História Garota em chamas - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Channel: The Animation
Tags Akagami No Shirayuki-hime, Akame Ga Kill, Amnésia, Angel Beats!, Ano Natsu De Matteru, Ao Haru Ride, Ao No Exorcist, Artes Marciais, Aventura, Bakemonogatari, Bakuman, Bishoujo, Bishounen, Black Bird, Black Bullet, Black Rock Shooter, Bleach, Blood Lad, Blood+, Blood-c, Boku Kara Kimi Ga Kienai, Boku Ni Natta Watashi, Brothers Conflict, Btooom!, Bungou Stray Dogs, Charlotte (anime 2015), Clannad, Colegial, Comedia, Cosplay Complex, Crossover, Dakara Boku Wa, Dance In The Vampire Bund, Dance With Devils, Danganronpa: The Animation, Deadman Wonderland, Death Note, Dengeki Daisy, Dgray-man, Diabolik Lovers, Dn Angel, Drama (tragédia), Durarara, Ecchi, Ecchi Ga Dekinai, Escolar, Esporte, Fairy Tail, Família, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Cientifica, Free, Fullmetal Alchemist, Gakuen Alice, Gintama, Haikyuu, Hakushaku To Yousei, Harem, Hataraku Maou-sama, Hentai, Hiyokoi, Horimiya, Horror, Hunter X Hunter, Hyouka, Inazuma Eleven Super Onze, Inu X Boku Ss, Inuyasha, Inuyasha Kanketsu-hen, Itazura Na Kiss, Junjou Romantica, Kaichou Wa Maid-sama, Kamigami No Asobi, Kami-sama Hajimemashita, Kaze No Stigma, Kill La Kill, Kissxsis, K-on!, Kotoura-san, Koutetsu Tenshi Kurumi, Kuroko No Basuke, Kurookami, Kuroshitsuji, Kyoukai No Kanata, Last Game?, Lovely Complex, Luta, Mad Father, Magia, Mirai Nikki, Mistério, Namaikizakari, Nana, Naruto, Nijiiro Days (rainbow Days), No Game No Life, Noragami, Novela, One Piece, Pandora Hearts, Poesias, Pokémon, Policial, Romance, Romeo X Juliet, Rosario Vampire, Saga, Sankarea, School Days, Seikon No Qwaser, Seito Kaichou Ni Chuukoku, Shigatsu Wa Kimi No Uso, Shonen-ai, Shoujo Romântico, Shoujo-ai, Shounen, Sobrenatural, Soul Eater, Suki-tte Ii Na Yo, Suspense, Sword Art Online, Terror, The Walking Dead, Tokyo Ghoul, Toradora, True Love, Universo Alternativo, Vampire Knight, Violencia, Visual Novel, Vocaloid, Watashi Ni Xx Shinasai!, Yamada Tarou Monogatari, Yaoi, Yu-gi-oh!, Yuri
Exibições 35
Palavras 1.129
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Capítulo 8 (Mortos não falam)


Fanfic / Fanfiction Garota em chamas - Capítulo 8 - Capítulo 8 (Mortos não falam)

Depois de um tempo, todos iam acordando. Lee ficou preocupado conosco por que sinceramente ele é um líder muito melhor do que a chata e controladora da Mira. O velho já estava reclamando de tudo e brigando com Kenny. E do nada cai no chão. Infarto.

-Ajudem!!! Ele precisa de remédios!! Remédios!!!- Mira se joga para seu lado chorando já.

-Ele morreu.- Kenny diz e eu e Ayo só ficamos de braços cruzados.

-NÃO! Ele ainda está respirando, eu sei disso. Ele ainda está.....- Ele soluça.

-Se não fizermos algo, ele irá se transformar.- Margô diz. Eu, Lee, Ayo e Ben só ficamos quietos, não vou me intrometer.

-Só me deem um tempo. Eu....

Kenny rapidamente pega algo como um tijolo de cimento e joga em cima da cabeça do velho, parecia bem pesado aquilo.

-Nãaaaaaaaaaaaaooooo!!!!- Mira grita desesperada e abraça o corpo morto do pai.

-Kenny.....- Lee e Margô cochicham irritados.

-Eu fiz certo! Aquele velho iria se transformar e ficaríamos em frente a um caminhante sem nenhuma arma. Não concorda Ayano??

-Eu acho que todos merecemos um tempo para nos despedirmos, se ele se transformasse daríamos um jeito. Não precisava ter esmagado o crânio dele sem o consentimento da filha. É isso o que eu acho.- Digo fria. 

-Hunf! Achei que você entenderia.- Kenny diz bufando.

-Não tenho que entender uma morte precipitada.- Digo de braços cruzados.- Agora.... Como sairemos daqui?- Observo o local.

-Então.... Tem um duto de ventilação você poderia.... Sabe... Entrar por ele já que é a única que cabe.

-Significa que sou pequena?- Pergunto e todos negam com a cabeça rapidamente, menos Mira que está ocupada deprimida.- Que seja.- Pego impulso, pulo e chuto a portinha que impede a passagem ao mesmo tempo, entrando na mesma.- Já volto.- Depois de poucos minutos engatinhando naquele espaço sujo, eu já estava saindo por outro duto de ventilação, entrando naquela sala ensaguentada. Vou até a porta e abro a mesma, e todos saem de lá.

-Boa.- Ayo elogia.

-Agora como faremos para sairmos daqui sem sermos mortos por eles?- Margô pergunta.

-Certo. Deixem com as "crianças" primeiro: Mira levanta a bunda do chão e para de manha, vimos nossos pais serem mortos também mas se quiser viver, tem que superar.- Ela se levanta secando as lágrimas.-Segundo: Pegadinhas. Não existe pessoas melhores no mundo em pegadinhas do que crianças da nossa idade. Além de nos divertimos, sairemos bem, se tudo ocorrer bem. Só precisamos improvisar.- Procuro por alguma coisa nesse quarto ridículo e encontro uma arma com 2 balas, que entrego ao Lee, duas facas, entrego uma para Margô e outra para Mira, um ancinho que entrego para Kenny,  dois facões que entrego um para Ayo e fico com uma por precaução.  Ben vai ficar perto de nós e como não achei nada, graças a deus, ele não vai ter uma arma. Achei barbante, baldes de tinta, detergente e outras coisas interessantes.

Amarrei discretamente o barbante nos baldes na porta da sala,  vejo que Rishard e Lary estão na porta do celeiro, vigiando para não fugirmos. Entro de volta na sala.

-Eles estão lá fora, só precisamos chamar a atenção deles e Ayo é perfeito pra isso.- Respondo.- Só grite que nem louco e irrite-os ao máximo, eles estão armados mas nada que você não desvie, só corra até eles estarem bem próximos que assim soltamos os baldes e bate na cara deles.

-Maneiro!- Ayo diz.

-Vai!- Empurro ele e ficamos de olho.

Seja lá o que Ayo disse á eles, funcionou, eles ficaram tão irritados e confusos ao mesmo tempo que correrão em direção á ele ao invés de atirar, Ayo só corria e quando entrou, eu e Margô soltamos os baldes de tinta, que acertaram em cheio a cara deles, depois de rirmos muito, corremos para fora já que eles já iam se levantar,eu corria por último e jogava o detergente por onde passávamos. Avistei eles correndo e acelerei o passo deixando a caixa de detergente no chão, ele escorregaram e bateram a cabeça como duas jacas maduras e se levantaram mais bravos do que nunca, espalhei armadilhas de urso que Lary foi pego mas Rishard escapou.

-Desgraçada!!!-Ele grita acho que para mim.

-Mortos não falam.-Saquei a arma e atirei em Lary.-Beleza!- Sorrio com as mãos já brilhando com partículas de fogo. Como ele morreu, sua magia se desfez.

Entramos dentro da casa e deixamos Lee e Rishard lá fora, ambos desarmados. Estou preocupada mas confio em Lee e sei que ele sabe o que faz. A casa de Nanase estava como sempre foi, apenas com todas as luzes desligadas o que deixava a casa mais parecida com um filme de terror. Nanase estava apontando uma arma para nós e subia as escadas de costas bem devagar. Vi John, agora um walker, atrás dela pronto para atacar. Valeu John. Dei mais um passo pra frente o que fez ela se afastar mais para cima da escada, ela fez isso umas duas vezes até John agarrá-la e arrancar suas tripas enquanto ela grita. Dou um último tiro em John por que sei que ele não gostou de ser isso e deixei Nanase lá.

Saímos da casa a procura de Lee e adivinha? Ele estava brigando seriamente contra Rshard, eu ia interferir mas Kenny me impediu pondo o braço na frente, olhei para ele que só negou com a cabeça. Fiquei parada olhando a briga. Lee dava vários socos e Rishard não ficava atrás, era uma briga bem ruim eu diria, nenhum deles defendia, só atacava. Lee caiu e Rishard pegou sua cabeça e começou a empurra-lo devagar para a cerca elétrica. Lee fazia toda força para se soltar mas cada vez chegava mais perto.  Lee dá um soco no estômago de Rishard que cai de costas no chão, ele sobe em cima do mesmo e começa a dar vários socos em sua cara. Ta certo que ele merece assim como os outros dois, mas acho que ele está exagerando um pouco e todos estão percebendo isso, estava chovendo muito, trovejando e estava de noite. Um cenário bem assustador eu diria.

-Lee.- Kenny o chama.- Já chega cara.

Lee se levanta irritado, sussurou alguma coisa para Rishard e veio até nós.

-Vamos vasculhar a casa. Vai saber o que podemos encontrar.- Lee diz e assentimos.

Encontramos uma coisa maravilhosa pra mim e pro Ayo. Doces. Vários e vários doces, barras de chocolates, tortas. É o paraíso. Encontramos várias armas e várias balas, um taco de beiseball com um prego na ponta que deixamos com Ben. E saímos de lá as pressas antes que aquele maluco viesse aqui  metralhasse todo mundo. Voltamos para o posto mas estava em condições horríveis. Alguém destruiu. Me lembro que Lary havia saído sozinho. Será que foi ele?? Quem sabe, mortos não falam.....

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...