História GFs - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bumbum, Bunda, Garota, Garotas, Mulher, Mulheres, Orange, Popozuda, Shoujo-ai, Yuri
Exibições 31
Palavras 670
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Orange, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


ATENÇÃO: GFs é uma estória ecchi de humor e sensualidade cujas exposições e situações entre duas (ou mais) garotas são completamente fantasiosas com fins fetichistas. A estória não tem a intenção de representar fielmente o drama e realismo dessas relações.

Capítulo 4 - Sala de paquera


Naquele dia, Jacky admitiu. Estava interessada em garotas. Pudera! Foi a semana inteira paquerando mulheres. Qualquer lugar que ia, fila do banco, supermercado, restaurante, lanchonete, academia, clube, acabava vendo alguma garota que fazia seu coração disparar e sua calcinha encharcar. A princípio, reagiu com confusão e negação. Mas aos poucos, foi aceitando. Até que decidiu. “É isso, eu quero e vou!” No lugar mais inusitado possível, a sala de espera de uma clínica de estética.

Sempre muito vaidosa, Jacky vai frequentemente à esteticista, lugar em que é comum encontrar outras mulheres bonitas e preocupadas com a imagem. Contraditoriamente, Jacky nunca deu muita bola para elas, julgava o livro pela capa: “Se preocupam demais com o exterior, mas nenhuma se preocupa com o interior”, era a crítica que costumava fazer. Naquele dia, as coisas foram um pouco diferentes.

Jacky esperava sua vez, sentada no sofá, lendo um livro de microeconomia para o mestrado quando se distraiu com uma garota que tinha ido ao balcão. Jacky abaixou um pouco o livro e deu de cara com uma mulher de cabelos lisos, até o começo das costas, mas presos em um rabo de cavalo, quase tão loiros quanto os seus. Olhos castanhos e sobrancelhas bem pretas. Aparentava ter uma altura próxima à sua e fazia o gênero sarada, coxas torneadas, bunda empinada e firme, menor que a sua. Jacky compara essas coisas. Enfim, uma mulher bonita. A loira misteriosa vestia um macacão de academia colorido, até a metade da coxa, sem mangas, costas nuas e tão enfiado entre as nádegas que ela ou estava sem calcinha ou estava com uma calcinha muito pequena. Era bem o estilo que ela mesma, Jacky, sempre se vestiu.

Depois de alguns minutos, ainda falando com a balconista, a loira olhou para trás e seu olhar encontrou o de Jacky. Jacky corou, mas não abaixou nem desviou o olhar. Ela estava acostumada a ser observada por mulheres, exatamente como estava fazendo naquele momento, sabia que não ia ter como disfarçar, a garota já tinha sacado o que estava rolando.

De repente, para a sua surpresa, a loira finalizou a conversa com a balconista e veio andando em sua direção. Jacky ficou ansiosa.

— Oi, tudo bem? — A loira falou, sentando ao seu lado. — Como você se chama?

Jacky respirou fundo. Estava tensa, como na primeira vez que um carinha por quem se interessou veio falar com ela na adolescência.

— Jackeline… pode me chamar de Jacky. E você? — Respondeu.

— Patrícia. Pode me chamar de Paty. — Ela abriu um sorriso simpático, colocando uma mão no joelho de Jacky, que estava com as pernas cruzadas.

Patrícia Vasilini… Jacky já tinha ouvido falar nela. Malham na mesma academia, mas em horários diferentes.

— Jacky, posso te perguntar uma coisa meio indiscreta?

Jacky travou.

— Pode, claro.

— Que batom é esse que está usando?

Jacky usava um batom cor-de-rosa claro, com gloss. Um protótipo de sua própria marca, de uma empresa que estava abrindo.

— Você gostou?

— Adorei. Sua boca fica chamativa com ela, chega dá água na boca!

Quem ficou com água na boca foi Jacky ao ouvir essas palavras.

— Olha, na verdade é fabricação própria, de uma marca que estou colocando com uma sócia. Olha… me dá seu contato? Adoraria que você experimentasse. — Pediu.

— Claro…

Na hora, Paty passou o telefone e as duas se adicionaram no Whatsapp.

— Adoraria conversar melhor contigo, mas estou atrasada. — Paty disse, guardando o telefone. — Fala comigo depois, vamos combinar alguma coisa.

— Vamos sim! — Jacky abriu um sorriso.

De repente, Paty pôs a mão em seu rosto, se aproximou e deu um beijo. O beijo era pra ser na bochecha, mas pegou ali, bem no cantinho da boca. A famosa “trave da boca”.

— Adorei te conhecer! Vamos marcar que eu quero meu batom! — Disse Paty, se levantando.

Jacky olhou para os lados. A sala de espera estava vazia e a recepcionista estava concentrada na TV, não viu o clima que tinha acabado de esquentar ali.

Toda arrepiada, Jacky se levantou e foi pegar um copo d’água. Precisou aliviar o calor.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...