História Garoto Prodígio - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Jikook, Omegaverse, Taegi, Taehyung!alfa, Taesuga, Vga, Vsuga, Yoongi!omega
Exibições 1.254
Palavras 3.182
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Comédia, Ecchi, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


EAE PESSOAL
Voltay yey
Não tenho muita coisa p falar aqui, só que esse capítulo tá bem grande pra compensar que eu não postei ontem
Eu sou a melhor fic writer do mundo mundo vamo concordar
Ah e vcs viram que eu mudei a capa? Foi obra de um dos meus leitores, os créditos tao na capa, dêem muito amor p essa pessoa, pq eu amei
Só isso mesmo, boa leitura Ü

Capítulo 5 - 5


[P.O.V. Jungkook]

 

- Jimin, você não vale nada. – falo, o encarando pelo espelho do banheiro. Ele abre um sorriso e me mostra a língua, como uma criança.

Vou até ele e começo a distribuir tapas no seu ombro, um atrás do outro, e ele tenta controlar a risada, sem sucesso.

- Como você – dou um tapa – deixou – outro tapa – seu melhor amigo – mais um tapa – chorar sem falar nada, seu idiota? – um último tapa, dessa vez na nuca dele.

Ele segura uma risada antes de tentar se defender:

- É para o bem dele, eu juro.

- Como assim para o bem dele, Jimin? O moleque estava chorando no banheiro porque achou que eu e Tae estávamos juntos e você não falou nada, sua anta.

A minha agressividade apenas faz Jimin segurar mais uma risadinha. Ao contrário de todos os outros alfas que já conheci, ele não achava a minha rudeza chata ou desrespeitosa, ele gostava dela. O que eu amava e achava extremamente irritante, porque ao mesmo tempo que eu podia ser eu mesmo perto dele, eu não conseguia deixa-lo irritado, o que era meu passatempo favorito.

- Se o Tae fizesse isso comigo, eu ia arrastar a cara dele no asfalto quente. – acrescento.

- Primeiramente, você não tem nem um quarto da força de Tae. – Jimin fala, zombando da minha posição de ômega.

- Isso, joga na cara.

- Segundamente...

- Isso nem é uma palavra.

- Você vai me deixar falar? – Jimin reclama, sem tirar aquele sorrisinho do rosto. Assinto, mostrando a língua para ele, que continua a falar – Você tinha que ver como Yoongi ficou no final, quando eu falei que ele não ia perder Tae. Eu nunca vi ele com tanta convicção no rosto, talvez até tome uma iniciativa. E se ele não tomar, pelo menos vai demonstrar tanto ciúmes que Tae perceba e ele mesmo chegue em Yoongi.

- Não se eu ficar me esfregando no Tae o intervalo inteiro. – retruco. – Jimin, esse plano é muito idiota.

Ele me explicou o “plano” dele hoje de manhã, assim que acordamos, antes de virmos para a escola – sim, o Jimin dormiu na minha casa, eu já estou marcado e agora que tenho esse direito quero aproveitar, não me julguem. O plano dele consistia em fazer os ciúmes de Yoongi por Tae aumentar até ele não conseguir esconder mais e acabar deixando claro que gosta dele. O que é o plano mais idiota do mundo, já que seria muito mais simples, ah, não sei, FALAR PARA ELES QUE ELES SE GOSTAM.

Mas Jimin me disse que tinha prometido para ambos que não iria falar nada, então ele tinha que fazer isso.

- Mas eu não prometi nada. – comentei na hora, o que fez Jimin ficar sem falar nada por uns vinte minutos e depois voltar com um monte de argumentos que eu não entendi para poder fazer o plano dele.

A verdade é que Jimin não tinha nada para fazer e gostava de complicar as coisas. Eu tenho quase certeza de que ele só está fazendo isso para ver Yoongi com ciúmes porque – nisso eu tenho que concordar – Yoongi irritadinho é meio engraçado.

- Você é o pior melhor amigo do mundo. – falo, me virando e arrumando melhor a maquiagem no pescoço. Assim que saímos de casa, Jimin insistiu em me beijar no meio do caminho e acabou borrando a maquiagem que passei um bom tempo fazendo. Resultado: eu e ele no banheiro privativo para ômegas (ele nem devia estar aqui, mas foi ele quem borrou tudo, agora tem que aguentar) comigo jogando base no pescoço. – Não sei como Yoongi te aguenta.

Jimin se aproxima e me abraça por trás, passando as mãos pela minha cintura. Tento fazer uma cara emburrada, mas até ele percebe que é falsa.

- Só siga o plano, Jungkookie. Não vai ser difícil, você e o Tae já são naturalmente viados, é só aumentar essa viadagem um pouquinho.

- Vai se foder.

Ele solta uma risadinha antes de me virar e puxar o meu queixo para baixo, me dando um selinho.

- Você me ama que eu sei. – fala com um sorrisinho no rosto.

- E você é muito convencido, seu idiota. – falo, o que acaba só aumentando o seu sorriso, fazendo aqueles olhinhos formarem duas meia luas fofinhas. Ele me puxa para perto mais uma vez, apertando a minha cintura e me dando mais um beijo.

Retribuo o beijo, obviamente – quem conseguiria negar um beijo de Park Jimin, gente? -, mas o empurro delicadamente – ou o tão delicadamente quanto possível quando você é Jeon Jungkook – assim que ele coloca as mãozinhas no meu pescoço.

- Jimin, nós temos que ir para a aula.

- Temos mesmo? – ele reclama, ainda abraçado a mim.

- Sim, não quero ter um alfa burro.

- Falou o gênio, né.

- Vai se foder.

Ele solta mais uma risadinha e fala:

- Tudo bem, temos que sair.

Assim que começo a separar o abraço, ele fala:

- Jungkook, espera.

- O que foi?

Jimin me puxa para perto e me dá um selinho, seguido de um apertão na minha bunda – quem esse gnomo está pensando que é – e sai correndo do banheiro.

- Jimin! – grito, corando por causa do que ele acabou de fazer.

Apesar de ele já estar fora do banheiro e provavelmente estar correndo para longe – aquele menino preza a própria vida – eu consigo imaginar o seu sorriso e a risada de moleque, o que me faz sorrir instintivamente.

 

[...]

 

[P.O.V. Yoongi]

 

- Tae, me passe a porra do refrigerante. – ouço Jungkook falar, me assustando de novo. Eu estava convivendo há pouquíssimo tempo com ele, mas já tinha percebido que ele era o tipo de pessoa que fala um palavrão por segundo. Apesar de não ligar muito para isso, não consigo evita corar. Maldita reação de ômega.

- Jungkook, controle o palavreado, caralho. – Hoseok retruca, fazendo todos na mesa rirem, menos Tae, que está muito ocupado revirando os olhos e eu, que estou muito ocupado corando e ficando envergonhado. Tae percebe e me lança um sorrisinho de lado que me faz tremer.

- Desculpa por eles. – ele fala, sem fazer som, apenas mexendo a boca.

Taehyung estava simplesmente lindo, como sempre. Como hoje não estava frio, ele veio só com uma camisa branca – essa cheia de desenhos de caneta que eu suspeitava terem sido feitos pelo próprio Tae – e uma calça jeans gasta e colada que me dava uma ótima visão daquelas coxas torneadas dele. (Não sou pervertido, eu juro. Só estou perto do cio, não me julguem). Em algum momento do almoço ele tinha roubado uma tiara com orelhinhas em cima de alguém e estava usando, sem se importar com os olhares estranhos que estava recebendo.

Foi ideia de Jungkook todos nós nos juntarmos na hora do almoço, no refeitório. Eu chamaria Namjoon, mas ele – assim como Jin, com quem eu já falei algumas vezes e descobri que é irmão de Tae – estuda no terceiro ano, um ano acima do nosso, e tem um horário de almoço diferente.

Devolvo o seu sorriso do jeito mais desajeitado possível e vejo Jungkook se inclinando na direção de Tae, mostrando algum vídeo no celular. Tae pega o celular e assiste qualquer que seja o vídeo, e Jungkook apoia a cabeça no ombro de Tae. Não deixo de pensar que eles seriam um casal fofo se eu não quisesse que Tae fosse meu.

É extremamente difícil para mim ver Tae e Jungkook juntos agora que eu sei que eles estão juntos – apesar de ter uma chance mínima de que aquela marca em Jungkook não tenha sido feita por Tae – mas tento me manter calmo. Se Taehyung não marcou Jungkook, ele vai marcar alguém em algum momento. Eu não sou burro, consigo ver o modo como os ômegas olham para ele. E ele é tão gentil com todo mundo que é impossível saber se ele está interessado em alguém ou se ele só está agindo como sempre.

Tae ainda está assistindo aquele vídeo quando Jungkook se vira e coloca as mãos em forma de concha no ouvido dele, sussurrando algo para Tae. Ele dá uma risadinha baixa, se vira e sussurra algo de volta. Sinto todo o meu corpo esquentar só de ver essa interação, fervendo de ciúmes. O fato de eu estar perto do cio e com meus hormônios à flor da pele dificulta a minha tarefa de esconder a raiva, e vejo que Jimin percebeu. Ele me lança um sorrisinho malicioso e volta a comer normalmente.

Fico preocupado. Se Jimin conseguiu perceber, será que Tae... Não, ele está muito ocupado rindo com Jungkook. Ver os dois desse jeito só diminui a minha esperança de que Tae não é o alfa de JK. E mesmo se não fosse, o que ele iria querer comigo? Uma pessoa antissocial, chata e simplesmente incapaz de fazer qualquer coisa além de estudar, estudar e estudar?

Não consigo ver nem mais um segundo disso – culpa desse cio maldito que me deixa muito mais sensível -  e levanto, murmurando algo sobre ir à biblioteca, e saio do refeitório com passos rápidos.

 

[P.O.V. Taehyung]

 

Sinto o peso da cabeça de Jungkook no meu ombro enquanto assisto aquele vídeo de um gato preso em uma caixa de patinhos – não me pergunte porque ele me mostra essas coisas. Eu tinha percebido que Jungkook estava muito mais carinhoso hoje, ele ficava me abraçando do nada e ria de tudo o que eu falava, e agora estava deitado no meu ombro. Apesar disso, me permiti ignorar todo esse carinho porque eu sabia que era comum em ômegas que recém tinha sido marcados.

O otário do Jungkook esqueceu de esconder a marca de mim e eu acabei vendo. Ele se recusou a me falar quem era – o que nos rendeu uma briga que terminou em nós dois comendo pizza. Ele ainda não tinha me falado, então eu deixei o assunto quieto por enquanto. Mas eu ia acabar descobrindo eventualmente, eu sempre descubro.

- Você normalmente não censura os meus palavrões. – Jungkook sussurra no meu ouvido. – Está tentando impressionar o crush, Tae?

Para disfarçar como eu corei com esse comentário, forço um sorriso e sussurro de volta:

- O “crush” está sentado na minha frente, Jungkook, por favor não piore a minha situação.

Jungkook tinha tido a ideia genial de chamar Yoongi e Jimin para almoçarem com a gente hoje. O que era ótimo e horrível ao mesmo tempo. Ótimo porque eu tive um tempo a mais com Yoongi, mesmo que com outras pessoas juntas, e a presença dele é sempre bem-vinda. Horrível porque ele estava simplesmente lindo. Como hoje estava calor, ele veio só com uma camisa branca – com a estampa tão gasta que eu não conseguia ler o que estava escrito – e uma bermuda preta quadriculada que chegava à uns quatro dedos acima do joelho.

Eu juro para vocês que tentei não ficar encarando as pernas dele.

- Eu... – ouço Yoongi murmurar na minha frente, se levantando. O rosto dele está péssimo, ele parece segurar o choro. Ver Yoongi daquele jeito me devasta, apesar de não fazer ideia do porquê. – Tenho que ir... Biblioteca.... tchau.

Ele sai de perto da mesa e praticamente corre para fora do refeitório. Assim que ele vai embora, todos na mesa me olham.

- Que foi? – pergunto, confuso. – Porque estão me olhando?

Hoseok bate na própria testa com a mão e Jungkook revira os olhos.

- Vai atrás dele, sua anta! Ele saiu correndo por sua causa! – Jimin fala.

Demoro um tempo para processar o que ele quer dizer. Na verdade, eu praticamente não processei. Fiquei sem entender mesmo.

- O que? Como assim por minha causa?

- Meu pai amado, como você é burro. – Hoseok murmura.

- Ele estava com ciúmes. – Jungkook fala, simplista.

- Ciúmes? Como assim ciúmes, Jungkook? De quem?

Jungkook me lança um olhar que dizia com todas as letras: “Você só pode estar brincando comigo”. Ele me dá um tapa na nuca.

- Ciúmes – mais um tapa – de – outro tapa – você – os tapas desse moleque doem – seu idiota!

Assim que processo a informação, meu queixo cai. Não, Yoongi não pode ter ciúmes de mim, ele nem gosta de... Espera. E se ele gostar? Caralho, é muita informação.

- Espera, vocês têm certeza? – pergunto. – Porque ele pode muito bem ter, não sei, tido que devolver um livro ou algo assim... Eu não sei se eu...

- VAI LOGO ATRÁS DELE! – Os três na mesa falam ao mesmo tempo, me assustando.

Sem falar mais nada, saio do refeitório e corro até a biblioteca, que é próxima de onde estávamos, então chego rapidamente. Assim que entro correndo naquele lugar empoeirado – levando um olhar de reprovação da bibliotecária, uma beta enrugada que deve me odiar – passo por todos os corredores, procurando um certo loirinho.

Tenho que passar por todos os corredores duas vezes até achar Yoongi no último. Ele está encolhido, sentado no chão com as costas contra uma prateleira de livros, os braços abraçando as pernas magras e pálidas. Longe de mim, encolhido no chão, ele parece menor do que é, como uma criança.

Penso que ele poderia muito bem estar dormindo quando vejo os seus ombros chacoalharem com um soluço e mudo de ideia. Ver Yoongi chorando assim me corta o coração de um jeito que eu nem posso descrever. Ele é tão sensível e inocente, ver ele triste é como ver alguém maltratando uma criança. Enquanto me aproximo, consigo ouviu melhor seus soluços e o som do seu choro, e cada barulho me despedaça um pouco por dentro.

- Yoongi? – chamo, sem usar o termo formal. No pouco que consegui conversar com Yoongi desde que o conheci melhor, descobri que ele não gosta muito quando os outros o chamam usando sufixos muito formais. Como ele não reagiu, uso seu apelido, que ouvi sua mãe usar só uma vez: - Yoonie?

Ele levanta a cabeça, assustado, e me olha. Suas bochechas estão molhadas e o nariz vermelho. Quase choro só de ver essa imagem.

- Do que você me chamou? – ele fala baixo.

- De Yoonie. Se você não quiser que eu te chame assim eu posso parar. – falo no mesmo tom, me aproximando devagar e me sentando do seu lado.

- Não, eu... eu gosto. – Yoongi murmura, quase não consigo ouvir. – Porque você me seguiu?

Dou de ombros.

- Parecia que você precisava de alguém. E eu sou uma ótima companhia. – falo, e Yoongi solta um riso baixo, sem muita força. Apesar disso, é um começo, e me sinto bem em fazer ele sorrir. – Sei que pode parecer clichê e a gente não se conhece tão bem, mas se você precisar falar sobre... o que quer que esteja acontecendo, eu estou aqui.

Ele balança a cabeça rapidamente, encarando o chão.

- Na verdade, eu não quero falar sobre isso. Mas obrigada por tentar ajudar.

Olho para o rosto dele e percebo que algumas lágrimas ainda estão escorrendo pelas bochechas do loiro.

- Ei. – puxo o queixo de Yoongi, o fazendo olhar para mim. – Não chore. Transforme cada uma dessas lágrimas naqueles sorrisos bonitinhos que eu sei que você tem.

Ele cora com força, ficando completamente vermelho, e dá um sorrisinho pequeno. Mas não é o sorriso que eu quero.

- Aqui. – tiro a tiarinha com orelhas de gato que eu peguei no intervalo de mim e coloco na sua cabeça com cuidado, ajeitando as hastes atrás das orelhas dele. Assim que passo as mãos ali, ele se arrepia, e me lembro do que Jimin falou no intervalo. – Viu, você fica lindo assim. Parece um gatinho.

Yoongi sorri de verdade dessa vez, surpreso com o meu carinho aleatório. Aquele sorriso lindo e doce que mostra as gengivas dele e faz meu coração disparar.

- Não chore mais, ok? – sussurro e puxo Yoongi para perto, deixando um selar rápido na sua bochecha e o puxando para um abraço.

É ali, encolhido no chão sujo da biblioteca, com os braços dele ao redor do meu pescoço e os meus na sua cintura, sentindo nossos corações baterem no mesmo compasso, que eu percebo que não há mais volta de Min Yoongi.

 

 

 

 

 

 

 

 [...]

 

 

[P.O.V. Jungkook]

- Você falou. – zombo.

- Eu sei que eu falei.

- Você quebrou sua promessa.

- ‘To sabendo.

- O seu plano deu errado.

- Aham.

- Yoongi vai arrastar sua cara no asfalto quente.

- Eu estou ciente, Jungkook.

- E eu não vou te beijar se você estiver com a cara toda sangrando, tipo, eu te amo, mas eu não curto muito... – estou falando quando Jimin me puxa para perto, prensando a boca contra a minha.

- Jungkook, eu te amo, mas acho que te amo mais quando você cala a boca.

- Babaca.

Jimin ri e me puxa para perto pela cintura e me dá mais um beijo. Assim que nos separamos, falo:

- Agora que você deu com a língua nos dentes e Tae sabe sobre Yoongi, o que vai fazer?

- Eu? – Jimin levanta as sobrancelhas. – Eu não vou fazer nada, cansei de bancar o cupido. Tae já sabe de tudo, agora a gente espera para ver o que esses dois vão fazer.

Desvio o olhar do gramado da escola na nossa frente para ele. Nós dois estávamos sentados em um dos bancos que estavam ali, logo depois do toque do último sino. Nós vimos a maioria dos alunos irem embora, incluindo Tae e Yoongi, que foram embora juntos, conversando como se fossem melhores amigos. Admito, me deu um pouco de ciúmes.

- Você? Desistir? Até parece. Eu dou dois dias para você voltar a se meter no relacionamento alheio.

Ele dá uma risadinha.

- Veremos. – fala.

Volto a olhar para frente, apoiando a minha cabeça no ombro dele.

- Ei. – falo, e ele murmura um “hm”. – Agora que esse plano todo foi para o ralo, posso tirar essa maquiagem toda e mostrar minha marca para os outros?

Ele abre um sorrisinho e fala.

- Espera um pouco. – parece pensar por um tempo e então aponta para um garoto completamente aleatório que estava passando ali. – Ei, você! – o garoto olha para nós, confuso. – Você ‘tá vendo esse garoto aqui do meu lado – grita e aponta para mim – eu acabei de marcar ele!

O garoto parece ainda mais confuso por ter alguém gritando isso para ele e levanta o dedão para Jimin, em um sinal clássico de “muito bom, parça”, saindo do gramado. Não posso evitar uma risadinha.

Meu namorado é estranho. 


Notas Finais


Eu sei, eu to colocando muito Jikook, é mais forte que eu
Mas as coisas vão tombar pro lado Taegi depois, eu juro
ANYWAYS
obg pelos comentários e favs, continuem pfv, amo vcs
Até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...