História Garota Problema - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Vingadores (The Avengers), Viúva-Negra (Black Widow)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Dr. Bruce Banner (Hulk), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Jane Foster, Laura Barton, Maria Hill, Mulher-Hulk Vermelha (Betty Ross-Banner), Natasha Romanoff, Pepper Potts, Phillip Coulson, Sam Wilson (Falcão)
Tags Avangers, Brutasha, Clintasha, Romanogers
Exibições 44
Palavras 1.977
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Mistério, Policial, Romance e Novela, Super Power, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gente!
Só tenho a agradecer a vocês, aos favoritos e em especial aos comentários!
Espero que gostem do capitulo!
BJOOO

Capítulo 4 - Reencontrando Clint


Fanfic / Fanfiction Garota Problema - Capítulo 4 - Reencontrando Clint

 Contei de forma resumida o que Bucky me disse.

- Quer dizer que ele está apaixonado por você! – Eu me engasguei com a pizza e ela ficou rindo da minha cara.

- Não foi isso que eu disse Pepper, vê se não viaja!

- É o que parece horas, e te digo mais, acho que existe reciprocidade!

- Existe reciprocidade no amor que eu tenho por essa fatia de pizza e não vou atender a minha vontade que é de jogar ela na sua cara!

Ainda conversamos um pouco mais e rimos de besteiras que a Pepper falava, depois fomos dormir. Como nunca tinha tempo para dormir, aproveitei que sábado só iria sair as onze e resolvi dormir um pouco mais. Me acordei as dez e Pepper estava na sala se vestindo pra sair. Eu vestia apenas uma regata e um shortinho curto do pijama.

- Vai pra onde senhorita Potes?

- Comprar um café porque esse seu não tá legal Nat!

- Esqueci que a cafeteira quebrou!

- Vou rapidinho!

- Tá, então trás comida! – Entrego algum dinheiro pra ela e ela sai. Me viro pro relógio e eram umas nove horas, me abaixei na frente da cafeteira tentando entender o que aconteceu com aquela geringonça que não ligava mais. Ouço batidas na porta.

- Tá aberta! – Grito pensando ser Pepper. – Esqueceu alguma coisa Pep? – Me levando virando de frente pra porta e quase morro de susto quando vejo não somente Steve, mas Bucky logo atrás o empurrando na cadeira de rodas. Minha primeira reação foi andar pra trás do balcão da cozinha na tentativa de esconder minhas roupas ou a falta delas.

- Steve? Bucky? Pensei ser a Pepper...

- A moça loira que passou pela gente? – Pergunta Bucky contendo o riso.

- É! – Começo a tentar arrumar o cabelo que deveria estar assanhado.

- Eu já vou indo Steve, volto meio dia! Thal Nat! – Diz Bucky se virando e saindo do apartamento puxando a porta.

- Eu... Achei que só viria as onze... – Disse um pouco envergonhada.

- Desculpe Nat, é só que Bucky veio com um história que iria ajudar Wanda e que tinha falado com você que tinha dito pra me trazer aqui... Vou matar Bucky! - Ele estava mortificado de verginha por perceber que Bucky armou pra ele.

- Está tudo bem Steve! – Saio do meu esconderijo e noto que ele observa meu corpo enquanto me aproximo para empurrar a cadeira até a sala. – Sei que é impossível, mas sinta-se a vontade, vou apenas trocar de roupa e da um jeito nessa juba ruiva.

Me viro indo até o quarto e sentindo minhas costas queimarem com o olhar de Steve sobre mim, quando saio do quarto depois de um banho tomado Pepper tem retornado e estava sentada ao lado dele conversando e comendo  alguns doces com café que ela trouxe da padaria.

- Vejo que está em boa companhia! – Digo chamando a atenção dos dois.

- Nat, vem logo porque eu estou pra comer o seu também! Diz Pepper,  como meu apartamento é quente resolvi vestir um short mais comprido e uma regata, sentei no chão próximo a eles.

- Do que falavam? – Pergunto.

- Ele acabou de me contar que conhece meu ex!

- O que? – Pergunto.

- O Stark é bem conhecido Natasha! – Diz Steve.

- Stark? Da rede hospitalar Stark? – Pergunto olhando pra Pepper que revira os olhos. – Nunca me disse que o seu ex era bilionário!

- Porque você é lerda Natasha!

- Sempre se referiu a ele como Tony, deveria eu saber que ele é o renomado cirurgião Antony Stark?

- Que seja! – Diz formando uma tromba e vejo Steve rindo.

- De qualquer jeito não vou na festinha do seu amigo! – Diz ela.

- Vai sim! Você me prometeu!

- Vou não! Ele vai estar lá!

- Tony é um velho amigo que não tinha contato a anos, voltei a ter agora com o acidente, foi ele quem fez minha cirurgia e cuidou de tudo. – Diz Steve.

- Ele fez sua cirurgia? – Pergunta Pepper.

- Sim! Tive que operar as duas pernas e também teve a queimadura que precisou de maiores cuidados, ele me acompanha de perto desde então!

- Então você é o amigo misterioso que ele teve que socorrer no dia em que tínhamos marcado de nos encontrar pra comemorar nosso aniversário de namoro? – Diz ela já triste.

- Parece que sim! – Diz Steve.

- E eu praticamente o crucifiquei achando que ele tava mentindo, como que do nada aparece um amigo de infância que sofre um acidente e quase morre? Eu o julguei tão mal!

- Agora é que você vai mesmo! Tem que ir e pelo menos pedir desculpas a ele pelo mal entendido! – Digo.

- Você acha? – Me pergunta ela.

- Com certeza!

- Então eu vou mesmo amiga! – Se levanta pegando a bolsa.

- Vai agora?

- Não cara pálida, vou em casa pra me arrumar melhor, te vejo lá!

- E sabe pelo menos onde é?

- Seu namorado me disse! – Sai e me deixa pra trás vermelha como um pimentão. Quando olho pra Steve ele está rindo da minha cara, pego uma almofada no sofá e jogo nele.

- E o que faremos agora até o Bucky vir nos buscar? – Pergunto.

- Eu ainda não acredito que ele mentiu pra mim! Me sinto horrível invadindo a sua privacidade desse jeito! – Diz passando as mãos no rosto. Sento no sofá a seu lado e acaricio sua mão de leve.

- Bobagem Steve, não tem problema nem um. – Ele olha para as nossas mãos e vira a dele com a palma pra cima e entrelaça nossos dedos apertando de leve. Observo o gesto um pouco estática e ao direcionar meus olhos para seu rosto ele me olha com um leve sorriso que retribuo apertando sua mão de volta.

- Então? O que faremos?

- Acho que nada, já são dez e meia, é melhor nos aprontarmos. Quer tomar um banho?

- Não! Estou bem, pode ir se aprontar que vou fuçar na sua TV!

- Como quiser! – Saio da sala só então soltando a mão dele e me tranco no quarto. Devo ter demorado uma hora pra sair, já tinha tomado um banho, mas o calor estava horrível e achei que seria melhor que eu tomasse outro. Vesti apenas um vestido solto com o busto coberto. Coloquei uma sandália aberta sem saltos e soltei os cabelos que na maioria do tempo estavam presos já que o trabalho me exigia isso. Sai do quarto.

- Deve estar morrendo de tédio não?

- Se toda a espera for pra esse resultado, valeu a pena! – Diz me olhando de cima a baixo.

- Obrigada! – Digo andando rapidamente até a cozinha. – Quer comer ou tomar alguma coisa?

Falo quase gritando.

- Uma água! – Diz ele e logo levo um copo de água com gelo.

- Aqui é horrivelmente quente não é mesmo?

- Porque mora aqui? – Sento novamente a seu lado.

- Porque tenho que manter minha faculdade.

- Direito não é?

- Hum rum!

- Porque Direito?

- Honestamente? – Ele afirma. – Sempre achei que a justiça é muito falha e acompanhei um caso de muito perto que se tivesse sido bem acusado pela promotoria, hoje a vitima não estaria tão mal. Então resouvi tentar a área, sei que não sou melhor que ninguém, mas pelo menos posso dizer que farei tudo que me for possivel.

- Então quer ser promotora?

- Hum rum!

- O caso que fala é o dos seus pais? - Resolvi aproveitar e omitir que esse não era o caso principal, mas sim um secundário.

- Sim! Eles sofreram bastante porque não consegui judicialmente um tratamento publico de qualidade pra eles.

- Por que no começo, achou alguém que fez um trabalho melhor.

- Judicialmente não!, mas um fisioterapeuta extremamente jovem me procurou querendo que eu usasse um novo método de fisioterapia na minha mãe, já que ela estava com pouquíssima movimentação. Eu aceitei e funcionou, mas o problema dela não eram só as articulações e só a fisioterapia não seria o suficiente. Sei que ele fez o máximo.

- Parece que esse médico se tornou alguém importante!

- Uma inspiração digamos assim, ele é muito novo e já tem a própria clinica funcionando a alguns anos. O tratamento que ele fez pros meus pais fui eu mesma quem executei, sem a necessidade de arcar com um profissional e sei que isso foi de grande ajuda financeira. No final o pouco dinheiro que ainda existia minha mãe não permitiu que eu usasse alegando que teria melhor uso depois que ela se fosse e aqui estou eu nessa loucura de vida.

- Não sei como aguenta!

- Nem eu! Só me seguro na ideia de que todo esforço é válido e que algum dia irei receber os benefícios sabe?

- Entendo! – Ele levou a mão ao meu rosto enxugando uma lágrima que escorreu e só ai notei que transparecia o que sentia. A campainha toca e eu levanto indo atender. Era Bucky, ele nos cumprimenta e logo começa a empurrar a cadeira de rodas de Steve pelo corredor do prédio.

- Quando vai sair desse troço? – Pergunta Bucky. – Tá ficando pesado.

- Acho que tem que perguntar a minha enfermeira ai!

- Próxima semana começaremos a usar as barras para que consiga ficar em pé! – Digo animada.

- Parece que ela tá mais animada que você na sua volta em andar parceiro! Acho que está gostando de ser bem tratado! – Brinca Bucky.

Alguns minutos depois estamos entrando em uma casa enorme com um jardim no fundo onde estava uma mesa redonda com cinco pessoas sentadas, e duas em pé um pouco afastadas. Duas pessoas naquele grupo me chamaram a atenção, uma foi Pepper que conversava afastada com, pelas características, Tony e o outro...

- Mother Fucker! – Ouço assim que desvio meu olhar de Pepper e direciono meu olhar pra quem fala já sabendo de quem se tratava.

- Clint! – Digo com o maior sorriso que encontrei e ele se levanta indo de encontro a mim e me dando um abraço forte.

- Tasha! Faz tempo que eu não te via! – Diz e me solta. – Eu sinto muito por sua mãe! Perdi teu contato depois que se mudou e me senti péssimo porque sabia que não iria ter ninguém nesse inferno pra te ajudar...

Fala mudando totalmente o tom de voz e a expressão.

- Não foi nada Clint. Honestamente por alguns dias duvidei que eu conseguisse dar mais um passo a frente, mas em honra a todo o sacrifício que ela fez por mim eu engoli os meus problemas e segui em frente.

- É muito bom ouvir isso! – Diz e me abraça novamente. – Há!

Me puxa pela mão até uma moça de cabelos escuros que tinha um enorme volume no ventre.

- Essa é minha esposa Laura.

- Sua Hi School sweetheart? É um prazer conhecê-la, ele só falava de você na epoca em que nos conhecemos!

Digo a cumprimentando.

- E este será Francis! – Diz apontando para a barriga da esposa.

- Parabéns! - Digo.

- Clint, não rouba a companhia alheia! – Diz uma moça de longos cabelos castanhos e olhos claros. – Eu sou Wanda! Estes aqui são Thor e Jane.

Me apresentou ao outro casal que restava e depois das apresentações fui sentar ao lado de Steve que estava com uma cara amarrada.

- Algum problema? – Pergunto aos sussurros.

- Nem um! – Responde seco e me assusto, resolvo ficar calada. Logo Pepper e Tony se juntam a mesa e todos começam a conversar. Eu me mantinha atenta a conversa apesar de não falar muita coisa.

- Então Natasha! Já que você foi quem ajudou Pepper a me dar um pé na bunda quero saber mais sobre você! – Diz Tony e notei que todos olhavam pra mim. 


Notas Finais


O que acham que Natasha vai dizer?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...