História Garotas Perigosas - Capítulo 151


Escrita por: ~ e ~mwalcker

Postado
Categorias Ashley Benson, Fifth Harmony, Selena Gomez, Vanessa Hudgens
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Camren G!p, Lauren G!p
Exibições 1.792
Palavras 2.450
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Mores 💜💙 Desculpem os erros e boa leitura.

Capítulo 151 - Até hoje eu me odeio por isso


  

        Anteriormente

 

- Não Alycia, não, eu nunca viajei. Toda aquela imagem que sua mãe criou de mim é falsa, eu não sou uma heroína e nem nunca fui. Eu não estava lá porque eu estava presa Alycia, presa.

 

[...]

 

- Papa, do que a senhora está falando? – Alycia se ajoelhou apoiando as mãos na grade e eu olhei para ela rapidamente e sorri,segurando a sua mão levando até os meus lábios e deixei um beijo ali.

 

- Quando eu entrei no ensino médio, um pouco mais nova que você, acho que tinha uns quinze, dezesseis anos eu conheci a sua tia Dinah – Dei uma pausa e percebi a movimentação de minha filha se sentando novamente – Eu nunca gostei de ir para escola sabe? Eu sempre fui meio rebelde, mas o seu avô vivia dizendo que eu era daquele jeito porque queria chamar a atenção,eu só ia para escola todos os dias por causa de Alycia, ela me fazia gostar daquilo tudo, mas naquele ano, ela havia concluído o seus estudos e estava entrando na universidade e eu me vi sozinha naquele lugar que eu chamava de inferno ou prisão, só eu e a Vero, mas quem era a Vero ali? Aquela magrelinha da sétima série, céus a sua tia Vero era horrível. – Falei fazendo uma careta e eu escutei a risadinha de minha filha. – Ai entrou a aluna nova, e eu olhei para aquela menina gigante de cara fechada mascando chiclete com a boca aberta, que já foi arrumando confusão com a professora logo no primeiro dia de aula eu pensei: caralho, eu tenho que ser amiga dessa menina.... 

 

- A tia Dinah? – Alycia perguntou.

 

- Sim – Assenti com um sorriso fraco no rosto, me deixando me levar pela as lembranças – No meio da aula mesmo eu comecei a conversar com ela, e ai nós duas fomos expulsas da sala por estarmos atrapalhando a aula e no fundo da escola tinha uma pista de skate, eu e Dinah ficamos conversando lá, e em pouco tempo de conversa eu já amava aquela garota e a gente começou a andar juntas. – Me virei para olhar para Alycia – Sabe filha, eu nunca fui a filha perfeita sabe? Sua tia Alycia havia acabado de entrar na faculdade, seu tio Ian já estava trabalhando junto com o seu avô, e Vero por mais que tentasse ser igual a mim, ela sempre tinha as notas boas, e na hora do jantar eu ficava olhando mamãe dando comida para sua tia Taylor enquanto papai falava com os outros três dizendo o quanto era orgulhoso deles e eu sempre fiquei invisível ali no meu mundinho, eu dei tanto trabalho que eles acharam melhor não se importar sabe? Fingir que eu não existia, e eu não os culpo por isso, eu não queria a atenção deles, eu era assim porque eu gostava de ser assim, eu gostava de ser a ovelha negra da família, eu não me importava com nada sabe? – Me encostei na parede novamente,ainda segurando a mão de minha filha – Eu costumava dizer que todos na escola tinha um sonho, uns queria ser professor, outros advogado, médico, policial, e eu só queria ser mal, eu queria ser aquela pessoa que botava medo nas pessoas com um simples olhar, ser aquela pessoa que anda pelo o corredor e as pessoas se escondiam de medo, eu queria ser assim e adivinha só? A sua tia Dinah também – Soltei uma risadinha sem humor.

 

- Papa.... – Não deixei que Alycia continuasse, eu não queria ser interrompida se não eu perdia a coragem.

 

- Foi quando eu ouvi uma fofoquinha pelo o corredor da escola – Falei alto sobressaindo a voz de minha filha e ela logo se calou. – As pessoas murmuravam sobre uma garota que se achava a dona da escola porque o irmão era o traficante e comandava o bairro todo, inclusive o da escola. – Sorri amargurada – Foi quando eu tive uma ideia – Olhei para Alycia – A pior ideia da minha vida – Completei.

 

Minha filha me encarava com os olhos atentos e intrigados, mas ela se manteve calada esperando que eu continuasse e assim eu fiz.

 

- Eu me aproximei daquela garota, o nome dela era Alexa, eu usei todo o meu charme para me aproximar dela, e aquilo foi tão fácil e ela já estava caindo de quatro toda bobinha apaixonada por mim, então eu disse que queria namora-la e que queria fazer as coisas certas e pedir a mão dela para os pais dela – Soltei uma risadinha fraca – Mentira, eu sabia que ela não tinha pais, que era só ela e o irmão, eu só queria me aproximar do irmão dela, eu queria ser como ele, eu também queria comandar um bairro. E ela não pensou muito e me levou até o irmão dela, e em menos de uma semana eu e o irmão dela já éramos unha e carne, ele me tratava como a irmã dele, e ele foi me ensinando como funcionava as coisas e eu virei ajudante dele, braço direito, como quiser chamar, e quando eu percebi que não precisava mais da Alexa, eu terminei com ela, só que ela não aceitou muito bem quando percebeu que eu estava apenas usando ela, mas eu não liguei muito, aquela ali era uma coitada, foi o que eu pensei – Sorri fraco. – Nesse meio tempo, eu e Dinah fomos expulsas da escola juntas, pois nos pegaram pichando o muro, até então eu não havia envolvido ela com essas coisas de drogas nem nada, e teve uma noite que o irmão da Alexa queria dar uma festa, e exigiu que eu fosse e eu sai escondida de casa e levei Dinah comigo, mais tarde de madrugada... Talvez depois do que eu vá falar agora, você pode me odiar, e se isso acontecer eu vou te entender completamente, porque até hoje eu me odeio por isso... – Falei e senti uma lágrima escorrer pelo o meu rosto.

 

- Eu nunca vou te odiar – Alycia disse e eu suspirei.

 

- De madrugada quando eu cheguei em casa – Continuei a falar – Quando eu abri o portão da garagem da minha casa eu vi uma das cenas mais horríveis de toda a minha vida – Senti o meu coração disparar e um bolo arranhando a minha garganta, o meu estomago embrulhou só de me lembrar novamente daquele dia, mas eu juntei as minhas forças e engolir todos aqueles sentimentos e continuei falando – O farol do meu carro iluminou uma poça de sangue na vaga aonde eu acostumava deixar ele, e encima daquela poça estava a... a cabeça... a cabeça da... a cabeça da – Gaguejei a minha respiração começou a ficar ofegante e o mesmo desespero que eu senti naquele dia surgindo em mim, era como se eu estivesse vivenciando toda aquela cena novamente.

 

- Papa.... – Alycia falou baixo em um misto de horror e desespero.

 

- A minha única reação foi gritar, eu gritei tão alto que eu acho que a florida toda escutou, o meu corpo todo tremia e eu desci do carro e corri gritando por Alycia e quando eu cheguei na sala eu vi o resto do corpo dela ali jogado no tapete mais não só o dela, jogado no sofá estava o Ian, os seus olhos arregalados denunciava o desespero que ele sentiu antes de morrer, eu só chorava e gritava por eles, pelo os meus pais, Taylor, Vero, eu subia as escadas apavorada e o pior que não havia cacos no chão não havia sinais de lutas eles apenas tentaram se salvar e quando eu entrei no quarto dos meus pais e eles pareciam estar dormindo mais quando eu toquei neles, eu percebi que eles não estavam dormindo e que eles também estavam mortos,o sangue na cama denunciava isso e quando eu entrei no meu quarto eu vi a Taylor agarradinha com o seu urso deitada em sua cama, mas ela não estava diferente de ninguém, ela também não estava lá apenas o seu corpo e ainda assim ela parecia um anjinho dormindo, foi quando eu olhei no espelho do quarto e lá estava escrito com todas as letras que aquilo foi culpa minha, aquilo era o meu presente de aniversário de namoro, Alexa havia feito aquilo, ela havia feito aquilo pra se vingar de mim, foi ai que eu percebi que ela não era uma coitada, que ela era muito pior do que o irmão dela, eu declarei vingança naquele momento, eu declarei guerra, foi quando eu ouvi fungadas embaixo da cama e eu fui olhar o que era e a sua tia Vero estava ali, e que agora só seria eu e ela ali, aquele bairro que era comandado pelo o irmão de Alexa, e ele me deu todo o suporte para que eu enterrasse aqueles corpos sem levantar suspeita e em troca eu não denunciaria a sua irmã e saia da cidade, e foi assim que aconteceu, eu, Vero e Dinah arrumamos as nossas coisas e fomos para orlando, sim a Dinah também estava com a gente, e juntas nós três planejamos uma vingança e depois de anos eu voltei e matei o irmão de Alexa, a única pessoa que ela tinha na vida, depois disso, eu me tornei a maior traficante de Miami, eu não comandava só um bairro eu comandava a cidade toda junto com as suas tias.

 

- O que ?... Como - Alycia tentou falar,mas não conseguiu.

 

- Eu sentia tanto ódio dentro de mim,tanta raiva - Falei olhando fixamente para o chão - Meu único momento de luz,de paz em meio toda essa vida que eu vivia,foi quando a Maluzinha nasceu. - Sorri com a lembrança. - Justin e a Ari ficavam comigo,eu conheci eles e trouxe eles pra trabalhar comigo,eles viviam tudo aquilo comigo e quando a Ariana engravidou eu fiquei feliz sabe ? E quando eu peguei aquela bebezinha no colo pela primeira vez,eu me senti tão em paz,tão feliz.

 

Olhei rapidamente para minha filha e ela me olhava atentamente com os olhos cheios de lágrimas.

 

- Toda minha pose,todo meu ódio, tudo de ruim que eu sentia no momento que eu via aquela coisinha linda eu não era a mesma. - Suspirei e fechei os olhos. - Malu e sua mãe eram minha paz,quando eu conheci sua mãe ela estava aqui de férias,ela veio com as suas tias - Abri os olhos e olhei para minha filha. - Ash,Ally,Mani,Van e a Sel e foi engraçado porque foi a Dinah bater os olhos na Ally e a Vero na sua tia Mani que ficaram loucas por elas e eu achava que não podia me apaixonar,nunca achei que alguem pudesse me amar e então sua mãe chegou e ... - Sorri - Sua mãe me deu amor, carinho,ela cuidou de mim... Eu era a pessoa mais feliz do mundo com ela ao meu lado e quando ela me contou que estava grávida - Senti meus olhos arderem quando me recordei daquele dia - Eu fiquei tão feliz filha,eu fiquei toda boba,mas tentaram me matar,atiraram em mim,nas suas tias e sua mãe estava ali comigo, tínhamos acabado de colocar os pés pra fora de casa,íamos comemorar a gravidez dela e fomos pegas de surpresa quando passaram atirando na gente, Camila foi atingida de raspão no braço, mas... - Fechei meus olhos com força - Mas podia ter sido muito pior, eu poderia ter perdido ela,perdido nosso anjinho...Poderia ter perdido você Alycia.

 

Fiquei alguns breves segundos em silêncio, não estava sendo nada fácil relembrar tudo isso.

 

- Descobrimos que no meio do pessoal que convivia comigo, tinha uma pessoa da polícia,uma agente infiltrada. - Falei me lembrando de Bella - Foi ai que tudo aconteceu, eu tomei a decisão mais dolorosa de todas,mas era necessário sabe? Eu pedi pra sua  mãe fugir,ela não podia se ferrar por minha culpa. - Me ajeitei alí no chão e Alycia soltou minha mão, mas eu logo a segurei novamente. - Sua mãe foi embora com as suas tias e a Maluzinha, eu não consegui me despedir dela, seria muito mais doloroso, então eu assisti tudo de longe e depois que ela foi embora,eu enfrentei tudo que tinha que acontecer, eu fui presa e se não fosse o meu chefe, o Simon. Eu ainda estaria atrás das grades.

 

- O que ele fez? - Ouvi a voz chorosa de minha filha e suspirei.

 

- Ele precisou de mim em um caso e eu topei, depois disso ele me quis em um outro caso e aqui estou eu,graças a ele eu estou aqui com você agora, graças a sua mãe eu senti vontade de mudar e ser uma pessoa melhor.

 

Olhei para Alycia e ela tinha a cabeça baixa.

 

- Eu estou te falando isso tudo agora, porque quando eu tinha a sua idadade eu queria que meu pai se preocupasse comigo, eu estou te falando isso, porque eu comecei ali, pichando muro da escola, eu tinha o meu dinheiro, eu tinha tudo o que queria, mas eu não tinha a minha familia, eu não tinha a minha mae, o meu pai, os meus irmãos para implicar, eu tinha tudo ao mesmo tempo eu não tinha nada,ninguém...eu estou te falando isso agora porque eu comecei com pouca coisa, e se não fosse a sua mãe e as suas tias terem aparecido nas nossas vidas, talvez hoje eu não estaria aqui pra te contar essa história, se não fosse por Simon ter me dado mais uma chance eu ainda estaria lá atras das grades perdendo tudo de bom que aconteceu nas nossas vidas esses anos todos, eu estou te falando isso agora porque quando eu fiz aquilo com você,quando eu te coloquei de castigo, você achou que estava exagerando, mas eu vou te dizer uma coisa muito séria Alycia, que eu quero que você entenda de uma vez por todas, tentaram te matar, você escapou dessa vez, mas poderia ser pior, poderia acontecer alguma coisa com a sua irmã com o seu irmão, comigo, com a sua mãe e até mesmo com a Malu. Agora me responde minha filha, você iria aguentar carregar essa culpa pro resto da sua vida? Porque eu posso te dizer, esse sentimento é horrivel, até hoje eu não aguento e nunca vou aguentar, eu só não quero que você siga os mesmos passos horriveis que eu segui, e olha só aonde você está agora minha filha... - Suspirei ao terminar de falar.

 

Alycia soltou a minha mão e sem me olhar,voltou para onde estava quando eu cheguei.

 

- Filha ? - Chamei me levantando.

 

- Me deixa sozinha - Pediu.

 

- Fala alguma coisa filha,qualquer coisa. - Pedi e ela me olhou.

 

- Eu quero ficar sozinha,pode sair por favor? - Perguntou e eu assenti.

 


Notas Finais


Até logo meus amores.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...