História Garotas Perigosas - Capítulo 44


Escrita por: ~ e ~chickensgirl

Postado
Categorias Ashley Benson, Camila Cabello, Fifth Harmony, Selena Gomez, Vanessa Hudgens
Personagens Ally Brooke, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Camren G!p, Lauren G!p
Visualizações 2.146
Palavras 2.936
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amores,boa leitura.

Capítulo 44 - Você está ferrada



P.O.V. LAUREN
 
- Lauren - Revirei os meus olhos quando escutei a pessoa que eu menos queria encontrar hoje me chamando.
 
- Agente Jauregui - Corrigi me virando em direção a voz - O que você quer?  - Perguntei rispida.
 
- Você falou  com Simon? - Perguntou com o seu sorrisinho habitual, enquanto se aproximava de mim - Quando vamos começar a treinar ? não vejo a hora... - Se aproximou e mexeu na gola de minha camisa, me fazendo esquivar de seu toque - De ficar sozinha com você.
 
- Garota... - Digo em um suspiro pesado enquanto dava um passo para trás.
 
- Eu sei que você também está - Se aproximou de mim mais uma vez - Olha pra mim - Segurou o meu queixo e aproximou o seu rosto do meu - Eu sei que você está louca pra me pegar de jeito e me jogar em  cima da sua mesa e me foder - Soltei uma risadinha baixa - Eu sei, olha a sua cara, você é uma safada - Afastei o meu rosto quando percebi que ela estava prestes a me beijar - Ainda se fazendo de dificil? Eu adoro isso - Disse com um sorrisinho de lado.
 
Respirei fundo, uma e duas vezes...
 
- Presta atenção garota - Digo me afastando da morena em minha frente - O que não falta aqui são jovens querendo entrar no seu lugar,você sabe disso né? - Perguntei e ela assentiu. - Então se quiser continuar trabalhando aqui,faz o seu trabalho e vai procurar alguém da sua idade para pertubar - Falei usando toda a paciencia que ainda restava dentro de mim.
 
- Nossa La... Jauregui, eu só... 
 
- Os treinos começam na segunda, eu quero você as seis em ponto na pista - Falei cortando a baboseira que estava prestes a sair de sua boca e em seguida me virei, começando a caminhar pelo corredor indo em direção ao elevador.
 
Assim que eu apertei o botão do elevador, eu senti o celular vibrar em meu bolso, puxei o aparelho com pressa e sorri de lado ao perceber que era uma mensagem de Camila.
 
Amor: Onde você está ?
 
Eu: Estou na Sede ainda,daqui a pouco chego em casa e você onde está ?
 
As portas do elevador se abriram já no estacionamento e eu senti meu celular vibrar novamente.
 
Amor: Tive que vim no estúdio, to atolada de trabalho aqui e as crianças saíram e só voltam mais tarde, te vejo em casa amor.
 
Eu: OK amor.
 
Fui até meu carro e sai em direção ao bar.
 
Assim que cheguei estacionei meu carro e entrei no bar olhando em volta.Olhei no relógio e constei que era sete da noite, estava cedo ainda.
 
Fui até o balcão e pedi um Whisky.
 
Se passou quase meia hora quando finalmente...
 
- Demorei ? - Ouvi aquela voz sexy próximo ao meu ouvido e senti meu corpo arrepiar.
 
Olhei para trás e porra... Ela estava linda.
 
- Nossa ... - Digo à olhando de cima abaixo. 
 
Ela sorriu e deu uma voltinha.
 
O vestido curto que ela usava deixava as suas pernas torneadas à mostra, sua pele morena que me deixava louca para tocá-la,seus cabelos longos levemente ondulados e seus lábios...Ah esses lábios.
 
- Gosta do que vê ? - Ela perguntou sentando ao meu lado cruzando as pernas.
 
- Esse vestido é lindo, mas quero você sem ele. - Digo e ela se aproxima de mim.
 
- Agente Jauregui, hoje você está rápida. - Ela diz pegando meu copo e bebendo um gole da minha bebida, passando a lingua entre os lábios me olhando fixamente.
 
Levei minha mão direita até sua coxa e apertei de leve.
 
- Seu toque me deixa tão molhada - Ela diz aproximando seus lábios dos meus.
 
Ela mordeu meu lábio inferior e o puxou soltando em seguida.
 
- Vamos sair daqui - Digo e ela solta uma risadinha.
 
- Tá com pressa ? Sentiu saudades foi ? - Ela perguntou deslizando seus lábios pelo meu maxilar.
 
- Muita... Eu preciso te foder - Digo meio perdida ao sentir ela deslizando seus lábios pelo meu pescoço.
 
- E onde vamos dessa vez ? Vai me levar naquele motel outra vez ? Eu adorei aquele lugar, e amei  você me fodendo naquela sacada,correndo risco de verem a gente.
 
- Vou te levar pra minha casa - Digo e ela me olha arqueando as sobrancelhas.

- Sua casa ? Sua esposa vai participar dessa vez ? - Ela perguntou e sorri de lado.
 
- Ela não está em casa - Digo e ela morde o lábio.
 
- Seus filhos ? 
 
- Saíram.
 
- Então você quer me foder na cama que dorme com a sua esposinha ? - Ela disse soltando uma risadinha.
 
- Exatamente - Digo e ela para de rir e me olha.
 
- Isso é excitante.
 
Olhei para ela e soltei uma risadinha baixa enquanto negava com a cabeça
 
- Você não vale nada mesmo - Digo em um tom baixo 
 
- E você gosta - Piscou se levantando - Vamos, ou vai ficar aqui ? - Peguntou e eu não me aguentei.
 
- Vem aqui - Agarrei a sua cintura com firmeza e puxei ela para perto de mim, chocando o seu corpo contra o meu.
 
Ela me olhou com um sorrisinho no rosto, e quando ela ia falar algo eu fui mais rápida e colei os nossos lábios com uma certa urgência iniciando um beijo cheio de desejo.
 
E porra...
 
Ela respondeu o beijo a altura, a suas mãos se firmaram em meus cabelos onde ela puxou com um pouco de força, causando uma pequena dor no meu couro cabeludo, mas aquilo não me importou no momento. As nossas línguas dançavam uma sobre a outra com pressa, eu apertava a sua cintura com mais força, forçando o seu corpo contra o meu, eu já estava louca para fode-la.
 
Quando nos afastamos, foi possível ouvir o estalo de nossos lábios, o que arrancou um sorriso de ambas.
 
- Você me deixa louca - Confessei.
 
- Vamos logo - Pegou a bolsa dela e mandou um beijo no ar e em seguida virou as costas para mim e saiu do bar rebolando, o que me fez ficar parada ali por um bom tempo, enquanto observava a bunda maravilhosa daquela mulher.

Assim que ela passou pela porta, eu me movi, joguei alguns dolares encima do balcão e sai praticamente correndo daquele bar, enquanto caminhava até o meu carro eu percebi que o carro dela estava estacionado ao lado do meu e que ela já estava la dentro me esperando.
 
Entrei no carro e logo dei partida saindo do estacionamento do bar, sendo seguida por ela.

[...]

Assim que chegamos, eu estacionei meu carro e ela estacionou ao lado.Sai do carro e olhei para ela que vinha em minha direção com um sorriso safado nos lábios.
 
Puxei ela pela mão e assim que eu abri a porta de casa, agarrei ela pela cintura a puxando para um beijo.
 
O beijo não durou muito, pois logo ela mordeu o meu lábio com uma certa força, eu pude sentir o gosto metálico de sangue invadindo a minha boca, mas eu não me importei no momento, eu gostava de seu jeito, ela era... diferente. 
 
- Você está muito apressada hoje, Agente Jauregui - Ela sussurrou em meu ouvido com a voz extremamente rouca, fazendo com que todo os pelos de meu corpo se arrepiassem. 
 
- Você me provocou com esse vestido - Murmurei meio perdida por conta de seus lábios passeando pelo o meu pescoço. 
 
Desci minhas mãos que estava em sua cintura direto para sua bunda por baixo de seu vestido e apertei com força, em seguida acertando um tapa ali, recebendo em resposta uma mordida em meu pescoço.
 
- Porra - grunhi com uma careta dolorida. 
 
- Eu disse que não gosto que me batem - Em um movimento rápido ela me empurrou, fazendo com que eu batesse as costas contra a parede gelada da sala de minha casa.
 
- E eu disse que não me importo com o que você gosta, ou deixa de gostar. - Em um movimento tão rápido quanto o dela, eu segurei no grande decote do vestido que ela usava e puxei, fazendo com que aquele pano rasgasse com facilidade, arrancando o mesmo do corpo dela - Você é uma delicia - Sussurrei hipnotizada com  a visão de seu corpo em minha frente. 
 
- Vagabunda - Xingou e eu sorri torto.
 
Os seus peitos cobertos por um sutiã de renda vermelho, sua barriguinha chapada, senti a minha boca salivar quando vi que ela usava uma calcinha fio dental, que era um conjunto com o sutiã.
 
- Você vai me levar para conhecer o seu quarto ou... vai ficar ai babando em mim? - Provocou e eu balancei a cabeça despertando de meus pensamentos.
 
- Vem comigo ...
 
Puxei o seu corpo, deixando ela de costas para mim e a abracei, os meus lábios foram diretos para o seu pescoço exposto para mim, onde eu chupava, mordia e lambia, as minhas mãos estavam firmes em seus seios, eu fazia uma massagem gostosa neles que ainda estavam cobertos pelo o seu sutiã, a sua mão afundadas em meus cabelos como se ela estivesse aproveitando do meu toque. 
 
E foi assim que subimos as escadas...
 
Sem solta-la, eu abri a porta de meu quarto, e quando eu fui virá-la de frente para mim, ela se afastou e saiu andando pelo o quarto, olhando em volta. 
 
Fechei a porta, e não me preocupei em trancar, já que não tinha ninguém em casa. 
 
- Bem vinda - Falei com os braços abertos.
 
Ela me olhou por cima dos ombros, e eu mordi o meu lábio inferior quando percebi o sorriso perverso que se formou em seus lábios.
 
- Você não acha que está com roupa demais? - Perguntou enquanto se aproximava de mim.
 
- Porque você não tira? - Perguntei de volta e ela sorriu.
 
Fechei os seus olhos quando senti os seus lábios proximos ao meu em um leve roçar.

- Quero fazer uma coisinha. 
 
- O que ? - Perguntei e ela se afastou olhando para mim.
 
- Tira a roupa - Ela mandou e eu sorri.
 
Tirei a bota que eu usava em trabalho, tirei a blusa e em seguida tirei a  arma e as algemas que estavam na minha cintura e ela esticou a mão, pegando os objetos.
 
Ela me olhou e sorriu...
 
- Tira a calça e esse top.
 
Fiz o que ela pediu e ela pegou a minha calça e enfiou a mão no bolso.
 
- Senta alí - Apontou para a cadeira - Agora.
 
Fiz o que ela pediu e me sentei na cadeira,que estava de frente para a cama.
 
Ela caminhou até mim  e eu foquei meus olhos naquela bocetinha dela que eu estava louca pra chupar e foder.
 
- Coloca os braços pra trás Jauregui.
 
- Mas ... - Me interrompeu.
 
- Faz o que eu estou mandando.
 
Neguei com a cabeca rindo e fiz o que ela pediu.Escutei o barulho dela colocando minha arma sobre a pequena cômoda que havia alí.
 
-  Já disse o quanto essas tatuagens me excitam, me deixa louca ?  - Ela perguntou colocando meu cabelo para o lado.
 
Senti os lábios dela deslizando pelo meu pescoço e fechei os olhos. 
 
Fui surprendida quando senti ela me algemando...Arregalei os meus olhos e forcei as minhas mãos contra a algema. 
 
- O que você está fazendo?...
 
 - Ahh, agente Jauregui, eu acho que você esqueceu as regras - Se aproximou do espelho que tinha no quarto e analisou o seu pescoço - Isso aqui é uma marca? - Sorri satisfeita com essa pergunta - Rasgou o meu vestido, bateu em minha bunda e me deixou marcada, hum... - Me olhou negando com a cabeça, e veio caminhando graciosamente até a cadeira novamente, quase que em camera lenta.
 
Suspirei quando senti seus lábios proximo ao meu ouvido.

- Você merece ser castigada hoje - Fechei os meus olhos por conta de sua voz, sentindo uma fisgada em meu pau imediatamente - E isso - Mexeu na algema - É para garantir que você não vai fazer nada hoje - Piscou para mim e em seguida se afastou.
 
- Você está ferrada - Ameacei forçando a mão contra a algema novamente - Sim, você está muito ferrada - Espera só essa vagabunda me soltar.
 
- Sério? Engraçado porque... Eu não me sinto ameaçada - Sussurrou com uma risadinha no final.
 
- Vagabunda - Xinguei
 
- Isso xinga... - Ela murmurou ajoelhando na minha frente.
 
- Me solta vai ...
 
- Você está tão dura - Ela murmurou e puxou o cós da minha cueca para baixo.
 
- Me... Oooh porra....
 
Senti a lingua dela passando por toda a extensão do meu pau em seguida ela segurou meu membro e sem desviar o olhar do meu ela passou a lingua pela minha glande.
 
Ela deixou um beijo alí e se afastou.
 
- Volta aqui porra - Peço e ela vira de costas pra mim e começa a retirar sua calcinha fazendo questão de empinar aquela bunda gostosa na minha direção,em seguida tirou o sutiã.
 
- Eu tô tão molhada,pronta pra você. - Ela disse se sentando na cama abrindo bem as pernas.
 
Ela queria me enlouquecer só pode.
 
Ela apertou os próprios seios soltando um gemido baixo, deslizando a mão direita pelo seu corpo.
 
Ela ia mesmo fazer isso ? Oh ela ia...
 
Ela deslizou os dedos em sua boceta e mordeu o lábio sem tirar os olhos de mim.
 
Ela enfiou dois dedos em sua boceta e jogou a cabeça para trás soltando um gemido manhoso e arrastado, senti uma pontada em minhas bolas com esse ato.
 
Caralho o gemido dela...
 
- Eu consigo imaginar seus dedos aqui - Sussurrou começando a fazendo um vai e vem em sua boceta - Oh, isso - Gemeu jogando a cabeça para  trás.
 
- Porra,eu vou acabar com você,me solta sua vagabunda, me solta agora - Eu estava quase gritando enquanto puxava os meus braços em uma tentativa inútil de me livrar daquelas algemas.
 
Eu estava desesperada, eu queria tocá-la, eu queria fodê-la até ela não aguentar mais e pedir para parar...
 
Ela soltou uma risada divertida e olhou para mim, me fazendo suspirar
 
- Você fala muito Agente Jauregui - Tirou os dedos de sua boceta e em seguida colocou em sua boca, chupando o mesmo
 
E porra.... eu estava quase gozando sem ao menos ela fazer nada.
 
Ela deslizou os dedos novamente por suas dobras e veio em minha direção.
 
- Sente ... - Ela colocou os seu dedos na minha boca e eu chupei de forma desesperada sentindo o gosto dela.
 
- Deixa eu te chupar - Pedi quase implorando e ela deu risada.
 
- Quer me chupar ? 
 
- Quero...muito 
 
Ela arqueou as sobrancelhas e passou por mim,voltando em seguida com a minha arma.
 
- Não mexe nisso...
 
- Por que? - Senti o meu coração disparar quando vi que o seu dedo estava no gatilho e ela apontou a arma pra mim - Parece que está com medo - Provocou e encostou o cano da arma em minha cabeça, me fazendo fechar os olhos e suspirar pesadamente. Senti o cano deslizando pelo o meu rosto - Chupa - Ordenou.
 
Abri os meus olhos quando escutei a sua ordem e encontrei o cano da arma próxima a minha boca.
 
- Você.... - Interrompeu
 
- Eu mandei você chupar, que foi? Está com medinho? Ou você chupa essa merda,ou não chupa minha boceta e ... Eu to louquinha pra ter você chupando ela. - Olhei para ela uma última vez e suspirei abrindo os meus lábios capiturando o cano da arma com a minha lingua e então chupei - Isso, boa garota - Ela me olhava com um sorriso safado nos lábios,o tesão estampado em seus olhos, ela estava gostando do que estava vendo.
 
Sem tirar os meus olhos dela eu desci os meus lábios por todo o cano da arma e chupei o mesmo, começando a fazer um vai e vem, imaginando ela fazendo aquilo em meu pau, misturando com o perigo daquela arma disparar a qualquer momento estava me deixando ainda mais excitada.
 
Ela afastou a arma de minha boca, e me olhou sorrindo.
 
- Viu? Você foi uma ótima garota - Ela disse passando por mim e eu logo senti ela tirando as algemas.
 
Ela voltou e sorriu pra mim se sentando bem encima de meu pau, gemi com o contato.

Céus, como eu queria fodê-la...
 
Ela selou os nossos lábios sem pressa alguma, ela não se moveu, foi um selinho longo.
 
Depois de um tempo ela separou os nossos lábios, mordi o lábio inferior quando nossos olhares se encontraram. Ela se ajeitou, ainda sentada encima de mim, e balançou a algema em sua mão com um sorrisinho cínico nos lábios e lançou a algema pra longe de nós.
 
Passei a mão sobre os meus pulsos, procurando um certo alivio ali, e não pensei duas vezes antes de agarrar ela pela cintura e levantar da cadeira e jogá-lá na cama.
 
- Você está ferrada - Ameacei enquanto retirava a minha cueca.
 
Ela estava deitada na cama me olhando com um sorrisinho no rosto, talvez achando graça do meu desespero.
 
Praticamente voei pra cima dela, me encaixando entre as suas pernas.
 
Quando eu segurei o meu pau pronta para encaixar em sua entrada apertadinha eu travei ao escutar um barulho vindo do andar de baixo de minha casa.
 
- Merda...


Notas Finais


Até o próximo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...