História Garotas Perigosas - Capítulo 47


Escrita por: ~ e ~chickensgirl

Postado
Categorias Ashley Benson, Camila Cabello, Fifth Harmony, Selena Gomez, Vanessa Hudgens
Personagens Ally Brooke, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Camren G!p, Lauren G!p
Visualizações 1.673
Palavras 3.662
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amores, Boa leitura.

FOTO: Malu

Capítulo 47 - Eu fico tão preocupada


Fanfic / Fanfiction Garotas Perigosas - Capítulo 47 - Eu fico tão preocupada



P.O.V.  LAUREN

- O que foi, está cansada? - Provoquei olhando para minha mulher jogada na cama ao meu lado que estava com a mão sobre o peito, com os olhos fechados enquanto tentava manter o controle de sua respiração.

O seu corpo suado os seus cabelos desgrenhados, deixava ela com um ar ainda mais sexy. 

Fui pra cima dela me encaixando entre as suas pernas, no mesmo instantes ela abriu os olhos e soltou uma risadinha divertida. 

Os meus lábios foram diretamente para o seu pescoço, no qual eu lambi podendo sentir um gosto salgado do suor de sua pele, e mordisquei em seguida, deixando mais uma marca em seu corpo essa noite. 
 
- Em? - Insisti por uma resposta. 
 
- Lauren, Lauren.... - Senti seus dedos se infiltrando entre os meus cabelos e apertei os meus olhos por breve segundos quando ela puxou, me obrigando a levantar a cabeça e olhá-la.A sua outra mão foi de encontro ao meu queixo onde ela segurou com firmeza, cravando as suas unhas ali - Não me provoca mais não,sua vagabunda – Empurrou o meu rosto com uma certa agressividade e eu ri.
 
- Porque? - Beijei seus lábios rapidamente – Você vai fazer o que? - Desafiei.
 
Fui pega de surpresa quando Camila, aproveitando a minha distração, usou a força que eu nem sabia que ela tinha e me empurrou na cama, invertendo as nossas posições e prendendo as minhas mãos pra cima, os nossos dedos entrelaçados, o seu rosto próximo ao meu... 
 
- O que eu vou fazer? Eu vou.... - Sua fala foi cortada pelo o toque estrondoso de meu celular – Droga – Resmungou, e quando ela foi se levantar eu agarrei a sua cintura.
 
- Ignora... 
 
- Amor, é o seu celular de trabalho – Avisou se levantando e eu bufei .

- Porra – Resmunguei me levantando da cama, ela se esticou e alcançou meu celular me entregando – Agente Jauregui – Falei assim que atendi 
 
- Agente Jauregui, Simon falando. 
 
- Aconteceu alguma coisa ? - Perguntei olhando para Camila que andava pelo quarto nua. 
 
- Drew Chadwick ... - Simon disse e eu passei minha mão pelos meus cabelos. - Ele está fechando as principais ruas,as mais movimentadas, estão fazendo um nó no tráfego,tudo porque vai acontecer mais um de seus rachas. 
 
- Estou indo - Digo e encerro a ligação. 

Me levantei da cama e já fui indo para o closet.
 
- O que foi? - Camila perguntou e eu olhei para ela que estava parada na porta do closet e peguei uma de minhas calças.
 
- O dever me chama – Abro a gaveta de cueca e pego uma branca.

Fui para o banheiro e aquele foi o banho mais rápido que já tomei em toda minha vida.

- Eu fico tão preocupada quando te ligam assim, de madrugada Lo – Resmungou e eu olhei para ela suspirando.

- Camz, não se preocupe – Falei saindo do box e me sequei,passei por ela e selei nossos lábios rapidamente e catei as minhas botas no chão e voltei para o closet, começando a vestir. 

                      P.O.V.  MALU

Já se passava meia hora desde que cheguei aqui nessa maldita ponte, era aqui que acabaria a corrida. Eu estava tão nervosa. Esse lugar estava cheio, vários carros estacionado no meio da rua, impedindo o transito mas até agora nenhum carro tentou passar por aqui, talvez por já está bem tarde. O que me deixa bastante aliviada, por saber que Lyci não vai ter que desviar daqueles montes de carros. 
 
Ela disse que está bem, mas mesmo assim eu não acho que ela esteja tão boa assim para dirigir. 

Se alguma coisa acontecer com ela eu... eu não sei o que eu faço.
 
O som alto estava ligado, haviam trazido a festa para cá, as pessoas bebiam e dançavam e eu só sabia roer as unhas, na verdade eu nem tinha unhas mais para isso.. 
 
- Malu, calma – Angel disse tocando o meu braço e eu me encostei no corrimão da ponte de costas para o mar e cruzei os meus braços.
 
- Não me manda ficar calma – Praticamente rosnei.
 
Ela soltou uma risadinha divertida e levantou as mãos em rendição.
 
- Bebe isso aqui, loirinha – Luna apareceu com uma garrafa em mãos e eu peguei sem nem ao menos saber o que era e dei uma grande golada.
 
Senti o liquido descer rasgando pela minha garganta e automaticamente uma careta se formou em meu rosto, arrancando risada das minhas amigas. 
 
Já fazia longos minutos em que Drew havia nos informado que já havia dado a largada e nada da Lyci chegar. 
 
Ouvi barulhos alto de motores e praticamente saltei de onde estava e corri para o meio da multidão que havia se formado ali. 
 
De longe eu pude ver os dois carros vindo e pelo o que percebi,vinham lado a lado.
 
 Senti o meu coração disparar quando percebi que eles estavam jogando um carro um em cima do outro em uma batalha. 
 
- Virou bate bate essa porcaria – Soltei sem pensar e passei a mão em meus cabelos em um ato nervoso.  
 
Senti uma mão segurando a minha e não precisei olhar para o lado para saber que era Deb. Eu sabia que ela estava tão nervosa quanto eu, a única diferença é que ela sabe disfarçar muito bem. 
 
Os carros estavam cada vez mais próximos, e eu estava sentindo as minhas pernas bambas, o meu coração parecia que ia sair pela boca.
 
Apertei a mão de Deb e com a outra eu cruzei os meus dedos e fechei os meus olhos. 

- Por favor Lyci, por favor meu amor? Vamos... – Eu murmurava quase que em uma oração.
 
- Vamos olhos  verdes – Escutei a voz de Luna, e só então eu percebi que ela também estava ao meu lado.
 
Quando eu abri os meus olhos, tudo que eu vi foi um carro indo sem controle em direção ao acostamento.

- Ai meu Deus – Falei assustada 
 
- ISSO, PORRA – Deb gritou ao meu lado e soltou a minha mão começando a pular.
 
E então o carro de Lyci cruzou a linha de chegada, e em um cavalo de pau o carro dela estacionou a pouco metros da multidão que tinha formada ali no meio da rua. 

Os gritos de comemoração começaram, e as pessoas começaram a cercar o carro de Alycia. Eu respirei fundo soltando todo o ar que eu nem sabia que tinha preso dentro de mim, e comecei a dar passos para trás até me encostar novamente no corrimão da ponte.
 
A minha respiração estava descompassada ...

A Alycia estava bem. 
 
O carro que perdeu o controle foi do tal de Chris ...
 
Alycia está bem...
 
Alycia venceu... 
 
OK, Calma Malu, respira.... 
 
- Não vai me dar os parabéns? - Levantei a cabeça ao escutar aquela voz e encontrei os olhos verdes de Alycia me encarando. 
 
Ela estava com um sorrisinho vitorioso nos lábios, e os braços abertos esperando por um abraço.
 
Não esperei nem um segundo à mais para me jogar nos braços dela.
 
Envolvi meus braços em seu pescoço e ela me abraçou pela cintura e me girou no ar.
 
- Você me mata de preocupação quando corre,ainda mais depois de beber. - Disse próximo ao seu ouvido ainda abraçada com ela.
 
- Eu tô bem minha loira.
 
Eu amava quando ela me chamava de "Minha loira".
 
Beijei o pescoço dela e senti ela apertando minha cintura.
 
- Vamos comemorar, que tal ? - Ela perguntou e eu olhei para ela.
 
- Vamos comemorar diferente dessa vez. - Digo e ela arqueia as sobrancelhas.

- Diferente como ? - Ela perguntou colocando alguns fios de meu cabelo para trás da orelha.

- Filmes,pipoca ... - Digo e ela sorri. 
 
- Diferente mesmo - Ela diz e eu apenas sorri sem jeito abaixando a cabeça.
 
Ela sempre comemorava as vitórias com bebidas e mulheres, ela não iria aceitar.
 
- Eu aceito - Ela disse envolvendo os braços em minha cintura.
 
- Sério ? - Perguntei um tanto quanto surpresa e ela assentiu. 
 
- Claro, melhor comemoração de todas poder comemorar com minha melhor amiga.
 
Sorri e olhei para o lado respirando fundo.
 
- Olha só... - Lyci disse e eu à olhei.
 
Ela apontou para o lado onde Deb e Angel estavam aos beijos.
 
- Elas são fofas - Digo e Lyci me olha sorrindo.
 
O barulho de sirenes fez Lyci se afastar de mim e olhar para a pista.
 
A correria começou, e eu só senti Lyci me puxando.

                      P.O.V.  LAUREN

- Quem foi o maldito que ligou essa sirene? – Perguntei irritada ao ver a movimentação em minha frente.
 
Eu tinha um ponto no ouvido no qual tinha uma ligação com todos os agentes que estavam comigo. 

- Eu apertei sem querer Agente Jauregui, mil perdões – Escutei a voz em meu ponto e reconheci ser a de Bella.. 
 
- Ah claro, tinha que ser – Resmunguei irritada passando a marcha com uma certa agressividade - Você acabou de avisar para eles "Ei, estamos chegando, fujam" - Eu estava inconformada.
 
Pisei no acelerador com os olhos focados nos carros em minha frente que já estavam começando a se afastar.
 
- Vocês não vão brigar agora né? - Escutei a voz de Trina.
 
Vi um carro vinha vindo em nosso encontro em alta velocidade, joguei o meu carro para a mesma pista que ele esperando que ele parasse mais ele não fez isso.
 
O carro acelerava em direção ao meu, eu não iria mudar de pista e parece que muito menos ele.
 
Ele estava me desafiando... 
 
E se for por mim, vamos bater, porque daqui eu não saio ...
 
Quando estávamos a pouco metros ele jogou o carro no encostamento e passou por mim feito um foguete.
 
- Deixa esse comigo – Girei o volante virando o meu carro.
 
                    P.O.V.  ALYCIA
 
- VOCÊ FICOU MALUCA? - Malu gritou no meu ouvido e eu dei risada – A GENTE IA BATER, A GENTE IA MORRER, MEU DEUS, EU VI A MINHA VIDA TODINHA PASSANDO PELA MINHA CABEÇA - Ela não parava de gritar.
 
- Merda – Resmunguei quando vi que o carro da Polícia estava atrás de mim, praticamente em minha cola – Malu, se segura – Pedi.
 
- Oque? O que você vai fazer? ALYCIAAAAA – Gritou assustada quando eu girei o volante fazendo uma curva entrando em uma estradinha de terra. 
 
- INFERNO – Bati no volante quando vi que o carro ainda estava atrás de mim – FICA QUIETA MALU, EU PRECISO PENSAR – Aquele desespero dela, estava me fazendo entrar em desespero também - FICA CALMA – Dito isto eu desliguei o farol de meu carro e joguei o carro para dentro de uma grande mata que tinha ali.
 
- AI MEU DEUS EU VOU MORRER – Ela gritou do meu lado .
 
Tudo que eu via em minha volta eram borrões, eu desviava de uma árvore e de outra com rapidez, seguindo os meus instintos. 
 
Dirigi assim por mais alguns quilômetros, tendo a certeza que não tinha mais nenhum carro atrás de mim, e foi ai que eu parei o carro, podendo soltar o ar em meus pulmões.
 
Arregalei os meus olhos quando eu liguei o farol e vi que em minha frente tinha um grande barranco.
 
Se eu continuasse mais um pouco a gente iria.... 
 
- MEU DEUS ALYCIA, SUA MALUCA – Malu voltou a gritar e dessa vez começou a acertar varios tapas em meus braços.
 
- Malu... 
 
 - MEU DEUS, OLHA ISSO, A GENTE IA MORRER,A GENTE... - Ela não parava de gritar então fiz a única coisa que veio em minha cabeça no momento. 
 
Segurei em sua nuca, e puxei o seu rosto para perto do meu, e colei nossos lábios.

Senti um choque percorrer por todo o meu corpo, e eu abri os meus olhos arregalando os mesmos ao me dar conta do que eu havia feito.

O que eu fiz? Merda...
 
Os olhos de Malu estava tão arregalado quanto os meus, os nossos lábios ainda grudados e quando eu pensei em me afastar,eu pude sentir os dedos delicados de Malu tocarem o meu rosto me fazendo relaxar e fechar os meus olhos.

Comecei a mover os meus lábios sob os dela de um jeito lento, e eu me segurei para não suspirar, ao sentir o quanto aqueles lábios eram macios, foi como se eles fossem feitos exatamente para os meus, eles se encaixavam perfeitamente.

Senti os dedos de Malu deslizando até a minha nuca, e com a mão livre eu soltei o meu sinto de segurança, chegando um pouco mais perto dela, com a outra mão eu fui infiltrando os meus dedos entre aquelas mechas de cabelos loiros que eu tanto amo.
 
Eu não sabia explicar o que eu estava sentindo no momento, o que eu posso dizer é que são sensações que eu jamais senti com nenhuma outra garota, mas é bom sabe?

Sem conseguir mais me contentar com aquele roçar de lábios, eu passei a pontinha de minha língua por os seus lábios macios, em um pedido mudo para que aprofundássemos o beijo, que foi cedido facilmente, deixando finalmente as nossas línguas se tocarem.
 
Um calafrio percorreu por todo o meu corpo ...
 
As nossas línguas se moviam uma sob a outra de um jeito calmo,e em sincronia. 
 
De todas as bocas que já beijei em todo esse tempo, eu digo com toda certeza de que a boca de Malu é a mais gostosa,na verdade não tem como comparar.sem dúvidas é a melhor.
 
Eu podia sentir as batidas desesperadas do meu coração.
 
O barulho de nossas línguas se movendo uma sob a outra, me fazia querer sorrir.
 
Quando o ar nos fez falta, eu apertei os meus dedos em seus cabelos com uma força delicada, e mordisquei o seu lábio inferior, o prendendo entre os meus dentes e fui puxando com carinho. Apenas para poder recuperar o folego que Malu havia me tomado.
 
Quando o seu lábio se livrou de meus dentes, eu me apressei em grudar os nossos lábios novamente.

Eu realmente não queria parar com aquele beijo...
 
Dessa vez a língua de Malu veio de encontro a minha boca e eu permiti que ela comandasse dessa vez.
 
Os meus dedos seguravam firme em seu cabelo, e quando eu fui levar a minha outra mão até a sua cintura eu saltei assustada para trás com o toque do celular e separando as nossas bocas.
 
Malu me olhou assustada e eu comecei a ajeitar os seus cabelos.Ela coçou a garganta e puxou o celular de dentro de seu sutiã.

MEU PAI AMADO...

- Oi Angel – Disse assim que atendeu, e eu ainda estava tentando absorver o que tinha acabado de acontecer – Está tudo bem.... Sim ... Ok, já estamos indo – Desligou o telefone e me olhou – Angel disse que a Deb pediu para irmos para casa da Luna – Ela disse e eu assenti.

Olhei para frente e girei a chave ligando o carro, um silencio se fez presente ali dentro e eu olhei para Malu, que estava olhando pela janela do carro .
 
- Malu, me desculpa eu... – Me interrompeu.
 
- Esquece tá legal? Vamos logo – Disse sem me olhar e eu assenti.
 
- Ok – Murmurei começando a dar ré com o carro saindo dali.
 
 
                      P.O.V.  MALU

Eu olhava pela janela do carro e tentava a todo custo disfarçar meu sorriso que não saia de meu rosto.
 
Fechei os olhos por breves segundo e suspirei.
 
A gente se beijou... Meu Deus eu não acredito.
 
O beijo dela... Tão gostoso.
 
Olhei para o lado e ela estava concentrada na pista, eu queria beijar ela de novo, como eu queria ...
 
Não demorou muito e ela estacionou o carro em frente ao prédio que Luna morava e eu abri a porta saindo do carro.
 
Ela demorou um tempinho pra ela sair e assim que saiu ela estava com o cabelo preso em um coque alto e digitava algo no celular.
 
Ela passou por mim,abriu o portão do prédio e me olhou.Passei por ela e sorri fraco, eu não sabia como reagir.

Subimos as escadas e assim que chegamos na porta do apartamento de Luna, ela se escorou na parede e eu bati na porta que logo foi aberta por Deb.
 
Entrei no apartamento e fui até minha amiga que estava sentada no sofá rindo.

Percebi que a porta foi fechada, Alycia e Deb ficaram no corredor.
 
- Qual é a graça ? - Perguntei me sentando ao lado dela.
 
- A Deb escorregou - Ela disse parando de rir e franziu o cenho. - Que cara é essa ? 
 
- Cadê a Luna ? - Perguntei olhando em volta.
 
- Ela disse que ia tomar banho e ...
 
- A gente se beijou - Digo e Angel arregala os olhos.
 
- Você e a Lyci ? Ai meu Deus... Conta tudo vai...
 
- Eu não sei explicar ... Eu estava tendo um ataque e do nada ela me beijou, eu tô nervosa até agora.
 
Angel deu um gritinho animada e me abraçou e assim que a porta do apartamento se abriu nos separamos e começamos um assunto sem nenhuma lógica, apenas para disfarçar.

Lyci e Deb passaram por nós duas e se jogaram no outro sofá.
 
- Então... Eu vou dormir lá na Deb - Lyci disse e eu olhei para ela.
 
- Mas você disse que ia dormir lá em casa - Digo em voz baixa.
 
- Eu.. é.. mas ... O meu carro amassou todo, a gente tem que ir no galpão ainda, temos que ir no Drew e já tá amanhecendo...
 
Engoli o nó que se formou em minha garganta e assenti.
 
- Deixa pra outro dia - Ela disse se levantando do sofá e seguindo pelo corredor.
 
- Eu levo vocês - Deb disse e eu me levantei do sofá junto com Angel.
 
As duas saíram do apartamento e eu olhei em direção ao corredor sentindo meus olhos arderem.


                    P.O.V.  ALYCIA


- Eu fiz merda - Digo abrindo a porta do quarto de Luna sem ao menos bater.

- Ai sua vagabunda - Rosnou tacando um travesseiro em mim, enquanto tentava cobrir o seu corpo com a toalha - Não sabe bater não? 
 
Soltei uma risadinha baixa e me joguei na grande cama de casal de Luna.
 
- Você não ouviu o que eu falei? - Perguntei.
 
- Ouvi, mas estou ocupada demais tentando cobrir o meu corpinho maravilhoso de você,pervertida,safada - Respondeu entrando no banheiro de seu quarto.
 
- E quem disse que eu quero ver isso... Luna é serio, eu não sei o que fazer, eu não sei como agir - Digo puxando um travesseiro e abraçando o mesmo.
 
- Tá legal - apareceu no quarto novamente, só se calcinha e sutiã - O que você fez? - Perguntou se sentando na beirada da cama.

- Eu beijei a Malu.
 
- Tá, idai? - Me olhou como se fosse a coisa mais normal do mundo.

- Como assim idai? - Me sentei na cama - Você ouviu o que eu falei? Eu beijei a Malu, a Malu - Digo tentando fazer ela entender.
 
Luna ficou me olhando com a maior cara de retardada.
 
- Eu ainda não estou entendendo esse desespero todo - Deu de ombros.

- Luna, ela é a Malu, minha irmã,eu conheço ela desde sempre.
 
- Ela não é sua irmã...
 
- Lógico que é, é a mesma coisa que se eu beijasse você, ou a Deb - Passo a mão em meu rosto. 

Ninguém sabia o que eu realmente sentia por Malu,era uma coisa tão errada que eu decidi manter em segredo por todos esses anos,crescemos juntas e eu estou tão perdida.

- Você tem certeza? - Me olhou

- Eu... eu... ai Luna - Me joguei na cama novamente.

- Você está desesperada atoa,além do mais, quem devia estar desesperada era ela, que beijou essa sua boca, que ja passou por milhares se bocetas diferente, eu teria nojo - Fez uma careta e eu taquei o traveasseiro nela.

- Cala boca, eu não sei porque ainda converso com você...

Agarrei o travesseiro e virei para o outro lado,foi impossível não sorrir ao lembrar do nosso beijo,mas eu logo senti uma vontade absurda de chorar. 

E se quando ela realmente ficasse ciente do que rolou ela parar de falar comigo ? 

Minha vida sem aquela loira não faria o menor sentido.

Vi Luna se abaixando em frente a cama e ela sorriu de lado.

- Eu não entendo dessas coisas de amor sabe? - Acariciou meus cabelos e eu franzi o cenho. - Mas te digo uma coisa - Sorriu - Irmãs,somos eu,você e Deb, nós sim somos amigas irmãs,o que rola entre você e a loira é amor de infância,eu sei bem que você era safada quando era mais nova - Brincou e eu ri. - Todo mundo já percebeu o jeito que vocês se olham e é tão bonitinho o jeito que você fica quando ela está por perto e ela...nem precisa dizer nada,como eu disse,todo mundo já percebeu que vocês se gostam e não é de hoje e...

- Não viaja,Luna - Falei interrompendo ela.

- Eu só estou tentando te ajudar,estou fazendo um esforço porque eu sou péssima em dar conselhos,mas já que não está adiantando... - Se levantou - Vou te dar um conselho claro,do meu jeito,do único jeito que eu sei - Falou me olhando - Pega essa garota de jeito. 

- Luna... - Repreendi e ela riu.

- Vocês formam um casal bonito sabia? 

Revirei os olhos e sorri de lado,agarrando o travesseiro. 

- Olha o sorrisinho...tá apaixonada,tá apaixonada - Luna começou a cantar e eu mostrei o dedo do meio pra ela que começou a rir - Sabe quem vai amar esses seus dedinhos? 

- Vai se foder Luana - Falei e ela gargalhou alto. - Eu te odeio - Falei e ela soltou beijo pra mim.

- Tá apaixonada, tá apaixonada,tá apaixonada - Voltou a cantar e saiu do quarto.

Era possível ouvir ela cantando pela casa o que me fez rir.


Notas Finais


Até breve amores ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...