História Ghost - [XiuChen] - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Cute, Exo, Gay, Romance, Sobrenatural, Xiuchen
Visualizações 174
Palavras 862
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Lemon, Mistério, Shonen-Ai, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - 22


Aproveitei que era sábado e meu pai ainda não havia chegado do trabalho que explora o coitado até nesse dia, e voltei lá no casarão.

Eu tava com preguiça de ir, mas o MinSeok insistiu tanto, quer dizer, nem tanto, pois no primeiro bico que meu fantasminha fez, já cedi logo.

Como da outra vez, deixei a porta da cozinha aberta para qualquer eventualidade que precise de escape. Voltamos até seu quarto e devolvi o envelope lá, com exceção de uma das cartas, pois vou usá-la para que ele me acompanhe sempre e quando ele quiser, para onde quer que eu vá.

Aproveitei para explorar o local, começando pelo guarda-roupa super antigo dele.

Eu fui mais esperto essa vez e trouxe comigo mais de uma lanterna. As acendi e as coloquei em pontos estratégicos do quarto para ficar todo iluminado.

Abri o guarda-roupa e vi que todas as suas roupas ainda estavam ali. Até mesmo seus cuecões que eu ri ao ver o quanto ridículas eram aquelas peças íntimas. Nunca agradeci tanto pelas minhas boxers lindas e maravilhosas.
Tomei a liberdade de mexer em suas roupas tirando-as de lá. Como a porta sempre estivera fechada, as roupas estavam sem qualquer resquício de poeira. E como eram feitas de bom material, estavam conservadas.

_ "Prová-as. Elas servem em você. "

Hesitei por um momento, porque o MinSeok é um pouquinho menor que eu. Mais só um pouquinho. Mas cedi a curiosidade. Então.. Porquê não? Se não servir eu só tiro ouras.

Ele escolheu o conjunto que ele mais usava. Tirei minha roupa ali, não me importava mais com o fato de ele me ver ou não despido ou semi despido.

Até um cuecão eu vesti. Por cima da minha boxer claro. Não queria me arriscar com ácaros, vai que tenham fixado residência ali.

Ele ria de mim enquanto me vestia. Eu estava desengonçado. Era meio difícil se vestir num quarto com a luminosidade péssima.

Vesti uma camisa branca e lisa de mangas longas e babados que traçavam caminho para as casas dos botões e uma gravata borboleta verde folha. Um calção marrom escuro que ficou um palmo e meio acima do meu joelho e seu estimado suspensório. Esse era marrom e branco. Ele amava usar suspensórios. Tinha uma gaveta cheia deles.

Calcei um  par de meias junto a seu par favorito de botas que era marrom claro e o cano só chegava a cobrir o tornozelo.

Fiquei em pé e ergui os braços dizendo " tcharam! " e ele sorriu e aplaudiu.

_"Você ficou lindo nesse traje de época sabia? "- disse ainda aplaudindo.

_ "Fico lindo em qualquer roupa querido. Até nu fico lindo. "- eu falei brincando mas acho que ele levou a sério, porque ficou envergonhado. Se sangue corresse em si, com certeza ele estaria corado.

Corri para ir abraça-lo. E beijei sua bochecha. Segurei uma de suas mãos e o puxei alegando que eu queria explorar todo o casarão. Quando terminássemos de explorar, eu voltaria e trocaria de roupa.

Entramos em todos os quartos. Comi muita poeira e teia de aranhas, mas tudo bem. O que valeu foi matar a curiosidade. Subimos até no sótão que se eu não tivesse sido muito esperto, teria sido soterrado com tanta poeira que caiu no momento que puxei a porta do teto. Lá estavam várias coisas que eles tinham deixado de usar. Até os brinquedos estavam jogados em canto.

Ele pegou um cavalinho de madeira com rodas( também de madeira) na lateral das patas e com um cavaleiro montado e me deu.

_ "Isso é para você. Estou lhe dando de presente. Era meu brinquedo favorito quando eu era criança. "

_ "Porquê você tá me dando isso? "

_ "Você não quer meu presente? "

_ "Claro que eu quero, mas é que-"- ele me interrompe.

_ "Talvez um dia eu tenha que deixá-lo, então... Eu quero que se lembre de mim. "

Um nó se formou em minha garganta. Eu não queria nem imaginar essa possibilidade.

Não. Não. Não. Meu Kim MinSeok não irá me deixar. Não mesmo!

Pego o brinquedo e ponho minha mão baixo ao seu queixo e levanta seu rosto até seus olhos focarem os meus.

_"Olha pra mim. Eu juro que nunca vou deixar você ir. Você fez eu me apegar a você e você terá que arcar com a consequências de me aturar até o fim. E fique sabendo desde já: se você for, eu vou junto. Eu juro. "

Sem nem mesmo me dar conta do que eu estava fazendo, aproximei seu rosto até meu e colei meus lábios aos dele.

Senti seus lábios sem qualquer temperatura, porém macios e rocei aos meus e segui um movimento, depois outro e outro. E ele acompanhou sem se afastar. Me cheguei mais em si e passei os braços em sua cintura e ele os braços sobre meus ombros.

Estávamos extasiados com tal ato. Estava tão bom que pedi aos céus para dar mais fôlego ao meus pulmões para não precisar separar nossos lábios. Mas os céus me odeiam e mandou um barulho de grito vindo lá de baixo que nos fez afastar-nos e nos assustar.

 

 

_______________________________________


Notas Finais


Quase q eu não ia atualizar hj
Mas eu gosto tanto de vcs q aqui tá esse cap q é um dos meus favs :'3

Comentem

Até o próximo cap

Yori


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...