História Garotas Perigosas - Capítulo 48


Escrita por: ~ e ~chickensgirl

Postado
Categorias Ashley Benson, Camila Cabello, Fifth Harmony, Selena Gomez, Vanessa Hudgens
Personagens Ally Brooke, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Camren G!p, Lauren G!p
Visualizações 1.791
Palavras 5.788
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um amores...

Capítulo 48 - A gente pode conversar?



 P.O.V.  LAUREN

Era exatamente onze e meia da manhã de domingo, Alycia tinha acabado de chegar e subiu,está estampado na cara dela que ela não dormiu.Eu estou ajudando Camila com o almoço, hoje vai vim todos aqui pra casa.Eu amo os almoços de familia, gosto de ter a casa cheia e o pessoal reunido.
 
Normani e Vero foram as primeiras à chegar.Mani está nos ajudando na cozinha e Vero está deitada no sofá jogando com Ian.
 
Dinah e Ally que chegaram um pouquinho depois e foram ao mercado,O pequeno Noah ficou aqui brincando com Jade,essa criança é um amor,é a Ally todinho.
 
- Oi,Oi ... - Ariana entrou na cozinha junto com Malu. 
 
- Oi Ari - Digo à abraçando. - Cadê o Justin ? - Perguntei assim que nos afastamos.
 
- Está esperando a Amber se arrumar, não sei pra que tanta produção né ? Mas ... - Ari diz indo até Camila.
 
- Oi tia Lauren - Malu disse com seu jeitinho meigo de sempre.
 
- Oi meu amor - Digo à abraçando. - Lyci tá lá em cima, vai lá... 
 
- Depois eu vou - Ela disse  passando por mim.
 
- Alycia não dormiu nadinha né ?
 
- Não sei tia - Ela diz e sai em direção a sala.
 
- Lyci não dormiu na sua casa? - Perguntei agora olhando para Ariana que estava levando as mãos na pia.
 
- Não sei - Deu de ombros - Quando fui acordar a Malu ela não estava lá - Disse e eu assenti e puxei uma cadeira e me sentei.
 
- Lauren - Camila se virou para mim segurando uma faca em mãos e eu olhei para ela - Ela disse que iria dormir na casa da Ariana - Disse e eu arquei a sobrancelha.
 
- Ai Amor, parace que não conhece a filha que tem - Respondi despreocupada.
 
- Você vai falar com ela depois - Mandou e eu não pude fazer nada a não ser assentir.
 
Camila, Normani e Ariana engataram em um assunto sobre o estúdio,e eu fiquei totalmente boiando. Então decidi ir falar com a minha filha.
 
Me levantei da cadeira, e sai da cozinha, sem ao menos ser notada pelas as três mulheres ali na cozinha. 

Passei pela sala e pelo o que eu pude perceber, Ian e Jade, estavam em uma disputa no vídeo game contra Vero e Malu enquanto Noah brincava distraído com os seus carrinhos sentado no chão, no meio da sala.
 
Sorri e subi as escadas em passos apressados.
 
Caminhei pelo o corredor, cantarolando baixo uma música qualquer, até parar na porta do quarto de minha filha.
 
- Filha ? – Chamei enquanto dava duas batidinhas na porta.
 
- Entra – Escutei a sua voz abafada e coloquei a mão na maçaneta.
 
Assim que eu abri a porta, vi minha filha esparramada na cama apenas de sutiã e short com o rosto afundado em seu travesseiro.
 
- Sua mãe pediu para eu falar com você – Digo fechando a porta atrás de mim, ela levantou a cabeça e me olhou.
 
- Eu não fiz nada – Se defendeu e eu ri baixo me aproximando da cama.
 
- Calma... não estou falando que você fez alguma coisa – Me sentei na beirada da cama e ela se virou para mim e puxou o travesseiro me olhando – Você está bem? – Perguntei olhando para sua carinha cansada.
 
Levei minha mão até os seus cabelos e comecei a acaricia-los com cuidado para não enroscar os meus dedos ali.
 
- Uhum... 
 
- Não parece – Arquei a sobrancelha.
 
- Eu só estou com sono – Murmurou já fechando os olhos e eu sorri.
 
- Aonde você dormiu? – Perguntei e ela me olhou.
 
- Na casa da Deb – Respondeu e eu arquei a sobrancelha.
 
- E você falou para mim que iria dormir aonde?  - Perguntei a encarando e ela desviou o olhar para baixo.
 
- Me desculpa papa – Pediu com a voz baixa e eu continuei a encarando – É que... – Suspirou – Eu achei melhor dormir na Deb – Me olhou e dessa vez quem suspirou foi eu.

- Quando for assim,você avisa poxa... – Passei a mão em meus cabelos enquanto suspirava mais uma vez – Imagina se acontece alguma coisa? – Olhei para ela – Você sabe como a sua mãe é... não dá motivos para ela querer me obrigar a cortar as asinhas que estamos te dando...
 
- Eu sei... desculpa papa.

- Tudo bem – Sorri fraco – Você bebeu muito ontem? – Perguntei com a sobrancelha arqueada me lembrando da última vez em que peguei ela chegando em casa tribebada.
 
- Não – Negou rapidamente – Por incrível que pareça, não – Sorri satisfeita.
 
- Mas diz ai – Empurrei a perna dela com cuidado e ela me olhou.
 
- Ah não papa – Falou rindo e eu ri.
 
- Ficou com alguma menina?
 
- Sabia – Cobriu o rosto com as mãos e eu gargalhei do seu jeito envergonhado.
 
Ela parece tanto a Camila envergonhada ...

- Em? – Insisti empurrando a perna dela novamente, apenas para chamar a sua atenção.
 
Ela tirou a mão do rosto e me olhou rindo...
 
- Não papa, eu não fiquei com ninguém.... quer dizer... – Deixou a frase no ar.
 
- Quer dizer.... – Incentivei 
 
- Esquece ...
 
- Tudo bem, se não quer me contar... – Tentei fazer um drama.
 
- Não faz isso papa, toma vergonha...50 anos nas costas fazendo drama – Resmungou e eu fiz a maior cara de indignada.
 
- 50 anos, Alycia? 
 
- Não é? – Me olhou confusa e eu cerrei os olhos – Eu estou brincando velha – Tacou o travesseiro em mim e eu agarrei no ar, tacando nela novamente a fazendo rir.
 
- Você não vai descer? – Perguntei me levantando de sua cama – O pessoal está todo lá em baixo, e a Malu chegou agora pouco ... – Avisei e ela sorriu olhando pro teto.
 
- A Deb já chegou? – Perguntou me olhando  e eu neguei – Quando ela chegar, fala para ela vim me chamar – Pediu e eu assenti indo até a porta – Papa ? – Chamou e eu parei com a mão na maçaneta, olhando por cima dos ombros – Eu posso chamar a Luna ? é que hoje é domingo e ela fica sozinha e... – Interrompi.
 
- Não precisa pedir filha, você sabe que pode chamar. – Falei e ela sorriu assentindo.
 
Quando eu ia sair...
 
- Papa ? - Me chamou mais uma vez e eu à olhei.
 
- Eu te amo - Ouvir ela dizendo que me ama, não tem coisa melhor.
 
- Eu também te amo minha filha.
 
Ela soltou um beijo no ar e eu sorri saindo do quarto de minha princesa.
 
Desci as escadas e encontrei Deb e Trina cumprimentando o pessoal.
 
- Oi tia - Deb disse sorridente.
 
- Oi meu anjo,Lyci pediu pra você chamar ela quando chegasse, ela tá no quarto. - Digo e Deb assente indo em direção as escadas.
 
Eu e Trina engatamos uma conversa,Logo Justin chegou com Amber o que fez Ian ficar todo sem jeito.

             

       P.O.V.  ALYCIA

Assim que papa saiu do meu quarto eu respirei fundo e me levantei da cama.Entrei no closet e peguei um blusão qualquer, vesti e dei uma ajeitada no meu cabelo.

Ouvi batidas na porta e voltei para o quarto indo diretamente para a porta.

- Nossa...que novidade é essa ? - Digo ao abri a porta e ver minha amiga parada. - Você batendo na porta ?
 
Ela deu risada e entrou.
 
- Eu só preciso do meu celular e ai a gente desce, Vamos jogar ?- Perguntei olhando em volta. - Achei,vamos ....
 
- Bora... - Deb disse pegando uma bala minha que estava em cima da minha escrivaninha.
 
- Chamar a Papa,tia Vero,tia Dinah ... - Digo ligando meu celular. - Chamar a Luna também, tenho que ligar pra ela.
 
- Sabe quem tá lá embaixo, toda linda ? - Deb perguntou com um sorrisinho de lado.
 
- Não começa - Digo fechando a porta do quarto.
 
- Que foi ? Só to dizendo que ela tá linda ... - Disse e eu empurrei ela, à fazendo gargalhar.
 
- Chata - Digo descendo as escadas.

Senti meu coração disparar assim que pisei no último degrau.
 
Malu olhou em minha direção sorrindo, mas seu sorriso foi se desfazendo assim que ela me viu.
 
Eu não conseguia parar de olhar pra ela,e nossa... Ela estava realmente linda,muito linda.

Ela virou o rosto e em seguida me olhou de novo.

- Vai lá - Ouvi a voz de Deb e olhei para minha amiga.

- Melhor não - Digo e olho para Malu outra vez. - Eu não faço ideia de como agir, não faço ideia do que falar com ela.
 
- Lyci, acima de tudo ela é sua melhor amiga, você tem uma relação linda com ela,não deixa isso acabar por causa de um momento de loucura.
 
Puxei Deb pelo braço e levei ela até a área externa.
 
Me sentei em uma das espreguiçadeiras e respirei fundo.
 
Deb me olhava com as sobrancelhas arqueadas...
 
- Eu não consigo tirar nosso beijo da cabeça. - Confessei e fitei meu celular em minhas mãos. - Eu...
 
- Malu conseguiu te deixar assim só com um beijo ? - Deb deu risada e eu olhei para minha amiga.
 
- Você não tá entendendo Deb, foi um beijo gostoso e carinhoso sabe ? Eu não sentia vontade de parar,o beijo dela...porra - Sorri lembrando do beijo.

- Beija ela de novo caramba,Tá na cara que ela quer também.
 
- Claro que não, isso é coisa da sua cabeça. - Digo desbloqueando meu celular.

- Já pensou na possibilidade da Malu sentir algo a mais por você, do que apenas esse amor de amiga ? porque na boa... Nem eu nem a Luna te olha do jeito que ela olha pra você.

- Não viaja Debinha - Digo me levantando.- Vou ligar pra Luna.
 
- Não adianta fugir - Deb diz segurando meu braço. - Conversa com ela.


                         P.O.V. CAMILA

Já era quase uma hora da tarde, eu estava morrendo de fome mas Alycia pediu pra esperar porque uma amiga dela estava vindo.

Tomei um susto quando abri a porta para pegar a bolinha que Noah tinha jogado pela janela e dei de cara com uma menina toda tatuada prestes a tocar a campainha.
 
- Olá - Digo ao ver ela me olhando sorrindo.

- E ai tia...
 
- Tia?
 
- Cadê a Alycia? Posso entrar? - Ela perguntou já entrando.
 
- Você já entrou né?
 
- Lunaaa - Escutei a voz da minha filha que estava deitada no chão da sala.
 
Eu estava parada sem reação, desde quando Alycia é amiga dessa garota?
 
- A bolinha tia - Noah me despertou dos meus pensamentos.
 
- A tia vai pegar meu amor - Digo ainda olhando para a tal Luna.

Ela agora estava jogada no meu sofá.
 
- Algum problema, amor ? - Lauren perguntou se aproximando.

- Que tipo de amizades são essas da Alycia? Olha essa garota Lauren.
 
Lauren olhou na direção da menina e me olhou em seguida.

- Não vejo nada demais ...
 
- Como não Lauren?Olha essas tatuagens e ela cheira a cigarro. - Digo e Lauren arqueia as sobrancelhas.
 
- Camila, eu tenho tatuagens pelo corpo todo e eu fumo também...É sério que você já vai julgar a garota por causa disso ?
 
- Eu não... - Lauren não esperou eu terminar de falar e foi de encontro a garota cumprimentando ela com um abraço.
 
- Que cara é essa? - Ariana perguntou parando ao meu lado.

- Nada .... Eu só achei essa amiga da Lyci um pouco estranha. - Digo e Ariana olha na direção dela.


           P.O.V. LAUREN
 
Já tínhamos almoçado, agora todos estavam se divertindo...Entrei na cozinha e fui direto até geladeira, abri o freezer e retirei de lá duas garrafinhas de cerveja, já que minha irmã havia pedido assim que me viu vindo para cá.

Olhei para o lado de fora através da grande porta de vidro da cozinha, e pude ver a área externa de minha casa.
 
Deb, Lyci, Luna, Jade, Ian e Amber estavam brincando de vôlei na piscina, era possível ver o quanto eles estavam se divertindo ali no mundinho deles.
 
Camila, Ash, Ally, Mani e Ari estavam sentadas pertos da piscina em uma conversa entre elas. E Um pouco mais afastados estava Vero, Dinah, Justin, Trina e Shay, jogando UNO, um joguinho de cartas que Vero havia pegado de meu filho.
 
Mas o que realmente chamou a minha atenção, foi a minha princesinha, Malu. Ela estava afastada de todos, sentada no gramado verde distraída, com o pequeno Noah entre as suas pernas, o que é estranho, já que uma hora dessa ela estaria dentro da piscina junto com os outros...
 
Suspirei e fechei a porta do freezer, peguei o abridor que estava encima da pia e abri as duas garrafas e em seguida sai da cozinha.

- Mais quatro – Pude ouvir o grito animado de Dinah, enquanto ela batia na mesa.
 
- Eu sinto muito Justinho, mas... – Trina olhou o homem ao seu lado sorrindo.
 
- Mais oito – Dinah gritou mais uma vez e Vero que estava ao lado de Justin começou a rir.

- Pode jogar Trina – Justin disse olhando para Trina, e ela colocou a carta de +4 por cima da de Dinah.

Justin olhou para Vero e sorriu, em seguida colocou mais uma carta de +4 por cima da de Trina, fazendo a risada de minha irmã cessar na hora, o que causou risos entre a gente.
 
- CARALHO – Resmungou...
 
- Se você tiver mais quatro pode jogar – Dinah falou rindo e ela bufou.
 
- Eu não tenho essa porra – Resmungou comprando as cartas – Vira a porra desse jogo ai Shay, o Justin está ferrado – Ela resmungava enquanto pegava as cartas encima da mesa, era quase que as cartas todas que tinha ali.
 
- Para de reclamar – Falei rindo, e coloquei a garrafinha de cerveja ao lado dela – Me chama quando acabar essa rodada – Falei me afastando.
 
Fui me aproximando de Malu e me sentei ao lado dela, e ela nem se quer me notou, perdida em seus pensamentos.
 
Tomei um gole da minha cerveja e olhei para a loirinha ao meu lado e suspirei.
 
- O que tanto se passa nessa sua cabecinha? – Perguntei com a voz baixa, mas foi o suficiente para chamar a sua atenção já que ela deu um pulinho assustada como se estivesse acordado do seu mundinho, o que me fez soltar uma risadinha baixa e tomar mais um gole da minha cerveja.
 
- Ah... Oi tia – Me olhou sorrindo e eu arqueei a sobrancelha – O que? – Perguntou confusa e acariciou os cabelos de Noah.

- Eu te fiz uma pergunta – Coloquei a garrafa na grama ao meu lado, e eu inclinei um pouco meu corpo para trás, espalmando as minhas mãos sobre o gramado, apoiando o meu corpo ali.
 
- Ah sim, desculpa eu não ouvi – Sorriu sem graça – Não amor, essa aqui não pode – Falou com Noah pegando um galho de sua mão e jogando para longe de nós.
 
- Vem aqui com a tia garotão – Falei olhando para o pequeno e sorri quando vi que ele abriu um sorriso animado e saiu engatinhando de perto de Malu, vindo até mim – E então? – Olhei para Malu enquanto pegava Noah e o colocava em meu colo.
 
- O que? – Me olhou entregando o carrinho na mão de Noah.
 
- Eu perguntei o que tanto se passa nessa sua cabecinha ai – Dei um leve tapinha na testa dela a fazendo sorrir – Você está distante hoje meu amor, o que aconteceu? – Perguntei com uma certa preocupação.
 
Malu é sempre a mais animada nesses almoços...

- Não aconteceu nada madrinha, eu só...eu estava pensando em algumas coisas...
 
- Hum – Respondi com um som nasal e peguei a garrafinha ao meu lado, tomando mais um gole da cerveja, esperando que ela continuasse.

Coloquei a garrafinha ao meu lado novamente e olhei para Malu, a mesma olhava para as suas mãos repousadas em seu colo, enquanto os seus dedos se mexiam freneticamente sob a sua coxa em um ato nervoso, e quando ela passou a mão sobre os seus cabelos e suspirou, eu soube que ela estava em uma luta interna contra si mesma, então eu permaneci calada sabendo que uma hora ou outra ela continuaria.
 
- É que assim... – Olhei para ela e ela se virou se sentando virada para mim – Eu... uma amiga minha ela meio que me pediu um concelho e eu não sei como ajudá-la...
 
- Talvez eu possa te ajudar... digo ajudar a sua amiga - Ri baixo quando vi seus olhinhos se arregalarem por alguns instantes, mas logo suavizou.

- Ok, presta atenção, ok? – Ela falava de um jeitinho todo nervoso e eu apenas assenti com a cabeça me segurando para não rir – Então, essa minha amiga, ela tem um amigo, tipo um melhor amigo, eles meio que se conhecem desde criança sabe? – Assenti e olhei para frente vendo a minha filha brincando na piscina em seguida olhei para Malu apenas assentindo – Então, eles são como irmãos sabe? Pelo menos para ele, ele vê a minha amiga como uma irmã... – Peguei a garrafa de cerveja e virei o último gole que restava ali – Mas ela não vê isso, ela sempre gostou dele, sempre mesmo, só que ela não tem coragem de falar isso para ele, por que tem medo...  Só que... esses dias, eles estavam em uma festa juntos, e eles meio que se beijaram – Cuspi todo o líquido que tinha acabado de colocar na boca, acertando um pouco no rosto de Noah que imediatamente começou a chorar.
 
- O QUE? – Praticamente gritei olhando para ela, enquanto me levantava com Noah no colo – Me desculpa, não foi nada meu amor, shiiu, passou – Digo de maneira calma enquanto passava a mão pelo o seu rostinho limpando o mesmo.
 
- O que foi meu pretinho? – Ally apareceu em minha frente do nada – Vem com a mamãe vem – Pegou o menino do meu colo – A tia Lauren é uma bobona... – Escutei ela falando enquanto se afastava com o pequeno no colo.
 
Olhei para a minha afilhada que continuou sentada me olhando, e eu suspirei me sentando novamente.
 
- Então eles se beijaram? – Perguntei de uma maneira mais calma e em seguida olhei para Alycia novamente soltando um longo suspiro.
 
- É tia – Suspirou também – Só que depois disso, ele fugiu dela, e agora eles mal olham um na cara do outro... e eu...ela não sabe o que fazer – Me olhou e eu suspirei.

Eu não acredito que vou falar isso...
 
- O melhor que voc... quer dizer, o que ela pode fazer é chamar ele para conversar e dizer para ele o que ela sente de verdade, talvez ele sinta o mesmo só que esconde isso dele mesmo...
 
- Mas ela está agindo como se eu não estivesse aqui – Disse frustrada e eu olhei para ela – Quer dizer, ele... minha amiga – Sorriu sem graça e desviou o olhar.
 
- Malu – Segurei sua mão entre as minhas e a olhei – Conversa com ela, porque se você não for, quem vai conversar vai ser eu – Dito isto eu soltei as suas mãos,beijei sua testa e me levantei.


             P.O.V. ALYCIA
 
Já estava anoitecendo quando o pessoal todo foi embora. Eu estava exausta, então assim que Deb e Luna passaram pela porta, eu subi para o meu quarto, eu só queria tomar um banho e descansar, já que mais tarde Deb teria uma corrida, e eu iria vê-la.
 
Apenas tia Ariana,tio Justin, Malu e Amber ainda estavam aqui.
 
Minha mãe e tia Ariana resolveram fazer uma salada de frutas, Minha loira...quer dizer... Malu estava na sala jogando com meus irmãos e com Amber.
 
Tio Justin e minha papa estavam no escritório. 
 
Assim que eu terminei de tomar meu banho, me sequei e coloquei uma calcinha preta e um top cinza.
 
Penteei meus cabelos e sequei o banheiro, já que eu tenho mania de tomar banho com o box aberto e acabo molhando tudo.
 
Abri a porta e sai indo em direção ao closet para pegar uma roupa para vestir, mas travei ao ver Malu sentada na minha cama.
 
Ela me olhou e abaixou a cabeça.
 
- A gente pode conversar? - Ela perguntou voltando a me olhar.
 
Apenas assenti e ela sorriu de lado.

Caminhei até minha cama e me sentei,pegando meu travesseiro e colocando sobre meu colo.

Eu estava nervosa, meu coração batia loucamente dentro do meu peito.Ela me olhou e abaixou a cabeça logo em seguida.
 
- Porque me beijou ? - Ela perguntou baixo voltando a me fitar.
 
- A verdade ?
 
- Sim,Por favor...
 
- Eu... Eu te beijei porque foi o único jeito que podia te fazer fica quieta, Você estava gritando e eu ... Enfim.
 
Ela ficou me olhando por alguns segundos e eu vi seu narizinho ficando vermelho e seus olhos se enchendo de lágrimas.
 
- Eu não consigo tirar esse beijo da cabeça. - Deixei escapar e ela sorriu fraco. 
 
- E porque você nem falou mais comigo ? Isso dói sabia ?.
 
- Desculpa - Peço e respiro fundo. - Durante tanto tempo eu tentava ignorar seus sorrisos, seu charminho, ignorar o nervoso que eu sentia sempre que você me ligava avisando que ia vim aqui, caramba... Isso me deixava confusa e veio esse beijo, eu pirei... Eu não podia ter feito aquilo, você é minha ....
 
- Não fala essa palavra - Ela pediu e eu me levantei da cama.
 
- Malu, a gente cresceu juntas,você não entende isso ? 
 
- E o que isso tem de errado? Só por causa disso você tem que me tratar como uma irmãzinha e ignorar seus próprios sentimentos?
 
Malu começou a chorar e eu me senti um verdadeiro monstro.
 
Eu odeio ver ela chorar.

Me aproximei dela ficando parada em sua frente...
 
- Não chora - Pedi e ela virou o rosto. - Por favor.
 
- Me deixa... - Ela disse empurrando minha mão quando eu tentei tocar o seu rosto.
 
- Desculpa...
 
- Você vive me tratando com carinho e isso só me faz gostar ainda mais de você,eu tentei não amar você,mas é mais forte que eu.
 
Eu apenas prestava atenção no que ela falava...
 
- Só que diferente de você eu não fico tentando te ver como irmã,e você faz ideia do quanto é doloroso pra mim te ver com outras mulheres ? Isso dói Alycia,dói muito... E eu sou uma idiota, fazer o que ? Eu sou louca por você, cada dia que passa eu te amo mais e mais ... - Ela parou de falar e respirou fundo secando as bochechas.

Ela se levantou ficando frente à frente comigo.
 
- Acho melhor eu ir,essa conversa não vai nos levar a lugar nenhum e é melhor a gente ficar afastadas mesmo, você quer ignorar o que sente e eu acho que é melhor eu começar a ignorar também. - Ela falou e se virou.
 
Me sentei na cama, meio extasiada, processando tudo que Malu havia acabado de me falar. Foi então que eu vi que ela já estava bem próximo a porta do meu quarto.
 
- Malu – Chamei 
 
Ela parou aonde estava e olhou por cima de seus ombros. Eu sustentei o meu olhar no dela, eu não conseguia falar nada, as palavras dela ainda rodeavam a minha cabeça.
 
Então ela também me ama?
 
Porque diabos eu não percebi isso antes?
 
Fui dispersa de meus pensamentos, quando escutei Malu bufando e desviando o nosso olhar e abriu a porta do meu quarto.Só então eu percebi, que eu ainda estava sentada igual uma retardada olhando para ela.
 
- Malu, espera – Saltei da cama tão rápido que nem eu mesma acreditei e segurei o seu braço, impedindo que ela saísse do quarto.
 
- O que você quer? – Perguntou impaciente enquanto se virava de frente para mim, e eu soltei o seu braço enquanto dava um pequeno passo para trás, um pouco assustada, pois Malu nunca havia falado comigo daquela maneira – Fala logo. O que você quer Alycia? – Ela perguntou mais uma vez, agora de uma maneira pausada, porém com o mesmo tom que havia usado antes.
 
- Eu... eu... – Eu não sabia o que falar.
 
Ela me olhou,bufou novamente e em seguida se virou e saiu andando pelo corredor da minha casa.

- Malu  – Chamei
 
Ela me ignorou e continuou andando.
 
- Malu – Chamei mais uma vez.
 
Ela fingiu que não me ouviu, e o desespero tomou conta do meu corpo quando eu vi que ela já estava chegando na grande escada de minha casa.
 
- Malu eu... – Comecei a andar em passos rápidos na tentativa de alcança-la – Eu quero você caramba! – Digo um pouco mais alto e nesse momento ela parou no topo da escada – Merda, eu quero tanto você – Confessei mais para mim mesma do que para ela.
 
Ela se virou de frente para mim e deu um passo em minha direção.
 
- Você....? – Deixou a pergunta no ar.
 
- Pelo amor de Deus, eu não sei o que está acontecendo comigo Malu, eu cresci com você ao meu lado, você cuidou de mim, me protegeu, você... – Eu falava tudo em um folego só – A gente cresceu, eu me descobri, você... merda eu nunca senti isso antes... Isso é novo, eu tenho medo, então eu achei melhor ignorar porque a gente cresceu junto, e você pode conseguir quem você quiser eu sou mais nova, imatura e... dai veio aquele beijo e porra, aquele beijo causou em mim coisas que eu jamais imaginei e... – Minha fala foi cortada pelo os lábios macios de Malu cobrindo os meus.
 
E lá estava mais uma vez aquela sensação da noite passada, o friozinho tomando conta de minha barriga, o meu coração batendo descontrolado em meu peito. Os lábios macios de Malu se movendo sobre os meus em um encaixe mais do que perfeito.
 
As minhas mãos seguraram firme em sua cintura e a puxei encurtando a pouca distância que tinha entre os nossos corpos. 
 
A pontinha de língua de Malu deslizou discretamente por entre os meus lábios e eu dei a passagem que ela pedia, e foi impossível não suspirar quando a nossas línguas se encontraram.
 
Sua mão agarrava os meus cabelos de uma maneira firme, e sua língua se envolvia com a minha de um jeito prazeroso e intenso, era como se ela quisesse que aquilo durasse para sempre, e para falar a verdade,eu também queria.
 
Mas então eu lembrei da forma em que eu estava vestida, e se por acaso alguém subisse aqui e visse eu e a Malu se beijando, e eu de roupas intimas, as coisas não ficaria muito legal para o nosso lado. Então  muito contragosto, eu mordisquei o lábio inferior de Malu levemente e puxei, encerrando o beijo com um longo selinho.
 
- Malu – Murmurei meio perdida quando ela  começou a distribuir beijos pelo o meu maxilar até chegar em meu pescoço, causando arrepios por todo o meu corpo – Eu... Malu – Suspirei quando ela chupou bem no meu ponto de pulso.
 
Caralho...
 
- Hum? – Respondeu com um som nasal.
 
- Malu eu... – Fechei os meus olhos sentindo os seus dentes roçarem contra a minha pele – Foda-se – Empurrei ela até a parede próxima a gente e grudei os nossos lábios novamente, agora em um beijo sedento, o que acabou arrancando um sorrisinho divertido de seus lábios.
 
Invadi a boca de Malu sem se quer pedir permissão, a minha língua deslizava por sua boca de uma forma sedenta, e até desesperada. Eu tinha uma mão apoiada na parede, e a outra eu deslizei pela lateral do seu corpo até chegar aonde eu queria, a lateral de sua coxa.
 
Apertei ali com cuidado e em seguida ergui a sua perna na altura de meu quadril, me encaixando ali perfeitamente no meio dela. 
 
Discretamente a minha mão deslizou até a sua bunda volumosa, coberta apenas pelo pano Jeans do short curto que ela estava vestida, e enfiei a pontinha de meus dedos por debaixo de seu short e apertei ali com vontade, arrancando um suspiro de Malu.
 
- Lyci... – Murmurou contra os meus lábios e eu comecei a descer os beijos por seu pescoço.
 
A minha mão deslizava entre sua coxa e bunda repedidas vezes, vez ou outra eu apertava, enquanto distribuía beijos por todo o seu pescoço, intercalando em mordidas leve.
 
- Você me provocou, sua safada – Sussurrei próximo ao seu ouvido, e apertei a sua bunda novamente, dessa vez pressionando a sua intimidade contra a minha
 
Arfamos juntas...
 
- Olha... – Sua fala foi cortada quando eu voltei a beijar o seu pescoço. Senti as suas mãos deslizando pela minhas costas nuas e ela apertar as unhas ali – Olha onde nós estamos – Sussurrou em meio a um suspiro e aquilo foi como um estalo para minha mente.
 
Me afastei de Malu rapidamente e olhei para os lados.
 
Eu estava só de roupas intimas, me agarrando com a Malu vulgo princesinha da minha papa e do tio Justin, enquanto os dois estão lá embaixo, podendo subir aqui a qualquer momento.
 
Porra...
 
- Vem comigo – Segurei na mão de Malu e puxei a mesma até o meu quarto novamente.
 
Assim que entramos no quarto, eu fechei a porta atrás de mim e fiz questão de trancar. Olhei para Malu e ela estava parada próxima a mim, com um sorrisinho torto nos lábios.
 
Meu deus, como essa garota é linda...
 
- Vem cá – Puxei ela pela cintura e colei nossos lábios.
 
Os braços de Malu rodearam o meu pescoço, enquanto eu mantinha as mãos firmes em sua cintura. O beijo agora era um pouco mais calmo,repleto de carinho.
 
Enquanto íamos nos beijando eu ia guiando Malu até a cama, até que eu me sentei sobre o colchão macio, e a mais velha se sentou em meu colo as minhas mãos automaticamente desceram para o seu quadril.
 
Quando o ar nos fez falta eu separei os nossos lábios e abri os meus olhos, encontrando o sorriso mais lindo de Malu em minha frente
 
- Você é tão linda – Murmurei deslizando a pontinha de meus dedos por sua bochecha. - Muito linda - Falei baixinho. 
 
Ela não falou nada, apenas me beijou novamente.
 
Com cuidado eu fui me deitando na cama, trazendo ela junto comigo.  A sua língua dançava sobre a minha em uma sincronia perfeita.
 
Eu já falei que o beijo dela é o melhor?
 
Quando já estávamos deitadas, eu peguei um pequeno impulso e girei os nossos corpos, deixando ela por baixo de mim e ela sorriu entre o beijo. 
 
Os meus lábios foram descendo até o seu pescoço e suspirei inalando o seu cheiro maravilhoso, enfiei minha mão por baixo de sua blusa e fui subindo até finalmente chegar em seu seio direito, coberto pelo o sutiã.
 
Deixei a minha mão repousada ali, esperando por algum protesto da mais velha, o que não aconteceu. Muito pelo contrário... 
 
Malu abraçou o meu quadril com suas pernas e me apertou contra si, enquanto ela tinha uma de suas mãos agarradas em meus cabelos, conforme os meus lábios ia passando pelo o seu pescoço ela ia se arrepiando e aquilo de certa forma me fazia sorrir satisfeita.
 
O barulho da maçaneta de meu quarto soou fazendo com que eu me jogasse na cama ao lado de Malu assustada e em seguida ouvimos batidas na porta.
 
- Quem é? – Perguntei olhando para porta.
 
- Lyci, a Malu está ai? – Escutei a voz de Amber e suspirei aliviada assim como a Malu.
 
- Estou – Malu respondeu por mim e eu sorri, me deitando por cima dela novamente.
 
- Ma, a mamãe está te chamando.
 
- Pra que? – Malu perguntou. 
 
Enfiei a minha mão por debaixo de sua blusa novamente e fui direto aos seus seios, enfiando meus dedos por debaixo de seu sutiã, e voltei a beijar o seu pescoço enquanto deslizava o meu dedo polegar por seu mamilo rígido.
 
- Pra ir embora – A baixinha respondeu do outro lado da porta.
 
- Fala para ela que... merda – Gemeu arrastada a última palavra quando eu apertei o seu seio com uma certa força.
 
- O que? – Amber perguntou e eu pude perceber o quanto estava confusa, o que me arrancou uma risadinha baixa.
 
- Para – Malu me repreendeu e eu ri baixo tirando minha mão debaixo de sua blusa e a abracei, escondendo o meu rosto na curva de seu pescoço – Eu já vou Amb – Respondeu alto para a irmã e eu ri mais uma vez – Você é uma idiota – Falou me acertando um tapinha nas costas.
 
- Sou não – Falei manhosa e em seguida fechei os meus olhos ao sentir ela acariciar os meus cabelos.
 
- Deixa eu ir antes que a dona Ariana venha aqui – Pediu e eu neguei com a cabeça, sem me mover – Lyci – Pediu mais uma vez e eu suspirei.
 
- Tá bom, tá bom – Me deitei na cama ao lado dela novamente, enquanto fazia um pequeno bico nos lábios e ela se sentou na cama ajeitando a sua roupa.
 
- Depois a gente... se fala  ? – Perguntou se levantando e eu assenti olhando para ela – Tá... então... –Apontou para porta e eu assenti novamente ainda com bico nos lábios, ela se virou e foi até a porta.
 
- Malu ? – Chamei me sentando na cama.
 
- Oi – Olhou por cima dos ombros.
 
- Você sabe que a Deb vai correr hoje? – Perguntei.
 
- Sei, ela me falou, ela pediu para eu ir, que ela queria que a Angel fosse e ela não ia sem mim, enfim... 
 
- Então você vai? – Levantei da cama sorrindo e ela assentiu – Com a Angel? – Perguntei e ela assentiu novamente – Não vai não – A puxei pela cintura e ela me olhou confusa.
 
- E por que não? 
 
Selei nossos lábios rapidamente.
 
- Porque você vai comigo – Sorri convencida e mordi levemente seu lábio inferior e fui puxando com carinho.
 
- Lyci... - Falou assim que seu lábio se livrou de meus dentes.
 
- Não quero saber, você vai comigo, e você pode dormir aqui – Avisei e ela riu divertida.
 
- E eu tenho escolha? – Perguntou rindo e selou os nossos lábios e em seguida se afastou de mim e abriu a porta saindo do quarto.
 
Olhei a porta em minha frente se fechar e suspirei, em seguida me joguei na cama soltando um grande suspiro.

Olhei para o criado mudo ao lado de minha cama, e sorri pegando o porta retrato com a foto minha da Malu e Deb que tinha ali e deslizei o meu dedo sobre o rosto de Malu sorrindo, colocando o porta retrato no lugar novamente,eu não estava acreditando que isso estava acontecendo. 
 
- É... – Suspirei – Eu acho que preciso de outro banho – Me levantei da cama e fui em direção ao banheiro.

 


Notas Finais


Até qualquer hora... ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...