História GhostStories - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Ghost, Horror, Hoseok, Jimin, Jungkook, Kookmin, Namjoon, Seokjin, Suga, Sugamonjin, Suspense, Taehyung, Taeseok, Terror, Yoongi, Yoonjin
Visualizações 243
Palavras 1.566
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - 0.4 - I heard this


Fanfic / Fanfiction GhostStories - Capítulo 4 - 0.4 - I heard this

Autor P.O.V

Tae estava alheio de tanto medo àquela situação. Seu coração disparava e sua pele se arrepiava; sua pernas tremiam e seus olhos se arregalaram intensamente. 

Ele via gotas de sangue caírem da boca de Yoongi lentamente enquanto o primeiro barulho de seu osso quebrar. Jungkook o espremia lentamente, fazendo questão do pálido sentir a dor intensa daquele aperto.

Os garotos precisavam agir, e rápido.

- Namjoon, pega aquele urso! - Jimin mandou.

Sorrateiramente, Namjoon puxou o urso que estava perto do pé daquele fantasma, entregando para Jimin - este que empurrou diretamente no peito de Tae.

- Você precisa acabar com isso! - Tae o olhou incrédulo. - Como diz naquele livro, somente quem é "filho dele" consegue derrotar este monstro, e só pode ser você.

- P-por que eu? - Perguntou, encarando o urso.

- Por quê... - Jimin suspirou. - É apenas um palpite de sorte, não é? - Tae pensou por um tempo.

Ele pensou no tempo em que seu pai era vivo; ele realmente nunca conheceu sua vó e seu pai raramente falava dela, mas o pouco que sabia, tinha ideia de que sua vó morreu num acidente trágico que seu pai sempre falava quando o assunto era ela.

Bom, arriscar não irá lhe matar... Bem, não ainda.

Tae se levantou e pegou o livro, apontando o urso direto para Jungkook.

- Eu não quero mais brincar com você, meu querido amigo imaginário... - Falou com calma.

- Desista, você não é um-- - A fala do monstro cessou assim que viu um círculo de formar envolta de si.

Ele largou Yoongi - que caiu desacordado no chão, sendo socorrido por pelos outros garotos.

Tae estava frente a frente com Jungkook.

- Nunca mais machuque um amigo meu. - Disse, olhando nos olhos do fantasma. - Jungkook, Jungkook, vá dormir! Jungkook, Jungkook, vá dormir! - Uma luz cobriu o monstro, fazendo-o sumir aos poucos e reduzi-lo em cinzas.

O fantasma queimava ardentemente, e ao mesmo tempo, sua essência era transferida para o urso, até não restar nada além de cinzas.

Tae fechou o livro, respirando fundo, antes de cair no chão com o urso em mãos.

Foi como se, de uma hora para outra, toda sua energia e tivesse se dissipado, dando lugar a um sono e cansaço que lhe tomou conta completamente.

É, agora eram três para ir para enfermaria.

[...]

Hoseok acordou ao lado do irmão, este que agarrava sua camiseta e deitava serenamente por cima de seu braço.

Se sentia melhor, de fato, muito melhor. Era como se simplesmente aquilo que ele sentiu fosse apenas um sonho ruim.

E talvez, apenas fosse um sonho ruim.

Ele sorriu, antes de desviar seu olhar ao seu redor, consequentemente, para cama ao lado. Yoongi deitava nela com uma faixa envolta de sua cintura e com uma caixa de analgésico na escrivaninha ao lado.

O enorme curativo que cobria seu corpo não tapava toda mancha roxa que estava em sua pele, deixando à deriva aquele machucado perto de sua costela.

Hoseok pensou em todas as possibilidades daquilo ter acontecido, mas não encontrou nenhuma resposta, até que um ruivo - desconhecido por Hoseok - entra no local.

- Oh, você acordou! - O ruivo sorriu. - Prazer, sou Jimin, amigo do seu irmão. - Acenou gentilmente.

- Que bom que fez amigos... - Sussurrou consigo mesmo, antes de responder de modo também gentil. - Olá... Hm... Meu nome é Hoseok, prazer em te conhecer também.

- Seu irmão desmaiou, trouxemos ele para cá, mas ele passa bem. - Jimin suspirou pesadamente, já não sabendo o que falar ou por onde começar.

- Obrigado, de verdade. - Sorriu, olhando para Yoongi e logo desmanchando seu sorriso. - O que aconteceu com ele? - Apontou para o pálido.

- Ele... Se machucou. - Mentiu. - Se machucou feio, caiu da escada e bateu a cintura em diversos lugares, mas por sorte, nada aconteceu. - Sorriu amarelo. - Bom, eu já vou indo, diga um "tchau" para o seu irmão por mim. - Disse, antes de sair dali o mais rápido que podia.

- Hm... - Jimin bateu a porta com uma certa força, fazendo Hoseok estranhar tudo aquilo, mas não ligando. - Tudo bem... Eu acho.

[...]

- Okay, quem vai ficar com isso? - Jin perguntou, segurando os bracinhos fortes e ágeis daquele urso.

Ele não parava de se mexer sequer um segundo, ou até mesmo de recitar mil e um palavrões aos sete ventos, mas isso não assustava os meninos, e sim, apenas faziam eles segurarem suas risadas.

- Eu não posso ficar com isso, eu tenho uma mãe que tem pressão baixa. - Namjoon protestou, fazendo os garotos rirem baixo.

- Eu também não, imagina se minha gata acaba com ele? - Jin olhou para Namjoon, este que entendeu o olhar de Jin no mesmo instante. - Jimin...

- Nem pensar! - Respondeu rapidamente.

- Jimin, você é o único de nós que mora sozinho e que, mentalmente, é capaz de cuidar de uma criatura dessas. - Apontou para o urso assustador.

- M-mas-- - O ruivo foi interrompido.

- Sem "mas"! Já está decidido, qualquer coisa apenas chame nosso amigo caçador de fantasmas que ele resolve. - Entregou o urso para Jimin, que segurou ele com as duas mãos.

O urso ficou quieto, sorrindo perverso para Jimin numa expressão sólida é única.

- Coisinha horrorosa. - Sussurrou para si mesmo, mas baixo para que aquele urso não ouvisse.

- Eu ouvi isso, Jimin.

[...]

Assim que Jimin chegou em casa, ele subiu para o seu quarto e deixou aquele bendito urso no balcão de seu computador, já tirando suas roupas para tomar banho ali mesmo.

Quando ele estava pronto para retirar sua calça, sentiu um olhar em seu encalço. Parecia que ele estava no meio de uma multidão de olhares, nas quais todas lhe julgavam e lhe comiam com os olhos.

Isso, para ele, foi a coisa mais assustadora que já sentiu.

- Okay, pare de me olhar assim. - Sem resposta. - Não vai falar nada? - Ponderou, mas nada novamente. - Tudo bem, então, você vai ficar aqui dentro e sem falar absolutamente nada com motivo agora. - Pegou o urso e enfiou no fundo de seu armário, fechando a porta para enfim, tirar sua roupa.

Adentrou o box e o fechou, ligando o chuveiro quente e aproveitando os primeiros segundos de água fria, como sempre fazia. Sua pele se arrepiou levemente com a troca de temperatura fria para uma mais elevada, está que lhe deixou mais calmo e relaxou seus músculos tensos do ombro.

Respirou fundo, parecia que toda aquela sensação de perseguição e peso nos ombros tinha passado completamente.

Até que a sensação de ser observado, voltou.

Ele olhou para além do vidro do box, enxergando aquele urso assustador sobre a pia do banheiro, lhe olhando, mas seu sorriso era algo mais puxado para o pervertido.

- Você me assustou! - Respirou fundo, colocando a mão no peito. - Tudo bem, se não quer falar nada e vai ficar aí me olhando, que seja! - Virou de costas, pronto para pegar seu shampoo, mas seu corpo foi prensado na parede com força.

Sua bochecha ficou espalmada na parede úmida e levemente quente daquele cubículo. Sua bunda empinou por impulso, fazendo suas costas terem uma perfeita forma de arco.

- Acha mesmo que eu estou apenas te observando? - Riu. - Estou seguindo você, perseguindo você, não importa para onde você vá. - Aquela voz...

A voz era melodiosamente violenta, com um certo tom rouco e um pouco grosso, como se um adolescente estivesse ainda passando de sua puberdade. Ele não conseguia olhar muito para trás, mas de relance, enxergou quem lhe prensava ali.

Era um garoto com traços musculosos, olhar penetrante, com um sorriso sacana e afiado. 

- E agora? Continua me achando uma "coisinha horrorosa"? - Riu sarcástico. - Ahh, Jimin... Você não sabe com o que se meteu. - A mão de Jungkook espalmou uma das nádegas do ruivo, apertando-a com força. - O que temos aqui? - Raspou levemente seus dedos pela entrada virgem de Jimin, fazendo arfar manhoso.

Por algum motivo, Jimin não conseguia revidar. Seu corpo parecia não lhe obedecer, parecia ficar a mercê do fantasma.

Tudo em sua volta estava escuro, não dava para enxergar nada, exceto, Jungkook.

- Eu vou foder sua vida de duas maneiras... - Ditou severamente contra o ouvido de Jimin, ainda apertando a carne rechonchuda do garoto. - A primeira delas é que, em momento algum, irei deixar você em paz. Você não se livrará de mim tão cedo, nem em seus mais profundos sonhos. - Jimin gemeu, sentindo a mão do maior arranhar das suas coxas até sua bunda. - E a outra, você já deve saber... - Deu um tapa na bunda de Jimin, deixando aquela área com uma marca bem contornada de sua mão. - Estou te esperando na cama, e espero que você não me jogue naquele armário novamente, pois eu não quero ser o monstro que irá ficar debaixo da sua cama enquanto dorme.

Jimin engoliu seco, caindo de joelhos no chão do box. A água voltou a fazer em contato com sua pele, e ele só percebeu isso naquele momento, já que até a água pareceu ter sumido.

Trêmulo, terminou seu banho e vestiu sua roupa de dormir, indo em passos lentos até a cama.

Como Jungkook disse, aquele urso lhe esperava perto do travesseiro.

Jimin deitou na cama sem apagar a luz do abajur, se enrolando na coberta e ficando bem longe daquele urso, mas em nenhum momento daquela noite ele conseguiu fechar os olhos.

E mais uma vez, a sensação de estar sendo observado voltou.

Essa é a pior sensação do mundo, com certeza.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...