História Garota em chamas - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Channel: The Animation
Tags Akagami No Shirayuki-hime, Akame Ga Kill, Amnésia, Angel Beats!, Ano Natsu De Matteru, Ao Haru Ride, Ao No Exorcist, Artes Marciais, Aventura, Bakemonogatari, Bakuman, Bishoujo, Bishounen, Black Bird, Black Bullet, Black Rock Shooter, Bleach, Blood Lad, Blood+, Blood-c, Boku Kara Kimi Ga Kienai, Boku Ni Natta Watashi, Brothers Conflict, Btooom!, Bungou Stray Dogs, Charlotte (anime 2015), Clannad, Colegial, Comedia, Cosplay Complex, Crossover, Dakara Boku Wa, Dance In The Vampire Bund, Dance With Devils, Danganronpa: The Animation, Deadman Wonderland, Death Note, Dengeki Daisy, Dgray-man, Diabolik Lovers, Dn Angel, Drama (tragédia), Durarara, Ecchi, Ecchi Ga Dekinai, Escolar, Esporte, Fairy Tail, Família, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Cientifica, Free, Fullmetal Alchemist, Gakuen Alice, Gintama, Haikyuu, Hakushaku To Yousei, Harem, Hataraku Maou-sama, Hentai, Hiyokoi, Horimiya, Horror, Hunter X Hunter, Hyouka, Inazuma Eleven Super Onze, Inu X Boku Ss, Inuyasha, Inuyasha Kanketsu-hen, Itazura Na Kiss, Junjou Romantica, Kaichou Wa Maid-sama, Kamigami No Asobi, Kami-sama Hajimemashita, Kaze No Stigma, Kill La Kill, Kissxsis, K-on!, Kotoura-san, Koutetsu Tenshi Kurumi, Kuroko No Basuke, Kurookami, Kuroshitsuji, Kyoukai No Kanata, Last Game?, Lovely Complex, Luta, Mad Father, Magia, Mirai Nikki, Mistério, Namaikizakari, Nana, Naruto, Nijiiro Days (rainbow Days), No Game No Life, Noragami, Novela, One Piece, Pandora Hearts, Poesias, Pokémon, Policial, Romance, Romeo X Juliet, Rosario Vampire, Saga, Sankarea, School Days, Seikon No Qwaser, Seito Kaichou Ni Chuukoku, Shigatsu Wa Kimi No Uso, Shonen-ai, Shoujo Romântico, Shoujo-ai, Shounen, Sobrenatural, Soul Eater, Suki-tte Ii Na Yo, Suspense, Sword Art Online, Terror, The Walking Dead, Tokyo Ghoul, Toradora, True Love, Universo Alternativo, Vampire Knight, Violencia, Visual Novel, Vocaloid, Watashi Ni Xx Shinasai!, Yamada Tarou Monogatari, Yaoi, Yu-gi-oh!, Yuri
Exibições 26
Palavras 1.074
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Capítulo 13


Abri meus olhos lentamente e senti ser um pouco chacoalhada. Estava sendo carregada por alguém. Um homem de pele clara, com um pouco de barba e cabelos castanhos, e ao lado dele um homem já de idade de cabelos brancos e olhos vermelhos.

-Ai que bom que você acordou!- Ayo diz.

-O que houve?- Pergunto confusa.

-Quando você desmaiou eles nos acharam, vão cuidar de você.

-Entendo.- Digo tirando a blusa da mordida para ver como ela estava, se eu não limpar irá infeccionar.

-Ah!- De repente sou jogada no chão e o meu braço machucado bate no mesmo.

-Ai!- Grito. Meu braço está mesmo ruim.

-Qual o seu problema??- Meu irmão grita.

-O que foi isso Luke?- O velho pergunta.

-Você não disse que ela foi mordida!!!-  Luke diz.

-É por que ela não foi mordida por um walker!!- Meu irmão diz me ajudando a levantar,

- A não?? Então quem fez isso??- O chamado Luke pergunta.

-Luke você não sabe o que aconteceu!- O velho diz.

-  Foi um cachorro!- Digo irritada.

-Um cachorro?- Ele repete irônicos.

-Sim um cachorro!- Repetimos juntos irritados.

-Vamos levá-la até o medico do nosso grupo. Se ele te examinar e disser que foi mordida....

Ayo me pega estilo noiva por que não quer que isso aconteça de novo. E caminhamos por um bom tempo até chegarmos em uma casa bem grande. Um garoto de 18 anos eu acho, estava com uma Ak47.

-Quem são eles?

-Os encontramos na floresta, ela com uma mordida. Os dois dizem que foi um cachorro.

-Um cachorro???- Ele aponta a arma para mim.

-Caro garoto que não sei o nome e nem estou interessada em saber. Se você não virar essa arma pra lá, eu com o meu braço bom vou socar você!- Digo com uma aura assassina.

-Duvido.

-Sério?- Dou uma rasteira nele, que cai no chão e dá um tiro para cima sem querer, acertando um pato que cai morto no chão.- O que dizia?- Pergunto irritada.- Não foi um walker. Nem estou com febre.

-Talvez deve ter atrasado.- Luke diz.

-Idiotas...- Murmuro.

-O que houve? Ouvimos um tirou e....- Uma mulher morena que estava grávida, um homem também moreno, um outro homem de cabelos castanhos, alto e de barba por fazer saem da casa as pressas.

-Papai, o que foi isso?- Uma garota da minha idade eu diria pergunta, cabelos róseos e nem longos e nem curtos, estavam presos em marias chiquinhas, seus olhos eram avermelhados e rosados ao mesmo tempo. Eu diria que ela é fofa.

-Nada Inori volte para o quarto.

-Sim papai.- Ela fecha a porta. Deu para notar que ela queria dizer que já tem idade para se proteger, mas não o fez. Somente obedeceu.

-Quem são?- Ele se volta para eu e Ayo.

-Ayano e Ayoko Kannagi.- Ayo diz firme.- Só Aya e Ayo está bom.- Ele completa.

-Fui mordia por um cachorro e esses idiotas dizem que é de um caminhante. Dá para ver que não é por conta das presas que são afiadas!- Digo irritada.

-Podemos cortar o braço, assim ela não se transforma.- Luke diz.

-Baka. Não vai adiantar, já vi se transformarem cortando ou não o lugar em que foi mordido. Só vai atrasar e eu repito: NÃO FUI MORDIDA!!!- Digo irritada.

-Hum....- Ele observa.- Não consigo dizer, alguns walkers sofreram mutações e podem ter presas desse tipo também.

-Quer dizer que eles podem estar mentindo?- O velho diz.

-Provavelmente. Vamos fazer um teste. Eles ficam dentro da cabana de suprimentos, se ela passar desta noite sem se transformar, cuidarei dela pessoalmente. Se não...- O médico diz.

Não queríamos fazer isso, queríamos tratamento de imediato, mas fomos obrigados a ficar lá dentro. O tempo foi passando e minha ferida doía mais. Preciso costurar, no mínimo isso.

-Ayo....- Gemo.

-Eu sei. Mas eles trancaram a porta não tem como sair.Olhei em direção á um buraco na parede que cabe nós dois por sorte. Saímos de lá e resolvemos entrar na casa para procurar linha. Fomos por debaixo da casa, entrando pelo porão e subimos as escadas, não tinha ninguém lá. Entramos num quarto aonde aquela garota que chamaram de Inori estava. 

-Você pode ajudar por favor?- Pergunto com dor.

-Claro. Mas.... Pode ser minha amiga? Os dois?- Ela pergunta com os olhos brilhando.

-Claro!- Dissemos juntos.

-Muito bem, olha o meu pai usava isso em mim quando eu ralava o joelho ou coisa parecida, pelo menos não vai infeccionar. E eu também tenho isso.- Ela nos entrega um frasco meio cheio com um líquido meio amarelado, uma agulha e uma linha.- Agora é melhor vocês saírem, se virem vocês aqui ferro tudo.

-Thau. Arigatõ.- Dissemos eu e Ayo.

-Até mais. Amigos.- Ela diz e saímos do quarto. Ouvimos barulhos e uma luz na porta a esquerda e resolvemos espiar.

-E se ela se transformar? O irmão vai morrer?- Um deles pergunta.

-Não temos escolha, certamente ele iria ajudá-la.- Outro diz.

-Não acho que devemos gastar o pouco dos nossos medicamentos com ela.- Uma voz feminina e carrancuda diz.

-Fizemos uma promessa, no mínimo devemos cumpri-la.

-Eu ou ao banheiro e já volto.

Nos entreolhamos assustados e nos escondemos dentro da banheira. Ótima ideia! Ela vai no banheiro e a gente se esconde no banheiro!!!

-A Carl, o que será que vai acontecer se você descobri que esse bebê não é seu....- Ela lamenta se olhando no espelho. Ela traiu o  marido? Que clichê!

Depois dela sair, fomos rapidamente de volta para a cabana e passamos pelo buraco.

-Você poderia simplesmente se curar.

-E levantar suspeitas Ayo?- Me volto para o braço e arrasto o casaco que fez um barulho nada agradável além de ter doído. Pego o frasco e derrubo o líquido devagar mas o deixei cair quando senti queimar.- Arde muito!- Reclamo.- Tudo bem, a pior parte já passou.- Limpo ela para começar a costurar.

-Você vai mesmo fazer isso?

-Vou....- Começo a costurar a ferida, não doía tanto quanto ardeu aquele líquido, e continuei até fecha-la completamente.- Pronto.- Digo.

-Nossa.- Ele observa meu braço.- Agora você parece o Frankstine.

-Vai me zoar agora?- Suspiro.

Walkers quebram a cabana, sentiram o cheiro do sangue!!! Vários deles entram.

-Não acredito que vou fazer isso!!- Reclamo. Já que eles pegaram nossas coisas, terei que invocar Enraiha para ela vir até mim.- Das chamas celestes, do brilho de sangue. A espada celestial, Kimaru, Enraiha!- Enraiha aparece em minhas mãos como um vulto.


Notas Finais


Gente vai demorar um pouco para eu postar o proximo capítulo, vou ver se consgo postar amanhã mas vais ser dificil, eu tenho provas e tenho que estudar!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...