História Garotas Perigosas - Capítulo 149


Escrita por: ~ e ~mwalcker

Postado
Categorias Ashley Benson, Fifth Harmony, Selena Gomez, Vanessa Hudgens
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Camren G!p, Lauren G!p
Exibições 1.539
Palavras 2.008
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Mores 💙💜

Foto: (Luna com a mãe e o padrasto) Foto que a Lauren vê.

Capítulo 149 - Tenho todo o tempo do mundo


Fanfic / Fanfiction Garotas Perigosas - Capítulo 149 - Tenho todo o tempo do mundo

 

 

                     P.O.V. LAUREN

 

Eu disse que tiraria ela daqui e tirei, agora Luna estava pegando seus pertences enquanto eu fui até a cela onde minha filha estava e à encontrei sentada no chão com a cabeça encostada na parede.Assim que ela notou minha presença ela rapidamente se levantou e veio até a grade.

 

- A Débora e a Luna já foram soltas - Digo e vejo minha filha sorrir. - Elas pagaram fiança, eu paguei a da Luna,ela não tinha a quem recorrer e como vocês são muito amigas,eu quis ajudar...

 

- A Luna é como se fosse minha irmã papa, que bom que a senhora ajudou ela, obrigado.

 

- Eu sinto muito não poder tirar você, seu caso... 

 

- É complicado - Alycia disse me interrompendo. - Eu sei...

 

Alycia colocou a mão na grade e eu coloquei minha mão por cima da dela.

 

- Já está quase amanhecendo, eu vou levar a Luna em casa mas a Dinah está ai e eu já ...

 

- Papa - Disse me interrompendo mais uma vez e segurou minha mão. - Eu vou ficar bem,pode ir. - Disse e eu assenti.

 

[...]

 

 

- Na próxima rua, vira a esquerda. – Luna falou indicando com a mão e eu assenti.

 

O silencio voltou a reinar naquele carro. Eu estava levando a garota para a sua casa, apesar de já ter ido lá uma vez eu não me lembrava muito bem do endereço, e minha cabeça também não estava lá essas coisas, eu pensava na Alycia lá naquela cela, eu pensava nos meus filhos em casa, na Camila e também pensava na garota ao meu lado, nas coisas que ela me disse.

 

- Vocês não vão mesmo devolver meu carro? – Perguntou quebrando o silêncio e eu suspirei.

 

- É complicado, ele vai pro pátio junto com os outros e daqui e vai ter todo aquele processo para ver se encontramos mais alguma coisa neles, mas acho que daqui algumas semanas você pode entrar com a papelada para tentar tira-lo de lá. – Respondi e virei para esquerda, como ela havia me indicado.

 

- Vocês não vão desmontar o meu bebe não, né? – Perguntou e eu pude sentir o desespero na sua voz.

 

- Esse carro parece muito importante para você – Comentei com um sorriso discreto no rosto.

 

- Ele é, o Dominic montou ele para mim, na verdade montamos juntos – Disse com um sorriso no rosto e quando eu olhei para ela, ela fechou o sorriso – Agora, vire a direita – Explicou o caminho e eu assenti, virando aonde ela havia mandado.

 

- Desculpa perguntar, se não quiser me responder fique a vontade. Mas é que... você parece bem apegada com o seu padrasto e... o que aconteceu com ele? – Perguntei curiosa. E ela suspirou e passou a mão em seus cabelos.

 

- O carro foi a última coisa que fizemos juntos – Disse com a voz baixa e eu assenti – Ele e minha mãe morreram em um acidente de carro – Completou e um clima estranho exalou naquele carro.

 

- Eu sinto muito – Digo baixo, sem saber realmente o que falar.

 

- Não sinta, já passou e eu sei que agora eles estão muito melhores aonde eles estão... é aquele prédio ali – Apontou para o prédio a frente e eu assenti estacionando o carro ali. Eu percebi que ela muda de assunto com uma facilidade, aquilo era bom. – Valeu por me trazer – Ela disse tirando o cinto e eu já fui tirando o meu também, e ela desceu do carro e eu abri a porta do carro descendo também.

 

- Não vai me chamar para entrar, tomar um café, um suco, sei lá. – Digo já trancando a porta do meu carro e ativando o alarme.

 

Luna me olhou e arqueou as sobrancelhas confusas e eu cruzei os meus braços.

 

- Bom... eu acho que suco e café não vai ter, deve ter algumas garrafas de cerveja se as meninas não tomaram – Disse sem graça.

 

- Água tem, certo? – Perguntei rindo e ela assentiu – Então eu aceito uma agua – Digo já começando a andar até o portão do prédio.

 

- Tá? – Ela respondeu meio incerta e eu segurei a minha vontade de rir.

 

Quando eu me aproximei do portão, eu pude ver algumas marcas de tiros. Passei a ponta de meus dedos ali e sentir um calafrio só de imaginar que aquela marca poderia estar na minha filha agora. Luna me olhou e rapidamente abriu o portão e deu passagem para mim entrar.

 

- Olha, a senhora me desculpe a bagunça eu sai apressada e não tive tempo de arrumar e... enfim – Ela dizia nervosa enquanto subíamos as escadas.

 

- Não tem problema, acho que se não fosse a Camila lá em casa você iria ver o que é uma casa bagunçada – Soltei uma risada baixa e Luna abriu a porta e entrou deixando a mesma aberta. Dei de ombros e entrei também e vi ela pegando algumas roupas do chão e colocando atrás da almofada do sofá, aquilo me fez rir.

 

- Fica a vontade, eu vou buscar a sua água – Ela disse apressada, e ela já estava saindo mas travou e voltou pegando uma caixa de pizza e algumas garrafas de cerveja encima da mesinha no centro da sala e sumiu pelo o corredor que eu deduzi ser a sua cozinha.

 

Analisei o apartamento brevemente,dei de ombros e caminhei até o sofá, e quando eu me sentei senti algo em minha bunda, rapidamente me levantei e puxei o que estava embaixo de mim, era uma caixinha de cigarro, vazia. 

 

- A água não está muito gelada, eu não tomo muito agua e... – Luna chegou na minha frente e puxou a caixinha da minha mão e sorriu amarelo – Desculpa – Disse e eu sorri pegando o copo de água e tomando um gole.

 

- Não tem problema, obrigada – Digo e tomo o resto da água em um gole só – Agora, pode ir arrumar as suas coisas que eu te espero – Sorri e me ajeitei no sofá cruzando as minhas pernas.

 

Eu não sabia na verdade o que eu estava fazendo, eu me deixei levar pelo o meu coração, eu sentia que precisava protege-la e de alguma forma essa casa, tudo isso,parecia tudo muito solitário.

 

- Como? – Luna me olhou confusa.

 

- Você vai ficar na minha casa. – Avisei e ela soltou uma risadinha fraca eu permaneci séria.

 

- Você está brincando, não é? – Perguntou e eu neguei com a cabeça.

 

- Nunca falei tão sério em toda a minha vida, você vai ficar na minha casa, pelo menos até a Alycia sair, você sabe, eu posso precisar de você – Digo tentando achar as palavras certas para convencer que ela fosse comigo – Você está sem carro, e lá em casa você vai estar sempre ciente de tudo que está acontecendo com a Alycia – Falei como quem não quer nada e ela ficou me olhando – Eu tenho todo o tempo do mundo – Digo me ajeitando no sofá e Luna suspirou rendida.

 

- O que eu não faço por você Alycia – Escutei ela resmungar consigo mesma e saiu andando quase se arrastando para um pequeno corredor. Ri com aquilo.

 

Me ajeitei apoiando os meus braços nas costas do sofá. Olhei para aquela televisão desligada e pensei em liga-la. Eu não sei porque, mas eu me sentia em casa naquele lugar, talvez porque aquele apartamento lembra a minha casa quando era solteira, agora eu entendo do porquê a Alycia viver aqui o tempo todo.

 

Mas algo ao lado da TV chamou a minha atenção, franzi o cenho e me levantei caminhando até lá.

 

Era um porta retrato, um homem com a aparência fortão tinha o seu braço atrás das duas mulheres, mas o que me chamou mais atenção foi o sorriso delas, principalmente o de Luna, acho que em todas essas vezes em que vi ela, eu nunca cheguei a ver um sorriso como aquele da foto, e aquela mulher.... Aquela mulher não me é estranha, era como se eu já tivesse a visto, era como se eu já a conhecesse de algum lugar, mas ao mesmo tempo eu não me lembro de onde, ou talvez eu esteja apenas confundindo com a semelhança que ela tem com Luna.

 

- Essa foi a última vez em que vi eles – Pulei assustada ao escutar a voz atrás de mim,até pensei em esconder o porta retrato em minhas mãos, mas já havia sido tarde demais.

 

- Essa é sua mãe? – Tentei agir normal, eu ainda estava meio sem graça pelo o flagra.

 

Luna caminhou até a mim e pegou a porta retrato de minha mão e olhou para a foto e sorriu.

 

- Sim, ela é linda não é? Dominic dizia que ela era a mulher mais linda do mundo e ele estava certo.  – Respondeu sorrindo boba e colocou o porta retrato no lugar novamente. Acabei sorrindo com o seu comentário.

 

- Como ela se chamava? – Eu ainda estava intrigado com aquele rosto conhecido e ao mesmo tempo desconhecido por mim.

 

- Leticia – Luna respondeu e me olhou – Leticia Mello – Disse e eu assenti franzindo o cenho buscando em minha mente se conhecia alguém com esse nome, mas não consegui me lembrar de nada, e quando eu pensei em comentar algo ela me cortou – Eu já arrumei, não vou levar muita coisa pois sei que vão tirar a Alycia de lá logo, então... podemos ir?

 

Assenti e ela ajeitou a mochila nas costas.

 

[...]

 

O caminho até minha casa estava sendo em completo silêncio e aquilo de certa forma estava me incomodando. Olhei para ela rapidamente e voltei a olhar a pista.

 

- Você gosta muito de tatuagens né ? - Perguntei na tentativa de puxar assunto.

 

- Eu amo,sempre que posso eu estou fazendo uma - Ela disse me fazendo sorrir.

 

- Eu também gosto bastante, queria fazer mais algumas mas Camila diz que não tenho mais espaço no corpo pra isso - Digo e ouço a risada dela.

 

- Eu já tenho uma próxima em mente sabe ? Alycia também quer fazer uma,estávamos planejando fazer juntas - Comentou e eu sorri.

 

- Quando ela sair podemos ir nós três fazer,que tal ? - Perguntei parando no sinal e olhei para ela.

 

Luna assentiu com um sorriso enorme enfeitando seu rosto.

 

- Legal,vai ser divertido.

 

O restante do caminho fomos falando sobre as futuras tatuagens que ela queria fazer e quando eu menos percebi já havíamos chegado em minha casa.

 

Assim que estacionei o carro dentro da caragem, eu sai do carro e Luna saiu logo depois.

 

Fechei o portão da garagem e sorri para Luna que estava parada,agarrada com sua mochila.Alí eu vi uma menina completamente indefesa, diferente da que conversou comigo na sede e falou aquelas besteiras.

 

Fui até a porta que dava acesso para dentro de casa e abri, entrei e assim que Luna entrou eu tranquei a porta.

 

- Fique a vontade - Falei e franzi o cenho ou ver as luzes da casa acesa.

 

Com certeza Camila não estava conseguindo dormir.

 

Assim que chegamos na sala me deparei com a televisão ligada,porém estava sem som.Camila estava sentada no sofá e Malu deitada com a cabeça em suas coxas.

 

- Amor ? - Chamei e Camila me olhou, assim como Malu que se levantou rapidamente.

 

- Luna - Malu disse vindo na direção da morena e a abraçou.

 

Já Camila ficou parada olhando para mim.

 

- Luna é amiga da Lyci, lembra dela né ? - Perguntei e Camila assentiu e sorriu para Luna que havia acabado de sair do abraço com Malu. - Ela vai ficar aqui por um tempo,até a Alycia sair.

 

- Eu vou arrumar o quarto de hóspedes pra você - Camila disse e sorriu de lado.

 

- Pode deixar que eu arrumo - Malu disse e Camila assentiu. - Vem ... - Malu disse segurando a mão de Luna e as duas foram em direção as escadas.

 

Fiquei olhando as duas subirem e assim que as duas sumiram do meu campo de visão,eu olhei para Camila que estava com os braços cruzados me encarando.

 


Notas Finais


Até breve 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...