História Geração Coca-cola - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aceitacao, Álcool, Amor, Blog, Brigas, Bts, Drama, Exo, K-pop, Lemom, Loucura, Melaine Martinez, Melanie Martinez, Ódio, Passado, Preconceito, Revelaçoes, Romance, Suspense, Toc, Yaoi
Exibições 15
Palavras 1.013
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Mecha, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Leia ouvindo: www.youtube.com/watch?v=4jRVaN520wM
Fica bem mais interessante. (Só acho)

Capítulo 5 - .


Fanfic / Fanfiction Geração Coca-cola - Capítulo 5 - .

Quinta feira, 05 de janeiro de 2013 - Diário de Alice Arnolds

A juventude é uma banda numa propaganda de refrigerantes.

 

Já teve a experiência de acordar ao anoitecer? Dá uma certa sensação de impotência não é mesmo? Como se você tivesse ficado parado no tempo e perdido várias coisas importantes que podiam ter acontecido com você, e te faz imaginar tudo o que aconteceu na sua ausência.

Alguém saltou de paraquedas, várias crianças ao redor do mundo nasceram. Algum casal se separou. Alguém comeu seu doce favorito. Seus amigos riram alguém que você conhece ou apenas viu na rua chorou... Algum adolescente decidiu que não aguentava mais morara na casa dos pais...

Tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo no mundo e você lá, parado, de olhos fechados. Não se sente frustrado ao pensar nisso? Quantas coisas você perdeu, quantas emoções você deixou de viver para estar dormindo.

Do mesmo jeito que perdemos um monte de coisas quando dormimos até mais tarde, existem pessoas que passam a vida toda dormindo dentro de sua rotina e perdendo a variedade de coisas que a vida tem para oferecer.

Nos dias de hoje, onde maquinas dominam o mundo. Te dizem o que vestir, comer ou o que fazer, tornam os seres de vida inteligente que habitam o nosso mundo, grandes workaholics e preguiçosos e mais preocupados com a quantidade de curtidas no instagram, é fácil agir mais como um cyborg do que como um ser humano. Talvez o ser humano sempre esteja procurando a forma mais fácil de fazer as coisas. Por exemplo, é bem mais fácil deitar na cama, acessar o youtube e ver pessoas se divertindo  fazendo uma trilha  por uma floresta do que juntar uma galera e fazer isso.

Quando era pequena, eu odiava dormir até tarde, por que eu sempre gostei de aproveitar o presente ao máximo. Era tão frustrante não poder sair e brincar com meus amigos, isso significava que um dia, vinte e quatro horas, sei-lá-quantos minutos haviam se passado e o meu corpo havia ficado improdutível.

Eu não tinha tempo a perder dormindo demais, precisava sair, explorar o meu bairro, fazer novos amigos, inventar brincadeiras, comer doces e até mesmo aquelas verduras que eu não gostava no almoço. Antes de dormir? Oh não, eu não queria perder tempo jogando no computador ou qualquer outra bobagem do tipo, eu tinha meu amigo noturno, meu querido diário, onde eu contava tudo o que eu gostava e tudo o que me incomodava.  E meu maior desafio? Alcançar o espelho do banheiro para tentar me ver depois de usar toda a maquiagem que encontrei no quarto da minha mãe.

Se você tem mais de 18 anos, sabe que, quando éramos crianças nossa maior diversão era real, podia ser sentida e era bem mais emocionante. Nossa única preocupação “não real” era se atrasar para assistir aos desenhos vespertinos.  E quantos deles não já nos ensinaram lições incríveis, como valor da amizade, da família e de nós mesmos, nos preparando para sermos adultos de boa índole e com história para contar as próximas gerações que viriam.

Para onde foram todas essas coisas hoje? 

Talvez eu esteja sendo meio melancólica por que acordei ao anoitecer, e pensei em todo o tempo que perdi, quando poderia estar aproveitando toda emoção real que a minha geração me oferece. Por que eu passei a noite toda vendo vídeos na internet, assistindo outras pessoas fazendo as coisas que eu queria fazer, as emoções que eu queria experimentar, à vida que eu queria viver... E agora é de noite, e eu não posso fazer nada para voltar no tempo.

Saber que é tarde demais para fazer qualquer coisa é sentimento angustiante, já perceberam? Como se mundo estivesse te convocando para sair e recuperar o tempo perdido que não pode voltar. Mas é exatamente isso, o tempo não pode voltar, e infelizmente as coisas que você perdeu, bem, é isso. Você perdeu.

E comecei a pensar que talvez eu estivesse dormindo desde que tinha quatorze anos de idade, e tive o meu primeiro ciclo menstrual, e percebi ali, que eu não podia mais agir como uma criança que fui. Meu espírito aventureiro estava dormindo, e isso estava me sufocando.

Confesso que abandonar tudo isso foi difícil para mim. Mas foi necessário. Mudanças são necessárias para que não adormeçamos e deixemos de viver o presente. Por que querendo ou não, tempo passa, e ele não é piedoso com ninguém, ele não espera você cair na real e decidir o que quer. Se você não acompanha-lo, ficará para trás com seus sonhos, e quando alguém vive no passado, o presente se torna difícil de aceitar e o futuro fica praticamente impossível de ser agradável. As revistas, as revoltas, as conquistas da juventude, são heranças, são motivos para as mudanças de atitude, os discos, as danças os riscos da juventude, a cara limpa, a roupa suja esperando que o tempo mude... E é uma escolha nossa, continuar dormindo ou acordar e fazer alguma coisa.

E eu decidi que quero ficar acordada, experimentar vários sabores de sorvete e doces, com várias pessoas, fazer o que vejo nos vídeos que gosto. Quero estar do outro lado da tela, inspirando pessoas a ficarem acordados e aproveitar tudo isso comigo.

Quero bem mais da vida que uma pequena tela que me diz tudo o que fazer e não me desafia a dar o meu melhor.

E no meio dessa minha crise existencial, gostei de pensar que ainda tenho tempo de ser livre, ainda tenho tempo para mudar. Por que esperar, se podemos começar tudo de novo!

 

“A humanidade é desumana, mas ainda temos chance.

O sol nasce para todos

Só não sabe quem não quer.”

 

 

Uau! A Alice é tão filosófica!

Gostaria de ter a mesma criatividade que ela

 para escrever coisas assim

nos meus diários. >.>

 

 

Bom, o capitulo de hoje foi bem curtinho, eu sei.

Mas eu achei importante mostrar de onde a ideia da Alice de fazer um blog surgiu.

To com umas ideias bem legais para o futuro dessa fic, espero que vocês gostem! ^.^



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...