História Gêmeas da morte - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~andyzitos

Exibições 13
Palavras 1.170
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sei que devo muitas desculpas, mas serei sincera. Não escrevi antes por preguiça, raiva da parte do capítulo que eu perdi e falta de tempo. Dessa vez eu tentarei postar antes, mas é melhor nem prometer nada...
Não atirem coisas em mim e não me xinguem ;-;
Bem, sei que tinha dito que não teria nada de inapropriado, mas...
Se você não quer ler isso, simples, não leia o final, só lhe peço para não parar de acompanhar a fic...
Espero que gostem, boa leitura!

Capítulo 8 - "Tente novamente princesa."


Fanfic / Fanfiction Gêmeas da morte - Capítulo 8 - "Tente novamente princesa."

                                                               POV-Leo

    Segundos incontáveis se passaram até que Quíron dissesse que sim, só que com uma condição, eu teria que ser vigiado por alguém 24h por dia, para não arranjar nenhuma confusão. Okay, não sou a pessoa mais comportada do mundo, sumi por dois anos e tal, mas isso realmente não era necessário. O pior, é que essa pessoa seria Jason... isso é humilhante, divertido e desconfortável ao mesmo tempo...

   Eu e Jay saímos da Casa Grande enquanto Calypiso tinha ficado, porque Quíron iria mostrar o quarto dela, explicar as regras do acampamento e dizer com que chalés faria as atividades. Seguimos até a praia onde Percy estava deitado na areia, com uma expressão meio abatida no rosto. Me impressionei muito ao ver como Jason e Percy tinham de aproximado nesses dois anos admito que fiquei com um pouco de ciúmes, mas entendo que agora Jay tenha dois melhores amigos...

    - O que aconteceu cara, você tá bem? – Jay perguntou parecendo realmente preocupado.

   - Nada, não foi nada...

   -Cara, pode falar, somos amigos, certo?!

   -Não quero falar sobre isso.

   Percebi que o motivo dele não querer falar, era eu, então me despedi brevemente e fui em direção ao meu chalé, recebendo vários olhares, abraços, palavras carinhosas e garotas já estavam dando em cima de mim...  Será que nenhuma delas tinha reparado ainda que sou gay?

                                                   POV-Belle

   Tinha acabo de tomar café quando mais um garoto de Apolo veio dar em cima de mim, esses garotos eram insistentes, eu sempre digo que meu coração tem dono, mas eles parecem que não entendem isso, tudo bem que eu não digo que esse garoto é o meu meio-irmão, Nico Di Angelo, mas...

   -Bom dia flor do dia, como você se sente nessa linda manhã? –Perguntou com um olhar sedutor, um sorriso malicioso e um tom de voz meio sarcástico.

   -Bom dia, estou bem sim e você? – Perguntei meio irônica.

   -Melhor agora que vi você, você é tão linda, tem certeza que não é filha de Afrodite?!

   Não sabia se levava isso como um elogio ou se ele estava dizendo que as filhas de Hades não são tão bonitas quanto as de Afrodite, por isso só murmurei um “obrigada”.

   Esse garoto é o mais insistente, ele não me deixa em paz, está sempre que pode vindo falando gracinhas, dessa vez até que não falou, mas fez algo bem pior! Dessa vez foi diferente, quando eu estava saindo da mesa ele simplesmente me agarrou no meio do refeitório, que graças aos Deuses só estávamos eu e ele lá, pois os outros campistas estavam já em atividades. Eu não o beijei de volta, depois de alguns segundos consegui afasta-lo. Eu não queria ser grossa, mas ele não parava nunca, eu precisava ser mais dura com ele.

   -Me desculpe falar desta forma, mas dessa vez você passou de todos os limites e eu não tolero esse tipo de coisa! Então, por favor, não repita uma coisa dessas. –Falei saindo apressadamente de lá.

   Eu estava atrasada para lutar com Aly, tínhamos combinado de treinar um pouco juntas, porém o beijo me atrasou...

   Eu sabia que teria que contar para Nico sobre o beijo, isso seria bem difícil, mas eu teria que contar, mas não sei quando seria isso, nem se seria logo, pois está um clima estranho entre nós dois pelo fato de sermos meio-irmãos.

   Corri em direção a arena, que naquele momento só tinha a minha irmã com uma expressão muito irritada no rosto, golpeando o ar com sua espada. Quando ela me viu, gritou algo como “Sua desgraçada, porque demorou?!”. Eu só dei um sinal de “Depois te conto”, ela me jogou uma espada e começamos a lutar.

   Consegui dar um golpe no ombro esquerdo dela logo de início, depois ela deu uma rasteira que me fez cair no chão, mas rapidamente me levantei e tentei dar outro golpe no ombro esquerdo dela. Investíamos em ataques nos braços uma da outra. Depois de certo tempo consegui derruba-la no chão e apontar minha espada para a garganta dela. Ela fez um sinal que mostrava que se rendia e ajudei-a se levantar.

   Despedi-me da Aly antes de seguir para o meu chalé para tomar um banho. Quando entrei dentro do box escutei um barulho vindo de dentro do chalé.

   -Alice, é você? – Gritei de dentro do banheiro me assustando um pouco.

   -Não, tente novamente princesa. – Era Eric do chalé de Apolo, o garoto que havia me beijado mais cedo...

   -Eu estou no banho, por favor, pode se retirar?! –Perguntei nervosamente.

   Depois disso não escutei mais nada, então concluí que ele tivesse ido embora, me enganei... uns cinco minutos depois ele entrou no banheiro completamente nú e trancou a porta atrás de sí.  

   -Eric... o... que você está fazendo? – Perguntei extremamente nervosa, desligando o chuveiro e me cobrindo com a toalha.

   -O que você acha?!

   Eu ia começar a gritar, mas ele foi mais rápido e me beijou, invadiu minha boca com sua língua e me imprensou na parede. Tentei me debater para fugir, mas ele era mais forte que eu. Tentei chuta-lo, mas em vão, pois ele aguentou muito bem. Ele me pegou no colo, destrancou o banheiro e me tacou na minha cama.

   Ele pegou algemas e prendeu meus braços e pernas, me impedindo de me debater e botou um pano em minha boca impedindo-me de gritar. Ele começou a dar chupões no meu pescoço, descendo para os meus seios, foi fazendo um caminho de chupões até o que realmente interessava a ele.

   Ele começou a colocar dedos dentro de mim, estava doendo, e muito. Aquela sensação estava sendo horrível. Ele colocou quatro dedos dentro de mim e depois entrou com seu membro em mim com tudo.

   Ele tirou o pano da minha boca só para me ouvir chorar. Tentei gritar, mas não consegui, estava me sentindo fraca de tanta dor, lagrimas desciam sem parar pelo meu rosto, a dor era insuportável. Ele tirou seu membro completamente rígido de dentro de mim e colocou em minha boca.

   -Me chupa todo sua puta.

   Ele estava fazendo movimentos de vai e vem dentro da minha boca, eu estava quase engasgando com isso. Não parava de chorar.

   -Ahhh eu vou gozar...-Ele disse e pouco depois senti um líquido quente invadir minha boca e escorrer pelo meu pescoço, ele retirou o membro dele da minha boca e voltou a colocá-lo dentro de mim, ele ainda queria mais...

   Eu estava muito fraca, estava quase desmaiando, mas antes disso acontecer eu escutei alguém arrombando a porta. Estava com muita dor, me sentia muito fraca, mas consegui murmurar um “me ajuda” antes de apagar e entrar numa escuridão sem fim.

                                                             


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Digam o que acharam, sua opinião é muito importante para o crescimento da fic.
Desculpem pelo estupro ;-;
A ideia veio e só foi...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...