História Gasoline - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Tags Apocalipse, Cady, Love, Lucille, Negan, The Walking Dead, Tortura, Walker, Walkers, Zumbi
Exibições 54
Palavras 882
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Científica, Hentai, Romance e Novela, Survival, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpa a demora ♡
Boa leitura!!

Capítulo 4 - Maioria


Cady devolveu o olhar curioso de Negan, os dois estavam se encarando, a mulher começou a prestar atenção pela primeira vez nas feições de Negan.

Só parou de encara-lo quando percorreu seu rosto com os olhos, detalhando em sua cabeça todos os movimentos que o vilão estava fazendo; desde inspirar até dar um pequeno sorriso e lamber os lábios.

- Tanta coisa já aconteceu comigo. – Cady o respondeu. – Não sei como te responder, nem o que você quer ouvir.

- Eu estou curioso ao seu respeito sabe? Todo esse seu Carpe Diem, sem pensar em nada ou em que está ocorrendo ao seu redor.

- E o que está acontecendo?

- Você está presa no chão. – Negan aproximou ainda mais o rosto. – Com galões de gasolina, passando fome enquanto tem que queimar o próprio tornozelo para se manter viva. O que você pensa que eu não faria com você? Eu sou o dono deste lugar, eu o fiz e eu governo todos as outras comunidades de merda ao meu redor. – Ele levantou Lucille ao ombro. – Está vendo essa garota aqui? Ela faz tudo o que eu mando, já esteve na cabeça de tantas pessoas; então me explique agora o porque você acha que eu não faria nada de tão ruim com você.

- Porque você está me mantendo viva e bem. – Cady o respondeu baixinho. – Quem mata não ameaça que vai matar e não me da comida, não me testa com um canivete e nem fica tão próximo do meu rosto; você não quer me matar.

- E o que eu quero?

- Você quer me beijar agora.

Negan aproximou o rosto e beijou Cady, os lábios se encaixaram devagar mas foi um beijo rápido. Nem um minuto passou e Negan já estava em pé.

- E-eu... – Cady tentou dizer algo mas foi interrompida.

- Qual o seu nome? – Negan perguntou, dessa vez sério.

- É Cady. Cady Grylmick.

- Me diga o nome e você vai poder sair daqui, com o tornozelo bom e com uma comida boa e uma vida boa em relação ás outras garotas.

- É Cady. – Ela se sentou. – Grylmick e eu não tenho vontade de ser como as outras mulheres daqui, sei que deve tratar a todas elas como lixo. Você deve se achar dono delas e aposto que a maioria desejaria estar no meu lugar.

Negan terminou dizendo “a maioria vive pra mim e implora pra mim” e foi até a grande porta.

“Por isso mesmo” Cady disse “Eu nunca precisei implorar”

Negan ouviu a ultima frase e pensou em voltar e beijá-la de novo, mas não era parte de sua rotina sentir mais que desejo por uma das mulheres ou prisioneiras. Ficou tudo muito confuso, complicado para lidar; talvez ela estivesse falando a verdade, ele cogitava isso mas não admitia estar sentindo “afeto”.

Cady deitou no chão outra vez, com um sorrisinho na ponta do lábio; bom, agora restava para ela continuar olhando para o teto e cantando até que ele retornasse.

As visitas não eram ruins, ela gostava de ver ele chegando e se aproximando até mesmo quando era para ameaça-la de algo que este não faria com ela. Sentiu um “frio” ou “embrulho” no estômago, não era forte era só medo mas ela não sabia do que.

“She’s coming over like a suicide and it’s the same old trip as before” – cantou e cantou de novo, estava escuro e o tempo passava devagar.

O chão em que ela deitava era uma espécie de piso de lajotas verdes, nem quando suava por conta do calor ele aquecia.

Nesta noite Cady tremia os ombros e esfregava o pé dentro dos sapatos. A luz da lua iluminava o suficiente para ela poder ver as pernas.

Sentou-se e dobrou a perna com o machucado.

-- De certa forma ele está melhor. – Ela disse para si mesma. – Esta voltando a ficar vermelho. – Ela apertou por cima da faixa e já notara que a dor estava sumindo aos poucos – Ah graças a Deus, se me tirar daqui – Ela olhou para cima – Eu vou construir uma igreja e morar nela até o apocalipse acabar com o mundo; prometo.

Como travesseiro Cady colocou a blusa na cabeça, mesmo no chão gelado ela não dormia bem sem o travesseiro.

A noite passou rápida assim que ela dormiu e o dia chegou pálido assim que o Negan entrou.

- Bom dia. – Cady disse ainda com os olhos fechados.

- Vista a roupa, se você ficar doente de novo vai morrer aí.

Cady assim fez e pegou o sanduíche, bebeu um pouco de água e voltou a deitar.

Lucille estava sangrenta de novo. Alguém tinha morrido, certeza.

- O que aconteceu? – Cady apontou com a cabeça para o taco.

- Alguns caipiras entraram no meu caminho, foram-se dois deles. – Negan orgulhava-se. – Eram bem grandões os dois.

- Imagino que sim. – Cady continuou. – Eu queria pedir algo.

- hum... Continue.

- Um caderno e um lápis.

- E para que isso? – Negan sorriu com dúvida.

- Passar o tempo, eu gosto de desenhar e anotar algumas coisas. – Cady continuou. – Só para passar o tempo, não vou fazer nada de ruim com elas.

Negan a rodeou de novo.

- Qual o seu nome?

- É Cady. – Ela olhou para baixo.

Negan se retirou com risadas.


Notas Finais


Obrigado por ler ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...