História Gatinho Fofo - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Personagens Originais
Tags Bts, Cute, Gato, Híbrido, Park Jimin, Romance
Visualizações 53
Palavras 2.416
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey pessoas!!!
Estou de volta com mais um capítulo!
Agora já vamos entrar com a fase crescida do Jimin!
P.S.: Essa fanfic vai ser mais pro lado romântico mesmo. Okay?
Espero que gostem!

Capítulo 3 - Capítulo 02


       [ ...5 anos depois... ]


O despertador toca e eu acordo sentindo os braços fortes de Jimin apertarem minha cintura. É tão confortável essa sensação.

 Levanto e vou ao banheiro fazer minha higiene pessoal e tomar banho. Quando termino olho para a cama vendo Jimin ainda dormindo e vou a cozinha.

 Começo a preparar nosso café da manhã. Nesses cinco anos que cuidava do Jimin acabei aprendendo a cozinhar melhor.

 Jimin havia mudado. Muito. Estava mais forte e maior que eu. Seus braços estavam musculosos e seu abdômen tinha um tanquinho ótimo para lavar roupas. Suas coxas também estavam mais grossas e torneadas. Não que eu fique reparando. Mas, mesmo com tanta mudança, seu rosto continuava o mesmo, só não tão bochechudo, não que as bochechas ainda não sejam fofas, e estava mais... Sexy.

 Havia esquecido que Jimin era um híbrido. Portanto, seu crescimento e contagem de anos era diferente da dos humanos normais. Agora, parecia que ele tinha vinte e poucos anos.


Era estranho esse crescimento rápidoutrambém estou me sentindo um pouco estranha. Sentindo meu coração bater mais forte de um jeito diferente e me excitando por coisas pequenas. É, acho que ninguém avisou a minha seca de sexo que o Jimin viraria um cara tão sexy em tão pouco tempo. Preciso urgente de um homem. Antes que eu faça besteiras.

 - OMMA! - Jimin grita enquanto vem em direção a bancada da cozinha.

- Não é omma. É noona. - corijo Jimin enquanto ele se senta na cadeira da bancada. Sem precisar da minha ajuda. Quem diria que eu iria sentir saudades do Jimin me dando trabalho.

 Comecei a pedir que Jimin me chamasse de noona porque era estranho, ainda mais para as pessoas de fora, ver um cara parecendo ter quase a mesma idade que eu me chamando de omma.

- É verdade! Tinha me esquecido. Desculpe, noona! - Ele sorri e eu só aceno com a cabeça. Jimin também havia parado com a mania de se referir a si mesmo na terceira pessoa. Logo quando eu estava começando a gostar disso.

 - Vá se arrumar rápido, antes que eu não te leve de carona a faculdade. - O apressei. Ele começou a comer mais rápido e quando terminou correu para o quarto se arrumar.  

 Pois é. Jimin está indo à faculdade. Além do crescimento rápido parece que híbridos aprendem rápido também e por isso, só com as aulinhas que eu dava pra ele em casa quando tinha tempo, ele conseguiu uma vaga em uma das melhores faculdades daqui. Fiquei orgulhosa dele. E também nesses cinco anos, aprendi a dirigir, graças ao Jimin, que me encorajou a fazer isso.

- Noona? - O Jimin chama a minha atenção e olho em sua direção confusa. - Já estou pronto! Vamos?

- Vamos! - Pego a chave do carro e vamos para a garagem do prédio.

             ~~~~&~~~~   

- Como vai o Jimin? - Minha amiga Alana pergunta depois de um tempo que nós duas estávamos jogando conversa fora. A vantagem de ser amiga da minha chefe é que eu posso vir ao trabalho pra não fazer nada. 

- Vai bem. Eu é que não estou lá grandes coisas. - Digo e ela me olha preocupada. Nessa altura do campeonato já a havia informado sobre tudo, principalmente sobre Jimin, só não havia tocado no assunto dos "sentimentos estranhos" porque era um acontecimento um pouco recente. Bom, não tinha falado sobre até agora.

 - O que aconteceu? - pergunta ainda preocupada. Explico tudo pra ela e ela dá aquele sorrisinho que só ela tem de que "sabe de tudo". - Simples... Você está apaixonada pelo Jimin. 

 Abro um grande "O" na minha boca e arregalho os olhos, tomada pelo susto. Quando consigo me recuperar apenas falo:

- Claro que não estou. - Contrario e minha amiga me olha como se quisesse provas sobre isso. - É só falta de sexo e de um homem novo na minha vida. Sabe a quanto tempo eu não transo? 

- Desde que adotou o Jimin?

- Não, desde a minha última relação com aquele escroto.

- Falando em escroto... Ele esta de volta na cidade, Chae Eun. Toma cuidado. Vai que você se apaixona de novo por ele.

- Nunca!                

             ~~~~&~~~~

P.O.V Jimin


 Minha noona para em frente a entrada da faculdade que frequento e dou um beijo em sua bochecha, me despedindo dela.

 Ainda me lembro de quando Chae Eun me abrigou. Era um dia chuvoso, portanto, eu estava com muito frio. Naquele hora eu estava com vontade de chorar, mas havia me lembrado da minha promessa comigo mesmo que eu não choraria mais. Não depois de tantos pés na bunda. E não digo "pé na bunda" em um sentido de tomar um fora, e sim de literalmente levar um pé na bunda porta à fora.

 Já havia sido expulso de várias casas e tinha medo de me acontecer de novo. E mesmo repetindo a frase de que era forte e corajoso, no fundo eu pedia por socorro. Não queria ficar sozinho. E quando estava quase gritando por ajuda, ela apareceu. Park Chae Eun. A pessoa mais importante da minha vida. Minha salvadora, minha omma, minha noona. Mas que de um meses pra cá, confesso que queria que ela fosse algo a mais pra mim. No começo, realmente a via como minha omma, não pensava nada a mais. Porém, acho que híbridos também tem outros tipos de sensações, além de afeto fraternal.

Começou a pouco tempo, mas confesso que a vejo com outros olhos agora. Quando ela coloca roupas um pouco mais expostas quando se esquece que não mora sozinha. Quando está inclinada fazendo alguma coisa. Quando esquece de fechar a porta do banheiro e acabo vendo ela tomando banho. Me sinto excitado e meu amiguinho começa a doer e ficar maior. Não sei o que isso significa.

 Também sinto outro sentimento, um pouco diferente do anterior, que acontece por coisas simples que ela faz. Quando ela está lendo um livro concentrada. Quando ela ri enquanto assiste a um filme. Quando ela cozinha. Quando ela dorme. Quando ela sorri pra mim. Quando ela me toca. Sinto meu coração bater mais rápido. Sinto vontade de ficar ao lado dela e ficar olhando ela todos os dias da minha vida. Mas diferente do outro sentimento, esse eu sei o que é. Meu amigo, Hoseok, me explicou um dia, quando eu só havia feito perguntas sobre. Não havia explicado por quem sentia aquilo.

 Mas... Ainda estou confuso com o outro sentimento. Aquele em que fico excitado. Quando pergunto aos meus amigos, eles me olham como se pensassem "Como você não sabe sobre isso?" ou "Você nunca fez isso?", mas nunca me respondem nada e só desviam assunto. As pessoas ao meu redor sempre me chamam de inocente por eu não saber dessas coisas. Talvez eu não saiba porque ninguém me explica. Eles disseram pra mim perguntar a minha noona, que ela saberia o que dizer. Sério, as vezes acho que me tratam como criança. Principalmente quando precisam explicar assuntos mais "complicados" pra mim. Talvez um dia eu pergunte a noona. Mas tenho vergonha. Porque eu estou apaixonado por ela.

             ~~~~&~~~~ 

Estou sentado na carteira na sala esperando o professor chegar. Algumas meninas ficam me olhando e piscando ou passando ao meu lado e se jogando pra cima de mim. Acho que isso se chama "dar em cima" ou "paquera", apesar que meus amigos me disseram que a palavra "paquera" já estava meio ultrapassada. Ignorando as garotas, vejo meu melhor amigo, Jungkook, entrando na sala e quando me vê, sorri e corre em minha direção. Ele empurra uma garota que estava me olhado profundamente, ou como dizem, me "secando", na carteira ao meu lado e se senta ali. 

- E aí, cara? - Ele pergunta e sem esperar resposta, continua a falar. - Ouvi falar que aquela velhaca da professora de Ciências Humanas vai finalmente se aposentar e vamos ter professor novo. Ou, se tivermos sorte, uma professora bem gostosa.

 - Eu achava a Sra. Lee bem fofinha. - Comento me lembrando da antiga professora de Ciências Humanas, uma velhinha muito simpática, mas que ninguém da sala aturava. Jungkook me olha como se eu fosse louco. - Que foi?

- É só... Que você pensa o que ninguém mais pensaria. Mas, como eu ia falando... Será que vai ser uma professora? - Ele coloca ênfase no "a".

- Eu acho que não - Falo assim que olho para frente.

- Como você sabe que não? - Ele pergunta curioso e eu só dou um aceno pra frente com a cabeça. 

 Jungkook olha na direção que apontei e parece que sua cara mudou de alegria pra decepção, pois na frente da sala com uma maleta em uma mão e cadernos na outra, havia um homem, com cara de alguém de trinta anos, olhando sorrindo, para a sala.

              ~~~~&~~~~  

- Jimin, você poderia me ajudar com esse exercício? - Uma menina para ao meu lado com um caderno aberto na minha frente, enquanto estou sentado em uma das mesas da biblioteca da faculdade. Olho pra ela, enquanto a vejo fazer um certo esforço para ficar inclinada em minha direção, com um decote que dava para ver quase todo seu seio.

- Eu acho que... - Eu ia aceitar, afinal não estava ocupado e realmente nem estava ligando para sua investida em mim. Até que recebo uma mensagem de um dos meus amigos, o Taehyung, para eu ir almoçar com eles, sem atrasos. E, infelizmente, tenho prioridades na minha vida. - ... Não. Desculpe, mas realmente tenho que sair agora.

- Se não queria ficar comigo, era só dizer na minha cara, idiota! - a menina reclama. Meu Deus! Que garota agressiva. Eu não estava dando uma desculpa para não ajudar ela. Embora acho que a ajuda que eu estava disposto a dar não era a ajuda que ela queria.

 Depois que a garota foi embora com quase fumaça saindo do seu nariz, levantei e corri até o restaurante da faculdade em que eu e meus amigos íamos quase todos os dias.

 No caminho para lá, Namjoon, meu outro amigo, manda uma mensagem, me dizendo para se apressar porque o assunto era importante. Aposto que era um monte de bobagem.

 E quando cheguei, encontrei todos já reunidos, e como havia falado, estavam falando de jogos e mulheres.

 De repente tocaram no assunto de professores e Jungkook, acabou comentando que na nossa aula de Ciências Humanas havia um professor novo. E que ele estava profundamente decepcionado com isso.

 Confesso que não estava tão triste quanto Jungkook pelo fato de ser um homem a dar aula pra nós. E nem ficaria tão feliz se fosse uma mulher a dar aula. Afinal, só tenho olhos para Chae Eun. Porém, alguma coisa naquele professor, me faz não gostar tanto assim dele.

             ~~~~&~~~~

Estava indo esperar minha noona na entrada da faculdade, já que ela me mandou uma mensagem a alguns minutos atrás avisando que estava vindo me buscar. E então encontro meu novo professor de Ciências Humanas indo em direção ao que deduzo ser seu carro. Ou pelo menos tentando chegar lá. Havia várias meninas em volta dele, o que o fez parar para dar atenção a elas. Elas dizem que ele é bonito, gostoso, musculoso, atraente e mais um monte de bobagens que eu realmente não me importo.

Escuto uma buzina, que havia chamado minha atenção, e olhei em direção ao som. Abri o maior sorriso quando vi minha noona do lado de dentro do carro.

- NOONA! - Grito e corro em sua direção, porém percebo uma movimentação pelo canto do olho e vejo meu novo professor indo na mesma direção onde o carro da minha noona estava. Parei meus movimentos e percebo ele se aproximar da porta do carro da noona e se abaixar na altura da janela aberta do lado dela.

 Ele conhece a minha noona? Penso, enquanto começo a entender porque não gostei daquele cara logo que bati meu olho nele.

 Enquanto estou parado, pensando qual será o relacinamento deles e arrumando coragem para interromper a conversa, um grupo de cinco meninas param ao meu lado e começam uma conversa comigo que nem me dou ao trabalho de ouvir, só fico sorrindo, e parece que elas estavam distraídas só me olhando.

 Olhava em direção ao carro da minha noona. Infelizmente não conseguia ver suas expressões porque ela estava virada para o outro lado, onde se encontrava meu professor. Espero que ela não esteja com aquele sorriso que ela sempre me dá quando está contente, enquanto conversa com meu professor. Não que não queira ver ela feliz. Só não queria que ela fizesse coisas que ela só faz comigo.

 A noona vira seu rosto em minha direção e abre um sorriso lindo. Um sorriso de quem está feliz. É, talvez a perca pra esse cara, afinal, como ela iria querer um cara mais novo como eu?

 Ela acena pra mim, me mandando entrar no carro. E eu me despeço das garotas indo em sua direção.

 Quando chego perto do carro, abro a porta e entro, ficando quieto. Normalmente eu iria dar um beijo em sua bochecha, mas estava com vergonha de fazer isso na frente do meu professor. E até estava com medo de ela brigar comigo em casa, falando que arruinei sua chance com o bonitão ali. 

 Mas, para minha surpresa, Chae Eun chega perto de mim, me dando um selinho. Fico assustado e demoro um pouco pra processar o que acabou de acontecer. Minha noona nunca havia me dado um selinho antes e meu coração acabou dando umas batidas mais rápidas do que o seu normal.

- Quem é esse? - Escuto a voz grossa do meu professor e olho pra ele, que estava com uma das sombrancelhas erguida.

- Não te interessa, Ji Wook. - Minha noona responde irritada. O que eu fiz de errado? - Adeus, JiWook.

- Espera! Eu vou te encontrar amanhã onde marcamos não é?

 A noona acelera sem responder o meu professor. Quando estávamos longe o suficiente resolvi quebrar aquele silêncio desconfortável.

- O que eu fiz de errado, noona?

- Que? - Ela pergunta confusa.

- Você parecia irritada quando entrei no carro.

- Ah, meu bebê, não estava irritada com você. Me desculpa se ti fiz pensar assim.

- Então... Você estava irritada com o meu professor? - Pergunto, aliviado por ela não estar irritada comigo, e feliz por ela, talvez estar irritada com o professor.

- Seu professor?

- É... O No Ji Wook. Ele é meu professor de Ciências Humanas. Mas... Qual sua relação com ele, noona?

- Ah... Ele... É só... Só meu ex namorado.


Notas Finais


Mais um fim de capítulo!!!
O próximo muito provavelmente será o último e terá uma cena mais, vamos dizer, "caliente".
Comentem e/ou favoritem se quiserem!
Até o próximo capítulo!!!
Tudo de bom pra vcs!!! Bjuus <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...