História Ghost Heart - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Frozen - Uma Aventura Congelante
Tags Hanna, Helsa, Princesa Anna, Príncipe Hans, Rainha Elsa
Visualizações 76
Palavras 1.620
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Um agir


Elsa: ATRÁS DE VOCÊ!

Hans odiava quem ousasse ficar no caminho dele e de seu amor. Ele sabia que Anna tinha chamado o profissional para tentar arrancar alguma coisa de Elsa, sobre os dois. Ao perceber que o homem já estava assustado, e olhara para trás sem hesitar, prontamente mostra-se para ele e avança no mesmo. Adentra em seu ser e possui sua alma, a fim de mostrá-lo com que tipo de espírito estava lidando. O rapaz tenta desesperadamente pedir ajuda e controlar seu próprio corpo, e Hans de fato deixara, não queria possuí-lo por completo, e sim dar-lhe uma lição. Elsa acompanhava tudo, como um boneco. Ela não parecia respirar, não movia um músculo, não fazia uma expressão, apenas acompanhava tudo.

Elsa: Ele vai usá-lo como exemplo. Não deixe que mais ninguém tente manter contato, ou as consequências serão piores.

Usada por Hans, disse estas palavras, que soaram como um alerta. Após isso, o espírito liberou o rapaz, que sentiu um alivio imediato e correu ligeiramente para a porta.

Aquilo é um monstro!

Disse, umas horas depois, após beber um copo d'água. Estava nervoso, estava enfurecido.

Anna: Desculpe-me... E-eu sinto muito por tudo isso. O que aconteceu lá?

Chame um médium, chame um padre, chame qualquer pessoa, mas expulse aquele espírito desta casa, expulse aquele espírito daquela garota! ...

Anna: Então não seria algo da psique dela?

Ela deve encenar muito bem, então. Só eu sei o que senti naquele momento, e vai contra todas as minhas crenças e descrenças!

Após terminar de beber, ele pega as suas coisas e se despede, tão logo indo ao portão principal e se retirando.

Faça isso!

Fecha o portão. A garota estava confusa, mas ao mesmo tempo sabia quem fazia aquilo. A noite logo chegou, e Anna resolveu dialogar com a irmã uma última vez, antes que Hans a expulsasse da presença da mesma novamente.

Anna: Elsa? ...

Adentrou o quarto da loira, que descansava, em sua cama.

Elsa: Olá, irmã... O que houve?

Anna: Bem... Eu posso falar com você, hoje?

Elsa: Mas claro, senta aí.

Ambas sentaram na cama da loira. A expressão de Elsa era a mais neutra possível, como se não notasse a gravidade do problema, enquanto a expressão de Anna era preocupante.

Anna: Elsa... Cadê seu namorado?

Elsa: Amor... Podemos não falar sobre iss...

Anna: Cadê seu namorado?

Usou uma voz mais autoritária. Anna não usava esse tom, mas estava tentando pôr seriedade a um assunto importante.

Elsa: E-eu não sei... Eu não o vi mais, desde a reunião com o psicólogo. Falando nisso, como ele está?

Anna: Péssimo! Elsa, você é a única que não tá vendo problema a seu redor.

Elsa: Irmã, vá pra seu quarto, por favor...

Anna: Vai ignorar de novo? Por causa de seu "namorado", é? Pois saiba que eu sei quem é seu namorado! O nome dele é Hans. Ele se denomina príncipe. É ruivo, um pouco sardento, olhos verdes cintilantes, pele clara e bochechas ruborizadas. Ele é maravilhosamente belo, e tem belo porte. Ele diz que te ama até o fim, até você entregar toda sua vida e coração a ele, até ele te abandonar... Te abandonar completamente, e deixá-la desconsolada, dependente daquele amor, que foi uma ilusão. Até ser tarde demais...

Elsa: A-Anna...

Anna: Ele fará isso com você. Não deixe esse homem te dominar.

Elsa: Não, Anna! Ele me ama!

Anna: Ele finge te amar, é isso que ele faz...

Elsa: Como tem tanta certeza?! ...

As paredes do quarto começam a rachar. Um pequeno ruído pode ser ouvido. Elsa sabia que isso significava que Hans estava próximo. As rachaduras aumentavam, tanto nas paredes quanto no chão, à medida que ele aproximava-se.

Elsa: Esqueça... Vá pra seu quarto.

Anna: Elsa, me escute...

Elsa: Vá pra seu quarto, e não saia de lá!

Levou a irmã até a porta, e empurrou-a para fora, trancando em seguida.

Anna: Elsa! Abre a porta, agora!

Batia, tão logo também chutava, mas apenas queria adentrar ao quarto. As rachaduras tomaram por completo as paredes e o chão, parecia que á pouco tempo tudo viria abaixo. Assustada, foi ao seu quarto e ficou por lá até que o dia amanhecesse.

Enquanto isso, Elsa, após trancar a porta, voltou imediatamente para a cama. Deitou-se e cobriu-se, esperando pelo rapaz.

Hans: Doce? ...

Um ar gélido espalhou-se pelo local, e uma vaga névoa branca rodeava uma silhueta, que se tornava mais visível a cada passo. O rapaz aparece, em forma de espírito, e aos poucos se materializa. Em uns segundos, sua aparência torna-se mais mortal, mais viva.

Elsa: Olá, meu amor...

Assim que consegue tocar o rapaz, puxa-o com delicadeza para a cama. O rapaz cede e vai em direção à mesma, fazendo-a deitar-se e abraçando-a por trás. Dava-lhe beijos suaves por sobre a nuca e pescoço da loira, pareciam frios como as de um fantasma, porém a garota não se incomodava, a sensação fria era sua preferida.

Elsa: Senti saudades.

Hans: Desculpe sumir assim. Ficarei ao seu lado o tempo todo.

Elsa: Obrigada, anjo. Bem... Eu soube o que fez, Hans. Porque fez aquilo com aquele psicólogo?

Perguntou, parecia um pouco temerosa com a resposta que receberia. Se de fato sua irmã estiver certa, Hans não é quem diz ser.

Hans: Eu queria mantê-lo afastado. Elsa, ele veio a mando de sua irmã, para me tirar de você...

Elsa: Que mal ele faria?

Hans: Estava tentando descobrir mais de mim, para me tirar de você. Acontece que eu não irei te deixar... Você é minha, e eu sou seu.

Elsa: Mas poderia ter matado-o!

Hans: Não, eu não o faria. Eu sei que você não se agradaria de tal coisa.

Elsa: Mas fez ameaças... Não foi?

Hans: Para amedrontá-lo. Para que não volte. Elsa, vamos esquecer isso... Já passou.

Elsa: Tudo bem... Mas posso lhe fazer outra pergunta?

Hans: Diga...

Elsa: Anna me contou umas coisas, e eu queria saber... Como ela conhece tanto sobre você?

Hans: Oh, bem... Anna disse algo sobre mim?

Elsa: Falou umas coisas, mas não se preocupe. Apenas me diga, como ela te conhece tanto?

Hans: Meu amor... Esqueça isso, um outro dia lhe digo. Agora estou cansado, estou estressado, tivemos um dia difícil.

Elsa: Certo. Hans... Você tem algum ódio contra Anna?

Hans: Por que diz isso?

Elsa: Você disse que faria qualquer coisa para ficar ao meu lado. Isso inclui assustar, matar, ferir... Anna não nos apoia muito, mas ainda sim eu a amo muito. Por favor, por favor, prometa que não irá machucá-la.

Virou-se e procurou seus olhos reluzentemente verdes castanho, encarando-os com piedade e misericórdia. Hans viu a sinceridade nos olhos azuis cristal da loira platinada, e de fato atenderia seu pedido. Seu amor por ela era imenso, maior que o ódio que sentia pela ruiva.

Hans: Mas claro... Eu prometo.

A garota sorriu, aliviada. Abraçava-o com carinho, sentindo-se confortável ao saber que sua irmã estava bem, pois confiava na palavra do amado. Retornou a ficar de costas para o mesmo, e em seguida fechou os olhos, esperando pelo sono repentino. O rapaz não se desfazia do abraço, entrelaçando os braços na cintura da loira, e mordendo-lhe o pescoço diversas vezes, com carinho.

Elsa: Hans... P-posso lhe fazer...

Hans: Diga.

Elsa: Bem, er... O que você é?

Hans: Como assim, amor?

Elsa: O que é você? Você é uma pessoa, é um fantasma, é um...

Hans: Eu sou teu príncipe, Elsa. E tu és minha Rainha.

Elsa: Hans, não é isso que...

Hans: Shh...

Levou o dedo indicador aos lábios rosados da loira, a fim de manter o silêncio. Sorriu de forma confortante e aproximou-se, retornando a beijá-la suavemente. Elsa começara a sentir um desejo, um desejo que nunca sentira na vida. Passou a desejar mais o rapaz, sentiu uma atração forte pelo mesmo, algo que nunca sentira por outro homem. Hans ficou sobre ela, a fim de colar seu corpo ao dela, e por fim entrelaçar um dos braços na cintura fina da garota, enquanto sua outra mão afagava-lhe os cabelos platinados. Continuou com os beijos, dando intensidade à medida que a mesma, aos suspiros, implorava por mais.

Elsa sentia um prazer imenso por seu amado, e jamais tinha sentido isso por ele. Por enquanto era apenas amor e paixão, apenas um zelo pelo seu bem-estar. Nunca tocou no rapaz a fim de obter prazer, jamais teve segundas intenções para com ele. Tudo isso mudara.

Lentamente a menina levou sua mão até a borda da calça do rapaz, e tentou puxá-la, a fim de removê-la. Ao notar, o rapaz, receoso, retirou a mão dela do local e recuou um pouco.

Elsa: O... O que foi?

Hans: Não há nada, amor...

Elsa: Então deixe-me continuar, p-por favor...

Hans: Bem, Elsa... Vamos continuar sim, não se preocupe.

A menina retornou a sorrir e puxou novamente a borda da calça do rapaz. O mesmo deixou-a continuar por alguns segundos, até que de repente ele puxou-a para perto de si, colando seus corpos, e retornou a entrelaçar os braços em sua cintura. Por fim, deu-lhe um beijo profundo. A menina passou a sentir falta de ar e ofegar, por último viu os olhos do rapaz cintilar de forma tão intensa, que acabou por perder a consciência.

Hans: Durma...

Disse por último, e em seguida a garota apagou.

Hans costumava provocar prazer em suas vítimas, para atraí-las, mas ele não era espírito de fazer sexo. Uma vez que podia se materializar para um humano, Hans podia ser visto, tocado, sentido, mas seu corpo estava fisicamente morto, e ele sabia disto. Sabendo também que não podia estar nessa vida pra sempre, ele teria que tomar decisões para ter a loira para si e sair daquela casa, sem que Anna o interrompa.


Notas Finais


Me desculpem a demora para postar, mas é que eu já tô ficando sem inspiração e talvez pare de escrever por um tempinho. Estou com outra Fanfic (de Hans e Elsa) pendente, e depois dessa, chega de Fanfics de Frozen por um tempo até eu organizar minhas ideias. Obrigada pela compreensão! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...