alarme tocou. Abro os olhos e... ESTOU ABRAÇADO AO YOONGI??? 

Notas Finais


É, desculpem msm ter acabado assim, mas sei la. Era isso ou mais umas duas semanas sem postar :v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...