História Gatos Guerreiros-Nova geração - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Warrior Cats (Gatos Guerreiros)
Personagens Personagens Originais
Exibições 16
Palavras 982
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela, Survival, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - Sonhos


-Pata Branca quero que fique, vou buscar algumas ervas que crescem não muito longe daqui. Volto logo.

-Sim, senhora. - ele pegou um pouco de musgo bem úmido e colocou na testa da gatinha malhada ainda adormecida. Ao olhar para ela, memórias vieram em sua mente, cinco luas se passaram desde o dia que se tornaram aprendizes e duas luas que havia se tornado aprendiz de curadeiro. Nesse tempo aprendeu muita coisa sobre sua futura função e estava feliz pelo progresso, finalmente ele achou o lugar em que pertencia, há meia lua Pata Quieta se esforçou muito para proteger Nuvem, um isolado, acabou desmaiando e não acordou mais, mesmo ainda respirando ela dormia quieta como sempre.

Mais tarde perto do sol alto ele pegou algo para comer e voltou para a toca de curadeiro, sua mentora ainda não havia voltado e sua preocupação aumentava com o passar do tempo. Por que ela demorava tanto? A tarefa não era difícil a não ser que encontrara algum invasor no caminho, mesmo assim não justificava a demora. Miados vinham de fora e Rabo Manchado entrou com a cabeça baixa :

-Sinto muito Pata Branca, Pelo de Onça foi atacada por raposas e não resistiu. Eram muitas raposas juntas, não tinha como ela ganhar a luta. - O gatinho correu até sair da toca e viu uma roda e a atravessou encontrando a mentora no chão com o pescoço e peito vermelhos. Lágrimas saiam de seus olhos sem parar. Suado abriu os olhos e levantou-se rapidamente com respiração pesada. O gato branco de focinho cinza havia acordado de seu pesadelo acordando, também, Pelo de Onça.

-O que foi?-perguntou ela.

-Nada, foi só um pesadelo.-respondeu ele recuperando o folego.

-Foi tão ruim assim? Está até chorando. - a curadeira secou com a pata os olhos do aprendiz.- O que aconteceu?

-Sim, você morreu. - agora de olhos arregalados a gata percebeu que não era apenas um sonho. Mesmo sabendo que não podia fazer muita coisa ela explicou que ele se tornaria um grande curadeiro, com ou sem ela do lado, e que não havia motivos para se preocupar. Explicou também que não era um pesadelo, mas um presente do clã das estrelas, uma visão. Logo ambos voltaram a dormir.

Pata Branca estava sentado perto de um celeiro, observando de longe um caminho que em vez de ter a vegetação rasteira possuía algo duro e cinza. Mesmo com o ambiente escuro, por conta da noite, tudo era iluminado pela lua e pelas estrelas. No canto viu dois gatos arrastando o corpo de outro gato,  o primeiro era cor de areia com riscos pretos depois de analisar percebeu que era na verdade uma garota e o segundo possuía pelo cinza escuro com rabo laranja e o gato morto era branco com manchas cinzas e não tinha rabo. Com cuidado chegou perto podendo reconhecer dois dos gatos. Estrela Curta e Olho Sangrento:

-Ainda, não entendi o que eu você ganha com a morte do nosso líder?-perguntou a gata

-Serei o próximo representante, sabe que sou mais fiel a Orelha Negra do que a Estrela Curta. Por isso o matei. - O gatinho acordou de novo, dessa vez, mais calmo e não estava assustado, pois já saia o que era. Ele levantou e foi buscar algo para Pelo de Onça e para ele comerem.

 -Ela ainda não acordou, Pata Branca? - perguntou Pele de Onça

-Não.

-Se eu for buscar ervas você fica aqui sem problemas?

-Sim, mas pode deixar vou buscar um pouco mais de ervas.- ele arregalou os olhos e antes que a mentora pudesse protestar elesaiu da toca. Pata Branca foi até  Estrela Cega antes de buscar o que precisava.

-Estrela Cega? 

-Sim, pode falar.

-Bem, vou atrás de um pouco mais de ervas que eu e Pelo de Onça estamos precisamos, porém terá raposas lá então vou precisar de ajuda. Quem poderia ir comigo?-perguntou o mais novo.

-Como você sabe que haverá raposas? E quantas raposas eram? -perguntou a líder curiosa.

-Eu...- o gatinho bufou.-Eu vi em um sonho. Não me lembro bem, mas não passavam de quatro

-Ah, então o Clã das Estrelas já começou a comunicar-se com você. Se é assim peça para Mancha Negra, Nuvem e Coragem Branca, o que acha? 

-Sim, boa escolha Estrela Cega. - ele sorriu e lembrou do dia em que Nuvem, o isolado, tornou-se Coragem Branca. Foi no dia seguinte em que a colega foi para toca da curadeira e não saiu mais, Cayari e os outros voltaram para o celeiro que, por sorte, já não tinha mais ameaças do Clã das sombras ou dos duas-pernas.- Ah, sim a comunicação.

-Como se sente em relação a isso?

-É estranho sonhar com algo que vai acontecer, ou que pelo menos pode acontecer se não for feito algo para acontecer. 

-Você está indo fazer algo para impedir algo que foi mostrado? - perguntou Estrela Cega, curiosa

-Sim, acho que já vou indo. - falou ele.

-Certo, até mais tarde. - o gatinho saiu da toca e foi chamar os gatos que o acompanhariam. Como ele era o que conhecia o caminho, Pata Branca guiou o caminho. Ao chegar no local quatro raposas, como o esperado, atacaram. Gatos e raposas trocavam mordidas e arranhões até sobrar apenas o grupo vencedor, Nuvem, Coragem Branca, Mancha Negra e Pata Branca. Uma delas não foi poupada pelo ataque as outras,entendendo o recado, a abandonaram no local.

-Você foi muito esperto na luta, Pata Branca. Usou os ataques conta o próprio atacante.- falou Mancha Negra - Sua mentora me contou o progresso que você obteve ao longo do tempo.

-Obrigada. - agradeceu sorridente, o gato de focinho cinza.

-Mas como sabia que haveriam raposas aqui? Quero dizer você não iria apenas vir buscar ervas?-perguntou Nuvem.

-Na verdade Pelo de Onça viria, mas em um sonho vi que se ela viesse raposas a atacariam e ela morreria.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...