História Gastyer - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 2
Palavras 1.716
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Shounen

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura pra quem não tem aula no sábado, pq quem tiver ta triste igual eu e.e

Capítulo 34 - Acordo


Seis meses se passaram após o incidente.

Yahha abrindo seus olhos tem sua visão ofuscada por uma luz que apontada para seu rosto, escutando uma conversa entre pessoas ao fundo.

— A estimativa, é que ele acorde nos próximos dias — Dizia um médico ao fundo.

— Estamos muito fodidos... Começamos uma guerra com a Região Norte, e ele, é nossa esperança de ganha-la — Seiji conversava com o médico — Por sorte, Castion não está tão ativo ultimamente —.

— Ahnn... Onde eu to — Yahha levanta a cabeça e olha ao redor, ele se vê deitado em uma cama com apenas roupas brancas típicas de hospitais, no canto de uma grande sala onde tudo que se via era a cor branca, e ao longe, uma porta com as pessoas conversando.

Seiji dispersa os médicos e veem andando lentamente em direção de Yahha. Seiji usava uma mochila, oque fazia Yahha estranhar mais ainda a situação.

— Yooo — Seiji gritava para compensar a distância em que estavam.

—Yo...O...Oque aconteceu? Minha cabeça está doendo — Yahha fala em um tom normal e Seiji o ouve conforme se aproxima.

— Como os médicos disseram... Ele provavelmente não se lembra do que aconteceu aquele dia — Pensou Seiji — Ahh, você foi bem, em sua última missão, mas desmaiou novamente —.

— Ultima missão? — Yahha pensa um pouco, e logo tem fortes dores de cabeça — Me lembro de estarmos treinando com o esquadrão 20, e íamos matar Gastyers —.

— Treinando com o esquadrão 20!? Ele nem sequer lembra as três semanas que os treinei, isso foi antes mesmo da ida à Região 2 — Pensa Seiji, mas sem tirar o sorriso do rosto ele o responde — Aparentemente, vocês acharam um Gastyer muito forte, e tiveram algumas dificuldades —.

Yahha pensa mais um pouco — Mas então... Por que eu não fui para a sala que normalmente acordo quando eu desmaio? —.

Seiji surpreendido por ele ter pensado nisso, tenta lhe dar uma resposta tosca — Você sofreu ferimentos muito sérios, por isso, a partir de hoje, terá que receber apoio médico nessa sala —.

— Ferimentos sérios? — Yahha por imprudência, pula para fora da cama, porém por conta de ter ficado muito tempo sem comer, ele cai no chão.

— Não falei? Agora volte para sua cama e fique quieto ai — Seiji se aproxima o bastante dele e o ergue pelo braço, o colando novamente na cama.

Os dois ficam se olhando em um silêncio constrangedor...

— E então, oque aconteceu com os outros do meu esquadrão? — Pergunta Yahha para quebrar o gelo.

— Eles... Estão... — Seiji é interrompido por uma nova pessoa que entra na sala.

— Já chega Seiji, não minta para ele. Deixe-o ver a realidade — Diz o Coronel Saymons, se aproximando mancando.

— Ahhh... Depois de toda minha encenação... Você tinha que estragar? — Múrmura Seiji.

— É uma ordem de qualquer forma — Saymons o olha sério.

— Eu estava prestes a fazer isso mesmo — Seiji tira de sua mochila um tablet.

— Pra que isso? — Pergunta Yahha.

— Shizune compartilhou a informação que no cajado dela tem uma pequena câmera, juntos dessa imagem — Seiji coloca o tablet no colo de Yahha, e logo o liga.

A imagem revelada foi Yahha em sua forma Gastyer, fazendo-o ficar em silêncio.

— Parece que ele sabe sobre algo — Cochicha Saymons à Seiji ao se aproximar o bastante.

— Aconteceu novamente... — Múrmura Yahha para si mesmo.

— De qualquer forma, você será nosso trunfo contra Castion — O Coronel se aproxima e lhe oferece a mão — E então, quer fazer o que? —

— Quero ver meus companheiros — Diz Yahha sem hesitar e pegando na mão oferecida por Saymons. Porém ainda estranhando eles terem envolvido o nome de seu pai.

Seiji e o Coronel se entre olham.

— Você está fraco, descanse mais um pouco, amanhã nós viremos aqui para levar-te a eles — O Coronel da meia volta e começa a andar lentamente para a porta.

— SEIJI VENHA AQUI — Grita o Coronel.

— Ahh, você ouviu o velho, eu já vou indo — Seiji se despede de Yahha e começa a acompanhar Saymons.

— Só tenho quarenta e sete anos... — Suspira Saymons, que logo começa a cochichar para Seiji — Providencie para que qualquer um que ele possa querer contatar, não fale que três dos amigos dele morreram... Quem sabe ele perde o controle com a informação —

Yahha deitado na cama começa a repensar.

— Ahhh... Nem perguntei quanto tempo eu dormi... — Pensa ele novamente sozinho na sala — Oque será que tod — Ele pega no sono antes de completar a própria frase na mente.

No dia seguinte, Yahha acorda cedo, e ao lado de sua cama há uma bandeja com seu café da manhã. Ao terminar de comer, ele se depara com Seiji usando apenas uma camiseta e bermuda, sem qualquer sinal de sua arma. Ele vinha junto de uma enfermeira que guiava uma cadeira de rodas.

A enfermeira o ajuda e a sentar na cadeira.

— E então... Quem eu devo ver primeiro? — Yahha se empolga.

— Não sei, talvez... Seila, o seu amigo dos óculos — Sugere Seiji.

— Ok, enfermeira me guie até ele, por favor —.

Ela apenas obedece sem falar. Saindo da sala, eles entram em um longo corredor inclinado para cima, Yahha estranha de inicio, mas não comenta. Ao andar por alguns minutos eles chegam a uma porta no final do corredor, e finalmente saem.

Ao sair, eles andam mais um pouco por uma área com prédios abandonados. Logo se da para reparar na casa de Beto, que não está ali no momento.

Progredindo mais um pouco, eles chegam à área dos alojamentos, e vão em direção ao alojamento do esquadrão 20.

Seiji abre a porta com um chute.

— Pode entrar — Seiji entra antes — Não tem ameaça —

— Não precisava ter quebrado a porta — Se espanta Yahha.

Yahha é empurrado até dentro do alojamento, e lá se depara com Shizune, Yukki e Deion.

— Então você acordou... — Fala Deion o olhando assustado.

Yukki sem falar nada, sai da sala e vai para seu quarto, batendo a porta com raiva.

Shizune com o mesmo olhar de indiferença, levanta a mão para cumprimenta-lo — Ora ora, se não é o assass— ela é impedida por Deion, que coloca a mão na boca de Shizune.

Megane logo sai de seu quarto com uma nova sniper em suas costas, um corte de cabelo diferente e óculos escuros.

— Er... Megane? — Se espanta Yahha.

— Por que veio com essa coisa aqui? — Pergunta Megane ao Seiji.

— Ah não enche, quer dar uma de fodão, mas você é apenas um merda ainda — Desabafa Seiji — Ele pediu, então é melhor me escutar, se não quiser brincar pessoalmente comigo —.

— Mas e então, oque você quer? — Pergunta Megane à Yahha.

— Nada não, só queria ver como você estava por sugestão do Seiji — Ele o responde.

— De qualquer forma, saia daqui, nós não tempos tempo pra aturar coisas como você — Megane volta ao quarto.

— Eu fiz alguma coisa? Ah quem liga, é o Megane, ele é estranho sempre — Fala Yahha emburrado.

— Vamos para o próximo — Seiji toma a cadeira de rodas da enfermeira e a coloca nas costas e sai apressado do alojamento — Esse vai dar problema — Pensa Seiji.

Ao chegar a frente a um grande hospital, ele coloca a cadeira junto de Yahha no chão, e adentram o edifício. Lá dentro eles pegam um elevador e sobem para o andar 15.

— E então, oque foi isso? Digo me levar em suas costas não é normal — Yahha o estranha.

— Estou com pressa, tem um sanduíche que eu quero muito provar, e ele já está quase se esgotando — Responde Seiji honestamente.

— Sério que foi por isso? Não duvido de tu — Yahha é empurrado por um corredor com várias portas.

Seiji sai repentinamente correndo para o banheiro e deixa Yahha no meio do corredor próximo a uma porta. Ao esperar um pouco, a porta próxima se abre e dela sai Nyuu e dessa vez com um longo cabelo em um tom verde claro.

— Nyahh, Yahha tu acordou — Ela corre e o abraça.

— Nyuu, que alívio pelo menos você está normal — Yahha solta um suspiro — Ou quase isso, mas e então, oque faz por aqui? —

— Só estou visitando o problemático ali — Ela aponta para a porta e para de abraça-lo.

— Quem é? — Pergunta ele curioso.

— Pelo visto você veio aqui sem saber. Ahh, aquele Seiji — Ela assume o controle da cadeira e o leva para dentro da sala.

Adentrando a sala, ele vê ao lado de uma janela, Yakiro sentado em uma cama, também usando roupa hospitalar.

— Yooo Yakiro — Yahha o cumprimenta animado.

— oi... — Yakiro por sua vez esboçava tristeza e desanimo.

— Que tipo de merda tu fez pra parar aqui? — Yahha ainda animado pergunta.

— Nada de, mas... Mas e você?... Não sente nada? — Yakiro o olha com uma expressão séria.

Yahha não entende a pergunta — Em relação a que? É bom ver vocês dois bem —

— Entendi... Você não se lembra, e o Seiji não te contou... — Yakiro começa a olhar para a janela.

— Isso envolve o motivo de eu ter desmaiado? Se sim... Conte-me — Yahha já mais sério insiste no assunto.

— Tsc... Vou te contar... A Mizuki... Ela morreu — Grita Yakiro, fazendo Yahha não esboçar reação.

Seiji em alguns instantes aparece com sua foice no pescoço de Yakiro.

— Não diga mais nenhuma palavra, isso foi uma ordem e você desobedeceu — Seiji o olha sério.

— Va em frente e me mate, já que gosta de ver seus subordinados morrerem... — Yakiro o olha com raiva.

— Eu não reclamei de você sair sem autorização da Região 8, mas descumprir uma ordem direta minha, realmente merece a morte — Seiji se prepara pra cortar.

Yahha salta da cadeira de rodas e soca a cama, sem acertar nenhum dos dois.

— CALEM A BOCA CARALHO — Yahha com o soco faz a cama junto de Seiji, Yakiro e até ele mesmo, quebrarem quatro andares abaixo e caírem.

Em meio à poeira levantada pelo destruimento e algumas camas dos andares que atravessaram, Yahha aponta o dedo para o rosto de Seiji.

— Eu tenho duas condições para deixar você e o seu amiguinho Saymons me usar. Primeira: Conte-me tudo o que aconteceu... Segunda: Se isso foi causado pelo meu pai, me deixe mata-lo pessoalmente — Diz Yahha com um sorriso sádico.

— Acordo feito — Seiji com um sorriso igualmente sádico faz sua foice evaporar e aperta a mão de Yahha.

— Podem fazer o que quiserem... Só não me envolvam, pois tenho meus próprios planos... — Diz Yakiro ainda no meio de tudo aquilo.

Continua...


Notas Finais


Obrigado pro lerem meu cap, meu braço amorteceu então n vou enrolar mt


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...