História Garoto Prodígio - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Jikook, Omegaverse, Taegi, Taehyung!alfa, Taesuga, Vga, Vsuga, Yoongi!omega
Exibições 1.227
Palavras 2.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Comédia, Ecchi, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


AINDA NÃO É MEIA NOITE
HUE
Eu falei q eu ia postar hj e olha só
CONSEGUI
Caraljo vcs tem q me amar muito msm hein

E eu escrevi pelo celular, então perdoa os erros e nao desiste jimin
Ah e tem outra coisa q eu queria falar p vcs sobre esse cap
O que era msm...
Ah é
(͡° ͜ʖ ͡°)

Capítulo 7 - 7


[P.O.V. Min Yoongi]

Fodeu.

Deixando toda a minha culpa na hora de falar palavrões e a minha educação de uma vida inteira de ômega, me permito falar esse e mais um monte de palavras sujas nesse momento.

Por que? Simples. Taehyung – e Jimin, mas isso não é tão importante – vão vir na minha casa hoje, mais precisamente em menos de três horas. E por que eu estou fodido? Mais simples ainda. Porque eu acabei de acordar, às 5 horas da manhã, suando tanto que os lençóis grudam na minha pele.

O corpo quente, a testa molhada de suor, a respiração irregular, o desconforto no meu baixo ventre. Todos esses sinais que me condenam e me impedem de negar. Eu entrei no cio, que já estava dando sinais de aparecer há uma semana praticamente.

De todos os dias desse mês, o meu cio tinha que aparecer justamente hoje? No dia em que o garoto em que eu normalmente penso quando essa época chega – você já sabe disso, nem fique chocado – vai vir na minha casa? Eu não posso cancelar tudo, esse trabalho é enorme e não podemos perder mais um dia, já tínhamos praticamente perdido uma semana.

Mas é óbvio que eu não posso chamar Tae para vir aqui enquanto estou no cio, com meu cheiro praticamente triplicado e gemendo com qualquer movimento. Passo um bom tempo encarando o teto, sentindo o calor do meu corpo aumentar o dobro a cada segundo, meus pelos eriçados e minha franja presa na testa pelo suor.

Sem aguentar nem mais um segundo daquilo, pego o meu telefone e mando uma mensagem para Jimin.

Min Yoongi: Jimin, por favor, me ajuda.

Ele demora um pouco para responder, provavelmente porque estava dormindo, e nesse meio tempo, tiro a camisa e a calça do pijama, ficando só de cueca, sem aguentar nem mais um segundo desse calor infernal. Ainda estou deitado na cama, sentido calor como se tivesse ido fazer uma visita ao capeta e com uma ereção incômoda entre as pernas quando sinto o celular vibrar na minha mão.

Park Jimin: Se você me acordou às cinco da manhã porque estava no cio, eu vou te bater, juro que vou te bater.

Min Yoongi: Para de ser insensível e me ajuda pelo amor de Deus.

Park Jimin: Yoongi, você é gato, mas eu não curto essas coisas.

Min Yoongi: JIMIN

Min Yoongi: NÃO É DISSO QUE EU TO FALANDO PELO AMOR DE DEUS TENHA DECÊNCIA

Park Jimin: De que então?

Min Yoongi: Me traz aqueles supressores que você trouxe da última vez, eles funcionaram aquele dia.

Park Jimin: Promete que não vai estar gemendo o nome do Taehyung quando eu chegar?

Min Yoongi: SÓ ME TRAZ O SUPRESSOR

Ele só visualiza a última mensagem e então fica off-line, imagino que tenha saído de casa para me trazer o remédio. Minha mãe era uma ômega muito conservadora, então não tinha nenhum em casa. Eu tinha que pegar escondido de Jimin sempre que os sintomas ficavam mais fortes, como agora.

Na verdade, meus sintomas pareciam ter quadruplicado, e eu sabia porque. Uma semana próximo de quem eu sempre pensava quando estava assim – sentindo o seu cheiro, a textura da sua pele, as sensações que ele sempre me dava quando sorria daquele jeito para mim – serviu de alimento para minha mente pervertida, que estava me bombardeando com imagens de Taehyung desde que acordei.

Não vou te dar detalhes do que eu estava pensando sobre Taehyung nesse momento – eu sei que vocês querem, seus pervertidos – porque é embaraçoso demais. Mas foi o suficiente para que a dor em meu membro multiplicasse por cinco e eu começasse a expelir aquele lubrificante natural maldito com muito mais densidade.

Me levanto da cama, sentindo um vazio desgraçado dentro de mim, e vou até a cozinha, onde minha mãe normalmente ficava. Ela tinha cancelado as aulas de música aqui em casa hoje – incluindo a aula de Taehyung – porque minha vó estava passando mal e precisava de cuidados, então não me surpreendo ao não ver ela em casa, com um bilhete sobre a mesa avisando onde ela tinha ido.

Sinto minhas pernas molhadas por causa do lubrificante e corro para o banheiro do meu quarto assim que ouço o portão se abrir – Jimin tinha a senha para entrar. Eu não queria que ele me visse desse jeito. Ele era meu melhor amigo de infância e sabia que eu tinha cios, era algo óbvio para um ômega, mas era extremamente vergonhoso ele me ver desse jeito, principalmente se sabe da minha necessidade por Tae.

Ligo o chuveiro, entrando debaixo dele para ter uma razão para estar dentro do banheiro, e ouço Jimin andando até o meu quarto. Eu sabia que não era sábio ficar perto de Jimin agora, já que ele é alfa, mas nada nunca aconteceu nem aconteceria entre nós. Ele bate na porta do banheiro.

- Yoongi? – fala, sem abrir a porta. – Você está aí?

- Estou. – falo o mais alto que posso e puxo a cortina para que ele não me veja. – Entre, coloque os comprimidos na pia e saia. O mais rápido possível, de preferência.

Ouço a risadinha de Jimin. Ele achava a minha vergonha do cio extremamente engraçada, porque não era ele que passava um tempo todo mês implorando para ter algo dentro dele. A porta se abre e ouço o barulho do pacotinho de supressores sendo jogados sobre a pia. Em seguida, ouço a porta se fechar e Jimin falando em tom zombeteiro:

- Até mais, Yoongi!

Apenas relaxo debaixo da água gelada quando ouço o barulho do portão da casa sendo fechado, tendo certeza absoluta de que Jimin foi embora. Praticamente voo para fora do box, sem me importar se eu iria molhar o banheiro ou não. Apenas abro a caixinha de supressores e jogo dois comprimidos na boca de uma vez, os engolindo a seco no desespero.

Tento relaxar, apesar de saber que os supressores não tinham efeito imediato. Seco o máximo possível que posso do meu corpo e me jogo na cama, sem roupa nenhuma, ainda sentindo aquele calor desgraçado. Minha ereção ainda doía, minha pele ainda estava fervendo, eu ainda sentia a minha entrada se contrair, implorando por algo. Os supressores pareciam não ter efeito nenhum, mas tento me acalmar, eles fariam efeito em breve.

Começo a passar minhas mãos pelo meu corpo instintivamente, as deixando agir mesmo que internamente eu esteja me condenando por isso. Elas passam por meu abdômen e passeiam pelo meu ventre, se demorando, até que a direita encontra meu mamilo e o aperta com força, fazendo um gemido murmurado sair pela minha boca.

Parecia que meus sentidos estavam multiplicados por dez, minhas pupilas estavam dilatadas e eu sentia cada canto do meu corpo com muito mais intensidade.

Sem aguentar mais, envolvo o meu membro que já expelia pré-gozo com a mão esquerda, fazendo movimentos de vai e vem com o máximo de velocidade que eu conseguia. Minha boca se abre em um gemido mudo, mas não é o suficiente.

Minha mão esquerda sai do meu abdômen e insere dois dedos de uma vez na minha entrada, tentando me dar um pouco de alívio. Imediatamente o prazer me toma e arqueio as costas.

Eu falei para Jimin que não estaria gemendo o nome de Taehyung quando ele chegasse, certo? Mas não significa que eu não iria fazer isso depois que ele foi embora. Não me julguem por isso, eu não tenho controle.

Minha mente me trai, me trazendo imagens de Taehyung.

Os braços fortes dele apertando minha cintura, os dedos longos dele no lugar dos meus, que faziam tão pouco em me satisfazer, sua boca no lugar da minha mão agora. Essas imagens apenas aumentam a minha necessidade, fazendo com que eu aumente a velocidade dos meus movimentos e, automaticamente, o meu prazer.

Acreditem em mim quando falo que não foi escolha minha quando minha boca se abriu e, instintivamente, um som já conhecido por mim saiu dela:

  - Taehyung-Ah...

[P.O.V. Taehyung]

Park Jimin: TAEHYUNG

Park Jimin: BICHA

Park Jimin: ACORDA VAGABUNDO

Park Jimin: KIM TAEHYUNG SE VC NÃO ME RESPONDER EU VOU DAR NA SUA CARA.

Foram com essas mensagens de carinho que eu acordei no sábado. Demorei um tempo para responder porque eu ainda estava acordando e também por pura birra, já que eu odeio acordar cedo.

Kim Taehyung: Que foi demônio?

Park Jimin: Você precisa ir pra casa do Yoongi mais cedo hj.

Park Jimin: Tipo agora

Kim Taehyung: Por que?

Park Jimin: SÓ VAI

Park Jimin: To falando sério você tem que ir é questão de vida ou morte

Kim Taehyung: Como assim, por que?

Park Jimin: A senha do portão é 1649298

Park Jimin: AGORA VAI LOGO ANTES QUE EU TE BATA

Kim Taehyung: Mas eu acabei de acordar

Park Jimin: ANDA LOGO PORRA

Desisto de tentar entender Jimin e levanto da cama, tirando o pijama, colocando uma roupa qualquer e pegando as chaves do carro dos meus pais, eles nem sentiriam falta. Antes de sair escovo os dentes rapidamente e me olho no espelho, surpreso ao perceber que esse é o único dia em que eu consegui não parecer uma desgraça assim que acordei.

Ligo o carro, despertando aos poucos. Você deve estar se perguntando porque eu estou aceitando as ordens do Jimin que não fazem o menor sentido sem questionar.

Duas simples razões, na verdade: O Jimin é louco e os tapas dele doem.

Dirijo pelo caminho que já conheço até a casa de Yoongi. Assim que estaciono o carro e me aproximo do portão, percebo que ele deve estar sozinho em casa, já que não há nenhum carro na garagem.

Coloco a senha no mostrador digital do portão e entro na casa, fechando atrás de mim sem fazer barulho. Assim que entro na sala, porém, percebo algo que me faz congelar.
O cheiro. Espalhado por toda a casa, aquelo cheiro delicioso que faz meus pelos se eriçarem e minhas pupilas dilatarem em menos de um segundo.

O cheiro dele.

Eu sabia que Yoongi provavelmente estava no cio e que o mais sábio a se fazer era dar meia volta, voltar para casa e xingar o Jimin até ficar sem voz (esse é obviamente um plano dele). Mas meu corpo definitivamente não estava a fim de fazer o que é mais sábio.

Aquele cheiro que eu amo mais que tudo me guia para dentro da casa, sendo tomado por todos os meus instintos e indo até onde o cheiro ficava mais forte, o lugar que eu supunha ser o quarto de Yoongi.

Eu não devia estar fazendo isso, sei que não. Eu devia respeitar a privacidade de Yoongi e ir embora, devia deixá-lo aqui e ser responsável. É o que repito para mim mesmo milhares de vezes, mas sei que é tarde demais. Se eu pudesse me olhar em um espelho agora, veria minha feição desesperada, minhas pupilas dilatas e minhas íris brilhando em carmesim.

Meu corpo ignora todos os meus pedidos por controle e abre a porta do quarto de Yoongi lentamente, sem fazer barulho.

O que vejo é o suficiente para meu baixo ventre dar uma fisgada. O loiro está deitado na cama, completamente nu, com a franja colada à testa e o abdômen brilhando de suor. Uma de suas mãos está apertando o membro, enquanto a outra insere dois dedos na sua entrada, ambas tão descoordenadas que fica difícil acompanhar os movimentos. Da boca aberta de Yoongi saem gemidos sofridos, e quase me descontrolo quando ouço no meio deles:

  - Taehyung-Ah...

Antes que eu possa pensar melhor sobre o que estou fazendo, entro completamente no quarto e bato a porta com força, assustando o menino na cama. Ele me encara, completamente aterrorizado por ter sido pego, corando e começando a gaguejar no mesmo segundo.
Então meu corpo me trai e, sem a minha permissão, - acho bom deixar isso claro - fala:

- Quer ajuda com isso, Yoonie?


Notas Finais


(͡° ͜ʖ ͡°)(͡° ͜ʖ ͡°)(͡° ͜ʖ ͡°) adivinhem oq vai ter no prox cap
Quem acertar ganha uma balinha
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK eu sou muito podre sorry
Mas vcs me amam q eu sei (!nivel de amor próprio: Cypher)
ANYWAYS
até o próximo (que eu vou tentar postar amanha pra nao mata vcs do corassaum) bye
(/^▽^)/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...