História Garota de vidro - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Bulimia, Casais, Colegial, Drama, Romance
Exibições 7
Palavras 1.231
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Eu demorei muito mesmo pra voltar a escrever, me desculpe gente <3 mas enfim, espero que gostem (agora ficará mais frequente e mais legível, vou fazer pelo celular onde estou mais acostumada a escrever)

Capítulo 3 - O segredo


Sábado, eu não me lembro o horário, mas era a tarde.
    Sophia procurava sua melhor roupa, mesmo que não tivesse muitas, o quarto estava repleto de vestimentas jogadas no chão e na cama.
- droga, droga,droga!! Eu não tenho uma roupa descente, eu vou pelada, ah eu vou sim! Que sac... Espera, esse vestido parece bom.
  Ela achou um vestido pendurado nos fundos do guarda roupa, tinha ganhado quando fez 13 anos, por não ter crescido muito, cabia como uma luva nela, ela ficou uns segundos namorando a roupa pelo espelho, perto do corpo, girava e mexia no vestido, para saber como ele ficaria a cada mudança de posição que ela faria, colocou-o em cima da cama e foi para o banho. Sua mãe aparece as berros no quarto perguntando que merda tinha acontecido e porque diabos tinha tanta roupa jogada no chão, Sophia saiu correndo do banheiro e explicou que iria sair com um garoto, a mãe por um momento parou. Não, não era só de brigas que se formava a família dela. A mulher de cabelos bagunçados deu um sorriso meio de canto e falou "meu bebê cresceu não é mesmo?" Sophia arrumou o cabelo atrás da orelha e deu um sorriso. A mãe começou a guardar as roupas enquanto conversava com ela:
-Quando o conheceu?
-No dia do concurso... Eu estava meio mal e ele foi falar comigo.
-Mal? Porquê mal? Que concurso?
-Mãe, o de modelos, eu perdi, eu fracassei!
-Você me falou sobre esse concurso?
-Falei sim, no mesmo dia que tive a notícia, porém vocês não prestaram atenção.
  A mãe da um suspiro e fecha os olhos -Eu não estou sendo uma boa mãe, eu sei, mas os problemas de casa estão me corroendo, o seu pai Sophia... O seu pai está me machucando muito, me perdoe filha. Ela abraça a garota forte -daqui pra frente será tudo diferente, eu juro!- cochicha a mulher.
   Ela estava quase pronta, sua mãe tinha lhe ajudado com o cabelo e maquiagem, por um tempo ela teria esquecido que aquilo era só pra saber de um segredo, teria se tornado um encontro. Pegou uma bolsa de lado, cor preta, botons de gatinhos, espelho, celular, 20 reais, gloss, fones de ouvidos, estava pronta. Desceu as escadas deu um beijo na mãe e foi em direção ao parque.
  Chegou no horário combinado, e lá estava ele, com uma flor e cabelo de lado, não, ele não estava desarrumado, parecia que iria ver a rainha da Inglaterra, como ela, que estava mais linda do que o normal.
-O caminhão dos anjos te atropelou? - Sophia falou sorrindo.
-Sim, e tinha um pouco de sangue seu no para-choque. Eram os piores elogios, mais sem sentido do que um gato comendo ração de cachorro, mas era o que eles tinham em comum.
  Ele pegou a mão da garota e seguiram para uma parte isolada do parque, tinha um palco, daqueles onde ficava umas bandinhas de músicas antigas sabe?subiram lá e começaram a conversar:
-Bom, vai me falar o segredo? - ela inclina a cabeça para perto dele.
-Sente aqui - ele puxa ela para um banco e vira para ela, de forma que possa ver cada detalhe seu - Bom, você vive reclamando do seu peso, do seu rosto e de cada detalhe seu, quero te mostrar algo. O garoto puxa o seu sapato e a perna de sua calça um pouco para cima, e assim revela uma prótese no lugar de sua canela.
-O que aconteceu com sua perna? - a garota fala espantada.
-Tirei pra lavar, não calma, brincadeira, eu perdi em uma acidente quando tinha 11 anos. O fato é, ninguém é perfeito, e sempre vai ter alguém que goste de você mesmo com seus defeitos.
  Ela sorri - eu gosto de cada defeito seu Pedro.
Ele pega a flor que estava no bolso da blusa e entrega pra ela, abaixa a cabeça e começa a arrumar a calça e colocar o sapato, a garota coloca a mão em seu cabelo e faz um carinho, depois por insegurança desfarça e pega o celular. Ele levanta e vai chegando perto dela, não como alguém que está com interesse em algo, mas sim com amor, com carinho, coloca sua cabeça no colo da garota, pega sua mão e da um beijo, olha para ela e fala "Sophia, você ainda acredita no amor?", Ela fica quieta, olha para um pássaro que pousou por ali e da um sorriso. A conversa acaba ali. Passaram a tarde assim, quietos, se olhando, até a hora de ir embora, na despedida um abraço apertado e um até logo.
  Ela pensava o caminho todo para casa naquela tarde, naquele garoto e o efeito que ele causava nela, era surreal, se sentia boba a cada conversa, ficava vermelha a cada elogio, não, não podia ser amor.
Chegando em casa, a mãe e o pai estavam conversando, não havia gritos, estavam todos a espera dela para o jantar, ela comprimento a todos e foi lavar as mãos para comer. Depois que todos estavam acomodados, seu pai pediu um segundo para falar, disse que preparou um pequeno discurso que havia treinado a tarde toda no trabalho e no carro, e que precisava ser hoje:
-Primeiramente estou aqui para m desculpar, acima de tudo com você Aila, meu amor, não fui honesto com você e com nossos filhos, e depois com vocês meu anjos, eu fui um péssimo pai, só me toquei disso quando vi sua mãe chorando a noite e eu percebi que precisava mudar, que precisávamos ser uma família, e vamos ser, a partir de hoje vai ser tudo diferente, eu juro não colocar uma gota de álcool e não gastar mais nosso dinheiro com coisas bobas, neste fim de semana vamos para a casa da vovó, vamos passar um fim de semana em família, e tudo ficará bem.
  Para ela parecia um sonho, tudo estava dando certo, depois do discurso todos se abraçaram e falaram sobre seu dia enquanto jantavam, foi uma noite maravilhosa.
Antes de dormir ela pegou o celular, tinha mensagem, e era dele:
    
  Hey, espero que tenha gostado de hoje, pra mim foi um dia maravilhoso, amanhã estarei no metrô te esperando para irmos juntos para escola ok? Beijos, se puder antes de dormir, me manda mensagem... Bom é isso. 20:03

* Sim, ela respondeu, essa conversa durou a noite toda, foram dormir umas 23:00*
 
Oiiii, eu amei hoje, foi simplesmente maravilhoso, e sim, te esperarei amanhã, como você está? 20:20

Estou bem e você?

Bem também, bom, amei aquela flor, coloquei ela em um pote na minha janela

Que bom, peguei ela na casa da minha vizinha, o cachorro quase arrancou meu braço fora hahaha

Não precisava quase arrancar seu braço pra conseguir uma flor pra mim haha

Imagina só, sem perna e sem braço, eu seria tipo um robô com super próteses

Quase isso, tá mais pra um saci de araque hahahaha

Poxa... Haha

Estou brincando, com certeza seria o melhor e mais bonito robô do mundo

Mesmo?

Sim, claro

Então... Ah deixa pra lá..

Fala!

Esquece soph

Fala agora Pedro!

Eu ia pedir uma coisa, mas sei que vai negar

O quê?

Amanhã eu falo, ok?

Sério isso? Fala agora

Não, isso tem que ser pessoalmente

Ah tá bom, beleza.

Boa noite meu amor, durma bem (emoji coração)

Você também, bons sonhos (emoji coração)

 


Notas Finais


Obrigada por ler, críticas construtivas são bem vindas <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...