História Garoto Prodígio - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Jikook, Omegaverse, Taegi, Taehyung!alfa, Taesuga, Vga, Vsuga, Yoongi!omega
Exibições 840
Palavras 3.506
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Comédia, Ecchi, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


EU FALEI Q IA POSTAR HJ N FALEI
HÁ CONSEGUI
Eu ia postar de manhã, mas a otaria aqui perdeu o capitulo inteiro e demorou um dia inteiro pra reescrever

Mas eu consegui, então me amem
Boa leitura (͡° ͜ʖ ͡°)

Capítulo 8 - 8


[P.O.V. Yoongi]

- Quer ajuda com isso, Yoonie?

Sinto meu corpo tremer só com uma frase. A voz de Taehyung saiu muito mais rouca do que o normal, e sinto meu lobo interior se contorcer sob esse som. Isso soou tão... Sexy. Simplesmente não tenho outra palavra para descrever.

Não sei se isso era meu cérebro de ômega no cio, mas Taehyung parecia muito mais lindo do que o normal. Ele estava com os cabelos bagunçados, usando um moletom grande e manchado e uma calça gasta, roupas que em qualquer outra pessoa ficariam feias mas nele pareciam ter sido feitas por um designer. Se eu já estava necessitado antes, agora eu estava praticamente em desespero.

O cheiro delicioso de alfa que Taehyung soltava estava preenchendo o quarto, eu sentia meus pelos arrepiados e meu coração bombeando o sangue com o dobro da velocidade. Estou tão ocupado encarando Taehyung que demoro a perceber que não respondi a sua pergunta. Ele se aproxima lentamente, chegando cada vez mais perto da minha cama.

Apesar de tudo o que eu mais querer agora ser ter ele em cima de mim, minha lucidez fala mais alto por um segundo - o que já é um milagre por si só, já que eu estava realmente desesperado - e me encolho contra a parede, abraçando meus joelhos e escondendo meu corpo. Era tudo vergonhoso demais. Eu tinha vergonha do que eu estava fazendo quando ele chegou, do meu cheiro que estava muito mais forte do que o normal, dos sintomas do cio que estavam me matando, até mesmo do meu corpo nu na frente dele.

Tae se aproxima cada vez mais, ficando de joelhos na cama na minha frente. Ele se inclina e passa a mão pelo meu rosto com uma delicadeza surpreendente para o momento. Não sei se o meu corpo estava muito quente ou se a mão dele estava gelada, mas o choque térmico leve foi tão gostoso que fechei os olhos, apreciando o carinho. As mãos dele saem do meu rosto e começam a fazer carinho nos meus ombros, braços, antebraços, fazendo uma trilha no meu corpo que deixa um rastro de pelos arrepiados.

As mãos dele encontram as minhas e ele as aperta com delicadeza. Apesar do momento, nada do que ele fez até agora tinha um pingo de eroticidade. Era apenas carinho, delicadeza e - se eu me permitisse me iludir a esse ponto - até mesmo amor. Ainda estou com os olhos fechados e as mãos entrelaçadas na dele quando ele se inclina mais ainda e sussurra no meu ouvido:

  - Deixa eu te ajudar com isso, Yoonie. - sua voz sai baixa e em seguida ele passa o nariz pelo meu pescoço, aspirando o máximo possível do meu cheiro - Você confia em mim, não confia?

  - Tae... - começo a falar sofrido, mas me interrompo assim que ele começa a distribuir selares rápidos no meu pescoço, com carinho. Os seus lábios na minha pele quente parecem me estimular ainda mais. Eu não sabia porque esse cio estava muito mais forte, mas eu não estava reclamando.

O rosto de Tae se aproxima do meu, encostando nossas testas e narizes. Quando ele abre a boca para falar, sinto um cheiro como maçã e canela, que imediatamente associo como sendo o cheiro dele. A mão direita dele solta a minha mão e começa a fazer carinho na minha bochecha, me fazendo olhar nos olhos dele. Suas íris estão brilhando em carmesim, e tenho certeza que as minhas estão azuis agora mesmo.

Ele quer ser seu alfa, quer te fazer dele, quer te ter agora mesmo meu lobo interior praticamente grita para mim.

  - Yoonie? - Tae sussurra, sem parar com o carinho no meu rosto. Os olhos dele estão gritando tesão mas ao mesmo tempo vejo algo ali que me derrete por dentro. Carinho. Um carinho mais forte do que eu já tinha visto em qualquer outra pessoa, beirando o amor. - Posso?

Encaro aquelas íris que decidi serem a parte dele que mais amo e solto uma palavra tão baixa que penso que ele não ouviu, mas o sorriso quadrado que toma o seu rosto deixa claro que ele ouviu.

  - Pode...

Fogos de artifício, arco-iris, maçã e canela, sorrisos quadrados, pele morena e cabelos castanhos é o que explode na minha cabeça quando ele me beija. Começa apenas com um selar simples, a minha boca e a dele fechadas, mas eu estou esperando isso há tanto tempo que parece incrível. E é com ele então é, sim, incrível. Abro um pouco a minha boca, implorando por mais profundidade, e Tae acata meu pedido mudo. Sua língua se entrelaça com a minha e eu sinto o gosto da sua boca - como eu supunha, maçã e canela - e é tão bom que eu poderia continuar o beijando por uma eternidade. Coloco minhas mãos no seu pescoço e ele faz o mesmo na minha cintura, me fazendo arrepiar.

Tae puxa o meu lábio inferior com os dentes e eu me permito soltar um risinho, finalmente percebendo o que está acontecendo.

Eu estou beijando Taehyung. Meu Deus do céu, eu estou beijando Taehyung.

  - O que foi? - ele pergunta, ofegante e corado por causa do beijo. Eu não devo estar diferente.

  - Nada, eu só... Não acredito que isso está acontecendo mesmo.

Ele me dá aquele sorriso quadrado que amo tanto.

  - Eu também não. - fala e volta a me beijar, necessitado.

Sem separar o beijo, Tae começa a me deitar na cama lentamente, fazendo tudo de modo delicado. Assim que minhas costas encontram o lençol, Tae fica por cima de mim, uma mão o apoiando para que não caia e a outra nos meus cabelos, fazendo uma carícia leve. O meu corpo sensível por causa do cio e o corpo do protagonista de todos os meus pensamentos mais pervertidos em cima de mim são uma mistura deliciosa que me deixam entorpecido, como se eu estivesse sob o efeito de alguma droga.

Sua mão sai dos meus cabelos e passeia pelo meu abdômen, fazendo eu arquejar baixinho. Meus próprios toques jamais se comparariam aos toques de Taehyung. Ele parecia fazer aquilo com tanta certeza, tanto controle. Então, sem absolutamente nenhum aviso, a mão de Tae envolve meu membro, me assustando.

Ele desfaz o beijo e desvia o rosto para o meu pescoço, raspando o nariz ali de leve, aspirando o máximo que pôde do meu cheiro antes de começar a chupar a pele ali coberta de suor. Dói um pouco, mas o prazer de ter as mãos e a boca de Tae em mim são o suficiente para que essa dor fique boa.

Tae começa a movimentar a mão, me masturbando tão lentamente que eu começo a queimar de frustração. Ele solta o meu pescoço do nada e começa uma trilha de beijos por meu maxilar, fazendo meus pelos se arrepiarem novamente. Sua boca desce pela minha barriga e ele dá chupões rápidos, me fazendo tremer de ansiedade. Sua língua e suas mãos passam pelo meu abdômen, coxas e virilha tão lentamente que eu não aguento mais e falo:

- Vai logo, Tae.

Ele solta uma risadinha baixa.

- Você quer que eu te chupe, Yoonie? – fala, sem a menor vergonha na cara. Apesar da situação, fico envergonhado, sentindo minhas bochechas corarem. Por causa da vergonha, puxo um travesseiro e escondo minha cara, escutando outra risadinha de Tae.

Não sei se essa foi uma boa ideia. O travesseiro pode ter escondido minha cara de Tae, mas ele limitou minha visão a praticamente nada, e isso definitivamente aumentou a percepção do meu corpo para o que Tae estava fazendo. Consigo sentir a língua dele passeando pelas minhas coxas e os chupões fortes que ele estava dando ali enquanto me masturbava, as suas mãos passando pelo meu abdômen, eventualmente apertando um dos meus mamilos e me fazendo soltar um gemido um pouco mais alto.

E eu definitivamente consegui sentir quando finalmente Tae me abrigou com a boca, mantendo os movimentos tão lentos quanto quando estava fazendo apenas com a mão. Solto um gemido agudo que foi abafado pelo travesseiro na minha cara. Ele definitivamente já devia ter feito aquilo em alguém antes, porque estava tão, tão bom. Aperto ainda mais o travesseiro em minhas mãos, tentando descontar um pouco do prazer.

Até que, sem absolutamente nenhum aviso, Tae coloca três dedos de uma vez na minha entrada, fazendo com que nem mesmo o travesseiro seja suficiente para sufocar meu grito. Arqueio as minhas costas no mesmo segundo, jogando o travesseiro para longe e gemendo alto. Eram só dedos, mas eram os dedos longos e experientes de Taehyung, e ele era realmente bom no que estava fazendo.

Me apoio sobre os meus cotovelos, tentando enxergar Tae, e o que vejo quase me faz gozar. A boca de Tae no meu membro, e – vocês que me perdoem – aquela é a melhor imagem do dia. Sua mão entre minhas pernas, entrando e saindo do meu ânus lentamente. Ele está fazendo tudo tão lentamente que meus gemidos saem em partes iguais de frustação e prazer. Abro a boca, planejando falar – ou só gemer, no estado em que eu estava - para que Tae fizesse direito, quando ele aumenta a velocidade dos movimentos do nada.

Solto o apoio dos meus cotovelos e caio com as costas no colchão novamente, gemendo alto. Seus dedos encontram minha próstata e a apertam com força, me fazendo soltar um gemido tão alto que os vizinhos provavelmente ouviram, e quase rasgar os lençóis. Assim que ele percebe, continua a maltratar ali, me fazendo ir à loucura.

Meu corpo dá todos os sinais de orgasmo; me sinto esquentar, minhas pernas tremem, o volume da minha voz aumenta consideravelmente. Estou prestes a abrir a boca para avisar Tae quando ele para com todos os movimentos do nada e pressiona minha fenda com o dedo para me evitar de gozar.

Gemo de frustação, eu odiava ser impedido e estava muito mais sensível do que o normal. Tae abandona minha cintura e volta a colocar as mãos no meu pescoço, me beijando com força. Apesar de ter acabado de receber um boquete dele, não consigo decidir qual sensação é melhor. Tudo com ele é tão bom, tão intenso. É impossível decidir qual eu prefiro.

Assim que separamos o beijo e ele volta a maltratar meu pescoço, falo, sofrido:

- Por que você não me deixou gozar?

- Eu quero ver você gozar comigo dentro de você. – ele responde no mesmo segundo, tão baixo que eu seria incapaz de ouvir se ele não estivesse tão próximo.

Tremo de tesão por causa da frase dele, simplesmente não sei o que pensar. Eu nunca tinha visto esse lado de Taehyung, mas eu estou amando. Esse Taehyung safado, que não tem medo de falar o que pensa, que está tomando todo o controle da situação.

- Tae. – falo, sofrido.

- Hm? – ele murmura, maltratando a minha clavícula agora.

- Você... – falo com dificuldade porque, convenhamos, ter um Taehyung mordendo sua clavícula é uma distração e tanto. Ainda mais comigo estando sensível desse jeito. – Você ainda está vestido.

Tae levanta o rosto, me dando um sorrisinho sacana e me encarando com intensidade.

- Você quer que eu tire a roupa, meu amor? – ele fala.

Tento ignorar o tremor que passou pelo meu corpo ao ouvir ele me chamar de “meu amor” me olhando daquele jeito e murmuro:

- Só tira a merda da roupa, Taehyung.
Ele solta uma risadinha, em seguida segurando o moletom e a camisa e os puxando lentamente, só para me provocar. E estava funcionando, pode ter certeza. O corpo daquele menino deve ter sido feito pelo capeta apenas para me deixar louco. Ele não era malhado, mas era magro e forte na medida certa, isso sem contar aquela pele amorenada pela qual eu sou apaixonado. Imagine isso em cima de você, ofegante e coberto de suor. É a receita perfeita para um Min Yoongi enlouquecido.

Ele volta a me beijar com ferocidade, sua língua e a minha explorando um caminho que estávamos aprendendo a reconhecer. Deus, eu não fiquei nem um minuto sem beijar Taehyung e fiquei com saudades daquele gosto de maçã com canela que ele parecia ter. Eu estava me viciando, e era em certo garoto de cabelos castanhos.

Alterno entre fazer carinho com as pontas dos dedos e arranhar com minhas unhas curtas o abdômen de Taehyung, recebendo um grunhido de prazer contra a minha boca. Deus, como eu amo esse som. Meu corpo esquenta mais a cada segundo e eu começo a me desesperar. Esse cio estava um milhão de vezes mais forte do que todos os outros que eu já tive, mas com um Taehyung em cima de mim, eu não vou reclamar.

Engancho os dedos na calça de Tae e começo a puxá-la para baixo. Ele percebe e solta uma risadinha baixa, seguida de um “apressadinho” murmurado contra a minha boca. Tae puxa a calça e a cueca de uma vez, ficando completamente sem roupa na minha frente. Desnecessário dizer que eu parei de respirar.

Ele volta a subir na cama, sentando com as costas contra a cabeceira e me puxando para o seu colo. Sento ali, colocando uma perna de cada lado e mexendo meu quadril devagar, por vergonha. Tae aperta minha cintura e acelera meus movimentos, me fazendo rebolar mais rápido em cima dele, esfregando minha bunda na ereção dele e minha ereção contra os nossos abdômens.

Ele solta um gemido baixo olhando nos meus olhos, e sinto minhas bochechas ficarem vermelhas. Instintivamente, escondo o rosto na curva do pescoço de Taehyung, envergonhado pela intensidade do olhar dele, mas sem parar de mexer meu quadril.

  - Você consegue ser fofo até nesses momentos e isso... - Tae fala, apertando ainda mais a minha cintura e acelerando meus movimentos - está me deixando louco.

Antes mesmo que eu possa responder a isso, Tae me coloca um pouco para trás no seu colo e segura nossos dois membros juntos com uma mão só iniciando uma masturbação lenta. Nós dois soltamos um gemido em conjunto, mas eu faço questão de provocar um pouco mais, gemendo o nome de Tae de modo manhoso bem no ouvido dele.

  - Yoongi, não me provoca. - ele reclama antes de aumentar a velocidade, me fazendo gemer ainda mais. Ele não fica muito atrás, soltando gemidos que soam como música pra mim.

Meu baixo ventre esquenta e eu sinto minhas pernas terem pequenos espasmos ao lado das de Taehyung.

  - Tae, eu vou... Anh... - tento avisar, gemendo sofrido, mas Tae para no mesmo segundo, como ele tinha feito antes.

  - Argh, Taehyung! - reclamo, eu queria muito gozar, não iria aguentar mais tempo.

Eu não sabia o que tinha acontecido para o meu cio estar tão forte, mas eu não me importava realmente agora. Tudo o que eu precisava era alívio, e a única pessoa que poderia me dar alívio agora - de preferência entrando bem fundo em mim - resolveu brincar com a minha sanidade.

  - Eu já falei, meu amor. - Tae sussurra, me tirando do colo dele delicadamente e me colocando deitado na cama novamente. - Você só vai gozar comigo dentro de você.

Dou um gemido baixo quando o membro dele encosta na minha entrada. Tae percebe meu desespero e dá uma risadinha.

  - Tão sensível... - fala, me dando vários selinhos entre uma palavra e outra. - Adoro ver você assim, sabia?

E ele realmente deve adorar me ver assim, porque faz questão de continuar me provocando, simulando pequenas penetrações com o membro dele em mim mas sem nunca fazer o que eu quero. Ele continua nessa brincadeira - na qual eu passei o tempo inteiro gemendo de frustração e tesão porque, caralho, aquilo estava me deixando louco - até que eu falo entredentes:

  - Faz isso direito, Taehyung, pelo amor de Deus.

  - Hm? - ele murmura com uma expressão de falsa inocência que me faz querer bater nele e o beijar ao mesmo tempo - Fazer o quê, Yoonie?

  - Caralho, Taehyung, me fode direito! - imploro, praticamente gritando, sem aguentar nem mais um segundo daquele atentado contra a minha sanidade que é Kim Taehyung.
Tae levanta as sobrancelhas, surpreso pelo meu palavreado, mas logo sua expressão surpresa é substituída por uma extremamente maliciosa.

  - Seu pedido é uma ordem, meu amor. - ele sussurra no meu ouvido, sacana, antes de se enterrar de uma vez dentro de mim.

  - TAEHYUNG! - grito, arqueando as costas instintivamente e fincando minhas unhas no ombro dele.

Doeu um pouco ter sido penetrado de uma vez, óbvio que doeu, eu sou virgem. Mas eu já havia sido preparado e estava produzindo tanto lubrificante natural que, caralho, como foi bom. Se o que Tae está me fazendo sentir agora é dor, então eu sou o maior masoquista do mundo.

  - Puta merda. - Tae geme. - Como eu queria fazer isso.

Sem esperar eu responder ele começa a se mexer dentro de mim, rapidamente, sem esperar eu me acostumar com o volume. Ele arremete várias vezes dentro de mim, e eu praticamente rasgo os lençóis, tentando descontar o prazer que estou sentindo.

Quando eu falei que cada segundo com Taehyung era intenso eu não estava brincando. Cada célula do meu corpo deve estar tendo uma sobrecarga de endorfina, porque eu simplesmente não consigo aguentar esse prazer.

Sem parar de estocar, Tae passa a mão pelo meu abdômen, de modo até carinhoso, e sussurra tão baixo que eu não teria ouvido se ele não o tivesse feito perto da minha orelha:

  - Você é tão, tão lindo, Yoongi.

E sim, ele conseguiu me deixar corado apesar do momento. Kim Taehyung é claramente um atentado contra a minha sanidade.

Tento responder, mas tudo o que saem da minha boca são gemidos entrecortados. São as melhores sensações que eu já tive em toda a minha vida.

  - T-tae. Mais rápido... - consigo soltar em meio aos gemidos. Eu não sei como descrever o que ele estava sentido, só sei que preciso de mais. Estou viciando nessa sensação, ela parece tudo e ao mesmo tempo nao é o suficiente.

O que eu não imaginasse é que ao pedir para que ele aumentasse a velocidade ele a multiplicasse por três, saindo quase que completamente de mim antes de entrar com força, me fazendo gritar.

Cravo meus dentes no seu ombro para descontar meu prazer e Tae solta um gemido que continha partes iguais de prazer e dor, aquilo quase me derreteu. Tão fodidamente excitante.

Sinto as mãos de Tae em minhas coxas e ele as tira de sua cintura, apoiando minhas pernas nos seus ombros. Assim que volta a se mexer dentro de mim, percebo que nessa posição ele consegue ir bem mais fundo e, caralho, como é bom.

Em certo momento, acerta um ponto que me faz ver estrelas e gritar tão alto que sinto minha garganta doer.

  - Aqui? - Tae pergunta, ofegante.

Apenas assinto freneticamente com a cabeça, desesperado por mais daquilo. Tae volta a acertar aquele mesmo ponto várias vezes seguidas, praticamente surrando aquele lugar e me fazendo ir ao céu e voltar milhares de vezes.

É quando ele segura meu membro com uma das mãos, me masturbando no mesmo ritmo que entra e sai de mim, que meu corpo entra em colapso e sinto os espasmos de prazer começarem.

  - Tae... Eu vou... - tento avisar pela terceira vez no dia, mas sou interrompido por um gemido rouco que sai do fundo da minha garganta quando me desfaço na mão de Taehyung, sujando minha barriga com sêmen.

Contraio minha entrada e ele revira os olhos de prazer, precisando só de mais quatro ou cinco investidas antes de formar o nó, se desfazendo dentro de mim e me fazendo gemer arrastado.

Taehyung sai de mim assim que seu pênis relaxa e se joga na cama ao meu lado, suado e  respirando fundo. Eu não estou muito diferente. Tae me puxa para mais perto dele na cama e eu deito contra o seu peito, que parecia ter sido feito especificamente para acolher um Min Yoongi, porque eu me encaixava perfeitamente ali.

Aspiro seu cheiro - que, apesar de todo o suor, ainda era de maçã e canela - e me sinto relaxar.

  - Taehy... - falo baixinho, em parte porque minha voz estava rouca depois de tudo aquilo.

  - Sim? - ele murmura, sorridente ao me ouvir usar o apelido que eu mesmo inventei.

  - Eu estou cansado. - minha voz sai mais manhosa do que o planejado e ele se inclina um pouco, me dando um selinho.

  - Pode dormir, Yoonie. Eu vou estar aqui quando você acordar.

Ainda nos braços de Tae, durmo pensando em como eu gosto de maçã e canela.


Notas Finais


AMEM LIMONADA
Se preparem pq daqui pra frente o fluffly taegi vai rolar livre e solto
Comentem, pfv, eu amo os comentários, msm demorando pra responder

Até o próximo ( ˘ ³˘)♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...