História Gêmeos - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Gêmeos, Horror, Incesto, Sobrenatural, Yaoi
Visualizações 8
Palavras 726
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Canibalismo, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Começo me desculpando pelo Cap anterior. Perdão! Foi curto e chato, mas eu precisava dele na história. Vocês me desculpão por isso?

Capítulo 8 - 08



  Yukine não tinha tido coragem para falar com seu irmão sobre o que havia visto na última sexta, durante todo o fim de semana. E agora encontrava-se ali, ignorando as explicações do professor enquanto olhava o distante céu nublado daquela segunda.

  É claro que Yuki notou o quanto seu irmão estava estranho nos últimos dias. Estava distante, destraido, pensando demais e estranhamente desanimado. Até cogitou que ele por esse ter se interessado por alguém, mas não seria esse o tipo de reação que ele teria caso houvesse acontecido. E ele saberia se o outro se apaixonasse no mesmo momento em que acontecesse e certamente não era isso.

  Durante o intervalo daquele dia Yukine ignorou completamente a garota que falara com seu irmão na sexta. Praticou apenas as normas padrões de educação que lhe foram ensinadas desde a infância e com uma surpreendente frieza.

  Porém aquela forma distante que o mais velho estava agindo era incômoda para Yuki que odiava sentir qualquer distância entre eles. Que por isso pediu para conversarem ao fim das aulas.



        *******************************




  -Yukine por que está tão estranho desde o fim das aulas da semana anterior?- perguntou o mais novo sendo direto.

  - Estou? Deve ser engano seu- respondeu tentando parecer indiferente enquanto observava o céu do mesmo modo que fizera durante todo o dia.

  Apesar de está decidido a torna-se a pessoa mais importante para Yuki e conhecê-lo melhor que qualquer um. Yukine se sentia perdido sem saber no que poderia melhorar para alcançar seu objetivo.

  -Não adianta tentar disfarcar! Sei quando algo não está bem - disse o mais novo enquanto segurou o rosto do outro o forçando a encara-lo diretamente - você pode me contar, ou talvez prefira que eu descubra sozinho - completou olhando profundamente naquele par de olhos azuis.

  Aquele olhar único para Yukine sempre o fazia corar. Por alguma razão ele amava a forma íntima que só Yuki tinha de olhar-lo, como se o conhecesse melhor que ele mesmo. Mas também era horrível imaginar que um dia aquele olhar poderia pertencer a outro alguém, vê-se longe dele, vê-lo amar mais alguém, alguém que não era ele. Isso doia, doía profundamente como talvez nem a própria morte doesse.

  - eu já disse que não é nada Yuki - disse o mais velho tirando as mãos do outro de seu rosto e em seguida completou a frase em tom de deboche - por quê não vai ver a garota que estava na sexta? Vocês pareciam estarem se dando muito bem!

  Yukine ficou tão vermelho como um tomate ao dar se conta do que fizera e mal as palavras terminaram de sair de sua boca, ele também já estava completamente arrependido. Arrependido por três motivos. Primeiro que terminou por co rar o que o incomodava. Segundo, que não queria realmente ser deixado de lado pela compania da garota e terceiro. Agora estava óbvio o quanto enciumado havia ficado com a cena preseciada na sexta.

  Yuki achou graça nas atitudes de seu irmão. O mais velho sempre foi ciumento com tudo o que considerava seu. Mas ainda sim. Ele achara que ele estava interessado naquela garota? Que ela estava interessada nele? Que eles se deram bem? Como foi mesmo que a confissão para o cara errado se tornou aquilo mesmo? Questionou se o mais novo rindo baixo consigo mesmo do mau entendido.

  - Qual a graça? - indagou o outro irritado e confuso pelo outro está rindo, embora ainda vermelho pela vergonha.

  - o que você ouviu daquela conversa?

  - nada - respondeu Yukine um pouco timido - eu só vi uma parte e... - foi interrompido.

  - irmão, acha que tenho problemas mentais?

  - não - "pareceu", pensou o mais novo.

  -bem! Fiz parecer que sim para os psicólogos só para poder voltarmos a está juntos. Mesmo quando nossos pais ainda eram vivos você sempre foi o mais importante para mim, então esqueça aquele ser vivo que eu não gosto NADA dela! - disse enquanto puxava o outro pela cintura para um caloroso abraço seguido de um beijo.

  Uma forte alegria se fez presente no coração de Yukine, uma alegria que o fez esquecer dos sentimentos ruins dos últimos dias. E qualquer pergunta que ainda tivesse, já não lembrava mais, tudo estava nublado pela alegria e satisfação que aquelas palavras lhe trouxeram.

" naqueles braços nem ele era tão frio ".


Notas Finais


Obrigado por lerem e comentem o que acharam Duvidas, sugestão, críticas e etc...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...