História Gatos guerreiros - um clã não revelado. - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Warrior Cats (Gatos Guerreiros)
Tags Clã Da Vida, Clã Oculto, Lifeclan, Warrior Cats
Visualizações 8
Palavras 1.184
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpe-me, sei que demorei. Espero que gostem.

Capítulo 7 - O patrulheiro.


Fanfic / Fanfiction Gatos guerreiros - um clã não revelado. - Capítulo 7 - O patrulheiro.

Um dia se passou (capítulo passado), Estrela de Sangue não tinha acordado ainda. Todos dormiam.

Pata Enferrujada foi o primeiro a acordar. Levantou, saiu do clã e foi beber água.

—Yaarrrn! Que sono... Vou chamar a líder, já é quase sol alto! - Pata de Coelho acordou, se esticando.

Ele vai saindo do acampamento, indo até a caverna onde Estrela de Sangue e Olhos Delicados dormiam juntos.

O gato encosta seu focinho no corpo de Estrela de Sangue. Ela acorda e dá um pulo leve, tentando não acordar o representante.

—O que você quer? - ela fixa os olhos agradavelmente no aprendiz, sendo calma. Mexe a cauda incontrolavelmente.

—Só queria avisar a você que o Sol está quase a pino!!! - Pata de Coelho mumurra um pouco alto.

—Santo Clã das Estrelas! Garra de Leopardo será o organizador de patrulhas, agora, será só ao por do Sol. - a líder rosna. —Obrigada, Pata de Coelho. Sem você, todos não iam fazer nada.

—Sem problema! - ele sorri amigavelmente.

Ele saí da caverna da líder, voltando para seu lugar. Se aproximando de Pata Enferrujada, que se ajeitava de costas para dormir. Pata de Coelho cutuca ele com a pata dianteira.

—Pra que isso! Me assustou! - Pata Enferrujada se assustou, susurrando, quase gritando.

—Fica calmo, Estrela de Sangue me avisou uma coisa! - o gato bege continua. — Garra de Leopardo será o organizador das patrulhas.

—Novidade. - o enferrujado debocha.

Logo, os mentores chegaram todos muito fortes, com rapidez.

—Acordem! Gritou Cauda Prateada, movimentando as orelhas.

Todos levantaram surpresos que quase era Sol alto. Tirando a preguiça, foram levantando com garras.

—Já é sol alto? - Pata Listrada ficou surpresa ao olhar a luz forte entre o teto de folhas de árvores.

—Falta pouco. - Rosto Feio miou.

Pata de Pedra acordou ao lado de Pata Enferrujada, e ficou surpresa, ao saber que quando dormiu, dormiu ao lado de Pata de Coelho.

—Bom dia! - disse o coelhinho, lambemdo a testa de Pata de Pedra.

—São vocês agora são amigos íntimos? - Erva Venenosa, que sempre era ranzinza, sorriu.

Os dois ficaram bobos de serem percebidos de que havia algo ali... Depois de todos levantados, saíram do clã, vendo uma trilha de uma Raposa de largura. Era feita de barro.

Os aprendizes ficaram orgulhosos de olhar aquela estradinha especialmente para eles. Cauda Prateada fez um sinal de atenção com sua cauda peluda, dizendo o seguinte:

—Prestem atenção! Hoje, vocês aprenderão a diferenciar o que sua presa percebe antes de você atacar. - ele grita, olhando pros mentores.

Depois, eles fizeram uma roda, conversando sobre o que comentar.

Se organizando bem, todos decidem.

Todos foram por direções diferentes, Cauda Prateada levou Pata de Coelho para as Pedras Altas, lá, havia muitos Graúnas voando de pedra em pedra.

—Está olhando aqueles passarinhos? São Graúnas, uma raça simples de pássaros pequenos. —Cauda Prateada miou baixo, para não assustar um Graúna ao lado.

Pata de Coelho estuda o pássaro, tenta pegá-lo com um bote quase perfeito, mas sua mandíbula fez um barulho e suas patas traseiras tinha pousado o chão. Ele não conseguiu capturar.

—Observe. - rapidamente Cauda Prateada miou. Se aproximou de um Tordo e dava longos e silenciosos passos, até chegar a um coelho de distância. O pássaro sentiu algo se movendo, mas era tarde demais. Cauda Prateada já havia cravado suas garras no peito macio do passarinho.

—Percebeu que o Tordo quase me percebeu? Você deve ter patas invisíveis para caçar um. Para nosso clã, é difícil até caçar um canário. - o guerreiro de cauda prateada miou calmamente. —Tem um Graúna fácil de capturar ali, por que não tenta denovo? - sendo gentil, mumurrou.

—Fácil! - Pata de Coelho miou.

O grande Graúna se acomodava  de costas em um canto de pedras. Pata de Coelho se aproximou como seu mentor ensinou. O pássaro negro sentiu, Pata de Coelho logo dá um pulo curto, prende o pássaro com as patas e o matou com uma mordida bem funda.

—Eu disse que foi fácil! - Pata de Coelho pegou o corvo pequeno  com a boca ensanguentada. Abanava seu rabinho.

—Eu disse que era, cérebro de rato! - Cauda Prateada brincou, que deixou escapar um ronrono de orgulho.

—Vamos! - Pata de Coelho gritou. Cauda Prateada pegou sua presa e foram voltando para casa, onde as folhas começavam a se amarelar. Chegando lá, Cauda Prateada deixou o Tordo com Pata de Coelho, já que sabia o que fazer.

Pegou as aves e chegou a pilha de comida, onde estava quase se tornando carniça. O gato bege pegou um canário  dourado e dois sapos pretos.

Foi até os dois únicos anciãos, que estavam dormindo juntos. Aww! Anciões são fofos. Pata de Coelho pensou, olhando os velhos gatos juntos, com sua respiração rouca.

Ele resolveu deixar os sapos no canto, para que acordassem, comeriam logo. Pata de Coelho saiu dos arbustos onde vivia os dois. Finalmente, foi descansar um pouco, quando acordou, viu a multidão olhando para só um gato: Garra de Leopardo.

—Todos sabemos que nosso clã é novidade para os outros, e teremos que ter cuidado do que esperar. - uma bela voz faz um eco na clareira de pedras brancas. Era Estrela de Sangue, mas havia algo pequeno de diferente, a ponta da cauda estava branca! Ela continuava:  —Eu, Estrela de Sangue, promoverei, o primeiro guerreiro a liderar as patrulhas, seja nas folhas caídas, seja nas novas folhas, dias e noites, investigando gatos invasores. Garra de Leopardo, aceita ser o líder das patrulhas?

—Aceito, - ele subiu na entrada da caverna de Estrela de Sangue, continuando: —com minha lealdade ao clã, -o leopardo olhou fixamente para Estrela de Sangue, ao lado de seu representante. Mia alto: —com sangue fervendo, com verdadeiras palavras, aceito. - Garra de Leopardo esquivou o olhar de Olhos Delicados e mirou ao chão, abaixando sua cabeça, por leadade.

Tojo Dourado observava seu companheiro sendo recompensado, bravamente. Deitada, escondia os seus cinco filhotes de três luas, já de olhos abertos. Algum filhote miou: "Eu te amo papai!"

Garra de Leopardo ouviu e sorriu encarando sua amada gata dourada com seus filhotes de diversas pelagens.

—Aqui, Garra de Leopardo. Suba. - Estrela de Sangue miou calma e feliz. O guerreiro a fitou mais uma vez. Ele sobe na pedra grande e vê Olhos Delicados deitado com uma expressão um pouco estranha. Também vê os gatos observando os dentes da líder. Iria mordê-lo? Pata de Coelho pensou. —Te batizo pela minha mordida de honra, para provar sua bravura e resistência. -o leopardo eriçou seu pelo da nuca. Seria ali?

Estrela de Sangue logo alcançou sua nuca e mordeu devagar, os dentes entravam na carne dura do gato. Garra de Leopardo fez uma expressão de dor, mas seu sentimento de dor tinha sumido.

Tirando os dentes do novo patrulheiro, ela grita com sucesso.

Todos gritam bravamente, sendo uma boa finalização pro fim do dia. Pata de Coelho mirou aleatoriamente em algum gato, e fitou Erva Venenosa, que ficava com cabeça baixa. Seria inveja?

Logo, Estrela de Sangue lambe a testa de Garra de Leopardo. Ela pula de cima da pedra grande, entrando em sua caverna. Olhos Delicados a segue rapidamente. Assim, todos os gatos foram para suas áreas.

O por do sol era gloriosamente lindo, entrando pelas folhas, ainda iluminando toda floresta.

Garra de Leopardo ainda estava na pedra grande, observando o por do Sol.


Notas Finais


Graúna: Pássaro pequeno preto.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...