História Gasoline - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Brigas, Hinata Healy (autora), Lemon, Namjin, Vhope, Yoonmin
Exibições 53
Palavras 2.116
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura ♡
E me desculpem qualquer errinho.
Comentem e eh nos.
Gente esse capitulo ta pequeno e simples eu sei, mas eu postei ele apenas pra deixar vcs shippando ainda mais esse casal toppe rs

Capítulo 5 - Cap. 5 - Awake


Fanfic / Fanfiction Gasoline - Capítulo 5 - Cap. 5 - Awake

Eu sequer toquei no assunto com Yoongi. Afinal, o que ele pensaria de mim ao saber que eu sou um moleque curioso que fica escutando a conversa dos outros atrás da porta? Com certeza não seria uma coisa boa.

Porém dentre esses quatro dias que se passaram, Yoongi estava mais ausente, havia manhãs que eu acordava e ele não estava lá na cama bagunçada dormindo de bruços como nos outros dias, mas eu como sempre não pedia explicação, afinal, ele sempre voltava com algo para mim. Ou me preparava uma janta – Ou melhor, comprava ela em um restaurante que fica a alguns quarteirões daqui – E em outros dias ele simplesmente me chamava para assistir filme de novo. Não era sua obrigação me dar satisfações sobre sua vida, mas eu me sentia mal. Porém apenas ficava em silencio e apesar de estranhar os agrados constantes, eu gostava.

O engraçado era que nós nunca tocávamos em assuntos pessoais, deixávamos isso de lado como se fosse algo incomodo, e de certo modo era já que afinal, Yoongi sempre evitava ao máximo falar sobre isso. Era um tabu.

Mas a nossa relação como amigos crescia aos poucos, e saudável, ele podia chegar tarde da noite – Noites essas que eu passava conversando com Jungkook por telefone, enquanto ouvia o mais novo reclamar sobre como seus pais era super protetores e como isso o irritava – Porém apesar disso, ele me perguntava como tinha sido meu trabalho, se eu queria assistir algo com ele à noite. E às vezes até se desculpava por chegar cansado demais e ir direto dormir, então deixava apenas o colchão na sala com alguns travesseiros e cobertores para que eu pudesse ter um sono do mínimo confortável.

Min Yoongi me intriga. Não sei dizer se isso é bom ou ruim.

E bem... Lembram do garoto do café em que fui com Jenna dias atrás?

Ele me mandou mensagem, não me perguntem como que ele conseguiu meu numero, mas ele simplesmente me mandou uma mensagem, me chamou para sair. Convite que eu recusei com educação é claro, eu não me sentia confortável em sair com estranhos, ainda mais com alguém que eu nunca havia trocado mais de duas palavras.

Mas então nós trocamos mensagens por todos esses dias. Kyung tinha acabado de completar vinte e um anos, morava sozinho em um apartamento no centro da cidade, tinha dois irmãos mais novos e seu pai era advogado.

Ele era uma pessoa legal no fim de tudo, havia me cativado.

E muito.

Mas voltando ao período atual. Já faz um certo tempo que cheguei do trabalho, após receber meu pagamento, fui direto comprar alguns moletons para mim, já que em Seoul fazia tanto frio e eu só tinha algumas blusas finas de manga longa. Nada que me aqueça corretamente.

Assim que eu cheguei fui tomar banho, vestindo então uma calça de moletom qualquer que eu havia achado em minha bolsa, estava pronto para colocar um dos meus moletons novos, mas no momento em que voltei para a sala do apartamento, notei que o moletom cinza de Yoongi – O mesmo que eu havia usado logo no primeiro dia que cheguei aqui – Estava jogado ali apoiado no braço do sofá, dobrado impecavelmente.

O cheiro de Yoongi era bom, disso eu me lembrava.

Não hesitei um segundo se quer em ir até o sofá em passos largos, logo colocando o moletom por entre meus braços e minha cabeça. Não demorou muito para que o típico cheiro de Yoongi invadisse minhas narinas, ainda era o mesmo, a leve fragrância amadeirada que contrastava com o odor de tabaco. Era tão delicioso que eu queria poder passar minutos apenas cheirando sua blusa.

Sei que pode soar doentio, mas se vocês sentissem o quão bom o cheiro de Yoongi é, concordariam comigo sem passar duas vezes.

E então depois de vestido, eu me deitei no colchão que estava ali esparramado no chão, me embolando em meio às cobertas enquanto sentia meus olhos pesarem e o sono me consumir de vez.

 

Xxx

Abri meus olhos lentamente ao sentir alguém me chacoalhando levemente enquanto falava algumas coisas que meu ouvido ainda não compreendia muito bem. Logo reconheci a face pálida a minha frente, me despertando então de uma vez por todas enquanto observava a figura baixinha e branquela ajoelhada a minha frente enquanto me olhava serio. Era Yoongi.

Ele estava todo vestido de preto, eu podia jurar que o mesmo estava indo para um velório. Mas ele parecia extremamente estiloso com aquela calça resgada, camiseta do AC/DC e uma jaqueta de couro.

- Que horas são? – Perguntei para o mesmo enquanto coçava os olhos e bocejava sem vergonha alguma devido ao sono ainda estar presente.

Yoongi me olhou rindo, mas não demorou muito até levar seu olhar para o relógio de parede e o voltar de novo para mim.

- São dez e meia Jiminie – Afirmou sorrindo pequeno – Vem levanta – Completou enquanto se erguia e estendia sua mão para mim, indicando que eu a pegasse.

Após me por de pé com a ajuda do mesmo, ele apenas me disse que eu deveria escovar os dentes, pois ele me levaria para dar ‘’Uma volta’’. E assim eu fiz, e logo após lavar o rosto tentando disfarçar ao mínimo minha cara inchada que denunciava meu sono – Coisa que não funcionou – Voltei para a sala para encontrar o moreno baixinho, que me esperava com dois capacetes em mãos.

Sei que minha expressão entregava minha intriga, afinal, desde quando Yoongi tinha uma moto?

Mas eu não falei nada, apenas peguei o capacete de suas mãos enquanto o seguia para fora do apartamento.

Fui boa parte caminho atrás dele, em silêncio, esperando que o mesmo começasse uma conversa ou me perguntasse algo.

Ele ficou calado por mais alguns poucos segundos, e assim que chegamos à entrada do prédio pude notar uma moto preta estacionado logo ao outro lado da rua. O tempo estava frio, nada insuportável. Na verdade eu até agradecia por estar ventando, já que a visão de Yoongi com os cabelos bagunçados pelo vento era linda.

- Eu vou te levar para um dos meus lugares favoritos hoje Jimin, espero que confie em mim – Falou se virando para mim enquanto sorria com o canto da boca.

Ainda desconfiado, eu dei os ombros em silencio, o jeito era esperar para ver o que o mesmo estava aprontando.

Yoongi então subiu em sua moto, a destravando enquanto colocava o capacete em sua cabeça, logo fiz o mesmo subindo logo atrás do outro.

Um arrepio subiu pela minha espinha enquanto uma duvida se alojava em minha mente.

Eu deveria abraçar a cintura de Yoongi eu usar o apoio da parte traseira da moto?

E então, no segundo seguinte, senti uma corrente elétrica gostosa percorrer meu corpo acompanhado de um breve arrepio enquanto sentia a mão de Yoongi entrelaçar as minhas, deslizando as mesmas por sua cintura me fazendo o envolver em um tipo de abraço desajeitado. Minha cabeça estava a mil, meu coração batia tão forte, parecia que a qualquer momento eu iria enfartar ali mesmo.

E é claro elas também estavam ali, marcando presença, as famigeradas borboletas no estomago.

Malditas borboletas.

Mas eu não tive muito tempo para surtar, ou para me questionar o por que tive tal reação a um simples toque do garoto a minha frente. Pois Yoongi logo arrancou com a moto, fazendo com que meus pensamentos se dissipassem por segundos.

As ruas naquela parte de Seoul, eram praticamente vazias, o que dava a liberdade para Yoongi aumentar a velocidade, e ele o fazia. Parecia que a qualquer momento iriamos voar.

Eu não sentia medo de Yoongi nos matar naquele momento, na verdade, era libertador, o vento, a adrenalina. Tudo.

Foi inevitável deixar um sorriso se formar em meus lábios enquanto encostava minha cabeça nas costas de Yoongi o apertando ainda mais forte. O mais velho me passava paz no final de tudo, eu não sabia como.

Fora tão pouco tempo eu sei, isso também me intriga, mas eu gosto de sentir isso, o nervosismo, a vergonha e também a segurança. Era isso que Yoongi causava em mim, eu me sentia protegido.

Clichê eu sei, mas é o mais puro sentimento que tenho por ele.

E eu digo e repito, Min Yoongi me intriga. E talvez seja uma coisa boa.

Enquanto ele ainda dirigia concentrado, em uma velocidade extremamente rápida, eu resolvi tirei um tempo para admira-lo também como de costume.

Observar Yoongi havia virado o meu hobbie favorito, isso eu não posso negar.

Meu coração se encheu assim que vi que o mesmo também sorria, era bom saber que eu não era a o único a me sentir infinito naquele momento. Às vezes o branquelo me olhava pelo retrovisor da moto enquanto soltava algumas risadinhas, hora ou outra apenas fechava os olhos aproveitando o vento em seu rosto.

E então ele saiu da pista, virando a direita para entrar em uma pequena estrada de terra, o olhei apreensivo pelo retrovisor, mas o mesmo apenas deu um sorrisinho. Provavelmente pelo meu desespero repentino e desnecessário.

E então de repente ele parou.

Soltei sua cintura enquanto descia da moto, ainda meio perdido enquanto tirava o capacete, e o observei fazer o mesmo. Ele apenas sorriu para mim, antes de pegar em minha mão e me puxar para que eu o acompanhasse.

E foi apenas sentir aqueles dedos frios de novo que elas voltaram.

As malditas borboletas. Eu queria poder vomitar todas.

Queria.

Mas eu apenas fitei atentamente as nossas mãos entrelaçadas enquanto ignorava ao máximo o sentimento que tal ato me despertara.

Yoongi e eu andamos por alguns minutos por entre os gramados que pareciam não ter fim, ambos em silencio, era capaz de se ouvir apenas nossas respirações pesadas e o barulho de nossos pés pisando na grama abaixo de nós. E então o moreno parou de andar, e apenas pôs-se a olhar para frente.

 Eu podia sentir um vento gelado se fazer presente, mas não era do clima em si, era outra coisa. Acabei por ouvir um famigerado barulho de água e então logo direcionei meu olhar para frente assim como o moreno ao meu lado.

Droga era lindo.

A lua era refletida nas águas negras da praia a nossa frente, as mesmas estavam calmas, quase não se mexiam e o barulho da água indo e vindo apenas tornava tudo ainda mais encantador e eu me peguei rindo sozinho de novo por alguns segundos enquanto fechava meus olhos e me concentrava no barulho da maré.

E então eu senti os dedos de Yoongi acariciando minhas mãos levemente, em um carinho para lá de discreto quase imperceptível. Mas eu senti.

Abri meus olhos lentamente enquanto apreciava o vento batendo contra meu rosto, e olhei para o lado.

Yoongi me encarava, impassível, sua expressão não me dizia absolutamente nada, nós apenas... Nós olhamos, mas ainda sim era profundo e me fazia tremer por dentro.

Por um momento eu quis saber por que diabos em pleno século vinte um, alguém ainda não havia inventado uma maquina que pudesse congelar momentos bons.

E então tudo realmente pareceu congelar no exato momento em que senti Yoongi se aproximar lentamente. Senti também que havia esquecido como se respirava por um momento quando seu nariz gelado tocou a ponta do meu, fazendo um carinho tímido e discreto enquanto erguia uma de suas mãos acariciar meu rosto, me fazendo fechar os olhos novamente e aproveitar seu carinho. Era um misto de sensações confusas, que eu queria guardar para sempre.

Nós estávamos a centímetros, o calor e o nervosismo haviam se alojado em meu corpo de maneira desesperadora, estava sendo torturante ver o mesmo testando minha paciência enquanto apenas ameaçava selar nossos lábios de vez.

- Você gosta do meu cheiro não é? – Sussurrou contra meus lábios enquanto sorria convencido, eu apenas assenti nervoso, isso era torturante – Eu também gosto do seu cheiro Jimin – Completou enquanto descia seu rosto para o meu pescoço depositando um selar discreto no local, antes de grudar nossas testas novamente.

Eu estava perdido, não sabia o que fazer muito menos o que falar, sentia minhas bochechas queimarem pela a audácia do mais velho enquanto meu coração acelerava cada vez mais dentro do meu peito.

O vento gelado, as peles quentes, as respirações se embaralhando. Tudo isso apenas me fazia desejar ainda mais o rapaz a minha frente.

E então, eu decidi que acabaria com aquela pequena distancia torturante, roçando nossos narizes por uma ultima vez antes de puxa-lo pelo pescoço pronto para selar nossos lábios.

Até que um grito alto e estridente nos atrapalhou fazendo com que Yoongi virasse sua cabeça para poder olhar de onde vinha tal som.

- Hey, vocês ai. Vão embora.


Notas Finais


uhu, romancezinho de leves, comente oq acharam manas amo vcs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...