História Garota em chamas - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Channel: The Animation
Tags Akagami No Shirayuki-hime, Akame Ga Kill, Amnésia, Angel Beats!, Ano Natsu De Matteru, Ao Haru Ride, Ao No Exorcist, Artes Marciais, Aventura, Bakemonogatari, Bakuman, Bishoujo, Bishounen, Black Bird, Black Bullet, Black Rock Shooter, Bleach, Blood Lad, Blood+, Blood-c, Boku Kara Kimi Ga Kienai, Boku Ni Natta Watashi, Brothers Conflict, Btooom!, Bungou Stray Dogs, Charlotte (anime 2015), Clannad, Colegial, Comedia, Cosplay Complex, Crossover, Dakara Boku Wa, Dance In The Vampire Bund, Dance With Devils, Danganronpa: The Animation, Deadman Wonderland, Death Note, Dengeki Daisy, Dgray-man, Diabolik Lovers, Dn Angel, Drama (tragédia), Durarara, Ecchi, Ecchi Ga Dekinai, Escolar, Esporte, Fairy Tail, Família, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Cientifica, Free, Fullmetal Alchemist, Gakuen Alice, Gintama, Haikyuu, Hakushaku To Yousei, Harem, Hataraku Maou-sama, Hentai, Hiyokoi, Horimiya, Horror, Hunter X Hunter, Hyouka, Inazuma Eleven Super Onze, Inu X Boku Ss, Inuyasha, Inuyasha Kanketsu-hen, Itazura Na Kiss, Junjou Romantica, Kaichou Wa Maid-sama, Kamigami No Asobi, Kami-sama Hajimemashita, Kaze No Stigma, Kill La Kill, Kissxsis, K-on!, Kotoura-san, Koutetsu Tenshi Kurumi, Kuroko No Basuke, Kurookami, Kuroshitsuji, Kyoukai No Kanata, Last Game?, Lovely Complex, Luta, Mad Father, Magia, Mirai Nikki, Mistério, Namaikizakari, Nana, Naruto, Nijiiro Days (rainbow Days), No Game No Life, Noragami, Novela, One Piece, Pandora Hearts, Poesias, Pokémon, Policial, Romance, Romeo X Juliet, Rosario Vampire, Saga, Sankarea, School Days, Seikon No Qwaser, Seito Kaichou Ni Chuukoku, Shigatsu Wa Kimi No Uso, Shonen-ai, Shoujo Romântico, Shoujo-ai, Shounen, Sobrenatural, Soul Eater, Suki-tte Ii Na Yo, Suspense, Sword Art Online, Terror, The Walking Dead, Tokyo Ghoul, Toradora, True Love, Universo Alternativo, Vampire Knight, Violencia, Visual Novel, Vocaloid, Watashi Ni Xx Shinasai!, Yamada Tarou Monogatari, Yaoi, Yu-gi-oh!, Yuri
Exibições 97
Palavras 1.495
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Capítulo 1 (Sozinha....)


Fanfic / Fanfiction Garota em chamas - Capítulo 1 - Capítulo 1 (Sozinha....)

Eu me lembro muito bem dos últimos 2 dias. Horríveis sons daquelas coisas lá fora. Tudo o que eu tinha era a velha Catana que meu pai havia me dado de presente. Ela estava na bainha. Não sei usar muito bem mas é bem útil. Meu pais haviam saído e me deixaram com a dona Haney, e viajaram para Savanna. Mas, infelizmente tivemos um ataque aqui em casa. Eu não sabia dessa coisa mas do nada aconteceu. A última coisa que a dona Haney me disse foi viva. Viva. Devo viver. Mas como? Dona Haney virou um Walker, e está lá em baixo só me esperando para o jantar. Estou com fome, cansada, e como disse, só tenho um catana, duas barras de cereal, uma garrafa de água, meu alqui toque e uma arma. Eu nunca tive uma arma mas sei como usá-la, o que é bem estranho. Ela só tem 5 balas. O que eu faço?? Irei morrer?

Toda vez que penso nisso começo a chorar. Sou uma maga mas até os magos mais poderosos morreram. Então o que uma garotinha de 12 anos pode fazer?? Se eu não morrer através deles, morrerei de fome ou sede. 

-Olá??- Me assusto quando ouço uma voz no rádio.- Tem alguém ai?- Pode ser minha última esperança.

-Ola?? Me ajude por favor!

-Aonde você está??

-Aqui fora. Na casa da árvore!!- Vejo um homem de pele escura na varanda da casa, ele estava com um machado e estava com a perna machucada. Faço um sinal com a mão e só pude ouvir ele dizer. "Garota esperta." Vejo algo que um dia era a dona Haney, e tento avisá-lo mas ela se joga em cima dele, ele desviava dos ataques dela. Desso rapidamente da casa com a minha catana em mãos. Corro até ele e corto a cabeça dela.

-Gomen'nasai tia Haney.- Solto a catana que desaparece voltando para o espaço das armas e armaduras que tenho e caio de joelhos segurando para não chorar, já fiz isso demais.

-Ei garotinha tudo bem.- O homem põe a mão em meu ombro.

-O que houve com a sua perna?- Digo me levantando.

-Me machuquei num acidente de carro. Estou bem querida.

-Q-que bom.

-Como se chama?

-Ayano.- Digo tímida e desconfiada ao mesmo tempo.

-Bom Ayano, sou Lee.- Sorrio.

-Oi.

-Onde estão seus pais?

-Eles me deixaram com a Dona Haney e saíram para uma viajem até Savanna.- Ouço barulhos de grunhidos o que me fez estremecer.

-Pode vir comigo e poderemos encontrar seus pais.

-Sério?- Nessa hora uma pontinha de esperança surge em meu coração.

-Sim.

-Irei pegar minhas coisas.- Subo na casa da árvore e coloco todos os meus poucos suprimentos na minha mochila. Pego um elástico e amarro meus longos cabelos escarlates, e vou tomar um rápido banho. (incrível que ainda tem água, mas que bom) coloco desodorante na bolsa e pego o boné que meu pai me deu. Pego algumas roupas também já que a mochila é grande. Procuro algum suprimento na cozinha. Achei duas armas, uma faca afiada e algumas barras de cereal e frutas. Coloquei dentro de um plástico e pus na mochila.

-Como é tão inteligente assim?

-Via filmes de sobrevivência com meus pais. O que significa, pouco é muito, muito é ótimo e nada é aguente até achar o pouco e depois o muito. Foi o que fiz nesses dois dias, não comi todas as barras de cereal. E agora encontrei muito.- Sorrio.- Você quer?

-Obrigado.- Ele pega uma barra de queijo. Ouço barulhos de cercas serem quebradas.- Sentiram nosso cheiro.

-Pena que não vou poder levar perfume então....- Digo lamentando mas Lee achou graça.

-Melhor irmos.

-Te dou cobertura.- Olho para a sua perna machucada.

-Mas...

Fogo surge pelas minhas mãos.

-Uma maga....

-Sim...- Digo tímida.- Sou uma elementalista e uma usuária do Kansou.

-Interessante.- Ele sorri.- Daqui a pouco estarei curado.

-Também é um mago?

-Sim.

-Tudo bem. Sei que pareço ser bem medrosa, mas acho melhor entrarmos nisso.- Formo um campo em forma de bolha feito de ar.- Não passarão por isto, se tentarem serão jogados longe.

-Uma elementalista, hein?

-Hai! 

Entramos na bolha e fui a guiando como um vídeo game, como esperado os walkers tentava ultrapassá-la mas eram lançados para longe, eu já estava suando  pois isso gasta bastante energia. Quando percebo, a bolha se desfez e estávamos cercados de walkers.

-Essa não!-Digo ofegante. Ainda não controlo muito bem magias como esta, me dou melhor com o fogo.

-Tudo bem. Minha perna já se curou. Iced-make: Canhon!- Ele lança uma explosão de gelo em forma de canhão para um lado cheio de zumbis.

-Sogoy! Karyo no: Hoko!- Lanço uma explosão pela minha boca, atingindo o outro lado cheio de zumbis.- São muitos. Kimasu: Enraiha!- Invoco a minha espada flamejante e começo a cortar a cabeça deles, não adianta por que só podemos "matá-los" arrancando seu cérebro ou algo do tipo  mas pelo menos não podem se mexer.

-Isso é um problema....

De repente escutamos vários tiros. Enraiha volta para o espaço de armas e me volto para onde vejo os tiros.

-Venham! Por aqui!- Uma mulher de cabelos curtos e castanhos, de olhos pretos grita. Ela estava ao lado de um garoto de cabelos azuis e olhos ônix. Seguimos a voz e entramos dentro de uma farmácia. Ótimo. Mais remédios e suprimentos. Ou não.

-Quem são??

-Margô! Sabe que não temos condições de cuidar de mais sobreviventes!- Um velho grita. Que irritante.

-Eles estavam cercados por walkers. Não podia deixá-los morrer se eu poderia salvá-los.- A moça batizada de Margô diz.

-Mesmo assim. Não temos suprimentos nem para nós direito, quanto mais para eles!- Uma garota de cabelos verdes e olhos vermelhos diz.

-Precisamos de um lugar pra ficar!- Lee diz.- Ela é só uma garotinha. Querem deixá-la morrer??

-Essa não é a questão!!!

-E qual seria?- Pergunto baixo e todos olham para mim.- Estamos num mundo vazio agora. Entendo que agora mais do que nunca não devem confiar em ninguém, mas agora devemos ficar juntos. E se deixaram a humanidade de vocês de lado para se transformarem em monstros e não ajudarem quem precisa mesmo nesse mundo, então não merecem o pouco que tem!-Digo irritada e fogo surge em volta do meu corpo, mas controlado para não queimar nada.

-Uma maga!

-Ela será bem útil aqui.- Quando o velho diz, minha catana volta para minhas mãos e aponto para seu pescoço, irritada com o comentário.

-Que fique claro. Não sou marionete de ninguém. Não pertenço a ninguém. Eu uso meus poderes quando quero e não vai ser um velho medíocre como você que irá mudar isso.- Abaixo a catana e a guardo rapidamente na bainha nas minhas costas.- O que estão olhando? Esse mundo muda qualquer um. E agora estou cansada de dizerem que só sou uma garotinha indefesa. Posso me cuidar, mas prefiro ficar com meu amigo Lee.- Digo dando a mão á ele e a espada desaparece.- Ninguém vai mudar isso.- Sorrio.- Muito bem, a melhor escolha que temos é ir para um lugar afastado das cidades, uma cidade pequena de preferência ou até mesmo no interior é uma ótima opção.

-Essa garota parece que foi treinada no exército.- O garoto de cabelos azuis diz.

-Mais ou menos isso. Digamos que fui treinada para situações de sobrevivência.- Respondo. Esvazio minha mochila em cima de uma mesa.- Vejamos.... Tenho minha catana que já vou avisando: Quem tocar nela morre.-Eles estremessem-Duas armas e uma faca....- Entrego uma arma para Lee.- Alguns alimentos e pouca água.- Guardo tudo de volta.-O que vocês tem?

-Bastante comida, munição e algumas armas de fogo.- O garoto diz.

-Beleza. Vamos nos apresentar agora que pelo menos tenho um pouco de confiança em vocês. Sou Ayano Kannagi, mas podem me chamar só de Aya pra encurtar.- Digo de braços cruzados.

-Sou Lee, á encontrei sozinha em sua casa.

-Margô.

-Tony.- O moreno diz.

-Rycou.- O velhote diz.

-Te chamarei de velhote. Não fui com a sua cara.-Digo fria e ele só rugi pra mim.

-Mira.- A esverdeada diz.

-Temos que sair daqui. Eles podem atacar quando perceberem nosso cheiro.- Digo.- Como eu disse, ir para o interior é uma ótima opção.- Digo com um mapa em mãos que peguei do escritório do meu pai.- Se formos para Magnólia, que é uma cidade bem pequena e pacata será  mais fácil de acabar com eles. E depois poderemos ir direto para Savanna.

-Por que Savanna? Lá é uma das cidades mais movimentadas do japão. Ou pelo menos era.- Tony diz.

-Meus pais foram pra lá e quero encontrá-los. Preciso encontrá-los. Meu irmão gêmeo está com eles por isso tenho que encontrá-los.

-Sinto muito baixinha mas se eles foram para lá sem aviso prévio desse apocalipse então estão mortos.

-Sinto muito em te dizer isso velhote mas sei que estão vivos. E irei encontrá-los!- Rebato. Vidros são quebrados e braços de coisas que um dia foram pessoas tentam abrir passagem para entrar.-Kansou! Armadura leve!


 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...