História Garota Pacífica - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers, Eldarya
Personagens Ayato Sakamaki, Ezarel, Jamon, Kanato Sakamaki, Keroshane, Laito Sakamaki, Leiftan, Mery, Miiko, Nevra, Reiji Sakamaki, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Valkyon, Yui Komori
Tags Diabolik Lovers, Eldarya, Melanie Martinez
Exibições 22
Palavras 1.337
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem da fic ;)

Capítulo 1 - Cry Baby


Fanfic / Fanfiction Garota Pacífica - Capítulo 1 - Cry Baby

Parece que troquei meu cérebro por meu coração, ou o que sobrou dele, pareço levar tudo na ofensiva e quando me dou conta, lágrimas infernais descem pelo meu rosto e desmorono sem mais nem menos. O pouco tempo em que estou aqui parecem de viraram séculos, não tenho mais noção das horas, dos dias e do tempo, vivo trancada no meu quarto, raríssimas vezes eu saio daqui. Vivo isolada do mundo. 

Merdão, meu crylasm que evoluiu à pouco tempo não sai de perto de mim, mesmo eu mandando-o explorar pelo Q.G, ele me olha como se quisesse saber o que ouve, como se quisesse falar comigo, me consolar. Lembro-me de quando eu fiz o teste e o recebi, me lembro de quando ele me mordia. Ele era feliz, agora está triste. 

Sentada no canto do quarto ouço passos, não tinha coragem de olhar para a porta e ver a silhueta atrás dela, os passos pararam e me senti aliviada, mas Merdão se levantou e foi até a porta, rezei para que ele não fizesse barulho mas foi em vão. 

Mel...?_ Era Miiko, para uma kitsune que não gostava de mim ela está se mostrando bastante preocupada comigo nesses últimos dias. Olhei para Merdão como se pedisse pra ele voltar pro meu lado, mas ele continuou lá, olhando para mim e para a porta _ Melanie, abre a porta por favor..._ Eu continuava ali no canto olhando pra porta, ouvi um suspiro da parte dela e ela foi embora. 

Não queria que fosse assim, não queria que isso tivesse acontecido, mas foi por culpa dela, foi culpa do meu problema. Queria poder resolver tudo isso, queria que tudo voltasse ao normal, queria voltar pra casa e poder rever meus irmãos e abraçá-los, mas mesmo que eu voltasse, eles não iriam se importar com minha volta, nem se preocupariam se eu morresse. 

Merdão ainda olhava pra porta como se estivesse esperando algo de trás dela, não tive muita escolha além de deitar no chão, eu simplesmente podia me deitar na cama mas não estava afim, o chão estava frio e eu passei a olhar pro teto. 

Sinto lágrimas rolarem, meu cérebro girou a manivela da torneira em meus olhos.

Meu coração não cabe mais no meu corpo, não cabe mais à ele armazenar meu sofrimento. 

Penso enquanto choro novamente, meu pensamento vai para Ezarel e suas brincadeiras sobre mim, ele me chama de bebê chorona mas eu realmente estou pouco me fedendo no momento, eu tento sorri enquanto choro  mas eu apenas deixo elas rolarem cada vez mais.

Acho que perdi todos os meus amigos isolada aqui, não falei mas com ninguém. Eu falo pra mim mesma que não sou eu a culpada, foi ela, eu sou a única aqui e ninguém me intende, estou sozinha e as lágrimas continuam voltando novamente. 

Sinto algo próximo ao meu rosto, era macio e quentinho, sorrio de leve ao sentir uma sensação boa. Penso que era Merdão que estava ao meu lado e abro meus olhos, vejo que estou em uma sala e as luzes dela me incomodam, fecho novamente e espero me acostumar com a claridade, me levanto com cuidado e sinto uma pontada nas costas o que me faz soltar um pequeno gemido de dor. 

Olho em volta e logo percebo que é a enfermaria do Q.G, um pânico me invade e me faz querer sair dali, saio da cama da enfermaria mas ao tocar meus pés no chão, eu caio. 

Tentei me levantar mais não consegui, minhas pernas estavam fracas, eu estava fraca, tentei me apoiar na cama para conseguir se levantar mas foi em vão. 

Mel!?_ Ouço me chamaram, mas não dei muita atenção, tento novamente subir mas novamente foi em vão, lágrimas começam a querer descer e tento segurá-las._ Você se machucou??_ Sinto braços me rodeando e me levantando  me fazendo senta na cama, olho pra pessoa e vejo Leiftan, ele sempre foi muito gentil comigo mesmo eu quase não falando com ele. 

Estou bem...só levei uma queda, nada de mais _ Tento sorrir mas não consigo, acho que desaprendi a sorrir com o tempo, olho para ele e vejo a preocupação em seu rosto, me pergunto se foi ele que me trouxe pra cá, como ele abriu a porta._ Leiftan...co-como eu vim parar aqui...? _ Pergunto tremendo, não queria vê-lo.

_ Miiko pediu para tentar tirar você do quarto, ela estava inquieta, Ykhar tentou acalmá-la mas não conseguiu, então Ezarel optou por dar uma poção à ela_  Tentei acompanhar suas palavras mas a pontada nas costas surgiu de novo, gemi novamente de dor e uma leve tontura surgiu, Leiftan percebeu e foi buscar algo em uma prateleira, depois de uns 5 segundos ele voltou com um copo com um líquido púrpura nas mãos. _ Aqui, você vai se sentir melhor_ Ele me entregou o copo. 

O cheiro era doce e quando bebi senti vontade de cuspir, fiz uma careta em resposta é logo entreguei o copo novamente para Leiftan. 

Não Mel, você precisa_ Seu tom de voz era doce e suave, lutei contra a força de vontade de jogar o copo pra longe de mim mas quando percebi, já estava bebendo aquela merda, ou tentando. 

Quando eu dfinalmente terminei, entreguei o copo pra ele e ele o deixou em cima de uma mesinha perto da cama. 

Olhei pro chão, mas especificamente meus pés, não sabia como puxar uma conversa então preferi ficar calada. Ele se sentou do meu lado e ficou me observando, senti meu rosto arder, não gostava quando as pessoas ficavam me olhando...

Q-que foi? Te-tem algo no meu rosto...?_Perguntei nervosa, em resposta ele riu mas depois ficou sério por um instante. Ele se aproximou de mim e acariciou minha bochecha, tive outro motivo pra ser comparada com um tomate. 

Fiquei preocupado com você...te ver desmaiada e em um estado horrível...Não sei o que passou na minha cabeça na hora, só sei te peguei no colo e te trouxe pra cá...No tempo em que você passou a se isolar, eu tentava me controlar ao máximo pra não correr até a porta do seu quarto e abri-la, poder te aabraçar era tudo o que eu queria..._ Olhava pra ele confusa, mas logo um pensamento se passou pela minha cabeça. 

Ele gosta de mim???  Se gostar...Se a Miiko saber...aiii ainda tem a Miiko! !! Eu ia fazer uma merda das grandes agora....

Entrei em pânico quando ele se aproximou do meu rosto, meu rosto agora não passava de um tomate. Senti arrepios quando ele deslizou sua mão até minha nuca, eu estava desesperada. 

Não faz isso...Por favor...

Tentei empurrar ele mas ele segurou minhas mãos, senti seus lábios tocarem meu pescoço, um arrepio percorreu sobre meu corpo, ele sentiu isso...

Leiftan começou a fazer uma pequena trilha até o canto da minha boca, virei o rosto para o lado. 

Leiftan...na-não...Por favor _Disse num sussurro, não queria fazer isso, mal conheço ele, mal falo com ele...

Ele ia falar algo quando ouvimos um barulho de passos, ele me olhou e beijou minha bochecha antes de se afastar de mim, os passos estavam cada vez mais perto, vimos Ezarel.

Olha só...a bebê chorona acordou, ou devo dizer, pequena chorona adormecida? _ Ezarel sabia que isso me irritava e não perdia uma, mostrei o dedo do meio pra ele._ Ain...tá agressiva ;-; _ Ele se fez de ofendido mas depois começou a rir. 

Vai à merda, Ezarel..._Felei tentando me acalmar, não suportava isso . Ezarel continuou a rir não ligando ignorando meu xingamento, mas depois ele para e se recupera.

Ezarel tenho que falar com você um instante _ Leiftan diz em seu tom suave como sempre, Ezarel concorda e os dois se distanciam. 

Começo a pensar no ocorrido me pondo à chorar novamente, não queria passar por isso novamente, não aqui. 

Me sinto tonta novamente, minha vista fica turva e começo a ter dor de cabeça, uma dor insuportável que me fazia chorar mais...


Eu olho pra você e vejo eu mesma...Eu te conheço melhor do que ninguém Melanie...tenho a mesma torneira nos meus olhos...Então suas lágrimas são minhas...



Notas Finais


Então? O que acharam? Ficou meio chato? Ficou meio legal? Ficou os dois? :')

Espero a avaliação/sugestões de vcs ;)

Bjs
{M}


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...