História Get away, I'm toxic. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Suga
Tags Sugakook, Sugakookie, Yoonkook
Visualizações 139
Palavras 1.366
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi :)

Agradeçam a BigHit e ao BTS por isso. Vocês viram os pôsteres, certo? Então sabem do que eu tô falando kkk assim que saiu o poster do Jungkook, eu pensei em fazer uma fanfic sobre isso, só estava esperando a BigHit postar o do Yoongi pra ver se dava pra encaixar uma história. E não é que deu mesmo kkakmkk

Vocês estão bem, sim? Um poster por hora foi demais para a minha sanidade. Não sei como eu ainda tô viva, sério, cada foto que a BigHit postava, eu sentia uma parte da minha vida indo embora kkk mas enfim, vão ler agora.

Capítulo 1 - Sinto muito.


Fanfic / Fanfiction Get away, I'm toxic. - Capítulo 1 - Sinto muito.

 

 

O hospital estava em completo silêncio, típico desses lugares mesmo, mas parecia que hoje as pessoas reconheciam a minha dor e decidiram dar uma trégua. Decidiram me deixar pensar melhor e me culpar mais ainda pelo ocorrido.

O sol já estava se pondo e eu estava naquele local desde a noite do dia anterior. O que eu estava esperando? Simples, o meu namorado — mais para ex — sair daquela sala de cirurgia e eu poder visitar ele, ou saber, pelo menos, como ele estar, se o mesmo não quiser me ver.

Eu e o Jungkook estávamos sempre discutindo, às vezes por besteiras e outras não. Eu sempre soube que não era o melhor cara para ele, eu era cheio de problemas e que só trazia desgraças para a vida de quem se aproximasse de mim. E com ele não foi diferente.

Jungkook não ligou para os meus problemas, para os meus vícios e muito menos para os meus ciúmes exagerados. Ele ficou ao meu lado em todos os momentos da minha vida desde que nos conhecemos, sempre me dando força e me ajudando a superar as merdas que me rondavam.

Mas daquela vez foi um pouco diferente.

Nós tinhamos reunido nossos amigos lá em casa, iríamos beber um pouco, assistir filme e passar vergonha na frente dos outros, porque é só isso que sabemos fazer. Mas eu fiquei muito puto por uma situação que eu, infelizmente, presenciei. Já citei que eu sou ciumento, mas nunca sofri desse mal com os meus amigos, só que as coisas passaram do limite dessa vez.

Era muito nítido que o Jimin estava dando em cima do Jungkook e o idiota nem para afastar ele. O moreno sempre deixava o mais baixo o abraçar e beijar a sua bochecha e tudo bem que eles são amigos e já faziam essas coisas, mas não foi só eu que notei as segundas intenções naquele ato.

Eu voltei a beber e me desliguei totalmente do que estava acontecendo naquela casa, deixei Jungkook bem avontade, não queria brigar na frente de todo mundo. Mas se as coisas já estavam ruins, só piorou quando o Jimin tentou beijar o Jungkook. Repito, Jimin tentou beijar o meu namorado. Lógico que eu fui pra cima dele e foi a maior confusão.

Depois que os outros meninos levaram o mais baixo embora, restou apenas eu e o meu namorado. A discussão foi muito feia, eu estava puto e com razão, mas o Jungkook tentou justificar as coisas, falando sobre a embriaguez do outro. Claro que eu sabia que ele estava bêbado, mas os meninos também estavam e ninguém tentou me agarrar.

O fato é que eu bati no Jungkook, ele me bateu, quebramos a maioria das coisas que tínhamos naquela casa. Eu nunca tinha encostado um dedo sequer no mais alto, eu devia a minha alegria a ele e não tinha porque eu machucar a pessoa mais importante para mim, mas ver que ele estava defendendo alguém que estava errado ao invés de defender a mim, o seu namorado, me deixou muito puto.

Eu mandei ele ir embora da minha casa e ele foi.

Menos de três horas depois que ele saiu, eu já estava pronto para encher a minha cara de bebidas mais uma vez, o meu telefone toca e quando atendo o aparelho, era o hospital me falando que Jungkook tinha sofrido um acidente e que eu precisava correr para a emergência o mais rápido possível. E foi justamente o que eu fiz.

Estou nessa droga de hospital há mais de doze horas, apenas esperando notícias do mais alto.

— Parentes de Jeon Jungkook? — o médico responsável pela cirurgia do meu namorado apareceu na sala de espera e eu levantei apressado.

— Aqui! - falei. — como ele está?

— Bom, a batida foi forte e nós tentamos de tudo para ele sair perfeito daquela sala de cirurgia. — meu coração apertou pelas palavras.

— O que o senhor está querendo dizer com isso? Ele está vivo?

— Sim, ele sobreviveu, mas ficou com sequelas. — o doutor me olhou triste e colocou a mão no meu ombro como se quisesse me passar conforto. — o Jungkook perdeu os movimentos da perna.

— O que? — minha voz saiu tão baixa e falha que eu até pensei que o doutor não tinha me escutado.

— Você tem que ser forte por ele, eu não sei a relação dos dois, mas devem ser próximos, já que ele nem exitou em nós falar o seu telefone. — o doutor me direcionou um pequeno sorriso. — ele quer ver você.

Eu fiquei estancado no lugar, não sabia se estava preparado para o olhar. O doutor vendo o meu estado e percebendo que eu não ia mover um músculo, colocou as mãos nos meus ombros e me levou até o quarto onde o Jungkook estava.

O médico apenas me mandou ter calma e pediu para eu entrar. E eu fiz. Bati na porta apenas para avisar que alguém estava ali e adentrei o quarto.

Jungkook estava meio sentado na cama, com os olhos fechados e tinha uma expressão calma. Eu me permiti observar aquele ser que eu tanto amava, mas que também tanto fiz mal.

Saber que ele não vai mais andar, terá que ficar dependente de uma cadeira de rodas, logo ele que sempre amou esporte, mas mais uma vez a vida me mostrou que eu sou um merda e que destruo tudo que toco.

Não me sinto errado em ter brigado com ele por causa do Jimin, me sinto culpado por ter mandado ele ir embora. Por ter falado que ele era uma puta e que dava corda para todo mundo. Por ter dito que eu estava com ele apenas por comodismo e por ter transa fixa. Eu falei tanta porcaria para ele que eu juro que pude ver a raiva misturada com desgosto naqueles olhinhos escuros que eu tanto amo.

— Yoongi? — fui desperto pela voz do meu amado me chamando. Ele parecia estar fraco e isso só me matou um pouco mais. — por favor, vem aqui. — ele abriu os braços e eu não pensei duas vezes antes de me encaixar naquele abraço.

— Me desculpa, Jungkook. Por tudo que há de mais sagrado, me desculpa por ter feito isso com você. — meu rosto já estava banhado em lágrimas e minha voz totalmente embargada.

— Não foi culpa sua, meu bem. Não se culpe por isso.

— Eu não te mereço, Jungkook. Eu nunca fui bom para você como você é para mim. Eu sou estúpido, eu já te quebrei mais vezes do que eu posso contar. — o encarei e vi os olhinhos dele cheios de lágrimas. — você tem que se afastar de mim, eu vou te destruir mais ainda.

— O quê? Claro que eu não vou te deixar!

— Eu não estou pedindo para você fazer isso, Jungkook, eu estou mandando. — falei com uma voz autoritária. — você é muito precioso para mim, eu te amo mais do que qualquer coisa e é justamente por isso que eu quero te ver longe de mim. Eu sou tóxico.

— Você não pode fazer isso comigo, Yoongi! — falou e começou a chorar na mesma hora. — não agora que eu preciso de você, agora que eu estou debilitado e mais frágil. Eu não estou te pedindo nada demais, eu só quero que você me ame mais do que já me ama. — tentou me tocar, mas eu o afastei.

— Você não pode chegar mais perto de mim, será infeliz se o fizer.

— Eu sigo o que o meu coração manda, Yoongi, e ele está mandando eu ficar com você. — soluçou. — por favor, não me deixa.

— Eu sinto muito, Jungkook. — dei um pequeno selar nos lábios do outro e me afastei. — espero que você entenda o porquê de eu estar fazendo isso.

— Por favor, não vai. — soluçou alto. 

Caminhei a passos pesados até a porta do quarto e evitei a todo custo olhar para trás. Sabia que se fizesse, eu jamais sairia daquele quarto. Mas ele merecia alguém melhor que um drogado ciumento e foi por isso que eu abri aquela porta e me retirei daquele quarto. Mas antes de eu sair completamente daquele local, escutei mais uma vez a voz do ser que estava na cama.

— Eu vou te amar para sempre, Yoongi-ah.


Notas Finais


Me desculpem pelos erros e se não gostarem. Eu fiquei empolgada pra escrever isso, mas não saiu exatamente como eu queria :( mas pelo menos eu tentei e acho que ficou mais ou menos. Se vocês viram as traduções do que tava escrito nos pôsteres, vão entender as referências. E o MV de Run também, pq aquele MV é uma obra de arte que escapou do museu kkkk

Fiquem avontade pra me contar o que acharam, se quiserem, claro kkk até a próxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...