História Gerard Way, Student Teacher - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~MarieOGrace

Postado
Categorias My Chemical Romance
Personagens Frank Iero, Gerard Way
Tags Frerard
Exibições 70
Palavras 1.534
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oláááá
Era pra sair um bônus ontem, mas se eu soltasse o bônus, não teria capítulo hoje alsdkasld
Digamos que o próximo é meio longo, então talvez, só talvez, eu me atrase um pouco (espero que não).
Obrigada pelos comentários no capítulo anterior ♥

Capítulo 12 - Capítulo Nove - Parte 2


         Frank tocou sua guitarra para Gerard depois do jantar, e provavelmente foi uma das coisas mais estressantes que ele já fez. Não que Gerard fosse estressante ou coisa assim, mas ele estava tão desesperado pela aprovação de Gerard, que definitivamente afetou o seu desempenho.

         Ele ficou mais confortável com o passar do tempo, vendo que tudo o que Gerard fazia era sorrir para ele. Mas tudo se dissipou quando Gerard começou a cantar, sua voz fez os dedos de Frank pararem em choque.

         “Qual o problema?” Gerard riu, levantando uma sobrancelha para Frank.

         “Sua voz- puta merda.” Ele ofegou, colocando sua guitarra ao lado deles para sentar-se perto de Gerard na cama. “Você pode cantar um pouco mais?”

         “Sem a guitarra?”

         Frank concordou com a cabeça, ele não queria ouvir a guitarra, tudo o que queria ouvir era a voz de Gerard.

         Depois de alguns minutos de dúvida, Gerard encolheu seus ombros, respirando fundo antes de finalizar a música que Frank tocava antes. Ele estava hipnotizado pela sua voz, ou talvez pelo jeito com que sua boca se movia, tudo aquilo acabava com Frank.

         “Wow.” Frank expirou assim que Gerard terminou. “Isso foi- isso foi incrível.”

         “Você não tem que mentir para fazer com que eu me sinta bem.” Gerard riu, suas bochechas se avermelharam.

         “Eu não acho que eu tenha sido mais honesto sobre qualquer outra coisa na minha vida inteira.”

         “Oh.” Gerard corou violentamente então, fazendo Frank sorrir. “Obrigado, eu gosto de cantar.”

         “Eu gosto de você cantando também.” Frank suspirou, caindo novamente em sua cama. “Você soa como a porra de um anjo.”

         “Cala a boca.” Gerard murmurou, caindo ao lado dele. “Eu sou, no máximo, mais ou menos.”

         Frank apenas revirou seus olhos, sabendo que seria sem sentido discutir com Gerard, porque não importava o que ele pensava, pois Frank sabia que ele tinha uma voz de anjo.

         Eles não falaram depois disso, apenas ficaram embalados pelo silêncio, apreciando a companhia um do outro.

         Frank realmente gostava de momentos como aquele, momentos onde ele podia fingir que não tinha nada de errado no mundo, momentos onde ele podia fingir que era só ele e Gerard. Suas mãos estavam se tocando, apenas os lados, mas Frank ansiou tanto por mover sua mão só um pouco, para que pudesse segurar a de Gerard.

         “Eu estou assustado.” Gerard sussurrou de repente, sua voz falhando um pouco. “Assustado para caralho.”

         Frank segurou sua mão então, o medo que ele tinha antes desaparecendo e dando lugar a necessidade de confortar Gerard.

         “Vai ficar tudo bem.” Frank sussurrou de volta, seus batimentos aumentando ainda mais quando Gerard virou sua mão para que pudesse também segurar a de Frank. “Não importa o que aconteça... vai ficar tudo bem.”

         Gerard soltou um suspiro falhado antes de virar para seu lado, seus olhos tristes e nervosos encontrando os de Frank enquanto ele se virava também.

         “Você é uma pessoa incrível.” Ele suspirou novamente e era claro que ele lutava contra as lágrimas. “Obrigado.” Ele estava acariciando as costas da mão de Frank com seu polegar, e Frank poderia dizer com honestidade que nunca esteve tão contente antes em toda a sua vida.

         Isso foi até que as lágrimas começaram a escorregar dos olhos de Gerard, então sua felicidade se distorceu em preocupação.

         “Hey...” Frank falou suavemente, sua mão livre limpando algumas das lágrimas. “Posso ajudar?”

         Ele soluçou e mordeu seu lábio inferior, que Frank notou ser um hábito de quando estava nervoso.

         “Você pode me abraçar?”

         “Por quanto tempo precisar.” Frank acenou positivamente, levantando seu braço e convidando Gerard para se aproximar, o que ele fez quase imediatamente.

         Frank não sabia sobre a história por trás de Gerard e Bert, ele sabia que tinha algo a ver com o fato de Bert ser viciado em bebidas e drogas, mas isso era tudo o que sabia.

         De qualquer modo, estava matando Gerard. Frank conseguia ver em seu rosto sempre que o tópico era mencionado, parecia que a luz por trás de seus olhos estava enfraquecendo.

         “Quer falar sobre isso?” Frank sussurrou, massageando lentamente as costas de Gerard. “Sobre o que aconteceu?”

         Primeiramente, Gerard não respondeu, ele apenas agarrou Frank com mais força. Ele nunca falou sobre o assunto antes, mas por alguma razão, ele queria falar com Frank sobre aquilo.

         “Eu o amei.” Ele soluçou, escondendo a cabeça no peito de Frank. “Mas ele amava as drogas.”

         Frank não podia nem imaginar a dor que aquilo devia ter causado, amar alguém que preferia substâncias a você.

         “Isso estava bem no começo...” Gerard continuou baixinho. “Porque eu também amava as drogas...”

         “O que?” Frank se sobressaltou, a pergunta escapando de seus lábios antes que ele pudesse controlar.

         “Por favor, não suje minha imagem para você.” Gerard choramingou, agarrando Frank pela cintura. “Você é o melhor amigo que eu tenho... eu não posso perder você.”

         “Eu não sujei sua imagem.” Frank assegurou, tentado a beijar o topo de sua cabeça. “É só um pouco chocante, mas não estou te julgando, eu juro.”

         Gerard soluçou e concordou, afrouxando um pouco suas mãos em Frank, agora que sabia que ele não ia desaparecer depois da confissão.

         “E-Eu queria ter um futuro... eu queria ser um professor, então eu parei... ele não gostou disso. Ele não gostou que parei de sair com ele, então começou a sair com outras pessoas.”

         Frank realmente esperava que aquilo não significava o que ele pensava, mas sabia que era seguro afirmar que Bert traiu Gerard.

         “E-Eu queria ajudá-lo a parar também, sabe? Eu aguentei toda essa merda pensando que se eu conseguisse, eu poderia ser capaz de ajudá-lo.”

         “Oh, Gerard...” Frank sussurrou, ouvindo a dor em suas palavras. “Eu não posso nem imaginar… lamento muito que tenha passado por isso.”

         “Eu não estou mais triste por causa disso.” Gerard tentou soar confiante, mas Frank sabia que suas palavras não eram tão verdadeiras. “Eu não sinto mais nada por ele, eu não me arrependo de partir... eu só queria que ele me deixasse em paz, quero que ele respeite que estamos acabados.”

         Frank sabia que não tinha o que dizer para Gerard, então ele simplesmente o trouxe para mais perto, deixando ele saber que Frank estava lá para ele. E antes de perceber o que fazia, depositou um beijo sobre a cabeça de Gerard. Ele não reagiu de forma negativa, na verdade, ele pareceu relaxar depois que o garoto o fez.

         Ele já tinha terminado sua história. Era um sentimento estranho para ele e conseguiu abrir o jogo para Frank – um garoto que ele conhecia há apenas uns dois meses – sobre um fato que não conseguiu contar nem para seu psicólogo.

         “Vamos nos arrumar para dormir.” Frank sugeriu suavemente, afastando a cabeça para olhar para Gerard. “Eu sei que você não quer dormir nas roupas do trabalho.”

         “Okay.” Gerard suspirou baixo, mas ele não havia se afastado ainda.

         “Eu te abraçarei novamente quando estivermos de pijama.” Frank riu baixinho, seu estômago enchendo-se de borboletas quando percebeu que Gerard não queria soltá-lo.

         “Promete?”

         “Eu prometo.”

         Gerard, ainda hesitante, se afastou, piscando os olhos cansados enquanto olhava para Frank. Ele não queria se mover ainda, então, gentilmente, Frank pegou sua mão e o puxou para fora da cama e até a sua mochila.

         Depois de um ver o outro em apenas uma toalha, eles pensaram que era bobo se trocar em quartos diferentes, então, em vez disso, ele apenas se trocavam no quarto de Frank.

         Frank apenas olhou para Gerard enquanto se trocava para ter certeza que ele estava bem, e assim que viu que ele realmente estava, voltou seu olhar para outro lugar. Ele queria espiá-lo por outras razões, mas recuou.

         Eles foram para o banheiro para escovar os dentes, e Gerard parecia estar com um humor melhor, especialmente depois de brincarem e fazerem piadas idiotas.

         Frank acidentalmente engasgou com a sua escova de dente e Gerard explodiu em risadinhas baixas.

         “O que é tão engraçado?” Frank murmurou, sua boca cheia de pasta de dente.

         Gerard riu mais um pouco antes de cuspir na pia.

         “Você tem que praticar isso se for ficar com algum garoto.” Ele deu outra risadinha, que logo se formou em uma risada quase escandalosa quando notou as bochechas vermelhas de Frank.

         “Eu-Que porra é essa, Gerard?” Ele riu também, balançando a cabeça antes de cuspir na pia, assim como Gerard. “Eu vou praticar.”

         “No que?”

         Você.

         “Eu não sei, uma banana ou alguma merda assim.”

         “Me fala como isso funcionou para você.” Gerard riu, limpando sua boca e seguindo Frank até o seu quarto. “Um pau é muito diferente de uma banana.”

         “Bom, merda.” Frank suspirou, pulando na cama. “Eu acho que eu só vou passar vergonha para caralho então.”

         “Ou apenas achar alguém com pau pequeno.” Gerard argumentou, rindo quando Frank jogou o travesseiro nele. “Estou brincando, isso não é engraçado.”

         “Eu lembro quando você tinha medo de dizer ‘caralho’ na minha frente, agora, veja só, estamos falando sobre boquetes.”

         “As coisas mudam.” Gerard encolheu os ombros, subindo na cama com Frank e olhando para ele com expectativa.

         “Eu prometi.” Frank abriu os braços e Gerard sorriu antes de se mover contra ele.

         "Talvez eu não tenha um pesadelo essa noite.”

         E ele não teve.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, adoraria comentários ♥
Adorei esse capítulo, simplesmente porque Frank foi um amor de pessoa e Gerard colocou tudo pra fora.
Beijão e até sexta (eu espero, rs) ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...