História Garota nova - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Tags Colegial, Comedia, Drama, Romance
Visualizações 4
Palavras 2.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi Pandinhas <3
Não vou ficar enchendo o saco todo capítulo, eu sei que vocês sabem o que eu vou pedir.

Capítulo 3 - Uma tarde louca


Pov's Chandler

Ouço a campainha da minha casa tocar e me apresso para atender, eu já tenho uma idéia de quem seja. Abro a porta e vejo Sam.

- Ah não cara, a professora de literatura passou um trabalho pra semana que vem- já entrou resmungando, não é novidade na verdade.

- Qual é o trabalho?- perguntei, me sentando ao seu lado no sofá da sala de estar.

- Nós precisamos ler um livro que ela passou e fazer um resumo sobre ele- falou como se estivesse morrendo.

- Não é tão ruim assim- dei de ombros, afinal, eu gosto de ler, só não tenho muito tempo.

- A gente formou um grupo e colocamos você e a Kat nele- me avisou.

- É em grupo?- perguntei, ele não disse nada sobre trabalho em grupo.

- Não idiota, coloquei você no grupo porque é pra fazer individual- revirou os olhos. Dei um soco de leve nele enquanto riamos da minha burrice.

- Quem faz parte do grupo?- fiquei curioso para saber se "ela" está no meu grupo.

- Eu, você, Kat e Amy- na hora que ele falou o nome "dela" eu gelei- Cara, mudando de assunto, você sabe que a Amy sabe sobre a educação física né?- estranhei a pergunta, na verdade nem sei do que ele está falando.

- Do que você tá falando mesmo? O que aconteceu na educação física que eu tenho que saber que ela sabe?- isso confundiu um pouco minha cabeça.

- Não se faz de idiota, não mais do que você é- riu do que falou, eu apenas revirei os olhos por ele me chamar de idiota a cada cinco segundos.

- É sério, eu não sei- tentei parecer bem sincero, na verdade, estou sendo- Tem como você me falar?

- Que você ficou olhando pra bunda dela o jogo inteiro!- falou um pouco rápido e alto.

- Eu não fiquei olhando pra bunda dela o jogo inteiro!- tentei me defender.

- Claro que ficou! Eu e os meninos estávamos te chamando e você tava no mundo da lua, aí eu segui o seu olhar e percebi que você tava quase babando só de olhar!- falou meio rindo.

- Ei! Você olhou pra bunda dela?!- sim, sinto ciúmes de uma menina que conheci a menos de dois dias e não tem nada comigo.

- Primeiro de tudo: eu só olhei pra ver pra onde você tava olhando, nem fiquei muito tempo que nem você- eu meio que bufei- Segundo: contei pras meninas pra elas falarem pra Amy porque sabia que você não ia contar e ela tem o direito de saber disso- concordo com ele nisso- E terceiro e último: você não tem o direito de sentir ciúmes dela, já que vocês não tem absolutamente nada.

- Só porque a gente não tem nada não significa que eu não possa sentir ciúmes- mais resmunguei do que falei.

- Tá, você tem o direito de sentir isso, mas não pode fazer nada a respeito.

- Como assim?- não entendi o que ele quis dizer com isso.

- Se algum menino ficar com ela e ela quiser, você não pode impedir ela de ficar com ele- explicou. Eu entendi o que ele quis dizer e admito que faz sentido, mas se eu continuar a sentir ciúmes dela, isso vai aumentar e vou acabar ficando louco- Eu tive uma ideia- tenho medo quando ele fala isso, sempre fazemos merda quando Sam fala isso.

- Lá vem ideia merda- já fico preocupado com o que ele vai falar para a gente fazer.

- Não é merda dessa vez, você vai gostar- apenas revirei os olhos. Toda vez que ele fala isso eu também acabo não gostando- Vamos chamar a Amy pra cá- se levantou indo na direção da porta. Levei um susto com isso, ele não pode fazer isso, vai dar muita merda, puta que pariu!

- O quê?! Não, peraí!- não adiantou, Sam já saiu correndo em direção a casa dela. E porque ele está correndo? Simples: ele sabe que se ele fosse andando eu já teria levado ele para dentro de casa de novo, para tentar impedir ele que fassa merda.

Pov's Amy

Ouço a campainha tocando e vou atender sem muita pressa, afinal, estou quase um zumbi de the walking dead. Abro e vejo Sam.

- Oi Sam. Não é querendo ser grossa bem nada, mas você não deveria estar no Chan?- na verdade eu queria que ele fosse embora para eu poder dormir um pouco.

- Sim, eu estava lá, mas Chan quer falar comigo e com você sobre o trabalho de literatura e me pediu pra vir te chamar- porra, justa hora pra ele me chamar, caralho!- Não adianta negar, vem logo- fiz uma cara de quem não quer ir e está morta- Vocês não vão ficar sozinhos tá, eu vou tá lá, porra. Vai dar tudo certo- tentou me acalmar.

Essas palavras de Sam me confortaram. Se ele diz que vai estar lá e eu e Chan não vamos ficar sozinhos, eu vou. Seria meio embaraçoso eu ficar sozinha com Chan, imaginando a cena da nossa primeira aula. Só de imaginar eu imaginando eu já fico vermelha.

Calcei meus sapatos e saí de casa com Sam ao meu lado.

- Kat também vai vir, então?- perguntei pra ele.

- Acho que Chan também vai querer falar com ela, mas não sei se ela vai poder vir- deu de ombros.

- Posso te fazer uma pergunta, Sam?- eu tinha uma coisa em mente desde o primeiro dia de aula.

- Na verdade, já está fazendo- ele ri enquanto eu revirou os olhos- Diga-me- ri de seu vocabulário.

- Você gosta da Kat?- perguntei como quem não quer nada.

- Ah, gosto, porque não gostaria dela?- se enrolou um pouco com as palavras e pareceu ter levado um pequeno susto. Comecei a rir do seu desespero em saber que eu sei- Tá tão na cara assim?

- Na verdade, sim- vi que ele ficou um pouco corado- Ela que é trouxa e não vê isso, mas você também não fala nada, aí complica.

- Não sei como falar disso com ela- pareceu envergonhado.

- Se quiser eu posso ser uma cupido esse Halloween- dei de ombros. Nem seria uma má ideia, mês que vem já é Halloween e acabei ter uma ideia de fantasia, ótimo.

- No Halloween você tem que se vestir com uma fantasia assustadora, e não de cupido- acabou com toda a minha felicidade.

- É só colocar uma maquiagem macabra- dei de ombros- Tudo tem uma solução.

Seguimos até a casa de Chan, ele estava parado na porta, provavelmente a nossa espera.

- Oi Chan- tentei desviar o meu olhar do dele, se não eu fico corada na hora, e eu odeio ficar corada.

- Oi- acho que ele também está um pouco envergonhado, ele também abaixou sua cabeça ao falar "oi".

- Vamos chamar a Kat?- Sam quebrou o silêncio que se fez, acho que percebeu que estamos com vergonha um do outro, o que é bem estranho, só eu deveria estar com vergonha disso, a não ser que tenha se arrependido.

- Pode ser- Chan falou, dando de ombros.

Entramos em sua casa e... Meu Deus! Que casa hain! Ela é completamente enorme e a decoração é maravilhosa. Ainda tem um espaço mais para trás, acho que é o quintal dos fundos, acho não, tenho certeza, já que tem como ver a metade de uma piscina do corredor.

Fomos para a sala e todos sentamos nos sofás. Chan pegou o celular e começou a digitar, acho que está mandando mensagem para a Kat.

- Esse ano vai ter festa de Halloween no colégio?- Sam perguntou, mais uma vez quebrando o silêncio que havia se instalado no hambiente.

- Sei lá- Chan deu de ombros- Depende da diretora não de mim.

- Nossa, grosso!- Sam jogou uma almofada nele, que pegou e jogou de volta- Pensava que você era mais forte, Chanzinho- provocou Chan, eu só consigo rir no momento, a voz que Sam fez foi engraçada.

- Cala a boca, Sam, sou mais forte que você- riu Chan.

- Eita, eu não deixava- coloquei pilha, queria ver uma guerra de almofadas acontecendo ali.

- Amy, segura meu celular e fica de olho na resposta de Kat, por favor- Chan me entregou seu celular e foi para perto de Sam, ou pelo menos ia, se ele não tivesse corrido para o outro lado do cômodo com almofadas na mão.

Sam começou a tacar várias almofadas na direção de Chan, que se defendia com as duas mãos. Assim que acabaram as "munições" de Sam, Chandler pegou-as do chão e tacou com mais força em Sam. Eu só consigo rir dos dois se esquivando e jogando almofadas um no outro, até que eu sou acertada.

- Ei! Eu não estou participando!- reclamei por ser acertada em cheio na cara. Meu cabelo está bagunçado e eu faço bico, parecendo uma criança birrenta.

- Desculpa!- Sam fala, agarrando uma almofada jogada por Chan.

Eles continuam a guerra enquanto eu vejo que chegou uma mensagem de Kat.

Mensagem On

Kat: Oi Chan

Kat: Eu estou indo

Kat: Precisa levar alguma coisa?

Chan: Oi Kat

Chan: Sou eu, a Amy

Kat: Chan deixou o cel com vc?

Kat: Ele n confia nem em mim e ele me conhece a mais de um ano

Chan: Na verdade...

Chan: Está acontecendo a terceira guerra mundial aqui na sala dele

Kat: Vc tá na casa dele?!

Kat: 😏

Chan: N é isso sua idiota

Chan: Sam e ele estão fazendo uma guerra de almofadas

Kat: Sério?

Kat: Queria tá aí pra ver😂

Chan: *vídeo*

Kat: Kkkkkkk

Kat: Eles estão realmente se matando

Chan: Preciso da sua ajuda

Chan: Já estou começando a ser acertada aqui!

Kat: Se vira bb 😘

Chan: Bela amiga vc

Kat: Obg 💗

Chan: Bom

Chan: N precisa trazer nada

Chan: A gente n vai fazer o trabalho

Chan: Só vamos falar sobre ele

Kat: Ainda bem

Kat: Pq já estou aqui na frente e n quero sair de novo pra ir comprar as coisas😂

Chan: Preguiçosa

Kat: Foda-se

Kat: Vem aqui me buscar

Chan: Poha Kat!

Chan: Tbm tô com preguiça 😂

Kat: Vem logo! Eu tô mandando 😤

Kat: Se vc n vier e eu chegar até aí sem vc eu vou dar na tua cara

Chan: Aff!

Chan: Já vou😕

Mensagem Off

- Kat já chegou, eu vou lá na frente buscar ela- avisei aos dois, que pararam de se matar e me olharam assentindo e depois continuando a se matar.

******

- Expliquem o trabalho- Kat falou para mim e para Sam.

Eu já busquei Kat e Sam e Chan já pararam de matar no meio da sala. Eu e Kat fizemos os dois arrumarem tudo e ainda gravamos e postamos no snap para todos verem.

- Você explica- falei para Sam, que deu um suspiro.

- Tecnicamente nós temos que ler um livro que ela passou, que no caso está na minha mochila, e depois temos que resumir o que aconteceu nele.

- E depois temos que colocar nossos comentários no final para ela saber o que achamos dele, isso é individual- acrescentei.

- Ah não, é muita coisa- resmungou Chan.

- Mas você tinha falado que era de boa a mais ou menos trinta minutos atrás!- Sam estranhou.

- Agora eu acho difícil- deu de ombros.

Depois de falarmos sobre o trabalho, conversamos sobre coisas aleatórias a tarde inteira.

- Tenho que ir, daqui a pouco minha mãe chega do trabalho e amanhã a gente ainda tem escola- me levantei do sofá.

- Chan, deixa ela na porta que eu tô com muita preguiça e a casa é sua- Sam falou, colocando uma mão sobre o rosto.

- Quê?- Chan riu de Sam e se levantou.

Me despedi de Kat e dei um pequeno soco no braço de Sam, ele sabia o motivo de eu ter feito isso. Chan me deixou na porta e nos despedimos lá. Caminhei sem pressa para casa e quando entrei vi minha mãe, ela ainda estava com as mesmas roupas que estava antes de sair para ir trabalhar, então ela tinha acabado de chegar.

- Oi filha- me deu um abraço- Onde estava?

- Falando sobre um trabalho na casa de um amigo, e não, não rolou nada, porque tinha gente lá e porque a gente não combina- comecei a subir as escadas, mas parei no meio do caminho- Boa noite, já vou dormir que estou com sono e amanhã tenho que acordar cedo de novo- mandei um beijo no ar e fui para o meu quarto dormir.


Notas Finais


Beijos Pandinhas 😘
Desculpe qualquer erro, pode ter sido o corretor automático.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...