História Ghost - [XiuChen] - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Cute, Exo, Gay, Romance, Sobrenatural, Xiuchen
Visualizações 394
Palavras 1.010
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Lemon, Mistério, Shonen-Ai, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 26 - 26


De pouco em pouco os garotos iam chegando. E cada qual com seu jeito único de lidar com o fato sobrenatural.

O pobre Chanyeol desmaiou três vezes. Lay até agora não quis se aproximar. O Kris suportou bem o impacto. KyungSoo partiu pro ceticismo mesmo tendo a prova nua e crua bem a sua frente. Sehun não emitiu surpresa alguma, apenas deu de ombros. Tao partiu pra perguntas. SuHo teve que tomar calmante pra não ter um tréco. Kai levou uma bofetada na cara pra poder se por no lugar. Já o professor Luhan... Esse partiu pro abraço.

Estávamos todos na sala. MinSeok já havia tirado minha camisa e posto a dele novamente, já que minha roupa não é fantasma e pra quem não o consegue ver, minha blusa e os acessórios de Baek, ficaram vestindo e adornando o nada, motivo pela qual Chanyeol desmaiou.

_"Ainda não acredito que temos um fantasma bem aqui a nossa frente! "- Luhan dizia todo empolgado.

_ "Está repreendido em nome de Jesus! "- Lay forçava seus olhos fechados e fazia o sinal do cruz.

_"Queria ser um fantasma. Parece ser legal. "- Kris comentou se acomodando no sofá.

_ "É só você se matar ou ser matado"- Lay recomendou em sarcasmo ao amigo.

_"Se diz assassinado, Lay. Não matado."- SuHo enfim decidiu abrir a boca.

_"Pensei que assombrações não usavam roupas. Já  que roupas não tem vida pra que morram e possam ter um fantasma de si. "

_"Bem observado Tao. Também prestei atenção nisso. "- KyungSoo que tomou a vez.

_"Tire sua roupa pra podermos ver ser você está inteiro senhor fantasma. "- Sehun falou e ganhou um tapa e uma bronca do professor. Motivo a qual todos rimos. Até mesmo meu fantasminha.

_"Só quero avisar, que por favor, evitem fazer barulho. Xiumin tem sua audição muito sensível. "- Baekhyun se pronunciou.

_"Xiumin? Ué, o nome dele não é MinSeok? "- Lay parecia confundido como sempre.

_"Sim Lay. Mas os amigos dele, da época, o apelidaram de Xiumin. Eu disse a Baekhyun que resolveu chama-lo assim. "- disse e me aproximei por trás de MinSeok agarrando-o em um abraço.

_"Pessoal, eu não consigo ficar visível pra vocês muito tempo. Isso exige muito esforço. Não se importam de eu ficar oculto novamente não é? "- ele diz e os meninos fazem expressão de descontentes, mas entendem a situação e concordam.

De repente começam a rir de mim e Tao diz que é a coisa mais estranha do mundo, me ver abraçado ao nada. Faço careta pra eles.

_"Ei! Eu não tô abraçado ao nada! Estou abraçado a Kim MinSeok! Não é Minnie? "- sorri pra ele e lhe depositei um beijo em sua bochecha e recebi como resposta um "sim" que tenho certeza que só eu ouvi meio a seu lindo sorriso.

Ah como eu adoro esse sorriso!

_"Só espero que tenha beijado a bochecha do fantasma. Se tiver beijado a boca dele, me suicído aqui e agora só pra ver vocês repetirem tal cena. "- Baek diz entre riso.

Mostro a língua para Baek que aumenta a gargalhada e Chanyeol joga uma almofada nele e faz gesto de silêncio. Ainda bem que eles entenderam o recado do "Por favor, não sejam barulhentos."

Passado um tempo, todos já haviam se acostumado com ideia de terem visto e estar presente com um fantasma. O Luhan, vou chama-lo assim, já que o mesmo insistiu muito, disse que seria mais fácil termos o fantasma do dito cujo assassinado por perto para facilitar a investigação.

Mesmo ele não se lembrando de nada do que aconteceu no dia do seu assassinato, há uma probabilidade de que ele se lembre de algo. É só encontrarmos o gatilho e apertá-lo, para que assim, sua memória seja encontrada.

Quando meu pai chegou, todos os meninos ainda estavam lá em casa, especificamente na sala. Sem barulhos, apenas em conversas civilizadas.

Ele olhou pra mim e disse que ficava feliz por eu ter feito amizades, mas uma festa dentro de casa ele não permitia. Mesmo eu dizendo que aquilo não era uma festa, ele expulsou meus amigos. Subi pro quarto chateado. Minnie como boa assombração que é, veio junto. Tranquei a porta e não respondia nada ao que meu pai falava do outro lado da porta, até que ele desistiu e se calou.

_"Você está com raiva do seu pai ChenChen? "- disse e se acomodou ao lado.

_"Tô. Ele não deveria ter feito aquilo. Eu não tava dando um festa. "- disse e bufei o que arrancou um sorriso por parte dele e me abraçou em seguida.

_"Você fica tão fofo zangado. Vou te morder! "

_"Me morda se for capaz. "- sorri ao desafiá-lo.

_"Você quem permitiu. Agora aguente. "

Ele se posicionou sobre mim e segurou meus pulsos, emprensando-os sobre o colchão. Sorriu ladino e aproximou seu rosto à curvatura do meu pescoço e o mordeu sem muita intensidade, mas com força suficiente pra me arrancar um "aaai! "
_"Suporte a dor. Você me permitiu mordê-lo. "

Deu outras duas mordidas na região que além de um pouco de dor, me estavam causando libido. Juntei minhas forças e o empurrei num movimento maestral onde consegui deixá-lo por baixo.

_"Pra um fantasma aparentemente inocente... Você é bem ousado sabia? "

Recebi apenas um sorriso sapeca de si. Tenho certeza que ele fazia aquilo de propósito. Mas que safado!

Não resisti mais que uns 15 segundo olhando para aquele rostinho lindo. Não hesitei nem um segundo se quer no momento em que decidi me acercar até si e tomar seus lábios. Nos beijamos diferente a da primeira vez. Dessa vez me permiti até morder seus lábios.

Beijar Kim MinSeok, era como morrer e cair direto no paraíso. Eu me sentia extremamente bem e leve.

Cessei nosso beijo graças ao meu estúpido pulmão limitado de ar.

Antes de começar outro, ele me interrompeu dizendo algo.

_"Eu sei uma maneira de seus amigos me verem sem precisar esforços de minha parte para ficar visível. Mas preciso visitar alguém antes. Você me deixar ir?"

 

 

 

_______________________________________


Notas Finais


Não criem odeio pelo pai do Chen gente. Ele é gente boa. Só é meio rústico. :3

<(‾︶‾)> DEEM NOTA
√ ( . )\ E
|| COMENTEM

Até o próximo cap!

Yori


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...